DACL não colocados no grupo 110 na BR4

Está é a primeira listagem de DACL ainda não colocados no grupo 110 que se conhece. Como os docentes dos quadros não têm acesso à aplicação de forma a saber a ordem da sua não colocação deixo aqui está listagem.

São 412 docentes dos quadros no 1º ciclo ainda por colocar e quase de certeza que a totalidade destes docentes são dos distritos de Bragança e Vila Real.

Clicar na imagem para aceder ao documento em pdf.

 

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2011/10/dacl-nao-colocados-no-grupo-110-na-br4/

12 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Anónimo on 6 de Outubro de 2011 at 22:59
    • Responder

    Boa noite

    Tenho algumas dúvidas sobre os docentes com DACL:
    Onde desempenham funções até estarem colocados?
    E que tipo de funções desempenham?
    Como se processa a colocação desses colegas? Atendendo que hipoteticamente, um desses colegas apenas tenha colocado 1 ou duas preferências no concurso, o que acontece se não houver colocação nessas escolas?
    Agradeço desde já a atenção e o altruísmo revelado!
    Muito Obrigada!

      • Luís Paulo on 9 de Outubro de 2011 at 8:26
      • Responder

      Bom dia

      Os colegas DACL são, na maior parte dos casos, QZP; como tal, são obrigados a concorrer a todas as escolas do seu QZP. Estão nos apoios educativos ou então estão com turma, substituindo colegas com baixa médica, por exemplo. Muitos agrupamentos não colocam vagas a concurso enquanto tiverem professores DACL, uma vez que têm a garantia da suprir vagas temporárias.
      Já agora, um esclarecimento ao colega Arlindo: há muitos professores nesta lista que são de Castelo Branco, embora acredite que a maior parte seja de Trás-os-Montes.
      Parabéns pelo seu trabalho.
      Por último, para os “sensíveis” que insultaram a colega Ana Silva. Por amor de Deus! Nem “profs” nem outra coisa!! Imbecis e pronto!!

    1. Ok.
      Pronto. A primeira lista “nominal”.
      Porque as pessoas não são apenas números.

      Abraço 😀

    • Ana Silva on 7 de Outubro de 2011 at 17:28
    • Responder

    Olá…

    Queria deixar o meu testemunho…Sou professora do quadro de agrupamento e fui colocada numa vaga temporária, no final do contato regressarei ao agrupamento a que pertenço e serei novamente reposta na bolsa de recrutamento! Agora pergunto, será que vou andar a fazer substituições o ano todo??? Não será serviço dos prof. contatados???

      • Colega on 7 de Outubro de 2011 at 18:12
      • Responder

      Mais cuidado com o que escreve ok? Professores contratados sao professores, a colega deve ter muitos amigos deve! Descriminadora. Tenha um poco mais de atençao ao que escreve ou caso nao quisesse escrever o que escreveu, leia antes de publicar! A colega faz parte daqueles que sao a vergonha da classe docente, certamente concorda com os criterios de O.E., deve ter um bom padrinho, ou um bom corpinho, e dele faz uso… Tristeza…

      • Luís J.J. on 7 de Outubro de 2011 at 18:17
      • Responder

      Estou tentado a nao apoiar a vossa causa DACL… se todos tiverem a tua visao, nem às bolsas deveriam ir… Olha la e responde-me se es suficintemente inteligente para tal: Onde és mais professora que um professor contratado???

      • Ola on 7 de Outubro de 2011 at 18:22
      • Responder

      Ana, eu no final de contrato volto às BRs (se ainda houverem) ou às O.E. E garanto-te que nao es mais do que eu… nao deve ter tanto tempo de serviço quanto eu, nao lecionas melhor que eu, talvez tivesses um cuzinho mais geitoso que o meu… mas nao o estragasses… Cuida-te rapariga, vai atesar-te outra vez na ala de psiquiatria… Ignorante, mentecapta, convencida, ranhosa, e fico-me por aqui…

      • Loulou on 8 de Outubro de 2011 at 11:02
      • Responder

      E o que queria fazer? Ficar sem trabalhar a ganhar o ordenadinho não? Se o que existe são substituições tem mais é que as fazer. Não é o ideal, mas pior seria ficar sem o lugar de quadro e sem ordenado não? Pense em tantos contratados desempregados que por aí andam e dê graças por ter o “seu lugar de quadro de agrupamento”.

      • Anónimo on 9 de Outubro de 2011 at 21:50
      • Responder

      mas porquê? É falta de prestígio para si, andar de um lado para o outro. Acha-se melhor do que professores contratados. Alguns deles são melhores que muitos vinculados ou efectivos. é por essa mentalidade que o Governo faz o que faz…..por não hvare união. Um professor é um professor….e ponto final.

    • Rita Albuquerque on 8 de Outubro de 2011 at 15:07
    • Responder

    Colegas,
    Leiam o chorrilho de insultos à colega Ana Silva só por ter colocado uma questão! Como contratada que também sou não me senti minimamente insultada ao ler a questão que a colega colocou, embora a considere infeliz. Mas, caríssimos colegas (se é que o são), não utilizemo insulto contra colegas. Fica tão mal a quem se diz professor! É esse o exemplo que dão? E depois espantam-se da opinião pública ter de nós a imagem que tem! Atenção que este espaço é muito visitado e só estão a contribuir para denegrir ainda mais a imagem dos professores. Sinto-me envergonhada quando leio coisas destas! É triste pessoas que se dizem licenciadas (ou com mestrados e sei lá mais o quê) recorrerem a este tipo de arrazoado contra colegas! VERGONHA!

    • Vanda on 10 de Outubro de 2011 at 1:58
    • Responder

    Eu entendo o que diz a colega Ana Silva. O que ela quis dizer foi que normalmente as vagas temporárias costumam ou costumavam ser ocupadas por contratos mas não é isso que se verifica em anos mais complicados. Os colegas de quadro que não tem componente lectiva ocupam as vagas anuais e também temporárias. Ninguém é mais do que ninguém, somos todos professores e todos fazemos o nosso trabalho com dignidade, seja ele uma substituição ou uma turma um ano inteiro. Não nos devemos atacar. o que se esta a verificar este ano é que como os horarios vem todos temporários, por vezes acontece ficar um prof. contratado com um horário anual e um prof. de quadro com uma substituição temporária, o que, de facto, não é o que o Governo pretende.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: