«

»

Out 01 2012

Imprimir Artigo

Pela Azevedo Neves

Não é que eu tenha nada contra uma necessidade específica para uma determinada contratação de escola, mas porque razão para um horário completo do grupo 200 é exigido experiência em contexto sociolinguístico crioulo?
Existem assim tantas turmas e alunos em que essa experiência seja condição exigida para a transmissão de conhecimentos de língua portuguesa?

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2012/10/pela-azevedo-neves-2/

  • ProfessorNasHorasVagas

    A escola deve ter uma extensão na cidade da Praia…

  • Rosalina Barbosa Machado

    Bem, para reforçar, acrescento que recebi preenchimentos de subcritérios até às 15 h do dia 2 de Outubro (recebi dia 1 de Outubro) para dois horários do Grupo 200, com as seguintes indicações:
    1. “Continuidade pedagógica no A. E. Azevedo Neves, no ensino Português ao Nível do 1º CICLO (::::)
    2. Ter lecionado com alunos do 1º CICLO, ao nível do Português, em contexto sociolinguístico crioulo(:::)
    Nota: Nem Cabo Verde exigem aos profesores que saibam falar crioulo:) A língua oficial é o Português. Falo com conhecimento de causa pois tenho as 2 nacionalidades e além de ter nascido em Cabo Verde, a mha família paterna é toda de lá desde o séc. XVIII…..raios os partam, mais papistas que o papa..

  • Nuno Coelho

    Arlindo
    Estás a falar da escola que há uns atrás foi considerada a escola mais africana da EUROPA. Na altura mais de 80% dos alunos eram de origem africanos.

    E verifiquei isso quando lá trabalhei. Tinha 5 turmas do 8º ano, 4 delas constituintes quase na sua totalidade por alunos africanos. A maioria destes alunos falava principalmente em crioulo. Um dos maiores desafio que tive era fazer com que estes alunos respondessem em português. .

  • maria

    Pelos vistos não aprenderam…

  • Pedro

    Boa maria

  • Pedro

    E por que razão experiência no 1º ciclo?!
    Estaremos atentos como é que esta escola irá fazer a selecção…

  • pika

    Acho que falta ali qualquer coisa: saber cozinhar cachupa e cantar uma morna …

  • Shue

    Acho que nestes critérios se esqueceram de incluir também o peso e a altura… já agora!

  • Maria

    Fico espantada, trist e revoltada com este tipos de critérios. Urge o Director da escola explicar este critério a todos os docentes. Já agora uma pergunta:
    – O senhor director fala crioulo ? O corpo docente efectivo desta escola fala crioulo ?
    Naturalmente que a resposta é Não. Assim sendo, como justifica esse pedido/critério. Não se lembrou mas poderá no futuro diversificar o critério e pedir: cozinhar cachupa, dançar morna, viver no bairro, ter estudado na escola, ser amiga do presidente ….
    Estaremos atentos como é que esta escola irá fazer a selecção… e iremos pedir justificação a quem de direito. Infelizmente o senhor director continua a trabahar como quer, sem obedecer a qq. critério…

  • MSilva

    Esta escola já é um clássico do compradrio e falta de vergonha na contratação de docentes. Isto já não vem de agora. Desde o Diretor ter ido a tribunal por estar de manhã na escola e à tarde na sua empresa (ou viceversa), até a contratação de familiares de membros da direção. Foi lançado um concurso para técnico especializado para o curso de multimédia que, se se repetir a receita do ano passado, é marido de um membro do corpo docente com elevado peso. Deve ser por isso que o Diretor tanto chora quando vai à televisão… É da maior irresponsabilidade o que se passa nesta escola e espero que o MEC ponha mão nisso! Não importa que nem sejam professores, que não saibam ler e escrever, mas importam as inúmeras trocas de favores ao mais alto (=baixo) nível! Contratar técnicos especializados serve para isto. Poer-se-ia contratar docentes do grupo 600, mas como não se pode colocar quem se quer, contrata-se técnicos especializados e utiliza-se a entrevista e o portefólio para ajudar. Obrigada DL 132/2012! A ajudar corruptos todos os dias!

  • Eli

    «Portugês»??

  • Sofia

    E fazer prova documental de tudo e mais um par de botas… ahah, só mesmo aqui no blog do Arlindo para descontrari depois de um dia de stress, a receber mails da treta, mais as provas documentais, e ser ultrapassada pelos candidatos… e o Bairro Padre Cruz não fica atrás. Já viram os lindos subcritérios que lançam para os horários??? Ter feito parte do Secretariado de Exames e de Juri de um processo disciplinar???!!! Pelo amor à santa, senhores… não arranjam nada melhor?! Já lá está quem o senhor Diretor quer! Ah, e para não esquecer que fazem desaparecer misteriosamente 6 horas de um horário completo, de uma colega grávida que meteu atestado… senhor daí-me paciência.

  • Estamos a falar da escola mais polemica a nível nacional, não esquecer que selecionou os candidatos que quis usando as armas que tinha (porque o ministério assim permite dar 35 e 40% para continuidade pedagógica).
    Mas o grave é selecionar pessoas que nem docentes são, têm cursos de Reabilitação Psicomotora e depois tiram pós-graduações em escolas privadas. Dando-se ao luxo de aldrabem a nota apos profissionalização e ainda estarem a desempenhar funções na direção desde Julho (dando mesmo ordens a pessoas do quadro).
    Sem falar que o diretor faz cenas de circo quando falou à tempos numa peça que passou nos telejornais, mas que depois faz entrevistas pessoais a candidatos muito antes de lançar as ofertas.
    Para mim isso não me afeta, porque já estou no quadro, mas este ano que voltei ao agrupamento e soube disso, julguei que haveria mais gente a reclamar… mas pelos visto todos la dentro compactuam com essa vergonha, para de certa forma tentar garantir o seu lugar no ano seguinte.
    Isso é a vergonha que se passa nas escolas TEIP!!

    Boa sorte a todos que ainda não tiveram colocação.

  • borges

    Esta azedo neves com este azedo diretor é só vigarices com os critérios manhosos que aplicou. Ainda me lembro de ter convocado todos os colegas da lista a comparecer para se fazer prova documental. Depois no fim, ficaram lá os mesmos que possuem uma graduação miseravel.
    É mais um trafulha que está ao serviço do maior trafulha de todos que é o ministro.
    Abaixo com estes reles e vigaristas que estão a representar serviços públicos.

  • borges

    O melhor com este critérios é irmos vestidos tipo Bonga. Qualquer dia temos que ir disfarçados de perucas, pôr bronzeador para parecermos pretos e tirar um curso rápido na esquina para falar crioulo. Ao que nós chegámos…parece que estamos no carnaval ou quÊ.
    Mas o grande palhaço é esse diretorzeco com nariz empinado que gosta de fazer dos outros parvos.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respetivos serviços, para personalizar anúncios e analisar o tráfego. As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Fechar