A propósito de um caso de indisciplina que constitui crime – Rui Ferreira

  

Sou professor de alunos com mais de 16 anos que me brindaram com ameaças de morte e insultos pessoais e familiares através de correio eletrónico anónimo. Passou-se no  primeiro período, tendo-lhes dado um prazo até ao natal para assumirem as suas responsabilidades.  

A escola iniciou um processo de averiguações, mas como o prazo para assumirem responsabilidades acabou, sem ninguém se acusar, resolvi também fazer queixa na GNR. A minha decisão de levar o caso para fora da escola resultou de não terem assumido a sua responsabilidade e por de início ter sido muito difícil provar quem foram os autores, pois usaram uma conta de mail que encontraram aberta num computador e não havia registo de quem usou o computador, apesar de se ter identificado o computador utilizado. A colaboração da Google só seria possível através de um órgão de polícia, para identificar os autores.  

Entretanto em sede de inquérito na escola houve um aluno que resolveu assumir as suas responsabilidades e denunciar os outros, tendo identificado os 4 autores. O castigo da escola foi aplicar suspensões diferenciadas aos alunos, com menos tempo para o que se assumiu. 

Depois fui contactado pelo Ministério Público para prestar declarações sobre o assunto. Falei em desistir da queixa, o que não se podia fazer por ser crime público, uma vez que tinha o receio de ficarem com registo criminal e não cria estragar a vida aos alunos. O processo lá seguiu e recentemente comecei a receber pedidos formais de desculpa e soube que foram condenados a trabalho comunitário. 

Quiz trazer este caso pessoal, para incentivarem os professores a apresentarem queixa quando alvo de crimes, tanto mais que no meu caso, houve muito bom senso na decisão proposta pelo MP e homolgada por um juiz, sem que ficassem com cadastro, o que me preocupava. Acho que o castigo da escola deveria ter sido também trabalho comunitário em vez das suspensões, não percebendo porque há diretores que não o aplicam, mesmo estando previsto no estatuto do aluno. 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2021/06/a-proposito-de-um-caso-de-indisciplina-que-constitui-crime-rui-ferreira/

21 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Zaratustra on 23 de Junho de 2021 at 13:56
    • Responder

    Um abraço solidário!

      • Luluzinha! on 23 de Junho de 2021 at 20:52
      • Responder

      Tanta hipocrisia! Enfim…

        • Luluzinha! on 23 de Junho de 2021 at 20:58
        • Responder

        Ah, e vejo que já corrigiu o nome. Até aqui era “Zaratrusta” Looool.

          • Zaratustra on 24 de Junho de 2021 at 11:41

          Até aqui? Onde? Foi o primeiro comentário que deixei neste ou em qualquer outro blog de educação.
          Mas se isso te deixa feliz… Que assim seja, pelos vistos és a mente mais ilustrada a debitar m…
          .. neste espaço, é isso? Ou é antes pura frustração?

    • nano on 23 de Junho de 2021 at 14:40
    • Responder

    É assim mesmo! Chavalos mal comportados? Cintos bem arreados!

  1. Boa tarde, estou solidário, pois pode acontecer, infelizmente, a qualquer um, incluindo noutras profissões. De qualquer modo, só quero chamar a atenção, para que mude o seu mindset, não somos nós, enquanto educadores que “estragamos a vida” aos alunos. Quando muito ensinou-lhes uma lição valiosa: assumirem os seus erros e que arquem com as consequências e o reparo do dano/estrago. Acho que não lhes estragou a vida, quando muito salvou-os de situações piores. Acho que enquanto povo, temos que mudar a nossa mentalidade de coitadinhos e sermos mais assertivos. Um abraço

  2. Obviamente que fez bem. Sendo um crime parece-me sempre bem que as queixas sejam feitas às entidades competentes. Só depois informar a escola. O texto deveria ser relido por quem o escreveu. Acho que está bem escrito mas estão lá dois erros que me parecem aberrantes: cria quando devia estar escrito queria é quiz.

  3. Ui se os criminosos ficam com cadastro… Professor do ano, já!
    Acho que os seus alunos só podem ter atenuante no caso de lhe terem chamado “Cabrão do c*r*lh* que não sabe escrever sem erros ortográficos.”

    • Mirtha on 23 de Junho de 2021 at 19:12
    • Responder

    A intolerância está espalhada por todas as sociedades. Abrange também os puristas da escrita e leitura. Nem sabem distinguir um erro ortográfico de um erro por se escrever rápido e em cima da hora e do meio digital. Puristas intolerantes e cegossssssssssssss!!! A intolerância cega!!! Tanto querem se fazerem conhecedores que caiem no ridículo de corrigir algo que não devia ser apontado, por ser erro involuntário. Tssssssssss

    1. Já agora…caem 😛

      • professor karamba on 23 de Junho de 2021 at 22:02
      • Responder

      ……………..
      ………………………………..

      Cara Mirtha, ainda agora fiz queixa de uns energumenos (digo professores ou sitôres) á Inspeção. Não…não foi de alunos que me queixei……

      Só vejo IMBECIS.

      ……..

        • Sardão on 24 de Junho de 2021 at 3:00
        • Responder

        Eis o Karamba, aliás Pintelko, Pensador e outros nomes que usa.
        É um aviado por natureza, sardoaria é com ele. Só escreve patifarias. É manhoso!

    • Luluzinha! on 23 de Junho de 2021 at 20:56
    • Responder

    ” Quiz”??? Não será, antes, “quis”? Inadmissível de quem supostamente diz que ensina! É arrepiante.

      • Zaratustra on 24 de Junho de 2021 at 13:09
      • Responder

      Luluzinha? Não será antes Luluzinho?
      É que pelo que destila nos comentários que faz, cálculo que por trás de um cognome tão simpático e querido da classe docente esconde-se um covarde, do género masculino, sexualmente mal resolvido.
      Acertei Luluzinha?

  4. E fez muito bem … cidadãos em formação têm que perceber, se não for a bem, tem que ser a mal, que as suas atitudes têm consequências, hoje e no futuro … ficam com cadastro?? Não tenhamos pena, os progenitorzinhos, que estão sempre prontos a enxovalhar e zurzir os professores para livrar os rebentos das patifarias que fazem, porque por sua vez não perdem tempo a educá-los nos valores do respeito, também deveriam ser sancionados!! Eu fui agredida por um aluno e a escroque da mãezinha, que não perdia tempo a educar a “criancinha” ainda me quis agredir verbalmente … levou uma resonda que nem conseguiu respirar, mesmo à frente do agente da polícia, onde lhe atirei à caronha (pra ser educadinha!!) todo o comportamento obsceno que o “crio” se dava ao luxo de exibir com colegas e com professores, onde chegou a chamar “puta” (assim mesmo com todas as letras!!) à DT … para além de que avancei com uma queixa crime ao ministério público!!

    • Leão da Estrela on 23 de Junho de 2021 at 22:37
    • Responder

    Isto da indisciplina nas ….
    Irá terminar numa tragédia!
    Quando?
    Para já é só ao largo…
    O problema será quando nos bater à porta!
    Aí, ai meu Deus!!!
    Ja sabemos…” nada o fazia prever…”
    Típico!

    • JoanaA. on 24 de Junho de 2021 at 11:25
    • Responder

    Cem por cento solidária. Mas pode, por favor, corrigir os erros ortográficos? Obrigada.

    • Carla on 24 de Junho de 2021 at 11:53
    • Responder

    E as agressões verbais de professores de executivos contra professores? Ninguém fala?
    Agressões verbais de professores contra professores em salas de professores…tanta coisa horrível!
    Existem várias situações… que eu já presenciei!

      • Leão da Estrela on 24 de Junho de 2021 at 12:57
      • Responder

      Episódios, no mínimo, lamentáveis!
      Não dignificam a classe e muitos menos os «atores» envolvidos !
      É pena!!!

  5. abraço solitário. Esta é uma prática que todos temos que começar a praticar : fazer queixa na GNR. É inaceitável o que se passa em muitas salas de aula. A inação das direções tb contribui para este estado calamitoso.
    Parabéns professora pelo bom exemplo e pela partilha.

    • Pirilau on 24 de Junho de 2021 at 21:42
    • Responder

    Se tem pena que os energumenos fiquem com cadastro merece bem o que lhe fizeram…

Responder a Leão da Estrela Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: