adplus-dvertising

Quem irá à luta por melhores salários para os professores?

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2022/05/quem-ira-a-luta-por-melhores-salarios-para-os-professores/

43 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Equidade on 24 de Maio de 2022 at 16:05
    • Responder

    Comparativamente, as remunerações dos escalões do 8º, 9º e , claro, do 10º , não deveriam ser as reivindicações prioritárias.
    Estas deveriam ser ,sim, as atualizações dos primeiros escalões e as eliminações das vagas de acesso ao 5º e 7º escalões.

      • Topoaleguas on 25 de Maio de 2022 at 12:15
      • Responder

      Nem mais colega.
      É isso mesmo!!

      • Paulo on 25 de Maio de 2022 at 21:22
      • Responder

      Concordo plenamente.
      As vagas permitem apenas criar injustiças, porque estas são para os amigos dos Diretores, e não para quem merece.
      Infelizmente, os desgovernantes, que apenas têm em mente poupar uns tostões, não se importam em eliminar essas vagas.
      Uma vergonha autentica.

    • ZéZé Camarinha on 24 de Maio de 2022 at 16:27
    • Responder

    .
    Uma pessoa com um Curso Universitário não está para se misturar nesta CONSPURCAÇÂO Unica (digo, Carreira Unica) em que uma Bábá (ex-amas, agora educadoras das infancias) e professores primários (ex-regentes escolares e agora sitôres dos 1ºs ciclos) auferem salários iguais e superiores a pessoas formadas em UNIVERSIDADES, isto é, ganham mais do que um Economista, um Engenheiro, um Psicologo, um Geologo, um Informático, um Contabilista, um Jurista…………………Que MERDA é esta???????????????????????

    O que é isto da Carreira Unica ??????????????????????????????

    Já agora!…..Como somos todos professores metam lá também os professores universitários……………..somos todos iguais………………………….

    Esta GENTALHA ainda não percebeu que o Conteúdo Funcional, Competências e Formação Académica é TOTALMENTE DIFERENTE.

    Como é diferente temos que ter CARREIRAS Distintas…………….. Carreira dos Monodocentes (Formados em PIAGETes e quejandos)………….Carreira dos Docentes Liceais ( Formados em Universidades)……………….Carreira dos Docentes dos Politecnicos…………….Carreira dos Docentes Universitários.

    Este é o UNICO País do Mundo onde existe a Carreira Unica, PARIDA na ABRILADA.

    Isto tem que ter um FIM

    Isto é um NOJO!……………uma VERGONHA!………………..

    Se um individuo tem um Curso Universitário opta por empregos mais valorizados, não está para se misturar com ESCUMALHA que diz que somos todos iguais…………………..NÃO!….NÃO SOMOS TODOS IGUAIS………….

    A dificuldade, a duração, as competências………….são completamente diferentes

    O Conteudo Funcional de um Docente Liceal é diferente de um Docente Universitário

    O Conteudo Funcional de um Docente Liceal é diferente de uma Bábá ou de um professor primário
    .

    .

      • Zaratrusta on 24 de Maio de 2022 at 17:09
      • Responder

      Então não é que estou fortemente inclinado a dar-te razão neste aspeto da carreira única.

        • patifaria on 24 de Maio de 2022 at 18:32
        • Responder

        O kamarinha tem razão. Portugal é o único país do mundo onde uma babá e um primário ganha o mesmo de um do secundário.
        Foi a patifaria toda feita com a conivência dos sindicatos, que deixaram isto andar para a frente. Nos outros países, os sindicatos não aceitaram a carreira única. Foram honestos!

    1. LULUZINHA=ÂNGELA=CORNOTUO=ATENTO=CAMÕES=PROF KARAMBA=ZEZÉ CAMARINHA=AURA QUINAS=REGA NO BOFE = Todos que comentam de forma grosseira e burgessa.

    • Aura Borges on 24 de Maio de 2022 at 16:58
    • Responder

    Portugal gasta mais do que a Europa a pagar salários da Função Pública

    A Comissão Europeia afirma que Portugal gasta 11,8% do PIB com a folha salarial da Função Pública, um valor acima da média europeia.

    É mais uma instituição a chamar a atenção para o peso dos salários da Função Pública na despesa do Estado. No relatório sobre Portugal, no âmbito da avaliação feita ao abrigo do Semestre Europeu, a Comissão Europeia chama a atenção para o crescente peso do número de funcionários públicos nos últimos anos, “o que tem conduzido a um aumento permanente dos gastos públicos”.

    Em resultado disto, calcula Bruxelas, “a despesa de Portugal com os salários na Função Pública superou em 1,3 pontos percentuais a média da União Europeia em 2021 (11,8% do PIB em Portugal, o que compara com 10,5% na União)”.

    ECO, 23 Maio 2022

    https://eco.sapo.pt/2022/05/23/portugal-gasta-mais-do-que-a-europa-a-pagar-salarios-da-funcao-publica/

      • Aura Borges on 24 de Maio de 2022 at 17:03
      • Responder

      Professores em Portugal ganham mais 40% do que a média dos licenciados (ao contrário do que acontece na maioria dos países da OCDE)

      Relatório “Education at a Glance” mostra que Portugal é um dos países onde tirar um curso superior mais compensa em termos salariais

      EXPRESSO, 8 DE SETEMBRO DE 2020

      https://expresso.pt/sociedade/2020-09-08-Professores-em-Portugal-ganham-mais-40-do-que-a-media-dos-licenciados–ao-contrario-do-que-acontece-na-maioria-dos-paises-da-OCDE-

      1. Esse estudo mostra tudo menos os custos do ensino obrigatório.
        Claro que não interessa falar que nesse estudo foram considerados os custos do privado nas Creches o que tem um peso muito maior que no resto da OCDE.
        “…o país merece referência por ter taxas de frequência de creches, logo a partir de um ano de idade, bem mais elevadas do que a média dos países da OCDE…”

      • Topoaleguas on 25 de Maio de 2022 at 12:18
      • Responder

      Deve ser porque os políticos de treta pagam os teus serviços a dizer mal de quem trabalha, através dos nossos impostos.
      Vai trabalhar, sem-vergonha mentiroso!

    • Professor brasileiro on 24 de Maio de 2022 at 18:19
    • Responder

    No Brasil foi Jair Bolsonaro quem foi à luta por melhores salários para os professores.

    Bolsonaro assina portaria que oficializa reajuste de 33,24% para professores
    https://www.youtube.com/watch?v=1mMO5zY4Gvc

    https://twitter.com/jairbolsonaro/status/1526133486821773313

    1. Bolsonaro que também é professor de educação física, acusado de crimes contra a humanidade devido gestão da crise sanitária, parece que vai haver eleições este ano no Brasil.

      • E agora? on 24 de Maio de 2022 at 19:53
      • Responder

      Já nem no Brasil vão arranjar professores!🤣🤣🤣

        • Professor brasileiro on 24 de Maio de 2022 at 22:35
        • Responder

        Para além de professores, tambem querem colmatar a acentuada falta de candidatos a soldados e marinheiros que existe atualmente recorrendo ao recrutamento de jovens de nacionalidade brasileira, com interesse em vir para Portugal e obter cidadania portuguesa.

        http://static.globalnoticias.pt/dn/image.jpg?brand=dn&type=generate&guid=761dbb4b-c334-4982-b324-9301b04a8754&w=800

        https://www.dn.pt/sociedade/servico-militar-generais-admitem-recrutamento-de-estrangeiros-14881852.html

          • Topoaleguas on 25 de Maio de 2022 at 12:33

          Deve ser porque os políticos de treta pagam os teus serviços a dizer mal de quem trabalha, através dos nossos impostos.
          Vai trabalhar, sem-vergonha mentiroso!

    • António on 24 de Maio de 2022 at 19:26
    • Responder

    A “carreira unica” prejudica a imagem dos Docentes. É um facto indismentivel.
    São vários os aspetos que contribuem para este pantano:
    1. A formação Académica é completamente dispare – uma educadora ou professor de 1º ciclo – obteve a sua formação numa ESE (politecnico) ou em institutos privados (PIAGET, Paula Francinet…..). Um Docente do Ensino Secundário tem uma formação realizada numa Universidade. A dificuldade, a duração, as competências adquiridas são profundamente dispares.
    2. O “Conteúdo Funcional” de um Monodocente é completamente distinto de um Docente do Ensino Secundário.

    Dito isto,

    Importa avançar, como nos restantes Países Europeus, com uma Reforma do ECD que leve á sua partição em Duas Carreiras distintas, com Grelhas Salariais diferentes em que fique evidente o “Conteudo Funcional” de cada uma.

    A revolução de Abril de 74 e a Esquerdalha mais retrograda da femprof pariu a “Carreira Unica”. Terminem com este ABORTO.

    1. Cala-te sabes lá o que dizes.
      Comparar um professor do 1ºciclo com um do secundário é desonesto ,até porque é MUIIIIIIITO mais difícil ser professor do 1ºciclo! Mas de longe!

      1. Comparar um professor do 1ºciclo com um do secundário é desonesto ,até porque é MUIIIIIIITO mais difícil ser professor do 1ºciclo! Mas de longe!

        Digo mais …………é MUIIIIIIITO mais difícil ser professor do 1ºciclo do que Professor Universitário……………..logo devem ganhar mais os ex-regentes escolares (digo, professores primários) 🙂 🙂 🙂

          • maria on 24 de Maio de 2022 at 22:04

          Comparações à moda do 1º ciclo

          É muiito mais difícil ser cuidador de um idoso acamado do que ser professor universitário . Logo, o primeiro deve ganhar mais do que o segundo…

  1. entre base e topo de carreira, com base num estudo da rede europeia Eurydice. E foram apresentadas “conclusões” ou “evidências” que, como é infelizmente muitas vezes habitual nestes casos, se caracterizam por uma leitura pouco crítica do que, atendendo à fonte “oficial” e para mais internacional, se consideram acima de qualquer análise adicional.

    E publicou-se que os professores portugueses “do 3.º ciclo” (já agora… será de todos porque a tabela salarial é comum) ganham 116% mais (acima do dobro) no topo do que na base da carreira, demorando 34 anos a chegar a essa remuneração máxima. Acerca disto, que nominalmente e no papel poderão parecer factos indesmentíveis, eu gostaria de acrescentar um pouco da “análise adicional” que sinto ter ficado por fazer.

    1. Os dados de estudos internacionais sobre os salários e carreira dos professores, nomeadamente da OCDE ou da rede Eurydice, são feitos com base em dados fornecidos pelos organismos governamentais de cada país e correspondem aos dados nominais das tabelas legisladas. O valor acrescentado de tais estudos encontra-se na comparação entre as diferentes realidades nacionais, já se tendo tornado comum o uso da paridade dos diferentes poderes de compra. E poderia encontrar-se na comparação entre o que está previsto em termos nominais e os valores reais. No caso dos salários dos professores portugueses, em especial na última década, isso não foi feito, ignorando-se o acréscimo de carga fiscal e, em alguns casos, até se esquecendo a referência aos cortes realizados com a introdução da sobretaxa (não esquecendo que até 2018 se comparavam dados de um 10.º escalão onde não estava ninguém). Quanto à carreira, é evidente o apagamento dos efeitos do congelamento de parte do tempo de serviço prestado e dos mecanismos de travagem da progressão na carreira em três dos seus escalões.
    2. Em termos de carreira, os 34 anos para ser atingido o topo (índice 370) é uma ficção completa, desafiando os autores do estudo ou os seus divulgadores a apresentarem quantos professores o atingiram em tal período de tempo ou, dos que estão ainda em exercício, que proporção o virá a conseguir. O tempo de serviço não recuperado e a existência de um sistema de quotas para a progressão em vários pontos da carreira inviabilizam que a larga maioria da classe docente chegue ao topo da carreira, estimando eu, sem uma rede internacional a apoiar-me o exercício futurológico, que serão menos do terço previsto no Estatuto que pretendia em 2007 criar a casta dos professores “titulares”.

    3. No caso dos salários, é grave que os estudos se fiquem pelo copy-paste dos dados nominais e pela aplicação de fórmulas do Excel que agora até já estão incluídas nas janelinhas do programa. A diferença é muita e bastaria consultar as tabelas disponíveis em sites sindicais. Se consultarmos as tabelas salariais para 2019, verifica-se que entre o 1.º escalão (1518,63€) e o 10.º escalão (3364,63€) existe uma diferença de 1846€, o que equivale a uma diferença de 121,6% (o estudo da Eurydice usa os dados de 2018). Mas esses são valores nominais. Os valores reais, líquidos, são outros. Depois da carga fiscal directa do IRS e do pagamento de outras obrigações, o que resta no bolso dos docentes? E qual é o verdadeiro diferencial?
    4. Um docente não casado, sem dependentes, no 1.º escalão, recebe em valor líquido 1133,37€ (menos quase 400€ do que o valor da tabela); no 10.º escalão, na mesma situação, receberá 1989,70€ (menos quase 1400€). São mais 856,33€. O que corresponde a um diferencial real de 75,5%. Numa outra situação, que se pode considerar até mais comum, um docente casado, dois titulares e dois dependentes, no 1.º escalão recebe, em termos líquidos, 1174,37€ (menos cerca de 340€); no 10.º escalão, 2006,70€ (menos quase 1350€). A diferença? 832,33€. O diferencial efectivo? 70,9%.

    A diferença entre o valor real e o valor “mediático” com chancela de instituições oficiais internacionais é, sem exageros, “colossal”. No estudo e nas notícias, não sabemos como é nos outros países. É pena que continuemos a consumir informação assim.

    • dremler gomes on 24 de Maio de 2022 at 19:56
    • Responder

    PARA ESCLARECER OS SINDICATOS
    Os sindicatos FENPROF E FNE não esclarecem a classe nem sequer os associados.

    Artigo 50.º-A
    Consolidação da mobilidade
    Pode ser consolidada a mobilidade dos docentes portadores de deficiência visual total, amblíopes ou portadores de
    deficiência motora, de carácter permanente e que implique a locomoção em cadeira de rodas, desde que satisfaçam os
    seguintes requisitos:
    a) O estabelecimento onde se encontram no exercício das suas funções possua os recursos físicos e os instrumentos de
    trabalho que garantam o exercício de funções letivas;
    b) O docente tenha componente letiva não inferior a seis horas e seja garantida a sua continuidade;
    c) Seja requerida pelo docente.

    Se algum PSEUDO ADVOGADO JURISTA ler isto , não pode andar a negociar com MINISTRO da forma que anda.
    1- estes docentes de per si já tem a mobilidade assegurada.
    2- basta seguir o decreto lei e pedi-la.
    3- Ouvi a central sindical CGTP -FENPROF a enumerar mentiras .
    4- reponhamos a verdade:
    nunca a CGTP -FENPROF pode alegar que docentes invisuais , etc nao podem estar colocados a35kms , visto isso ser FALSO.
    5- se isso acontece é porque os seus dindicatos não os sabem informam .
    6-
    disse tambem a central sindical FNE- UGT que os professores com mobilidade reduzida reduzida , não podem estar a 25kms , exato e nao estão, se estiverem façam o favor de lhes comunicar o decreto lei ,na interpretação restritiva do despacho legal facilmente aqui são enquadrados.
    É muito fácil falar ás televisões e mais uma vez sermos enganados por CAMARADAS que fazem parte de uma entourage que já leva 20 anos .
    Estas duas centrais sindicais são realmente o CANCRO da vida dos professores.
    Omitem , mentem e dessimulam factos .
    Espero ter conseguido ajudar alguns para que peçam a consolidação da mobilidade .
    Se ajudar 1 que seja, fico feliz.
    Disse.

    • VVermk on 25 de Maio de 2022 at 21:34
    • Responder

    tira o pau do cu!!! tás com os sintomas todos!! procura o médico!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: