Rui Cardoso

Author's posts

Recomendações pela suspensão e avaliação do projeto MAIA

 

 

Projeto de Resolução 141/XVI/1 [L]

Recomenda a garantia de mais tempo para a prática pedagógica e a suspensão do projeto MAIA e respetiva avaliação externa

 

Projeto de Resolução 135/XVI/1 [BE]

Pela suspensão e avaliação do projeto MAIA

 

Projeto de Resolução 126/XVI/1 [PAN]

Pela suspensão e revisão do Projeto MAIA

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/06/recomendacoes-pela-suspensao-e-avaliacao-do-projeto-maia/

Recomendação para o reforço do Programa Escola Segura e das ações de sensibilização contra a violência em meio escolar

 

Neste sentido, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, os/as
Deputados/as do Grupo Parlamentar do PSD, abaixo-assinados, propõem que a
Assembleia da República recomende ao Governo as seguintes medidas:

– O reforço do programa “Escola Segura”, através do aumento dos meios humanos que
lhe estão afetos, e das ações junto da comunidade escolar (alunos, professores, pais,
encarregados de educação, auxiliares de ação educativa) de forma a promover uma
maior sensibilização para a segurança e prevenção da criminalidade;

– A promoção de estratégias junto da comunidade escolar, com vista ao reforço em
termos de responsabilidade social, para a prevenção e disseminação de ações que
apelem à violência;

– A recolha e a análise integrada de dados no âmbito do Programa Escola Segura (dados
dos Estabelecimentos de Educação e Ensino e das Forças de Segurança), de forma a
garantir a sua monitorização e respetivo acompanhamento;

Projeto de Resolução 130/XVI/1 [PSD]

Recomenda ao Governo o reforço do Programa Escola Segura e das ações de sensibilização contra a violência em meio escolar

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/06/recomendacao-para-o-reforco-do-programa-escola-segura-e-das-acoes-de-sensibilizacao-contra-a-violencia-em-meio-escolar/

Provas de aferição arrancam com alunos sem internet após fim dos contratos. Há escolas a pedir routers emprestados aos professores

Contratos do Ministério da Educação, Ciência e Inovação com as operadoras para o fornecimento de internet nos kits digitais da generalidade dos alunos terminou no fim do mês de maio. As provas de aferição arrancam em massa esta segunda-feira, com o exame de Português do oitavo ano, e vão ser realizadas em formato digital

Provas de aferição arrancam com alunos sem internet após fim dos contratos. Há escolas a pedir routers emprestados aos professores

A generalidade dos alunos ficou sem internet nos kits digitais fornecidos pelo Ministério da Educação Ciência e Inovação (MECI) na última sexta-feira, com o fim dos contratos com as operadoras de telecomunicações fornecedoras do serviço. Só os professores e os alunos beneficiários de ação social escolar vão continuar a ter acesso ao serviço até 31 de agosto. O fim dos contratos surge poucos dias antes da realização das provas de aferição de índole teórica, que arrancam esta segunda-feira com o exame de Português do oitavo ano.

Os diretores escolares foram confrontados com esse esclarecimento enviado por email. “No âmbito da Escola Digital, nomeadamente no que concerne ao serviço de conetividade, reiteramos a informação presente na Lei de Orçamento de Estado, Artigo 143.º ‘Até ao final do ano letivo 2023/2024, é assegurada a gratuitidade do serviço de conetividade aos professores, bem como aos alunos dos ensinos básico e secundário beneficiários da ação social escolar posicionados nos 1.º, 2.º e 3.º escalões do abono familiar’”, pode ler-se num email a que a CNN Portugal teve acesso.

A CNN Portugal sabe também que há escolas que receberam queixas de pais e encarregados de educação de que o serviço teria sido cancelado ainda antes do fim do mês de maio. “Há contratos que já tinham terminado e há miúdos que já não tinham internet ainda antes do final do mês”, relata Rui Cardoso, diretor do Agrupamento de Escolas do Viso, em Viseu, reiterando que, no seu caso, “a internet na escola é péssima”: “Continuamos com rede totalmente obsoleta.”

No caso da escola em que trabalha o diretor Rui Cardoso, a própria rede de telemóvel apresenta problemas. Enquanto conversava com a CNN Portugal, a chamada caiu. Quando foi retomada, o professor brincou com a situação: “Aqui é assim. Dentro da sala tenho rede, ponho um pé no corredor e a chamada cai.”

Filinto Lima, presidente da direção da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), mostra-se preocupado com a situação. Até porque o ano letivo ainda tem mais duas semanas de duração.

“Esta mudança de paradigma no final do ano letivo pode pôr em causa a equidade no acesso aos recursos digitais e só se compreende por questões orçamentais. Há alunos que não têm escalão, mas a vida deles em termos financeiros é difícil e passam por grandes necessidades. Entendemos a medida se a justificação for razões orçamentais, mas esperamos que seja só uma fase de transição e que a partir de 1 de setembro todos os alunos e todos os professores tenham acesso aos recursos digitais sem limitações”, diz à CNN Portugal.

“E coloca-se ainda a situação dos alunos com manuais digitais, que ainda têm 15 dias de aulas. Com o fim dos contratos podem deixar de ter acesso aos manuais em casa. Gostaríamos que a partir do próximo ano não houvesse estes constrangimentos”, alerta ainda Filinto Lima.

O também diretor do Agrupamento de Escolas Doutor Costa Matos, em Vila Nova de Gaia, sublinha que a qualidade da rede WI-FI das escolas continua a ser muito deficitária, apesar dos alertas e pedidos feitos “aos sucessivos ministros da Educação”.

“A rede das escolas precisa urgentemente de ser reforçada. Nos dias de hoje é essencial o acesso à internet. É fundamental. Não é um luxo! A rede é tão má, que, no dia a dia, obriga os professores a levarem para a escola dois planos de aula: um em suporte digital e outro com recurso a papel, caneta e o tradicional quadro branco e marcadores”, assegura Filinto Lima.

CONTINUA AQUI

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/06/provas-de-afericao-arrancam-com-alunos-sem-internet-apos-fim-dos-contratos-ha-escolas-a-pedir-routers-emprestados-aos-professores/

Validação da Reclamação da candidatura ao Concurso Interno/Externo/Contratação Inicial e Reserva de Recrutamento 2024/2025

 

Aplicação eletrónica disponível entre o dia 3 de junho e as 18:00 horas de 4 de junho de 2024 (hora de Portugal continental) para efetuar a Validação da Reclamação da Candidatura ao Concurso Interno/Externo/Contratação Inicial e Reserva de Recrutamento 2024/2025.

Nota Informativa – Validação da Reclamação das candidaturas ao Concurso Interno/Externo/Contratação Inicial e Reserva de Recrutamento 2024/2025

SIGRHE – Validação da Reclamação

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/06/validacao-da-reclamacao-da-candidatura-ao-concurso-interno-externo-contratacao-inicial-e-reserva-de-recrutamento-2024-2025/

Estudo da UTAO sobre reposição do tempo de serviço na função pública pronto em Junho

 

Coordenador da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) conta que estudo que avalia impacto orçamental do descongelamento de carreiras da função pública esteja pronto no próximo mês.

Estudo da UTAO sobre reposição do tempo de serviço na função pública pronto em Junho

Depois de assinado o acordo com professores e com outros profissionais da função pública a perfilarem-se para exigirem também a reposição do tempo de serviço em que as suas carreiras estiveram congeladas, o Governo terá em Junho uma noção do impacto que a recuperação do tempo perdido terá nos orçamentos do futuro. A data é avançada ao PÚBLICO pelo coordenador da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), que está a ultimar o estudo sobre a avaliação do impacto orçamental da contagem do tempo de serviço das carreiras dos funcionários públicos.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/06/estudo-da-utao-sobre-reposicao-do-tempo-de-servico-na-funcao-publica-pronto-em-junho/

Sondagem: Melhor Ministro é o da Educação

Fernando Alexandre beneficia, pelo menos em parte, do acordo com os professores. Paulo Rangel (Negócios Estrangeiros) e Pinto Luz (Infraestruturas) no verde. Ministro das Finanças no vermelho.

Melhor ministro é o da Educação, o pior é o da Defesa

Fernando Alexandre, na Educação, é o melhor ministro deste Governo (saldo positivo de 22 pontos) e Nuno Melo, na Defesa, é o pior (saldo negativo de nove pontos), de acordo com o barómetro da Aximage para o JN, DN e TSF, que testou a popularidade dos responsáveis por sete pastas. Paulo Rangel (Negócios Estrangeiros) e Miguel Pinto Luz (Infraestruturas) estão no verde.

O ministro da Educação arranca com 47% de avaliações positivas e 25% de notas negativas. Um resultado a que não será alheio o protagonismo nas negociações com os professores, mesmo que o acordo sobre a recuperação das carreiras só tenha sido anunciado quando o trabalho de campo desta sondagem estava a terminar.

Fernando Alexandre consegue um saldo positivo em todos os segmentos sociodemográficos da amostra e destaca-se entre os mais velhos (saldo de 37 pontos). Mas também consegue bons resultados quando se tem em conta o voto partidário: até os eleitores socialistas e do Livre estão satisfeitos.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/06/sondagem-melhor-ministro-e-o-da-educacao/

Hoje é o teu dia, criança

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/06/hoje-e-o-teu-dia-crianca/

Recrutamento de Professores Portugueses – USA

 

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/recrutamento-de-professores-portugueses-usa/

Concurso externo extraordinário de vinculação de docentes às EPERP – Nota Informativa

 

Encontra-se disponível a Nota Informativa relativa aos docentes que foram simultaneamente opositores ao Concurso Nacional regulado pelo Decreto-Lei n.º 32-A/2023, de 8 de maio, e ao Concurso externo extraordinário de vinculação de docentes às EPERP.

Nota Informativa – Concurso externo extraordinário de vinculação de docentes às EPERP

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/concurso-externo-extraordinario-de-vinculacao-de-docentes-as-eperp-nota-informativa/

Reserva de recrutamento 2023/2024 n.º 35

 

Publicitação das listas definitivas de Colocação, Não Colocação, Retirados e Listas de Colocação Administrativa – 35.ª Reserva de Recrutamento 2023/2024.

Aplicação da aceitação disponível das 0:00 horas de segunda-feira dia 3 até às 23:59 horas de terça-feira dia 4 de junho de 2024 (hora de Portugal continental).

Consulte a nota informativa.

SIGRHE – Aceitação da colocação pelo candidato

Nota informativa – Reserva de recrutamento n.º 35

Listas – Reserva de recrutamento n.º 35

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/reserva-de-recrutamento-2023-2024-n-o-35/

Bazuca dá 130 milhões para renovar e ampliar 22 escolas do Norte

Na maioria dos casos, são estabelecimentos que esperam há anos por obras e passaram do Estado central para as câmaras no âmbito da descentralização.

Bazuca dá 130 milhões para renovar e ampliar 22 escolas do Norte

São escolas onde há anos se vai remediando, arranjando aqui e ali, para manter a porta a aberta a milhares de alunos. Os milhões do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), a apelidada bazuca, vão permitir que, finalmente, seja dado o conforto e as condições de ensino que toda a comunidade letiva sempre ambicionou. A Norte, há cerca de 130 milhões de euros que serão investidos na reabilitação – e, em alguns casos, inclui a ampliação – de 22 escolas de 2.º e 3.º ciclos e secundárias em 16 municípios. Paços de Ferreira é o concelho com mais candidaturas aprovadas: quatro estabelecimentos com uma comparticipação superior a 16,23 milhões.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/bazuca-da-130-milhoes-para-renovar-e-ampliar-22-escolas-do-norte/

Recrutamento 2024/2025 – Escola Camilo Castelo Branco – Luanda

 

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/recrutamento-2024-2025-escola-camilo-castelo-branco-luanda/

Idade da reforma sobe para os 66 anos e sete meses em 2025

A idade da reforma vai subir para os 66 anos e sete meses em 2025, segundo indicam os dados da esperança média de vida hoje publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/idade-da-reforma-sobe-para-os-66-anos-e-sete-meses-em-2025/

Ilícitos em ambiente escolar aumentam 12,4%

 

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/ilicitos-em-ambiente-escolar-aumentam-124/

Mais de 10 Mil Professores Vão Entrar Nos Quadros

 

Mais de 10 Mil Professores Vão Entrar Nos Quadros

O concurso externo deste ano vai permitir a vinculação aos quadros do Ministério da Educação de cerca de 10 mil professores. É este o número aproximado de docentes que são candidatos na 1.ª prioridade, segundo as listas de ordenação provisórias publicadas pela Direção-Geral da Administração Escolar (DGAE). A maioria são os 9111 docentes que vinculam através da vinculação dinâmica, havendo ainda 1210 que se poderão tornar efetivos através da chamada norma-travão.

Estes últimos foram praticamente obrigados a concorrer ao País todo para não correrem riscos. “A lei não os obriga a concorrer ao País todo, mas podem ficar excluídos de todos os concursos do próximo ano letivo se não obtiverem colocação neste concurso. Terão de ter concorrido, pelo menos, a Lisboa e Algarve, onde faltam mais professores e é mais provável conseguirem colocação”, afirmou ao CM Davide Martins, especialista em estatísticas da educação e responsável pelos cálculos aqui referidos e publicados no blog ‘Arlindovsky’.

Já quanto aos 9111 docentes da vinculação dinâmica, que concorreram em 2023 a todo o País, candidataram-se agora aos novos Quadros de Zona Pedagógica.

ACIMA DE 67 ANOS

Há 23 candidatos a entrar nos quadros que têm entre 67 e 71 anos, ou seja, passaram a idade de aposentação.

ENTRE 62 E 66 ANOS

Neste concurso há 315 professores entre os 62 e os 66 anos que ainda estão a tentar entrar nos quadros do ministério.

OBRIGAÇÃO INJUSTA

Davide Martins considera “injusta” a obrigação de concorrer a todo o País para vincular pela norma-travão e pede “revisão” da lei.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/mais-de-10-mil-professores-vao-entrar-nos-quadros/

𝐂𝐨𝐧𝐜𝐮𝐫𝐬𝐨 𝐝𝐞 𝐂𝐨𝐧𝐭𝐫𝐚𝐭𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐢𝐧𝐢𝐜𝐢𝐚𝐥 – 𝟐𝟎𝟐𝟒/𝟐𝟎𝟐𝟓 𝐋𝐢𝐬𝐭𝐚𝐬 𝐝𝐨 𝐜𝐨𝐧𝐜𝐮𝐫𝐬𝐨 – Madeira

Lista ordenada provisória de candidatos admitidos (2024/05/27)

Lista ordenada provisória de candidatos excluídos (2024/05/27)

𝐏𝐫𝐚𝐳𝐨 𝐝𝐞 𝐫𝐞𝐜𝐥𝐚𝐦𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨: de 28 de maio a 3 de junho de 2024, obrigatoriamente efetuada via correio eletrónico, para o endereço gpd.regular@madeira.gov.pt

Formulário de reclamação:

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/%f0%9d%90%82%f0%9d%90%a8%f0%9d%90%a7%f0%9d%90%9c%f0%9d%90%ae%f0%9d%90%ab%f0%9d%90%ac%f0%9d%90%a8-%f0%9d%90%9d%f0%9d%90%9e-%f0%9d%90%82%f0%9d%90%a8%f0%9d%90%a7%f0%9d%90%ad%f0%9d%90%ab%f0%9d%90%9a/

Dados da Recuperação total do tempo de serviço congelado em 2 anos e 10 meses

 

Download do documento (PDF, Unknown)

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/dados-da-recuperacao-total-do-tempo-de-servico-congelado-em-2-anos-e-10-meses/

Nota Informativa LS/N.º 1/2024 – LICENÇA SABÁTICA – ANO ESCOLAR 2024/2025

 

Nota Informativa LS/N.º 1/2024 – LICENÇA SABÁTICA – ANO ESCOLAR 2024/2025

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/nota-informativa-ls-n-o-1-2024-licenca-sabatica-ano-escolar-2024-2025/

Nota Informativa EB/N.º 1/2024 – CONCESSÃO DE EQUIPARAÇÃO A BOLSEIRO – ANO ESCOLAR 2024/2025

 

Nota Informativa EB/N.º 1/2024 – CONCESSÃO DE EQUIPARAÇÃO A BOLSEIRO – ANO ESCOLAR 2024/2025

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/nota-informativa-eb-n-o-1-2024-concessao-de-equiparacao-a-bolseiro-ano-escolar-2024-2025/

Concurso externo extraordinário de vinculação de docentes às EPERP – Listas Provisórias

 

Estão disponíveis para consulta as listas provisórias de admissão e exclusão do Concurso Externo Extraordinário de vinculação de docentes às EPERP.

Listas

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/concurso-externo-extraordinario-de-vinculacao-de-docentes-as-eperp-listas-provisorias/

O Xico Lardosa andou na inclusão – José Afonso Baptista

 

A boa inclusão é chumbar ano sim ano não (1)

Quem inventou o chumbo foi o Xico Lardosa, um rapaz do meu tempo do Liceu, mais velho que eu uns cinco ou seis anos que eram os chumbos que já contava. Era um rapaz singular, carismático, conhecido em toda a cidade de Castelo Branco e arredores. O que o distinguia de todos nós era a sua velocidade no jogo da bola e a sua persistência a decorar as lições. A jogar a bola, no campo da Sarangonheira, agora um grande estádio, era o único que conseguia marcar um canto e correr para a baliza a tempo de ser ele a meter o golo de cabeça. Extraordinário, velocidade superior à da bola. No estudo não era menos singular: para ele, a melhor estratégia para aprender melhor era chumbar quantas vezes fosse preciso.

No verão, quando voltava a casa, o pai perguntava logo: então, filho, passaste? E o Xico explicava, paciente: Pai, há alunos que passam todos os anos, mas esses não ficam a saber nada, eu é que aprendo tudo melhor porque não faço dois em um, faço um em dois, e quando é preciso em três anos. O pai ficava inchado com a inteligência e persistência do filho.

Cruzávamo-nos muitas vezes no parque da cidade, sossegadinho, onde se estudava bem, ora sentado, ora caminhando, para não dar o sono. Lembro-me bem, um dia o Xico Lardosa passou por mim dezenas de vezes, a estudar o corpo humano e repetiu toda a manhã a mesma frase: “os dentes estão na boca, os dentes estão na boca, os dentes…”. Ao fim da manhã já tinha interiorizado este raciocínio difícil.

Bendito país onde há rapazes com esta inteligência. O ministério, que gosta muito de tomar medidas, nada lhe escapa, adotou logo esta medida e ficou conhecido em toda a europa por ser o país que mais chumba, logo o que tem a geração de crianças e jovens mais inteligentes em todo o mundo, como diria um senhor que eu não cito para não dizerem que ando a fazer política.

Eu já andei lá pelos países nórdicos a ver escolas, estúpido que eu sou, e não é que eles não sabem o que é chumbar! Ignorantes! Os alunos lá passam todos os anos. Da Inglaterra para cima é esta desgraça, por isso é que eles todos, Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia, tudo países atrasados por que só formam burros, não têm dinheiro para deixar as crianças aprender melhor repetindo anos a fio. Desculpam-se com a inclusão, sempre a mania da inclusão!…

Uma escola inclusiva, dizem, é a que não rejeita, nem exclui, nem deixa nenhum aluno para trás, “no child left behind”, dizem os américos e os beefs. O nosso ministério, invejoso, também fez uma lei sobre inclusão, que é o conhecido 54, e lá diz tudo, sucesso de todos, dos bons, dos medíocres e dos maus, tudo incluído, igualdade de oportunidades, com medidas para todos os gostos. Isto gerou revolta, claro, passar assim toda a gente sem nunca chumbar, que é isso a inclusão, mas o ministério, Xico esperto, não se esqueceu da lição do Xico Lardosa e no mesmo dia, seis de junho de 2018, publicou o 55, para dizer que afinal, não senhor, temos de ter também chumbo e retenção. Sim, no mesmo dia, um decreto para a inclusão e outro para a exclusão. Como diria Gil Vicente: “E assim se fazem as cousas”.

(1) (Baptista 2020, O meu sobrinho anda na inclusão, Nimba/Amazon, pp.113-115)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/o-xico-lardosa-andou-na-inclusao-jose-afonso-baptista/

Professora com processo disciplinar por referir nacionalidade de aluna: hipocrisia e ataque à liberdade de expressão

Lembre-se: quem cala consente. Não podemos permitir que a censura e a autocensura ditem o que podemos ou não dizer.

Professora com processo disciplinar por referir nacionalidade de aluna: hipocrisia e ataque à liberdade de expressão

Uma professora tem um processo disciplinar, de que se está a defender, porque num documento interno da escola se referiu a uma aluna de uma determinada nacionalidade, dizendo: “a aluna de nacionalidade x com determinado nome” tem uma série de problemas e, ao referir os problemas, visava proteger, apoiar e obter recursos para que esta aluna pudesse ser apoiada convenientemente. Por mencionar a nacionalidade da aluna, apenas e só a nacionalidade da aluna, a professora tem um processo disciplinar por discriminação. Isto é, a mera menção da nacionalidade da aluna foi interpretada como um ato discriminatório, levando à abertura de um processo disciplinar.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/professora-com-processo-disciplinar-por-referir-nacionalidade-de-aluna-hipocrisia-e-ataque-a-liberdade-de-expressao/

Uma escola para adultos excluídos

 

É condição sine qua non ter uma história e uma história para contar quando o destino e fim de alguém se resume a trabalhar em prol de alunos excluídos numa escola de alunos excluídos e o Luís não é excepção.
A começar pelo desemprego de canudo na mão, a vergonha de estudar em vão, como se fosse possível estudar em vão e o saber ocupasse lugar, mas o saber não paga contas mais o sacrifício familiar e o resultado para além do óbvio quando o Luís se decidiu por uma Licenciatura em Filosofia.
O olhar de lado do irmão mais velho e o “eu não te disse para não estudares” ainda hoje nos ouvidos, uma memória auditiva, uma cicatriz, uma tatuagem e a tatuagem não sai, a cicatriz também não, um disco riscado cuja mensagem é a mesma, é a mesma, é a mesma e eu não te disse não te disse não te disse para não estudares?
E depois o discurso do pai a apontar para o exemplo do teu irmão a fazer entregas e hoje é tão fácil arranjar trabalho, está tudo nos telefones e tivesse eu a vossa idade e faria o mesmo e fazer o mesmo o tanas para não dizer pior, nos intervalos o irmão ainda faz de conta ser PT e ao fim de semana faz de Uber com o carro do pai e portanto escravatura na ponta dos dedos sem quaisquer direitos mas como os direitos não pagam contas o povo verga as costas sem tempo sequer para reclamar e o Luís de fora a ver de fora a viver lá fora.
E viver lá fora significa aceitar qualquer emprego, qualquer trabalho e qualquer trabalho é esta falta de auto-estima no espelho e ensinar onde os outros não querem ensinar e ensinar quem não quer ser ensinado, razão pela qual o Luís começou por trabalhar com alunos excluídos e acabou a trabalhar pelos alunos excluídos e para os alunos excluídos.
Excluídos por problemas mil a começar pelo comportamento e a acabar no contexto familiar e social, um emprego relevante e afinal valeu a pena estudar e o saber não só não ocupa lugar como paga as contas e o Luís já não é, ele próprio, um excluído mas os seus colegas são, os outros professores são entre registos criminais, despedimentos por justa causa, vítimas de violência doméstica, imigrantes desterrados e igualmente desempregados dos países de origem e nenhum com excepção feita para a senhora directora é autóctone ou nacional.
Significa isto ser o dia do Luís tantas vezes dedicado à gestão das emoções de adultos sem pai nem mãe, meninos perdidos da Terra do Nunca mas em ponto grande e igualmente necessitados de colo e o Luís é a perfeita almofada psicológica enquanto nos corredores os alunos correm à solta ou não estivesse o professor agora com o Luís a fazer de terapeuta dia após dia e onde estão os alunos do Luís senão a correr igualmente lá fora.
Tudo porque um aluno chamou um nome a um professor e o professor não se ficou e chamou um nome ao dito aluno e afinal estamos na presença de duas crianças e não apenas uma, a original, ou então o professor desatou num pranto e dentro da sala a histeria total enquanto o professor chama a polícia e aí estão as luzes e sirenes à porta e o entretenimento total para os alunos em geral.
E isto quando não é o professor a accionar propositadamente o alarme de incêndio e a escola toda na rua porque o professor precisa de atenção e alguém com quem falar e não há com quem falar quando se vive só fruto de divórcios litigiosos para não dizer mais e os fins de semana são passados sem abrir a boca e por conseguinte toca de accionar o alarme e outra vez o gáudio geral da criançada.
Trabalhar em prol de alunos excluídos requer resiliência. Mais, requer os melhores professores para os alunos mais carentes e necessitados. O contrário é uma distopia onde os autóctones se recusam liminarmente a resolver um problema social cuja génese é da sua total responsabilidade, delegando a mesma responsabilidade para quem tantas vezes tem histórias por contar sendo o resultado um conjunto de supostos adultos igualmente carentes e necessitados incumbidos de educar e criar as crianças que um dia foram.
E o Luís já perdeu a conta aos dias perdidos de volta dos colegas sem sequer se lembrar da existência das crianças a seu cargo senão chegado o fim do dia e as crianças, então e as crianças?
A escola do Luís é um vale dos caídos mas não devia ser, dos petizes aos adultos e o apoio psicológico essencial tanto para uns como para outros acrescentando-se a isto a importância de reter quem na escola do Luís quer trabalhar, apesar das suas histórias e independentemente das suas carências.
E portanto o Luís lá continua a colecionar peripécias até por não haver outra alternativa e o regresso a uma escola secundária uma visão cada vez mais distante: por não ter experiência no ensino secundário, já lhe disseram, ou não estivesse a sua carreira cingida aos currículos alternativos.

João André Costa

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/uma-escola-para-adultos-excluidos/

Escola a mais, família a menos…

 A denominada “escola a tempo inteiro”, excêntrica “inovação educacional” concebida por José Sócrates/Maria de Lurdes Rodrigues, tem permitido e fomentado que muitas crianças possam ficar confinadas num espaço escolar durante sete, oito, nove ou, até mesmo, dez horas por dia…

 

Em 2019, a competência da organização e da gestão da escola a tempo inteiro foi transferida para as Autarquias…

 

Pelo Artigo 39.º (Escola a tempo inteiro) do Decreto-Lei n.º 21/2019, de 30 de Janeiro, as crianças do Ensino Pré-Escolar e do 1º Ciclo podem ficar encerradas em determinados espaços escolares na maior parte do seu dia, como se fossem putativos reféns:

 

– Compete às câmaras municipais promover e implementar medidas de apoio à família que garantam uma escola a tempo inteiro, designadamente actividades de animação e de enriquecimento curricular, antes e depois do período diário de actividades lectivas e durante a sua interrupção…

 

Temos, assim, crianças, entre os três e os dez anos de idade, diariamente massacradas com o cumprimento de insanos e abomináveis horários, que muitos adultos provavelmente não suportariam…

 

Temos, assim, crianças, entre os três e os dez anos de idade, depositadas na escola ou noutros espaços escolares durante a maior parte do seu dia, obrigadas a permanecer nesses lugares até serem resgatadas pela respectiva família…

 

A escola a tempo inteiro será boa para quem?

 

Para as crianças não é, com certeza, boa…

 

A escola a tempo inteiro dificilmente contribuirá para a boa saúde mental das crianças ou para o estabelecimento de relações afectivas securizantes com as respectivas figuras parentais ou até para o tão almejado sucesso escolar…

 

E o que sobra em escola falta em família…

 

Família que, nessas circunstâncias, frequentemente aproveita para se desonerar de muitas das suas responsabilidades parentais, às vezes esperando da escola aquilo que é da sua exclusiva competência…

 

Mas a escola não pode substituir a família, nem ocupar o seu lugar…

 

As Associações de Pais, em vez de reclamarem por medidas laborais protectoras da educação e da natalidade, têm permanecido em silêncio face a esta aberração, manifestando assim o seu acordo tácito com a denominada escola a tempo inteiro, que mais não faz do que legitimar e “oficializar” o aprisionamento de crianças, com a conivência e autorização dos pais…

 

O pretenso “apoio” às famílias, aludido no Artigo 39.º do Decreto-Lei n.º 21/2019, de 30 de Janeiro, acaba por evidenciar, na realidade, o fracasso das políticas sociais de apoio à família, em particular aquelas que respeitam à educação de crianças e jovens e aos incentivos à natalidade…

 

E, entretanto, as crianças continuarão enjauladas, sem o direito a serem, de facto, crianças…

 

A escola a tempo inteiro prova que somos um país pobre a todos os níveis…

 

Paula Dias

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/escola-a-mais-familia-a-menos/

Aluno menor internado por fazer um ‘mata-leão’ a professora no Porto

Jovem de 15 anos vai oito meses para centro educativo.

Aluno menor internado por fazer um ‘mata-leão’ a professora no Porto

Um aluno de 15 anos vai passar oito meses internado, em regime aberto, num centro educativo por ter feito um mata-leão (asfixia com o braço no pescoço) e dado puxões e empurrões a uma professora na sala de aulas de artes plásticas, na Escola do Cerco, Porto. O Tribunal da Relação do Porto confirmou, em acórdão a que o CM teve acesso, a decisão do Juízo de Família e Menores.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/aluno-menor-internado-por-fazer-um-mata-leao-a-professora-no-porto/

Reserva de recrutamento 2023/2024 n.º 34

Publicitação das listas definitivas de Colocação, Não Colocação, Retirados e Listas de Colocação Administrativa – 34.ª Reserva de Recrutamento 2023/2024.

Aplicação da aceitação disponível das 0:00 horas de segunda-feira dia 27 de maio, até às 23:59 horas de terça-feira dia 28 de maio de 2024 (hora de Portugal continental).

Consulte a nota informativa.

SIGRHE – Aceitação da colocação pelo candidato

Nota informativa – Reserva de recrutamento n.º 34

Listas – Reserva de recrutamento n.º 34

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/reserva-de-recrutamento-2023-2024-n-o-34/

Load more

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: