adplus-dvertising

Não seria possível uma solução deste género?

Reposicionar todos os docentes, de acordo com todo o tempo efectivo de serviço até 31 de Agosto de 2011, nos escalões a que cada um teria direito mesmo que fosse necessário aguardar a partir de 1/1/2014 pelo tempo do período congelado para se produzir os efeitos remuneratórios nesse escalão e depois conversar sobre o modelo de Avaliação?

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2011/08/nao-seria-possivel-uma-solucao-deste-genero/

11 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • maria on 20 de Agosto de 2011 at 22:52
    • Responder

    E porque não uma coisa tipo: OK! Aceitamos ser avaliados, mas daqui a 40 anos?! A caricatura resulta do facto do impacto negativo que uma solução desse tipo teria na opinião pública. Perder mais tempo com esses disparates a propósito da ADD é suicídio. Teremos de aceitar o modelo agora proposto em troca do que nos é favorável. Para quem leu hoje o expresso perceberá que termos esgotado a capacidade reivindicativa na ADD foi um tremendo disparate. As Forças Armadas, com o País em Paz, até promoções tiveram. promoções e aposentações intocáveis. Ou é o Santos Silva que é um super-homem, ou a Milú/Alçada umas sub-mulheres. Então e nós? Perdemos tudo (vencimento, subsídios, aposentação) e ganhámos uma discussão sobre ADD (que acabou por ficar pior). Tenham juízo!


    1. A despropósito do tema do texto:
      hummm… também tens spam no teu blogue, Arlindo?
      Querem ver aconteceu a metamorfose do Ricardo em Maria 😆
      Balha-me Deus… vê isto aqui: http://olhardomiguel.wordpress.com/2011/08/20/acham-isto-normal/#comment-4607


      1. É o efeito do simplex na transexualidade.

    • Anónimo on 21 de Agosto de 2011 at 9:28
    • Responder

    Reposicionar os docentes na carreira seria uma situação justa. Afinal nos Açores, e mesmo após o período de cerca de dois anos e meio em que a carreira esteve congelada entre agosto de 2005 e janeiro de 2008, os professores foram reposicionados.
    Os sindicatos deviam era lutar por estas questões assim como a da abertura de lugares de quadro para contratados mesmo que só fosse possível manter, para já, o indice de vencimento.

    • Anónimo on 21 de Agosto de 2011 at 9:44
    • Responder

    Esta sua proposta tem de chegar ao ministro Nuno Crato. Mas como? Tem alguma ideia? Através dos sindicatos parece-me difícil. É agora o momento ideal para exigirmos o reposicionamento.

    • galadriel on 21 de Agosto de 2011 at 10:55
    • Responder

    Nem mais ! O colega tem toda a razão. Com este assunto da ADD, podemos forçar justiça em vários campos…até nos horários de trabalho, me parece. É preciso ter uma visão holiística que o ME tem sempre e nós, profs, apenas vemos o perto e o imediato!

    • silva on 21 de Agosto de 2011 at 11:30
    • Responder

    Concordo em absoluto. Temos de partir por aqui.

    • SEI on 21 de Agosto de 2011 at 21:17
    • Responder

    Já expressei algumas vezes essa mesma ideia. Lutemos por causas que nos unam e melhorem o ambiente nas escolas. Por ex. o reposicionamento nos escalões com contagem do tempo de serviço. Podem não nos pagar, mas faz-se alguma justiça. Se não nos importarmos com o pagamento (embora seja de direito), lá se lhes vai o argumento de que não é possível, porque não há dinheiro. A ideia tem penas para andar, se colocada nestes termos. Bora lá.

    • João on 21 de Agosto de 2011 at 21:30
    • Responder

    Se Sócrates tivesse optado por esta solução, ainda hoje seria PM.
    Foi a Milú quem tramou o PS e respectivo menino d’oiro.


  1. O melhor é enviar esta proposta ao Ramiro Marques. Pode ser que ele consiga convencer Nuno Crato da justeza dela!…

    • AnaMendes on 22 de Agosto de 2011 at 8:49
    • Responder

    Isso é que eu queria ver!
    Os alpinistas, que tiveram seis anos de bonificação por serem DOUTORES, iam logo ao arames.
    Isso é que era grande.


  1. […] Isto já começa a ser uma conversa… Não seria possível uma solução deste género? […]


  2. […] Não seria possível uma solução deste género? Gostar disto:GostoBe the first to like this post.   […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: