A avalanche de Roteiros “Escola + 21/23”

Novos documentos do Plano Escola + 21/23:

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2021/07/a-avalanche-de-roteiros-escola-21-23/

19 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Alecrom on 17 de Julho de 2021 at 14:56
    • Responder

    O roteiro da semestralização é absolutamente delirante.

    Em dois terços das situações apresentadas é exatamente ao contrário: a semestralização prejudica, dificulta, inviabiliza…

    Sai um clássico:

    “A divisão do ano letivo em semestres (ainda que sem semestralização de disciplinas) tem várias desvantagens:
    – O facto de só haver uma “avaliação final intermédia”, deixa muitos alunos e encarregados de educação desorientados em relação ao “como correm as coisas”;
    – As interrupções de Natal e da Páscoa, para os alunos responsáveis, deixam de ser férias e passam a ser semanas de trabalho para os instrumentos de avaliação da primeira quinzena que se segue;
    – Essas duas semanas seguintes às interrupções de Natal e da Páscoa deixam de ser fases de alguma serenidade, reinício, retoma, “remotivação”… após um devido, merecido e necessário descanso (coitados dos alunos e dos professores responsáveis);
    – E não se diga que permite uma melhor distribuição no tempo de instrumentos de avaliação. O número de instrumentos de avaliação é decisão que não depende do tipo de “divisão” do ano letivo.

    A divisão em três períodos é muito mais natural. O Natal, a Páscoa e as “férias grandes” pontuam o normal respirar do ano letivo:
    – um primeiro período de arranque, adaptação e onde se entra já em velocidade de cruzeiro, que se encerra com uma primeira avaliação final;
    – seguem-se duas semanas de vida para além da escola;
    – um segundo período, já de maturação, geralmente intenso, rematado com nova e fundamental avaliação;
    – duas novas semanas de vida para além da escola, de repouso e de renovação de forças;
    – um terceiro período, mais curto e de consolidação/confirmação das competências desenvolvidas, rematado com a avaliação final.

    Por que razão querem asfixiar o ano letivo?”

    Libertação imediata do povo cubano!

    • Alecrom on 17 de Julho de 2021 at 15:12
    • Responder

    Mas há coisas adoráveis nestes roteiros.
    Por exemplo:
    “A cada equipa educativa, coordenada por um professor, compete estabelecer o seu plano de gestão integrada do currículo e implicar-se de forma conjunta e articulada nas atividades educativas com grupos de alunos de geometria variável, responsabilizando-se pelo acompanhamento dos agregados geracionais de alunos na base do compromisso de conclusão do ciclo de ensino no tempo previsto.
    A gestão flexível dos agrupamentos de alunos sob a responsabilidade de cada equipa educativa implica a existência de grupos dinâmicos e temporários de trabalho, abordagens curriculares abertas e enriquecidas orientadas para a aquisição das aprendizagens estruturantes.
    O realinhamento e reconfiguração de agrupamentos de alunos, professores e técnicos especializados requer ações sistemáticas de coordenação e ajustamento mútuo contínuo e uma forte intercomunicação no interior das constelações escolares de trabalho e com as famílias. Prevalece uma conceção de organização da gramática escolar na base da tecnologia intensiva que analisa cada caso, por contraponto à intervenção baseada em tecnologia em cadeia.”

    Só visto, porque contado poucos acreditariam.
    Estão a produzir-se documentos históricos, lol.

      • Alecrom on 17 de Julho de 2021 at 15:13
      • Responder

      Esqueci-me…

      Libertação imediata do povo cubano!

      • farto on 18 de Julho de 2021 at 12:37
      • Responder

      Não percebi, praticamente, nada, mas tudo bem!

      • Sopeira com orgulho on 18 de Julho de 2021 at 16:50
      • Responder

      Traduza por favor! Isto é conversa pra boi dormir. Parecem umas atas bonitas que eu cá sei…

        • Alecrom on 18 de Julho de 2021 at 18:38
        • Responder

        Sopeira,
        para entenderes, tens de conseguir que em ti prevaleça uma conceção de organização da gramática escolar na base da tecnologia intensiva que analisa cada caso, por contraponto à intervenção baseada em tecnologia em cadeia.

        O mesmo se aplica às atas bonitas que tu lá sabes, está bem?

    • Sardao pró manês on 17 de Julho de 2021 at 16:05
    • Responder

    O Karamba Pintelko é a favor desta palhaçada toda?
    Temos de esperar pela sua sentença, uma vez que ainda permanece no campo da sardoaria sabática e vai chegar mais tarde. Mas ele virá muito forte, a postar que nem um leão, na medida em que fica muito contente depois dessa atividade a que está muito habituado.

    • Maria on 17 de Julho de 2021 at 17:38
    • Responder

    E o projeto desMAIA??? Já alguém aplicou. Pra que serve????

  1. Se os profs cagassem para estas modernices que tornam um povo ignorante e inculto é que era…. Mas não… Há sempre uns iluminados que vão atrás da cenoura … Á espera de medalhas… Triste professorado.

      • Joaquim on 18 de Julho de 2021 at 9:51
      • Responder

      Sou professor há 41 anos e tenho de reconhecer que tem muita RAZÃO.
      Alguns até pagavam para serem os faisões. Que tristeza de ensino a que chegámos.

    • Pirilau on 17 de Julho de 2021 at 17:57
    • Responder

    Depois do acto masoquista que consiste na leitura de tantos roteiros para o abismo, apenas me apetece dizer o seguinte: internem estes loucos urgentemente!

    • N. Ribeiro. on 17 de Julho de 2021 at 18:33
    • Responder

    A hiperbolização do eduquês.
    Mas os autores serão professores, com alguma experiência?

      • Perdidos on 17 de Julho de 2021 at 22:09
      • Responder

      Os autores são boys que não entram numa sala de aula há 40 anos. Contam, nas escolas, para obrigar a implementar esta fraude, com os kapos, que também não lecionam há duas ou três décadas.

    • Francesc Ferrer Y Guárdia Um Bocadinho Manco on 18 de Julho de 2021 at 0:49
    • Responder

    Não contentes com a pandemia, não contentes com a verdadeira catástrofe da flexibilidade escolar ( a apalavra nem sequer é forte… ) , resolveram atacar , com mais força, numa coisa encoberta que se chama supostamente alguma coisa que recuperará aprendizagens… Para isso criaram roteiros!!!! Há muito tempo que não lia, desde o tempo da universidade, nada tão bacoco, atolambado, e absolutamente vazio de conteúdo… Esta verdadeira palhaçada, a ir para diante, tornará a Escola Pública num perfeito passatempo, e os professores em escravos de meia dúzia de tipos que querem fazer da Escola um entretenimento, fazendo de conta que a estão a salvar… É uma verdadeira palhaçada! Querem recuperar aprendizagens??? Trabalho duro e estudo! Sempre quero ver como é que esta palhaçada, que tornará os alunos em verdadeiros ignorantes, se cruzará com exames e provas externas minimamente credíveis! É que as escola não vão ensinar coisa nenhuma …. vão- se entreter a escrever documentos inúteis e absolutamente impraticáveis, como os que estão aqui por cima… Para esta gente, que não coloca os pés na escola, o processo e a papelada, o gongorismo eduquês é mais importante que a aprendizagem e o conhecimento… Pensam que assim são inovadores, sendo apenas profundamente ignorantes, porque doutro modo seriam mal intencionados… Este desiderato assume os professores, como uns carrascos e a escola uma instituição opressora, a chamada escola tradicional(não sabendo eu o que isso seja!). Avançando esta catástrofe, cruzada com a revogação dos programas, será maior rombo que a da Escola Pública receberá desde o seu parto… Os mais prejudicados serão os alunos, especialmente os das classes mais pobres, que esta gente diz querer servir! Uma catástrofe! Resta-me uma esperança: duvido que a maioria dos professores estejam dispostos a alinhar neste embuste! Querem recuperara aprendizagens??? Trabalho, estudo, mais trabalho, mais estudo e mais disciplina,. Traumas, infelizmente, terão estas crianças , e os seus pais, quando forem progredido nos estudos sem conhecer os mínimos, como já hoje está a acontecer, com a atual legislação: alunos que não sabem sequer ler chegam ao 7º ano, só que agora começam a ser muitos! Esperaríamos aqui uma palavras do sr. Presidente da República para travar tal hecatombe….

      • Fernando, el peligroso de kas verdades. on 18 de Julho de 2021 at 21:16
      • Responder

      Quero felicitar o Francesc Ferrer por este seu escrito.

    • Francesc Ferrer Y Guárdia Um Bocadinho Manco on 18 de Julho de 2021 at 0:50
    • Responder

    Digo”flexibilidade curricular”

    • Francesc Ferrer Y Guárdia Um Bocadinho Manco on 18 de Julho de 2021 at 1:06
    • Responder

    A bazuca vai ser gasta em formações inúteis e para os mesmos de sempre que se chegam à gamela… Formações nestas palhaçadas não faço uma!!!

    • Maria Oliveira on 18 de Julho de 2021 at 10:44
    • Responder

    Só de ver os títulos dos roteiros e os comentários, só me apetece dizer, escola ou manicómio?
    Estes senhores que pensam , se é que a isto se pode chamar pensar, deveriam implementar no terreno e eu pago para assistir!
    Já não há paciência para tanta delírio educativo.

    • João on 18 de Julho de 2021 at 13:27
    • Responder

    Deve haver tanta gente do PS sem nada para fazer, uns requisitados temporariamente às escola, outros com poiso permanente no ministério da educação…
    Têm de justificar os salários que lhes pagam… E a imaginação é infinita.
    Estamos ansiosos para ler a porcaria que irão inventar a seguir!

  1. […] ao Arlindo:. Amanhã talvez me divirta a colocar aqui alguns nacos de verdadeira inovação pedagógica como a […]

  2. […] ao Arlindo:. Amanhã talvez me divirta a colocar aqui alguns nacos de verdadeira inovação pedagógica como a […]

Responder a João Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: