Deixemo-nos de “palmadas” ….. Luís S. Braga

 

Anda por aí um discurso, que gerou polémica, e que tenta dizer que Salazar foi eficaz a gerir a educação.

A discussão está centrada no ensino básico. Tem as suas nuances, mas não há “palmada” que me convença que escolaridade de 3 anos e turmas em salas “só” com 70 alunos é escolarizar bem. E sem sequer ir comparar com outros países…..

O Senhor Professor Doutor Palma devia aproveitar, que ainda há gente viva, e falar com uns professores primários dos anos 40 e 50, para moderar a sua visão limitada do “Salazar grande educador”. Eu tive a sorte de ser criado por alguns e ter falado com dezenas.
E, mesmo só no ângulo da escolaridade básica, numa visão de ler e escrever e contar, no fim, ficar com uns 25% de analfabetos, numa Europa quase sem eles, não é resultado que se apresente como valoroso ou venturoso ao fim de 40 anos.

Por exemplo, tinha graça, até numa comparação, com interesse para analisar o presente, o Doutor Palma comparar o analfabetismo da Polónia ou República Checa com o português dos anos 70…..
Quem gaba o resultado educativo do Salazarismo devia ter vergonha da lata.

Por exemplo, comparemos a frequência do secundário e nem precisa de ser com o estrangeiro: Portugal, em 1961 e depois….

E não falemos dos alunos que só faziam exame para admissão ao Liceu ou da 4a classe, porque os professores pediam aos pais ou ao cacique local ou ofereciam os sapatos. Ou do conteúdo dos programas. Ou do recuo da escolaridade obrigatória legal de 4 para 3 anos.

Salazar fez muitas escolas primárias. Sim, e? Já sabíamos e ele fez muita propaganda disso.

Saberá o Doutor Palma como os professores trabalhavam? E como era a escolarização? Saberá o Doutor Palma o que foi uma regente escolar ou o que foi a entronização do crucifixo nas escolas?
A História sem pessoas dentro, não é História, é manipulação.

E sim, sou mero licenciado em História, mas os estudos, antes e depois, não me queimaram os neurónios da sensatez. E, pelo meio, fiz uns estudos sobre educação e muito trabalho nela que me fazem perceber que uma escola não são só as paredes.

Compreende-se que as aparentes opções políticas do Doutor Palma o façam gostar de argumentos de autoridade, mas a realidade não se conforma aos títulos académicos. É ou foi…. E pouco se rala com doutorices.

Por isso: em síntese, Salazar prejudicou o progresso de Portugal, porque geriu mal e atrasou o progresso educativo seja qual for o padrão, comparando com o estrangeiro ou com Portugal depois.
Só em Democracia se recuperou o atraso e foi complexo por causa de outros problemas que o Salazarismo deixou.

Na educação, no tempo de Salazar não foi nada bom. Lamento, Doutor Palma, não tem razão.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2021/06/deixemo-nos-de-palmadas-luis-s-braga/

15 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Calves on 12 de Junho de 2021 at 10:51
    • Responder

    Quem é o doutor Palma? 😟😳

    • João on 12 de Junho de 2021 at 12:38
    • Responder

    O sr. Braga devia, já agora, falar da herança recebida pelo Estado Novo. O regime saído do 25 de Abril teve de arcar com a herança salazarista? E o Estado Novo não recebeu da primeira República uma taxa de analfabetismo de quase 70%? E um sistema de ensino degradado?

    • Fernando, el peligroso de kas verdades. on 12 de Junho de 2021 at 14:35
    • Responder

    Ó Braga, quando falares do Salazar o teu dever é logo bater a pala e ficares em sentido!

      • maria on 12 de Junho de 2021 at 19:56
      • Responder

      A ensenhança em Traseiras

      A Joaquina nem quer ouvir falar do sr. Salazar : ” … o fdp nunca cá pôs as botas, mesmo tendo esse cognome! A única coisa que fez foi mandar uns engenheiros instalar a telescola para ensinar a canalha a escrever e, mesmo assim, como não tínhamos luz elétrica, o remédio foi o Coxa emprestar a bateria do carro . E nem sequer podíamos aprender a nobre arte mural : uma vez estávamos a ensinar a rapaziada a pintar uma foice e um martelo, na parede da Casa do Povo, e ná é que manda o c.. rão do cabo da Guarda recolher os nossos dados e enviá-los não sei p`ra onde – como fez o chaparro de Lisboa !”

    • Rui Filipe on 12 de Junho de 2021 at 21:58
    • Responder

    Como é que Salazar poderia criar uma Escola e um Ensino democrático, se ele era um pacóvio!
    Nunca foi ao estrangeiro, salvo uma vez à fronteira espanhola.
    Nunca foi às colónias africanas que tanto defendia.
    Exilou por dez anos o bispo do Porto, só porque lhe escreveu uma carta, da sua discordância com a política do ditador.
    Não deixou que houvesse partidos políticos, sindicatos, nem direito à greve.
    Não aceitou as propostas do presidente da Índia, para os territórios portugueses.
    Não ouviu o presidente dos EstadosUnidos JFK, nem a ONU para inverter a sua política desastrosa e criminosa nas colónias portuguesas.
    Não quis dialogar com os representantes e líderes dos nacionalistas das colónias africanas, ao contrário do papa Paulo VI que os recebeu no Vaticano.
    Mandou prender, torturar e matar muitos dos que tiveram a coragem do afrontar.
    Falseou os resultados, quando da candidatura do general mais medalhado e prestigiado de Portugal, o general Humberto Delgado, que viria a ser assassinado pela PIDE, em Espanha com a sua secretária.
    Como poderia um ditador como este, querer promover escolas, universidades e professores democráticos ? Como diria Paulo VI em Fátima, “…homens, sede Homens…”?!

      • Leão de Estrela on 12 de Junho de 2021 at 22:45
      • Responder

      Apre, o que vossa senhoria sabe acerca do dito cujo!

        • Rui Filipe on 13 de Junho de 2021 at 11:55
        • Responder

        Pode tratar-me só como professor.

      • Fernando, el peligroso de kas verdades. on 12 de Junho de 2021 at 23:46
      • Responder

      Ó Rui Filipe, quem és tu para falar do grande Salazar. Reduz-te à tua humilde e fraca sabedoria e bate a pala ao homem!

        • Rui Filipe on 13 de Junho de 2021 at 10:43
        • Responder

        Isso Isso

        Isso é atitude dos ignorantes e dos lambe botas.

    • Falcão on 12 de Junho de 2021 at 23:47
    • Responder

    O ensino salazarista só teve um intuito: manipular e doutrinar as crianças no sentido de obedecerem ao pai (o chefe da família) e ao borrabotas de Santa Comba (o chefe do Estado). Por isso é que se construíram escolas, para amplificar o culto do chefe! Deus, Pátria e Família (ao modo salazarista) e o resto é conversa para boi dormir!

    Como é que alguém pode defender o ensino num tempo de ditadura? E de livro único? E de pés descalços?
    E de repressão, censura, partido único e pedofilia?
    https://www.museudoaljube.pt/2020/12/10/caso-ballet-rose/

    Cambada de cabrões, 3 meses no Tarrafal era o que mereciam… antes de publicarem certos “estudos”!!!

    PS – Só um esclarecimento: sou anti-comunista! Detesto regimes com gulags, e que mandam esterilizar mulheres ou limitar à força a natalidade! E que assassinam pessoas por terem orientações políticas, sexuais ou religiosas diferentes!

      • Maria on 13 de Junho de 2021 at 2:09
      • Responder

      E agora? O intuito é ser ignorante, insultar o professor e aproveitar os impostos pagos por quem trabalha.
      Tenham paciência. Estudei nos dois regimes, este foi o surreal, mudanças e mais mudanças…

        • Falcão on 13 de Junho de 2021 at 11:07
        • Responder

        Eu também estudei nos dois regimes: no outro eu ia para cima do estrado com outro colega para respondermos às questões da professora da 4ª classe e vermos quem era o melhor, enquanto ao canto da sala, volta na volta, estava o “NEE” com orelhas de burro! Ainda assim não me safei de algumas ponteiradas e reguadas que me mantinham algo alerta pelo MEDO! Neste regime, fui aluno e sou professor, o respeito que tenho dos meus alunos é conseguido pelo exemplo, pela relação pedagógica de confiança, rigor e responsabilidade e não pelo MEDO! Não tenho, nunca tive, problemas disciplinares ou problemas com alunos ou pais! Bem ao contrário!
        Decididamente, prefiro este regime! O ser ignorante e insultar o professor depende das metodologias (estou-me COMPLETAMENTE a borrifar para teorias dos bufarinheiros de serviço, bla bla de flexibilidades, etc,) e da filosofia de atuação dos Diretores e Direções escolares. E da qualidade humana, científica e pedagógica dos professores. Nem sequer falo dos (maus) exemplos que possam vir de casa. Dentro da escola, dentro da sala de aula, as regras são as minhas! Até podem chamar ou ouvir chamar filho da puta ao pai ou à mãe, ou entre eles, a mim não! E nunca o fizeram! Defendo, no entanto, que a pena disciplinar de EXPULSÃO devia ser reintroduzida, como acontece no ensino privado! Em certos casos, e se necessário, não há que ter qualquer receio de a aplicar! A escola pública deve ser inclusiva mas tem que se dar ao respeito!
        Ahhhh, já agora, eu também gosto de escolher o manual para os meus alunos (mesmo que só o usem para os trabalhos de grupo), não sou adepto de manuais únicos (como no Antigo Regime). Se a maria prefere o antigo… é um (grave) problema seu! Pode sempre fazer uma visita de estudo a Santa Comba, e fazer umas aulas de reconstituição histórica! Não se esqueça também de escolher bem o candidato a noivo e marido, caso contrário, o regime pode não lhe dar autorização para se casar…

    • Rui Filipe on 13 de Junho de 2021 at 14:02
    • Responder

    Fernando :de certeza , que não sou um lambe botas como tu.

    • Rui Filipe on 13 de Junho de 2021 at 14:08
    • Responder

    V. Senhoria leão?! Por acaso, não pertence à equipa de José C. Branco?…

    • Alberto Miranda on 14 de Junho de 2021 at 21:01
    • Responder

    Um regime com o ouro entesourado no Banco de Portugal, a mortalidade infantil vergonhosa, um analfabetismo brutal, a enorme pobreza da população (o país mais pobre da Europa Ocidental), absoluta desproteção face aos infortúnios do trabalho e da vida, fizeram do regime de ditadura salazaristas um período negro da história do nosso país…

Responder a Calves Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: