Dizem-me Por Telefone

… que existem docentes dos quadros que também querem concorrer à vinculação extraordinária para mudarem de grupo de recrutamento ou vir das ilhas para o continente.

 

E por um lado têm razão, já que irão ficar quase impossibilitados de uma mudança de grupo de recrutamento se o MEC for generoso e abrir bastantes vagas para esta vinculação extraordinária.

 

E até que seria uma solução justa desde que existisse uma recuperação automática de vagas que fosse usada dentro do concurso da  vinculação extraordinária. E sempre é preferível uma solução deste género do que uma tentativa dos docentes do quadro em enviar os novos vinculados para uma 4ª prioridade.

O conflito de interesses começa a crescer!

 

 

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2012/10/dizem-me-por-telefone/

69 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Prof QZP on 23 de Outubro de 2012 at 22:05
    • Responder

    Sou professora do quadro e embora concorde que os colegas contratados tenham o direito de se vincularem, seria justo q isso acontecesse depois do nosso concurso.Estou desterrada há mais de 7 anos e gostava de me aproximar…

      • Flu on 23 de Outubro de 2012 at 23:14
      • Responder

      Gostei muito deste comentário! “Sou professora do quadro e embora concorde…” Ah, concorda! Mas, embora… Esqueceu-se que também já foi contratada e que também já viu o seu direito de se vincular… Por favor, o “vosso concurso”. Estou mesmo farta de ver estas divisões que já enjoa… Sim, é justo o concurso em simultâneo para todos, concordo. Mas não há o nosso e o vosso.
      Eu nem tenho 3600 dias para entrar na guerra… mas os concursos são todos nossos!

        • Prof QZp on 25 de Outubro de 2012 at 22:12
        • Responder

        O colega é q se está a sentir descriminada.Claro que há o concurso de mobilidade interna q e só dos quadros ou também é para contratados?Se o colega se sente descriminado o problema é seu!Sim já fui contratada durante vários anos e na altura não tinha tantas regalias como agora!Subsídio não havia, se desistisse de uma colocação teria de ficar 2 anos sem concorrer e vinculei a centenas de km de casa de onde ainda não saí!E não não passei à frente de ninguém para me vincular!Faço diariamente 350 km!E sim concordo com a vinculação extraordinária desde q não me afete a mim!!!E nunca me referi a concurso nosso e vosso…se se sente mal o problema e seu!

      • C3PO on 24 de Outubro de 2012 at 0:06
      • Responder

      Não teve agora o Concurso da Mobilidade Interna?


    1. está desterrada única e simplesmente porque quer ou então em alguma parte da sua vida assim o desejou!!! Acho-lhe um piadão… ah e tal, acho bem que vinculem os contratados, mas primeiro nós!!! hehehe

        • Profqzp on 25 de Outubro de 2012 at 22:21
        • Responder

        Se fosse do quadro e fosse ultrapassada por outras pessoas injustamente gostava???E está enganado colega faço diariamente 350 km para estar c a familia e fui para longe não por vontade própria mas para me vincular!E uma vez q contratada não tinha regalias como agora como subsidio de desemprego e poder desistir de lugares q não me agradam.Se desistisse teria 2 anos sem poder concorrer!

      • C220 on 24 de Outubro de 2012 at 10:46
      • Responder

      A COLEGA QUE ME DESCULPE, MAS ANDA DESTERRADA MAS TEM TRABALHO E ORDENADO NO FIM DO MÊS, NÓS CONTRATADOS ANDAMOS PARA AQUI A CONCORRER PARA TODO LADO COM AS INJUSTIÇAS QUE SE VÊ DAS OFERTAS E COM O SUBSIDIO A TERMINAR E SEM TOSTÃO AO FIM DO MÊS … QUER TROCAR DE LUGAR TROCO COM TODO O GOSTO… HÁ GENTE QUE SE QUEIXA DE BARRIGA CHEIA POR ISSO O PAÍS ESTÁ COMO ESTÁ .. PENSE ANTES DE COMENTAR ….

        • profqzp on 25 de Outubro de 2012 at 22:28
        • Responder

        Eu acho um piadão a isto!Defendo a vossa vinculação sim e se calhar pode não acreditar mas ate ja pensei em me desvincular!Há pessoas q conheço c o mesmo tempo de serviço q eu e são contratados q ficam anos a fio perto de casa!Não me estou a queixar de nada e não tenho barriga cheia como pensa!e cada um sabe da sua vida e sinto-me afetada não são só os colegas contratados q estão mal….

      • Batista on 24 de Outubro de 2012 at 19:00
      • Responder

      Cara colega, penso que não será ultrapassada. Já leu a proposta? Parece-me que os contratados que vincularem vão em segunda prioridade. Mas leia…

      • ui on 25 de Outubro de 2012 at 11:50
      • Responder

      está desterrada porque quer… temos pena!

        • profqzp on 25 de Outubro de 2012 at 22:17
        • Responder

        O colega sabe lán da vida dos outros!Tenho pena da sua mentalidade!

    • tecas on 23 de Outubro de 2012 at 22:10
    • Responder

    Como?
    O concurso é para contratados e não para pessoas do quadro!

    • Miguel Castro on 23 de Outubro de 2012 at 22:25
    • Responder

    Há uma solução. Acabar com esta palhaçada da vinculação extra-ORDINÁRIA que vai criar injustiças e deixar tudo para o concurso de Julho.
    Que interesses há no MEC para continuar com esta palhaçada, quando já se viu que está quase tudo contra estas regras??

      • Batista on 24 de Outubro de 2012 at 19:06
      • Responder

      Quem está contra?
      Ainda nem se sabe quantas vagas para vincular vão a concurso? Qual será o critério para definir as vagas?
      Relativamente a quem tem menos de 3600 dias de serviço, já verificou quantos colegas estão à sua frente na lista ordenada? Deixar para o concurso de Março creio que seria igual, contudo, não me choca permitir que todos concorram.


  1. Ainda bem que existe telefone em Mirandela… 🙂


  2. A maior parte dos contratados anda há anos à espera de poder vincular, desejando uma vaga em qualquer lugar do país. Se esta vinculação dita “extraordinária” for para a frente, com que direito vêm os que já têm garantido um lugar, disputar vagas aos colegas? Mais uma vez se verifica o grande egoísmo que existe nesta classe, cada um só se importa consigo mesmo e se puder passar por cima seja de quem for assim fará. Não criem falsas expetativas, as vagas que surgirem serão tão poucas que mal darão para as encomendas… areia para os nossos olhos atirada pelo sr. Crato a fim de calar as vozes de quem vai lutando… é pena sermos tão poucos quando é preciso agir!

    • Antero on 23 de Outubro de 2012 at 23:07
    • Responder

    Tipicamente português. Bairrismo, capelinhas e vale tudo. Propõe-se um concurso para uns, e os outros, alto aí, isto é tudo nosso… primeiro nós, depois nós e a seguir nós. Há milhares de professores contratados com mais anos de tempo de serviço e com mais graduação e habilitações académicas que uma grande maioria dos professores de quadro. Não pode ser isto não é um couto… Parem com esta farsa de uma vez por todas. Porque se isto vier a acontecer, o que será a seguir… Lanço um grito aos professores contratados: VAMOS TODOS EMBORA DESTE PAÍZINHO DE PANELINHAS E LEVAMOS OS NOSSO FILHOS… SOMOS MILHARES… FECHARIAM MAIS UMAS QUANTAS ESCOLAS… e eles que comam tudo e não deixem nada… BASTAAAAA!!!!!!!!!!!!!! Estas notícias são uma provocação um insulto… Não volto a este blog tão depressa. Talvez depois das vinculações… e do Brasil ou da Austrália… fora deste País e desta velha Europa minada.

    • AG on 23 de Outubro de 2012 at 23:42
    • Responder

    A maioria dos contratados só não pertence aos quadros, porque se deixou ficar pelo privado à porta de casa ou pelo contrato na mesma situação. Eu vinculei ao fim de 6 anos de serviço a centenas de km de casa a pagar duas e rendas e tudo o mais que por aqui se tem escrito.

    Atualmente, com mais de 20 anos de serviço estou com horário 0, devido à extinção de lugar, ao aumento de alunos por turma, etc, etc, e estou há espera de concurso para mudar de grupo.
    Com este concurso encomendado ‘por medida’, ao arrepio de toda a legislação existente, vou ver colegas com menos 10 anos de serviço do que eu colocados em vagas que a mim nem deram hipótese de concorrer. Posso garantir que conheço dezenas de colegas na mesma situação.

    Concurso ordinário para todos, ordenados pela lista graduada e com a vagas reais apuradas (e abertas já agora). Aí sim que entrem todos os contratados necessários (que são milhares), com 10 ou até menos anos de serviço.


    1. “A maioria dos contratados só não pertence aos quadros, porque se deixou ficar pelo privado à porta de casa ou pelo contrato na mesma situação. Eu vinculei ao fim de 6 anos de serviço a centenas de km de casa a pagar duas e rendas e tudo o mais que por aqui se tem escrito.”

      –Parabéns!!! Se vinculou ao fim de 6 anos… já não tenho a mesma sorte!! Mais uma vez digo, vinculou a centenas de km’s de casa porque assim o desejou, ou vai-me dizer que alguém concorreu por si??? Não me diga que achava que ia ter um lugar de quadro para toda a vida? Já dou a resposta, tanto não o acha que até já se profissionalizou noutro grupo…

      “Atualmente, com mais de 20 anos de serviço estou com horário 0, devido à extinção de lugar, ao aumento de alunos por turma, etc, etc, e estou há espera de concurso para mudar de grupo.
      Com este concurso encomendado ‘por medida’, ao arrepio de toda a legislação existente, vou ver colegas com menos 10 anos de serviço do que eu colocados em vagas que a mim nem deram hipótese de concorrer. Posso garantir que conheço dezenas de colegas na mesma situação.”

      –Acho muito bem que concorra a outro grupo se lhe for possível, mas digo-lhe desde já que para o seu novo grupo de recrutamento, o seu tempo de serviço anterior (naquele grupo no qual entrou no quadro ao fim de 6 anos) deve ser considerado como antes da profissionalização… Passo a explicar alguém que tem 10 anos num grupo de recrutamento = alguém que tem 20 noutro grupo… Percebeu o alcance?

      Concurso ordinário para todos, ordenados pela lista graduada e com a vagas reais apuradas (e abertas já agora). Aí sim que entrem todos os contratados necessários (que são milhares), com 10 ou até menos anos de serviço.

      –Já pensou que o inverso também pode existir? Não haverão professores com mais tempo que o Sr. ou a Sra. (no seu grupo ou no grupo para o qual pretende ir) que tendo mais tempo de serviço que sua pessoa nunca entraram em nenhum lugar de quadro?!?

      • Paula on 24 de Outubro de 2012 at 16:18
      • Responder

      É isto mesmo, “sem tirar nem pôr”!

        • Paula on 24 de Outubro de 2012 at 16:26
        • Responder

        Quando afirmo isto referia-me à colega AG. Se não há horário para nós, no nosso grupo, deixem-nos mudar para outro onde possamos ser úteis! Só isso. Não queremos tirar o lugar a ninguém, mas também não é justo que “ocupem” um que podería ser ocupado por nós, porque investimos para isso! E no meu caso, refiro-me ao grupo 910. Não vale a pena “brigar” por isto! Não se vê logo que o que pretendem os “Cratos” é a divisão? tenham calma!

      • C220 on 24 de Outubro de 2012 at 17:08
      • Responder

      O facto de haver contratados, como eu, ainda por vincular não se deve ao motivo de não ter escolhido qzps longe, tenho 12 anos de serviço concorri para todo o país e não tive a sorte de vincular, com a congelação da vinculação em 2006 e a redução das vagas para esse efeito em 2009 estragou a vida a muita gente e com estas novas leis ainda pior. Por isso se realmente for para a frente esta vinculação extraordinária somente espero que seja justa e que as vagas apareçam e não fiquem guardadas na gaveta, como as das contratações de escola que são o que a gente vê……

      • Batista on 24 de Outubro de 2012 at 19:28
      • Responder

      Caro(a) colega, não sei qual o seu grupo disciplinar, mas parece-me, ao ler o primeiro parágrafo, que está redondamente equivocado(a) ou distante da realidade.

      Sabe, este é o meu 12º consecutivo a lecionar e sempre com horário completo.

      Sempre concorri a nível nacional para vincular e até quase que o fiz em mini-concursos, lembra-se? (Já estava vinculado(a) certamente). Percorri centenas de quilómetros de CAE em CAE; de Lisboa ao Algarve em busca de uma escola para trabalhar, em busca de um sonho por cumprir.

      Sempre estive em escolas do ME, SEMPRE! Nunca estive no privado! Acha que não sou necessário ao sistema?

      Desculpe, está com horário 0? Concorreu à mobilidade? Quer mudar de grupo?

      E se para tal tivesse que concorrer a nível nacional, como vem na proposta de concurso extraordinário?

      Acho que deve ler até porque pode fazer o que pretende no concurso de Março.

      Já leu a proposta emanada do MEC? Leia.

      Cumprimentos.

    • sandra s. on 23 de Outubro de 2012 at 23:48
    • Responder

    Arlindo, isto não é uma crítica à tua pessoa, mas aos que te telefonam a dizer disparates….
    Então, este pessoal anda por aqui a criticar os políticos, por estes defenderem apenas os seus lugares (tachos) e os tachos dos amigos, familiares, etc, e agora é isto? Pois, sempre os outros. Os outros é que estão agarrados aos lugares e ao poder. Não estarão os efetivos a fazer o mesmo?????? A natureza humana é, de facto, toda igual!
    OS LUGARES PÚBLICOS SÃO PÚBLICOS. Não há aqui o “meu lugar” ou o “teu lugar”, nem para políticos, nem para professores.

    • Alexandre on 23 de Outubro de 2012 at 23:59
    • Responder

    Porque razão é que não se junta tudo num único concurso? Não consigo encontrar outra razão para o ME fazer isto senão colocar professores contra professores. Com a aplicação da recuperação automática de vagas e respeito pela lista de ordenação, todos compreenderiam o processo. Era simples e transparente.

    • C3PO on 24 de Outubro de 2012 at 0:05
    • Responder

    Já agora vamos permitir ao pessoal dos quadros dos privados ou das Escolas com Contrato de Autonomia e tal….

    • Maria Sobral on 24 de Outubro de 2012 at 0:06
    • Responder

    Este teme já começa a meter nojo, pesar do excelente trabalho que o Arlindo faz. Estes comentários mostram tudo o que a nossa classe vale. Respeitem os contratados e não falem sem conhecimento de causa. Há casos e casos, por isso é que é justo o tempo de serviço a contrato e não a graduação.

    • Sara on 24 de Outubro de 2012 at 7:53
    • Responder

    Os sindicatos só pensam nos do Quadro e agem a pensar exclusivamente no bem deles. Se entrar algum contratado é tanto como os que já lá estão. Não sou a favor desta vinculação extraordinária e até ao momento só a vejo com o intuito de desviar atenções, quer por parte do MEC e principalmente por parte dos sindicatos.

    • luísa on 24 de Outubro de 2012 at 9:21
    • Responder

    Não é preciso dizer por telefone. É preciso um concurso a nível nacional, visto que existem horários zero.
    Esta história de concurso extraordinário é degradante e vê-se às claras que o motivo não deixa de contemplar o lema: dividir para reinar.

    Há aqui uma luta de sobrevivência dos próprios sindicatos que me parece ser pouco séria.


  3. Eu não concordo com essa pretensão. Eu acho que os problemas devem ser estudados e resolvidos de uma forma independente. Esses colegas que viram os seus grupos ficar abalados pela revisão curricular têm motivos de preocupação, não digo que não, mas é difícil ser solidário, pois mal as aulas começaram, calaram-se, deixaram de reivindicar o que quer que fosse porque houve algum cuidado da parte da tutela com eles e não devem estar tão desconfortáveis quanto isso! Não deveriam continuar a luta pela manutenção do seu posto de trabalho???? Fiquei a saber que muitos estão a leccionar disciplinas de outros grupos, exemplo 240 passaram para 600, agravando o desemprego dos contratados nesses grupo. Algum deles se recusou alegando não ter competências para tal, ter o direito de leccionar a disciplina para a qual se profissionalizaram??? Porque é que não fazem greve?? Juntam-se, pois não são tão poucos quanto isso e fazem greve!!! Porque é que não se manifestam???!!!! A opinião pública desconhece o que se anda a passar…até eu que sou professor, só sei o que se passa com eles porque ando pelos blogs! O que têm feito?? Vêm com telefonemas….Esses colegas são de uma passividade arrepiante, deixam-se andar, pois até ao momento não lhes calcaram realmente os calos! Querem agora mudar de grupo para se acautelar da mobilidade especial que isso sim seria um transtorno! Invejosos querem também concorrer às poucas vagas que possivelmente irão abrir???!!! Este concurso extraordinário aparece para resolver um problema que já por si é grave: Excesso de contratados com mais de uma década no sistema!!! Um grupo de contratados fartos desta situação juntaram-se e criaram uma associação…muito têm feito por nós. O MEC que se consciencialize, ou resolve a bem, ou muitos de nós vamos recorrer à justiça, pois estamos no DESEMPREGO! Já esses colegas efectivos o que é que têm sofrido??? que façam grave, juntem-se e ponham-se em frente ao parlamento!!!! Criem também associações, contactem advogados!!!! Bando de acomodados………….Aliás não iam dar aulas no iefp?????

      • HD on 25 de Outubro de 2012 at 15:09
      • Responder

      Concordo
      Cada vez mais tenho conhecimento de colegas do 240 que estão a dar aulas ao 600 e nós com 15 anos no ensino é que ficamos no desemprego. Coloquem-nos a dar Geometria Descritiva, História da Arte, Design. Mas não, vão lecionar o 7º e o 8º ano de E.V. pq no 9º já existe geometria no espaço (que quando lhes calha não dão).
      Ainda bem que os Enc de Educação não vão a um dermatologista para tratar dos dentes. Mas não existe qualquer problema que o filho seja lecionado por um docente sem compet^encias nesse grupo/disciplina.
      Os grupos 240 e 530 é que sofreram cortes. O 600 até ficou a ganhar em carga horária no 9º ano com a passagem a obrigatório na disciplina de EV, mas os horarios diminuiram drásticamente.


  4. É verdade, Arlindo, e creio que a solução que propõe é a mais justa, dadas as circunstâncias. Sou do quadro das ilhas, porque a isso fui obrigada, com 4817 dias de serviço, todos eles feitos no público, e 27697 de graduação, cinco distritos do país em cima do lombo e sempre concorri a nível nacional. Por que razão devo agora ser impedida de concorrer apenas por ser do quadro?

      • sandra s. on 24 de Outubro de 2012 at 16:54
      • Responder

      C. Pires “Sou do quadro das ilhas, porque a isso fui obrigada, ” A sério??? Sou contratada há 18 anos, concorro todos os anos e nunca ouvi falar de 1 concurso OBRIGATÓRIO para as ilhas. Procurou otão desejado lugarzinho de quadro sem pensar nas consequências, foi? Se não estivesse no quadro das ilhas, seria no continente uma CONTRATADA como milhares, não é verdade? Portanto, só deve poder concorrer como contratada. PONTO.
      Já não basta os professores efetivos do continente estarem de olho nas vagas dos contratados… só falta agora virem os professores todos das regiões autónomas… LINDO!!!
      Acho incrível quando estas pessoas falam de justiça e de direitos. Ainda não percebi de que justiça e de que direitos falam. Haaaa, já sei daqueles que me incluem….
      Não há paciência!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1


  5. C. Pires: pq este concurso não é para os Quadros..?

    E já estou como alguém disse lá atrás: mas afinal houve ou não houve até uma borla, um bom-bom, um rebuçado, há pouco tempo, para os Quadro para DAR? Se não tivesse havido, eu teria renovado. Logo, houve. Houve tanto que foram concedidos DAR´s para escolas a 2 kms uma da outra no mesmo concelho!

    Estou faaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarta desta gente toda. Saturada! Pelos cabelos!
    Tenho que deixar de consultar os blogs, a bem da minha já periclitante sanidade mental! Dasse!!!


  6. Parece-me que não sabe que os quadros de zona das ilhas não puderam e não podem, obviamente, concorrer a DAR.


  7. C.Pires: parece-me que quando entrou no Quadro há não sei qts anos, sabe tão bem como eu, que o risco de ir para qualquer lado e não conseguir sair de lá era muito grande. Foi obrigada a concorrer para as ilhas ..? Como assim? Encostaram-lhe uma pistola à cabeça? Uma faca na garganta?

    Compreendo que não queira mais permanecer nas ilhas. Espero que tenha em breve a possiiblidade de poder concorrer, num concurso de mobilidade para Quadros que permita na sua situação, sair das ilhas.

    Mas neste ponto não posso concordar consigo nem com o Arlindo.
    Sou contratada, estou desempregada, nem sei até que ponto estes concursos de vinculação são bem-vindos nesta altura, nem se virei sequer a concorrer à tal VE ou à Ordinária.

    Mas, hoje, neste momento, o que se discute e negoceia é a vinculação de contratados, que já por si é uma coisa explosiva.
    Toda a actividade e pressão sindical dos últimos 15 a 20 anos foram no sentido de proteger os Quadros.
    Agora, que há uma agulha ( não é uma lança) em África, a favor dos contratados de longa duração, vai-se virar o bico ao prego?

    Boa sorte, do fundo do coração.


  8. Enquanto os professores insistirem em pensar que é mais importante virarem-se uns contra os outros e o salve-se quem puder do do unirem-se enquanto classe, continuarão a ser um alvo fácil para a tutela. O problema dos contratados não é um problema dos contratados, como o problema dos quadros das ilhas, dos grupos de recrutamento em erosão ou dos outros que foram colocados muito, muito longe da sua zona de conforto, não é um problema dos quadros, mas sim problemas dos professores. Enquanto o pensamento for «que se lixem todos os outros e se esta VE é uma tremenda injustiça a diversos níveis, desde que entre afogados eu consiga ficar com a cabeça de fora, nem que seja sobre os ombros de uma data de outros…», a classe docente continuará a ser destruída com o seu próprio apoio. As medidas não são boas porque nos favorecem, nem más porque nos desfavorecem, mas boas ou más em si mesmas e, se quer saber, esta será má, tal como está, em si mesma, e não para quadros, nem para a maioria dos contratados, mas para todos.


    1. Sem palavras! Apesar da colega jak com paciência, explicar-lhe o óbvio, vem a colega falar em falta de união! De que forma demonstra união por nós, com 10, 13, 15, 20 anos de serviço, que agora estamos no desemprego!

      • sandra s. on 24 de Outubro de 2012 at 17:06
      • Responder

      LOL União, pois claro… União, mas nós (efetivos) estamos 1º. lugar.


  9. Se tivesse o cuidado de ler o que o Arlindo escreve neste post encontraria o óbvio: «E sempre é preferível uma solução deste género do que uma tentativa dos docentes do quadro em enviar os novos vinculados para uma 4ª prioridade.», que é, como imagina, uma solução que serve muito mais os meus interesses pessoais e que não estou a defender. Quanto a desemprego, lamento o que está a acontecer aos professores contratados, exatamente porque sei o que isso é, mais, sei o que isso é num tempo em que existia uma coisa chamada miniconconcursos e em que o subsídio desemprego para professores era uma miragem, não existia. Em 16 anos de ensino perdi quase dois, metade deles sem subsídio. Portanto, deixemos de competições. Infelizmente, vejo hoje muito mais professores dos quadros a terem os professores contratados em consideração nas suas observações, do que a inversa.


    1. Eu admiro o empenho do Arlindo mas neste aspecto não concordo com ele! Nem concordo consigo colega. Para os meus olhos não atiram areia!

      Orá bem…se colegas efectivos de outros grupos concorrerem às poucas vagas que abrirem no meu grupo o que vai acontecer é que muitíssimos de nós continuará sem a vinculação. Como é que pode haver reaproveitamento de vagas se os colegas estão a passar para outro grupo precisamente porque há poucas vagas? E nós sem podermos concorrer a vagas desses grupos, pois qualifica-mo-nos para o nosso grupo! Portanto, para nós não há 4ª, nem 5ª, ou 6ª prioridade porque nem sequer seremos novos vinculados… O que há é contratação incerta, pontual e com fases de desemprego à mistura. Não percebo que vantagem temos com isso.

      No caso dos colegas que estão nas ilhas. Como é que pode haver reaproveitamento das vossas vagas mesmo que se trate do mesmo grupo??? Uma coisa é o concurso nacional, outra são os concursos nos Açores, Madeira. Era só o que nos faltava nos obrigarem a concorrer para tais vagas, quando a maioria de nós reúne todo o tempo de serviço acumulado aqui no concurso nacional!! Até lhe digo mais, nunca fui colocado alem de dois QZP’s, sendo que nos últimos 6 anos de 14 de serviço estive sempre na mesma escola. Só digo e repito. Se o Ministério não resolver esta situação de vez a situação segue para a justiça! Isto é certo! Agora, dizerem que é bom para nós, só cai nessa quem quiser!

    • Marta on 24 de Outubro de 2012 at 12:46
    • Responder

    C. Pires, quer concorrer para este concurso da vinculação extraordinária? Olhe, no concurso das ilhas, qual é a sua prioridade? 1.ª, certo? Olhe, sabe que há uma vantagenzinha para o pessoal das ilhas nos concursos daí, certo? E você, apesar de não ser açoriana, beneficia dela por já aí ter dado aulas. Sim, você é efectiva. Então CALE-SE E DEIXE-SE DE LAMÚRIAS, QUE PARECE UMA GALINHA! SEJA DISCRETA, como dizem aí nos Açores. Goze bem o seu lugarzinho do quadro e deixe os desgraçados que para aqui andam a tentar ganhar a vida sonhar com a oportunidade de ter um vínculo como você já tem há muito tempo. É num bocado de rocha no meio do oceano? Paciência! Pode ser que tanta água dilua a estupidez de certa gente.


  10. Certezas, tantas,… Imbecilidades, muitas.


  11. E já agora, Marta, lamento informar a sua xenofobia docente que este concurso de VE, tal como está, será aberto aos contratados a lecionar nas ilhas, caso ainda não tenha percebido.

      • Marta on 24 de Outubro de 2012 at 13:57
      • Responder

      Errado! Será aberto apenas aos professores que leccionaram em escolas DEPENDENTES do MEC. Os estabelecimentos das RA dependem da Secretaria Regional. E olhe, xenofobia existe por parte dos senhores daí, que não deixam concorrer os do continente em pé de igualdade com os que têm “uma especial ligação com as regiões autónomas”. Será que não sabe disso? Será que nem sabe duvidar das suas certezas? Como é que há-de cogitar, né?

    • luma on 24 de Outubro de 2012 at 13:40
    • Responder

    PALHAÇADA! O governo , o estado português sustentou as ilhas e as IPSS anos a fio pagou o ordenado aos professores e agora vêm dizer que nunca trabalhamos para eles???Trabalhei a contrato em IPSS longe de casa, não foi comodismo pagava rendas, etc.Trabalhei nos Açores, na Madeira sempre a contrato, Não podemos permitir que mudem as regras nesta altura, é indecente.
    Lista ordenada e acabou!!!! Não foi sempre o mais justo????

    • JC narciso on 24 de Outubro de 2012 at 15:39
    • Responder

    «Até seria uma solução justa…». Não seria, pois estamos a falar de assuntos diferentes. Estamos a falar de Contrato para Vínculo e não de Destacamento Por Interesse Mesquinho, entre Quadros. Não misturem as coisas.


  12. Acontece que há muitas nuances de cinzento e nem tudo é a preto e branco. Muitos professores que estão nas RA também têm tempo nas escolas do MEC e muitos deles também num dos últimos 3 anos… Tantas certezas a preto e branco.


  13. A última mensagem era para a Marta, obviamente. Sabe como é que vim parar às ilhas? Concorri ao PAÍS TODO, fiquei colocada, fiz as malas e vim. Fiz eu assim e outros tantos. Mais o meu grupo tem tido por cá vagas não ocupadas para contrato nos últimos anos. Parafraseando o Ricardo Montes do Prof Lusos: detesto generalizações.

      • Marta on 24 de Outubro de 2012 at 17:25
      • Responder

      E sabe que alguém que não satisfaça as condições (ter aí trabalhado, ter estudado numa univ. dos Açores e /ou estagiado numa escola dos Açores, entrado numa univ. do continente através do contingente) e que tenha de graduação profissional “500,000” ficará atrás de quem satisfaça UMA dessas condições e tenha graduação 10,000. Por isso é que eu e muitos não estão na mesma “miséria humana” que a C. Pires. Mas você quer o melhor dos dois mundos: o vínculo à teta do Estado, mas não uma teta qualquer: a teta bem pertinho do aconchego familiar. Por tantos chicos-espertos terem usado os arquipélagos como trampolins, é que apareceu em 2001 essa lei maniqueísta e discriminadora. Diria mais: o tempo de serviço aí prestado deveria remeter-vos automaticamente para a última prioridade do concurso nacional, que é basicamente o que os senhores do governo regional nos fazem. E quanto a si, aproveite a vitela, o peixinho fresco e as lapas entre os tremeliques das rochas.


  14. Entao e os contatados por exemplo passavam a frente dos qzp.? Lol isso era uma piada nao.? N vai acontecer como é obvio

    • miguel on 24 de Outubro de 2012 at 21:43
    • Responder

    Oh Marta …, e quem proibiu a partida para as Ilhas …!? Pois é. Eu é que sou bom e o resto que se lixe!

    Fazem muito bem os sindicatos! Vão vivendo à custa de mentalidades tacanhas e foi assim que estilhaçaram a profissão de professor.

    • professora123 on 24 de Outubro de 2012 at 22:36
    • Responder

    Nem parecemos colegas, caramba! Neste momento, do quadro ou contratados, está difícil para todos! Sou do quadro e para o ano estarei com horário zero… é justo? Mas não me viro contra os colegas contratados! É certo que também defendo os meus direitos… mas tenhamos calma. Somos todos profissionais e aos acusarmo-nos uns aos outros não damos uma boa imagem.
    Tenho pena…

      • C3PO on 24 de Outubro de 2012 at 23:30
      • Responder

      Mas ia virar-se contra os colegas contratados porque?
      Por ir tirar a vaga a um dos contratados quando for colocado noutra Escola (num horário que este ano pertencia a um contratado)?
      Por se arranjar 6 horas na sua Escola ficar a ganhar o mesmo ordenado que ganha agora (enquanto um contratado ganharia 300 euros)?
      Porque nem interessa se tem ou não tem horário, como está no quadro o mais provável é ir ganhar na mesma o seu ordenado ao fim do mês…


  15. Isto está tudo maluco!! Nem parecem professores a escrever…

    • Galambas rules on 25 de Outubro de 2012 at 9:31
    • Responder

    Contatados tem é de ficar bico calado, porque muitos dao aulas ao lado de casa e nunca se sujeitaram.


    1. Efectivos “tem é de ficar bico calado”, afinal ter contratados dá jeito para ficar com cargos, níveis complicados e horários desarrumados, coisa que efectivo não quer! Para que vincular!?

      • C220 on 25 de Outubro de 2012 at 11:18
      • Responder

      caro colega não generalize, pois sou contratada e estive sempre longe de casa , isto é uma treta Deus dá nozes a quem não tem dentes. Está efetivo e a receber e já se esqueceu de quando era contratado ??? reclamam de barriga cheia.


  16. Desanquem-me.
    Mas como acontecia há uns tempos largos no Umbigo, declara-se :

    POST ENCERRADO
    (já estou a ver a tampa do Arlindo a saltar-lhe por ter esta gaja a mandar na casa dele) 🙂

    Modo zen ativado
    Post encerrado


    1. Concordo.
      Post encerrado.

    • profqzp on 25 de Outubro de 2012 at 22:37
    • Responder

    Não comentei com intenção de ferir alguém…para mim contratado ou do quadro´são todos professores!Mas fui atacada por todos os lados por colegas com a mania da perseguição….bolasssss

    • ProfQA on 26 de Outubro de 2012 at 20:07
    • Responder

    Oh colegas a mminha opinião é… vinculação extraordinária nesta altura porque se se aproxima um concurso 2013-2017? Então por que motivo não fazem o concurso normal e incluem nele as vagas existentes? É que se vincularem colegas já agora, já não vai haver vagas para o concurso de 2013…

    • ProfQA on 26 de Outubro de 2012 at 20:10
    • Responder

    Concordo que os colegas contratados sejam vinculados, somos todos professores… mas está claro para todos que estas vagas desaparecem para quem depois quiser mudar de grupo!


    1. ….humm, pois bem!
      A sua ideia é que os contratados que leccionam há mais de uma década num determinado grupo, desapareçam, assim num passo de mágica, que emigrem, qualquer coisa assim, para que vossa excelência possa mudar de grupo, já que o seu grupo deve ter ido à vida, mas para quê lutar pelo seu regresso??!! Não…dá muito trabalho, andar a fazer greves e assim…!!! É mais fácil dar um pontapé aos pobres coitados que nos têm andado a servir…..Bem pensado, sim senhora!

    • ProfQZP on 26 de Outubro de 2012 at 20:13
    • Responder

    Penso que o que está aqui em causa é o «roubo» descarado de vagas aos colegas do quadroo. O concurso devia ser feito para todos com recuperação automática de vagas e de acordo com a graduação: assim vinculavam na mesma os contratados mas deixavam que os QZP/QA escolhessem primeiro, como deve ser e como tem vindo a ser até aqui! Quem está na carreira há 5 ou 10 anos deve ter prioridade de escolha!


    1. Então e não é isso que se anda a dizer!!! Falam sem saber! A ideia é vincular agora os coitados a uma bolsa nacional! Depois, lá para Abril, vocês “escolherem” o que querem…e “os pobres” ficam com as sobras!
      Opá…… nem assim!

    • ProfQA on 26 de Outubro de 2012 at 21:26
    • Responder

    Se for assim tudo bem! Eu quero é mudar de grupo e não é porque o meu foi a vida mas porque me quero aproximar e pq prefiro o 2º ciclo. E também concorro a nível nacional… a situação não é assim tão diferente! Somos todos professores!

    • ProfessoraQuadro Desterrada on 26 de Outubro de 2012 at 21:28
    • Responder

    Quando é que os colegas contratados vão perceber que quem já está no quadro há anos tem que ter prioridade? Não entendem isso? Tão simples!

    • ProfessoraQuadro Desterrada on 26 de Outubro de 2012 at 21:32
    • Responder

    Depois de vinculrem este ano vem para a mesma prioridade que nós e aí sim podem passar-nos à frente… agora no 1º ano em que vinculavam subiam ao topo da pirâmide??? N queriam mais nada! Também não gostam que os colegas do privado vos passem à frente, pois não? Porque já estão no publico há muito tempo… entendo. Então a situação é mais ou menos a mesma!


  1. […] vai dar em nada. No entanto, por mero exercício teórico vamos procurar sistematizar algumas das reacções que se vão conhecendo, também por […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog