adplus-dvertising

FENPROF propõe ao ME eliminação das vagas para progressão

FENPROF propõe ao ME eliminação das vagas para progressão

 

 

Perante a disponibilidade do ME para introduzir uma alteração ao artigo 37.º do ECD, com o objetivo de dispensar da obtenção de vaga para progressão aos 5.º e 7.º escalões da carreira os detentores do grau académico de doutor em domínio relacionado com a área científica dos docentes ou em Ciências da Educação, a FENPROF apresentou uma proposta para eliminar definitivamente as vagas e as quotas para progressão na carreira a todos os docentes.

Em cima da mesa, estiveram ainda outras questões, como a contagem do tempo de serviço prestado por educadores nas creches e a aprovação de um regime de concursos e de um concurso extraordinário de vinculação para os docentes das escolas artísticas.

Sobre a revisão do regime de concursos, o ME não deu resposta à muitas questões colocadas pela FENPROF.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2022/11/fenprof-propoe-ao-me-eliminacao-das-vagas-para-progressao/

7 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Rosa on 29 de Novembro de 2022 at 22:06
    • Responder

    Mas afinal a FNPROF não representa todos os professores?

    • Rui Silva on 30 de Novembro de 2022 at 6:44
    • Responder

    A FNPROF não anda atrás do prejuízo? Se as coisas chegaram onde chegaram, talvez um estudo sobre o trabalho sindical nos apontasse os muitos erros a corrigir nesta área. Progressão, Modelo de Gestão, Avaliação de docentes, funções docentes, etc, etc.

    • E agora! on 30 de Novembro de 2022 at 16:24
    • Responder

    Questão para a Fenprof e FNE: O que é que vão fazer em termos de luta e de travão a esta ideia estúpida e injusta que o ME está a escrever para apresentar em janeiro depois das reuniões de avaliação se terem realizado. Sabemos que eles rêm a maioria mas nós também somos muitos!

    • Helena Gaspar on 30 de Novembro de 2022 at 18:30
    • Responder

    Assuntos essenciais como o dinheiro que se gasta nas portagens e no combustível, o desgate físico e psicológico, o nulo incentivo para quem aposta e gasta dinheiro nas formações especializadas (pós graduação, mestrado e doutoramento), a obrigatoriedade em fazer formações da treta num horário pós laboral… e a família que se amanhe.
    Uma profissão que se está a degradar e a tornar-se pouco estimulante devido a politiquices manhosas.
    Senhores, ide ver o mundial…

    • Rute on 30 de Novembro de 2022 at 19:30
    • Responder

    Com tantas exigências e mudanças, ainda acabamos é sem progressão nas carreiras. Quanto mais mexem pior ficamos.

    • Sofia on 1 de Dezembro de 2022 at 17:41
    • Responder

    Sou técnica superior de educação, e mestre em creche, será que posso concorrer ao público ou IPSS?

    Obrigada

    • Rui Filipe on 1 de Dezembro de 2022 at 20:59
    • Responder

    Estes governos não gostam dos professores, parece-me. Nem Sócrates, nem Costa, nem Passos, nem Montenegro.
    Estou convicto, que se fosse o Passos ou amanhã o Montenegro, ainda estaremos pior.É só esperar para ver.
    Caminha-se para a regionalização, quando deveria ser a descentralização.
    Então é que irá haver compartidos.Convém andar sempre com 2 cartões de militante: um do PS e outro do PSD😀.
    Hoje é o 1o de dezembro, dia da restauração da independência.António Sérgio. o intelectual que Salazar temia, disse que D. Sebastião foi o rei mais estupido que Portugal teve.Hoje, António Sérgio talvez dissesse que D. Sebastião tinha “ muitas boas companhias”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: