O princípio de uma negociação é solucionar problemas, não arranjar mais.

 

Há quem esteja sempre a tentar fazer parte do problema e nunca parte da solução.

Cabe aos associados dos sindicatos, fazerem uma análise sobre a atitude dos mesmos na negociação que terminou ontem e tirarem as suas conclusões.

Será que vale a pena estar associado a uma instituição que pretere o todo por uma minoria?

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2024/05/o-principio-de-uma-negociacao-e-solucionar-problemas-nao-arranjar-mais/

43 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Carlos Silva on 22 de Maio de 2024 at 10:21
    • Responder

    FENPROF, Comunistas e submetidos á CGTP, nunca assinariam uma proposta de um governo da direita, mesmo que fosse um bom acordo.

      • Luzia Meireles on 23 de Maio de 2024 at 20:42
      • Responder

      Dividir para reinar, foi o lema deste ministro para fechar o acordo com a FNE e alguns Sindicatos. O Ministro sabia que somos classe esparguete, é pena…..

        • A Prof on 24 de Maio de 2024 at 15:40
        • Responder

        Errado, colega. Não foi dividir para reinar. Foi a DEMOCRACIA a funcionar.

        Aliás, na minha escola, os do 10º escalão quase não fizeram greve pois não encontraram motivos para…

        Além disso, a FENPROF também achincalhou o acordo FNE com o ensino particular e cooperativo há quase uma década. Pois bem, a mesma FENPROF há pouco tempo foi assinar um acordo quase gémeo do acordo assinado 7 ou 8 anos antes pois a maioria dos seus associados do particular não se reviam nas suas opções. E eu bem sei disso pois tenho amigos no ensino particular…
        A voz do povo é soberana!

        Não acordem, não!

    • Paula on 22 de Maio de 2024 at 10:26
    • Responder

    Minoria??? São cerca de 25 000 (vinte e cinco mil) professores! Se isto é uma minoria, onde fica a questão da equidade que os sindicatos tanto “apregoam”??

      • José Silva on 22 de Maio de 2024 at 10:47
      • Responder

      E quantos desses 25000 concordam com a atual postura da Fenprof??

      • João on 22 de Maio de 2024 at 11:44
      • Responder

      Comunas, em Cuba é que os acordos com os professores devem ser bons, não é? Ide dar aulas para Cuba, lá é tudo uma maravilha.

        • Salazar Neves on 22 de Maio de 2024 at 11:51
        • Responder

        Cuba parece que tem as costas largas. Você não percebe que Cuba é o que é, não é por ser comunista mas porque há um embargo e sansões decretadas pelos mesmos de sempre. E as sansões não são apenas para Cuba são também para quem negociar com Cuba. Se não entende isso é porque pertence às massas adormecidas e idiotizadas.

          • Maria on 22 de Maio de 2024 at 18:09

          sanções…

      • Maria on 22 de Maio de 2024 at 18:15
      • Responder

      O que está a dizer não é verdade. Há que ser preciso…
      Não são os últimos, no plural. Só o 10º é que não recupera.
      Estou no 8º Escalão e o percurso para o 10º que seria de 6 anos, passou para um ano e 9 meses.
      No primeiro ano que estive no 8º Escalão fiz 75 horas de formação, portanto, também é por aqui o problema.
      Os consensos são feitos com assertividade!

        • Maria on 23 de Maio de 2024 at 20:53
        • Responder

        Vou-me reformar no 4º escalão. Tenho 25 anos completos de serviços. Congeralaram-me muito mais que os 6a6m23d e não vou recoperar nada. Já não vai dar para progredir. Exercí outra profissão antes da docência. Portanto é falso que só atinja os últimos escalões,

      • Maria on 22 de Maio de 2024 at 18:17
      • Responder

      O que está a dizer não é verdade. Há que ser preciso…
      Não são os últimos, no plural. Só o 10º é que não recupera.
      Estou no 8º Escalão e o percurso para o 10º que seria de 6 anos, passou para um ano e 9 meses.
      No primeiro ano que estive no 8º Escalão fiz 75 horas de formação, portanto, também é por aqui o problema.
      Os consensos são feitos com assertividade!

      • A Prof on 24 de Maio de 2024 at 15:44
      • Responder

      É a democracia a funcionar. Nem que fosse metade menos 1…
      Estou farta de perder. Quando os colegas do atual 10º tinham a minha idade e o meu tempo de serviço, onde eles já iam…
      Além disso, na minha escola, os do 10º ficaram quietos e não fizeram greve.

      O MEU sindicato assinou o acordo. Se não tivesse assinado eu bateria com a porta.
      Parabéns pelas conquistas!

  1. O acordo ainda não está no DR, mas o caminho deve ser de consensos e não o contrário. Se em 12, 7 assinaram simples …. Publique-se!

    • Laranjinhas on 22 de Maio de 2024 at 10:32
    • Responder

    Laranjinha azedas.

    1. PS e geringonça é que são bons.
      Devias ficar com o tempode serviço recuperado por esses bandalhos.

    • Frankieat on 22 de Maio de 2024 at 10:32
    • Responder

    Minoria? Pelos descontos que envio, todos os meses, para os sindicatos, diria que cerca de 50% dos docentes sindicalizados serão de sindicatos afetos à Fenprof.

      • dis_a_verdade_camarada on 23 de Maio de 2024 at 15:44
      • Responder

      Depende dos agrupamentos.
      Há agrupamentos onde a Fenprof tem apenas meia dúzia de camaradas!

  2. o senhor Arlindo não resiste à vassalagem da sua fenéee. O umbiguismo é tramado.

      • Zé Tone on 22 de Maio de 2024 at 10:41
      • Responder

      E não é de agora. As pessoas vivem embrulhadas no sonho das ideologias como se de um clube de futebol se tratasse.

  3. A Fenprof só assina o acordo se estiverem incluídos os professores que já faleceram e o tempo de serviço é recuperado para os conjugues, se ainda estiverem vivos.

      • A Prof on 24 de Maio de 2024 at 15:48
      • Responder

      Lol. Ou se os seus associados saírem em massa.
      Perguntem-lhes pelo acordo que assinaram em 2022 (ensino particular e cooperativo) depois de achincalhar esse mesmo acordo, assinado pela FNE em 2017. Vejam lá o que aconteceu aos seus associados (estiveram 7 anos parados na carreira por um orgulho tolo).

      A FENPROF devia aprender com os sindicatos do norte da Europa. Sindicalismo RESPONSÁVEL

    • Zé Tone on 22 de Maio de 2024 at 11:01
    • Responder

    Claro que vale apena.
    Até porque aquilo que pediam era mais do que justo. E porque os custos seriam simbólicos e porque continuarão a roubar durante mais 1, 2, 3 anos até as pessoas atingirem o seu escalão de miséria ao fim de uma vida onde já deveriam estar há muito.
    Mas como as PPP’s, os contratos secretos milionários com ex-ministros, as fundações, os Brarado’s, os Ferreira de Amaral, os Aguiares Brancos, os Mexias, etc. são muitos e não podem ficar de fora… é o que temos.

    Alguém se lembra do artolas dos colégios GPS que tinha uma coleção de carros icónicos de luxo na garagem? São precisamente estes artolas que não deixam o país desenvolver-se.
    https://observador.pt/2018/03/28/gps-tres-dos-arguidos-ainda-estao-em-funcoes/

  4. Fui até ao dia de hoje sindicalizada na Fenprof.
    Já procedi ao cancelamento das cotas deste sindicato comunista com o qual não me identifico e não me representa.
    O Mário Nogueira só olha para o seu umbigo. Nada faz pelos professores e tomo como exemplo o tempo da geringonça, onde podia ter feito barulho,mas não manteve-se caladinho.
    Cambada de comunas.

    • hyperthreading on 22 de Maio de 2024 at 11:19
    • Responder

    É verdade que era seria justo os professores do 10° escalão serem compensados de alguma maneira. Mas isso é uma espécie de retroactivos. Se o fizessem abriam a caixa de pandora, porque a seguir todas as classes profissionais do estado vinham pedir algo semelhante. Seria incomportável.

      • Maria on 22 de Maio de 2024 at 15:29
      • Responder

      Os que chegaram ao topo da carreira deviam estar felizes e pensarem nos milhares de contratados que trabalharam 24 anos de serviço a receber pelo mesmo escalão. A isto chama-se solidariedade e bom- senso. Na Europa há muitos países onde a discrepância entre os que iniciam a carreira e os que terminam não é tão acentuada como neste país de ignorantes. Feliz por ter chegado ao último escalão e nada poder fazer pelos meus colegas contratados.

    • Ric_oli on 22 de Maio de 2024 at 11:35
    • Responder

    Se não é possível resolver todos os problemas ao mesmo tempo, é preferível resolver um a um.
    Um já está. Depois pensam nos próximos

      • A Prof on 24 de Maio de 2024 at 15:52
      • Responder

      Isso mesmo.
      E viva o acordo FNE!
      Mais se seguirão, se tudo correr bem.

  5. “É verdade que era seria justo os professores do 10° escalão serem compensados de alguma maneira. ”
    Compensados?
    A que propósito?
    Se estão no 10º escalão é porque tiveram avaliações de Muito Bom e Excelente obtidas através de compadrios.
    Avançam na carreira, ganham muito mais que os colegas que estão presos no 4º escalão e têm ganho muito mais dinheiro que os colegas em escalões inferiores ao longo de todos estes anos.
    Têm horários reduzidos de 14 horas semanais.
    Se se aposentarem já se aposentam como estando no 10º escalão.
    Que mais querem?
    E os outros professores que estão presos no 3º e 4º escalão, não lutaram? Não aguentam com a escola pública? Não fizeram e não fazem sacrificios?
    Deviam ter vergonha.

      • Mortadela on 22 de Maio de 2024 at 12:48
      • Responder

      Muita azia e ciumeira pelos que estão no topo da carreira. .., classe da trampa!
      Olhe tome um digestivo, que isso passa🤮

      1. Subscrevo.
        Classe da trampa.
        Dos colegas que estão no topo e não querem saber dos que estão abaixo.
        Nem com um digestivo isto passa.

    1. Caro PF…
      Não devemos, em caso algum neste caso, deixar a emoção e afins falar…
      Estou no 10º escalão e não foi por compadrio. Quem na escola me conhece, ..sabe que não foi assim.
      Reconheço que se devem priorizar colegas em situações que , inequivocamente, merecem uma atenção mais rápida. Contudo, por equidade, deve dar-se atenção ao topo, pois também “perderam” esse tempo.
      Só isso! E devemos dialogar racional e serenamente!
      Sejam pessoas esclarecidas e ajam como tal!

      1. Caro cag
        Não consigo perceber o que estão os colegas do 10º escalão a reinvidicar.
        Querem retroativos?
        Que tipo de compensação procuram?
        Subir para o 11º escalão?
        Seja lá o que for os outros que estão nos escalões abaixo têm também direito, porque TODOS os professores perderam esse tempo e não ganharam o salário correspondente que deveriam ter ganho quando houve os congelamentos nem nunca irão recuperar.
        Aqui trata-se de dar a oportunidade aos restantes professores de subir de escalão e de ter um salário melhor, coisa que os professores que estão no 10º escalão não necessitam porque já estão no topo.
        O que acontece é que os colegas do topo da carreira vêem que os outros que estão abaixo poderão finalmente subir de escalão fcam com inveja e começam de forma ilegitima a dizer que estão a ser prejudicados quando na verdade nunca o foram.

        Quer trocar comigo?
        Você fica no 4º escalão que eu fico no 10º?

      • Maria on 22 de Maio de 2024 at 15:35
      • Responder

      Concordo consigo PF. Consigo observar muito para além do meu umbigo .

    • Maria on 22 de Maio de 2024 at 12:06
    • Responder

    O Mário Nogueira está a defender todos os professores, com a tentativa de uma negociação suplementar podemos ter uma solução melhorada e que diminui as injustiças de que muitos professores ainda são vitimas.

    • Susana on 22 de Maio de 2024 at 12:21
    • Responder

    Subscrevo…..eu vou fazer o mesmo….Está a lutar pelo seu umbiguinho d 10º escalão!!!

    • andrelara on 22 de Maio de 2024 at 17:59
    • Responder

    Não é estranho o Ministro hostilizar a FENPROF ANTES da reunião se realizar (com as declaracões a só aparecerem depois)?
    Não é estranho alguns sindicatos (e a comunicação social) fazerem alarde de um acordo ANTES de uma ronda de reuniões terminar (apenas com as partes boas do acordo e um embelezamento das más)?
    Não é estranho não se deixar ir até ao fim (negociação suplementar) a oportunidade de encontrar compromissos de parte a parte?
    Cada um terá a sua opinião sobre o acordo, mas já estão a conseguir dividir os professores…

      • A Prof on 24 de Maio de 2024 at 16:06
      • Responder

      Não é estranho a FENPROF ter assinado um acordo com o ensino particular e cooperativo em 2022, sendo este uma cópia quase fiel do acordo assinado pela FNE em 2017?
      Acordo esse que em 2017 foi achincalhado forte e feio pela FENPROF?

      Não é estranho este modus operandi de um sindicalismo que se quer RESPONSÁVEL?

      Faz sentido um sindicalismo destes num país que está farto de estar na cauda da Europa?

      Por que não enveredar por um sindicalismo reformista e de proposição, à semelhança dos sindicatos dos países escandinavos, por exemplo?

      A quem interessa um sindicalismo do “quanto pior melhor”, em Portugal, quase no final do 1º quartel do sec XXI?
      Colega, para mim, isto é que é estranho…
      Mas, claro, eu leio e ando informada, que é coisa que muita gente não faz e só “emprenha pelos ouvidos”…

    • Ana Tavares on 22 de Maio de 2024 at 18:31
    • Responder

    Há comentários com uma linguagem que mais parece de gente iletrada. Tenham dó! Somos ou não professores? Insultos e provocações não são necessários… todos temos direito a expor as nossas opiniões, mesmo que sejam contrárias às da maioria. O respeito é muito bonito e a liberdade de expressão também.

    • Não vale a pena on 22 de Maio de 2024 at 18:38
    • Responder

    Que tristeza de comentários. Invejas, raivas, ódios, etc e tal.
    Deixou de ser interessante andar nestas lides.
    Já não se pensa de forma racional. Umbigos e mais umbigos.
    Comentários de garotos (a maioria).
    Que triste mundo este. Os próprios docentes (e colegas) também já não são exemplo!

    • Jorge on 22 de Maio de 2024 at 20:25
    • Responder

    Este acordo é bom e termina com muito anos de luta. É um acordo importante colocar em prática o quanto antes. Parabéns FNE

    • Susana Nogueira on 23 de Maio de 2024 at 9:48
    • Responder

    Quem aqui tanto festeja o acordo assinado, desprezando os mais de 25000 professores excluídos, parte do princípio de que os excluídos são os outros, os que estão no topo da carreira (o que já era suficientemente mau).
    Quando lerem com mais atenção e simularem a sua própria recuperação de serviço, infelizmente vai haver muita gente a perceber que tem estado a comer gelados com a testa.

      • mais_uma_comuna on 23 de Maio de 2024 at 15:47
      • Responder

      25000 excluídos? Onde camarada? Só ficam excluídos os do 10º! Não sejas do rebanho comuna!

    • Isabel Leonor on 23 de Maio de 2024 at 10:45
    • Responder

    Concordo totalmente com o que disse o Rui: “Há quem esteja sempre a tentar fazer parte do problema e nunca parte da solução. Será que vale a pena estar associado a uma instituição que pretere o todo por uma minoria?”. Não sou sindicalizada em nenhum dos sindicatos de professores.
    Estou no 8º escalão e este acordo é uma lufada de ar fresco e de motivação sobre todos nós, professores. Claro que há muitos outros problemas na educação! Mas vamos resolvendo um de cada vez, com abertura e vontade de avançar!
    A fenprof só arranja chatices e mais chatices. Nunca iriam assinar absolutamente nada com o governo da AD, mesmo que fosse 5 estrelas. São comunistas militantes e só veem o comunismo e mais nada.
    Se ainda estivéssemos com o Costa não iriamos ver nada do tempo congelado! Essa é que é essa!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: