3515 docentes aposentados em 2022

 

Reformas abrangem professores de todo o país. E as que têm mais dificuldades em arranjar substitutos ficam abaixo de Santarém, nomeadamente na região de Lisboa e Vale do Tejo e Algarve

As contas de Arlindo Ferreira revelam uma tendência de aumento de pensionistas desde 2018, quando se reformaram 669 professores. No ano passado, o número não chegou aos dois mil, mas as previsões do diretor escolar apontam para 3.515 já no próximo ano.

Numa análise à distribuição dos professores que se vão aposentar em fevereiro, verifica-se que há docentes de escolas de todo o país, desde o norte ao sul, do litoral ao interior.
As escolas que têm mais dificuldade em arranjar professores situam-se abaixo de Santarém: Lisboa e Vale do Tejo e Algarve são as regiões mais complicadas, apontou Arlindo Ferreira.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2022/01/3515-docentes-aposentados-em-2022/

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Rosinha dos Limões on 13 de Janeiro de 2022 at 22:05
    • Responder

    Não cansem a cabeça com isso. 1h de debate e 0 minutos para a Educação.
    É isso o que valemos para os nossos políticos.

      • Zaratrusta on 13 de Janeiro de 2022 at 23:13
      • Responder

      O tempo não dava para tudo e a TAP é bem mais importante que a Educação.
      Perante este panorama, no dia 30 de janeiro vou exercer o meu direito de não votar, o qual, e dada a mediocridade dos políticos portugueses, considero ser um dever cívico.

        • gin on 14 de Janeiro de 2022 at 12:58
        • Responder

        O direito cívico não será não votar, mas sim dirigir-se às urnas e votar em branco!

    • Nascimento on 13 de Janeiro de 2022 at 23:36
    • Responder

    Realmente, é inacreditável! Nem uma palavra sobre Educação! Como é possível???
    Um tema determinante para o futuro do país, que mexe com a vida de milhões de pessoas (alunos, professores, funcionários e famílias), não merece duas ou três frases dos candidatos a primeiro ministro! Sintomático.

    • Manu on 14 de Janeiro de 2022 at 4:17
    • Responder

    Educação igual a zero !
    Nem uma palavra no debate!
    Valemos zero !
    O meu voto também vai ser zero !

    Tantos problemas que a Educação tem e nem uma palavrinha. Apetece fugir deste país !

    • Alexandre on 14 de Janeiro de 2022 at 7:55
    • Responder

    100 mil de nada valem, 30 mil precários muito menos, é a mediocridade do sindicalismo que temos, ao lado os políticos e diretores de Agrupamentos

    • Zara on 14 de Janeiro de 2022 at 12:46
    • Responder

    Recuso a abstenção. Qualquer dia, até esse direito nos é retirado sob o argumento do povo não querer exercer a democracia. Voto e votarei sempre nos que têm sempre estado ao lado dos professores e contra aqueles que têm contribuído para afundar a carreira docente, inviabilizando qualquer proposta na AR ou petição pela recuperação do tempo de serviço roubado e/ou pela anulação das quotas.

      • gin on 14 de Janeiro de 2022 at 12:59
      • Responder

      Bem dito!

      • Rui Filipe on 14 de Janeiro de 2022 at 13:08
      • Responder

      Totalmente de acordo.

      • Rosinha dos Limões on 14 de Janeiro de 2022 at 21:11
      • Responder

      Mas alguém tem realmente defendido a educação??? Da direita à esquerda, nas forças sindicais… muito fogo de vista, políticas sérias pra melhorar a escola pública, os resultados dos alunos, as condições de trabalho, salários…

Responder a Alexandre Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: