Mas afinal há falta de professores?

Segundo a lista de não colocados, após a RR5 existem 16707 candidaturas sem colocação, o que corresponde a 11349 professores, porque alguns concorrem a mais do que um grupo de recrutamento.

Ora, haverá a tentação de pensar que este número é elevado e que afinal a falta de professores que tem sido noticiada é um exagero sem sentido… NADA MAIS ERRADO e a própria subdiretora-geral da educação já o admitiu.

É certo que a falta não se faz sentir por todo o país da mesma forma: se a NORTE (por enquanto) os professores são suficientes e as substituições são relativamente rápidas, em Lisboa e Algarve a situação agudiza-se de forma preocupante de ano para ano.

Se retirarmos das listas aqueles professores que não concorreram para horários completos em Lisboa e Algarve… o número de professores possíveis para essas regiões diminui drasticamente.

Vejamos o QZP 7 (Lisboa e Vale do Tejo): das candidaturas não colocadas (16707) há, no máximo, 10333 disponíveis para essa região, porque os restantes garantidamente não concorreram para lá. Acontece que cerca de 8500 estão concentrados em 4 grupos (100, 110, 260 e 620). Restam 1500 candidatos para os restantes 25 grupos de recrutamento, uma vez que há 6 grupos que já não têm candidatos disponíveis.

Estamos apenas em outubro e falamos apenas de horários completos… se considerarmos os incompletos o problema torna-se ainda mais óbvio.

Fica a tabela com os dados… a mancha vermelha representa os grupos onde a escassez de professores mais se faz sentir.

Há pequenas mudanças que poderão amenizar este problema, mas a situação exige medidas estruturais que vão muito além de uma legislatura… em 4 anos não se formarão os professores necessários e em 4 anos não se tornará atrativa uma profissão que nos últimos 20 anos se tem vindo a degradar de forma óbvia.

É necessário que haja um rumo… sindicatos, governo, oposição e os próprios professores têm de perceber que é preciso fazer cedências; encontrar pontos de convergência e estabelecer uma politica educativa a médio prazo… se isso não acontecer, a Educação está condenada e o futuro do país hipotecado.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/10/mas-afinal-ha-falta-de-professores/

15 comentários

16 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Zaratrusta on 10 de Outubro de 2020 at 10:15

    Estamos naquela fase do ano letivo (cada vez mais cedo) em que nas escolas deixam de entrar professores e começam a entrar curiosos e mercenários. Como sempre, os grandes prejudicados vão ser os alunos. Como sempre, os pais estão completamente alheados da educação dos seus filhos e continuam a ser representados por um idiota.
    Sinais de uma educação cada vez mais medíocre e de um país atrasado.

    • Rui Monteiro on 10 de Outubro de 2020 at 11:41

    Dizer que que há que fazer cedências, incluindo os professores, nem merece comentários. O autor deste artigo deve querer que esta classe profissional se continue a desgraçar. Uma maneira infeliz e contraditória de terminar o artigo.

    • maria on 10 de Outubro de 2020 at 11:49

    Compreende-se que para muitos candidatos não seja compensador assumir um horário incompleto longe do local de residência . Como a isso não são obrigados, há duas soluções :

    a) travar o número de baixas-medicas( refiro-me, obviamente, às “suspeitas)

    b) recorrer a alguém das redondezas que – embora não profissionalizado – possua uma formação académica de nível superior compatível com a disciplina, e esteja disposto a fazer, temporariamente, uma “perninha” .
    A solução não será perfeita ; mas também, o improvisado pode não ficar a dever nada a muitos ” ensino de …” .

    • Esclarecido on 10 de Outubro de 2020 at 12:03

    Maria, tudo isso é certo mas não resolve o problema, é apenas tapar o sol com a peneira. O mini. educação não quer resolver porque custa muito dinheiro durante muito tempo. E o Costa assim como todos os outros sabem sabem disto à muito tempo. Apenas vão fazendo de conta que não sabem e o próximo que vier que resolva. É o que temos

    • Carlos on 10 de Outubro de 2020 at 12:11

    “é preciso fazer cedências”; pensamento completamente errado. Basta ver no que deu a história das TIC. Depois das “formações” que fizeram, qualquer professor pode dar TIC. Errado. a maioria deles não sabe sequer utilizar o WORD. Se formos por este caminho, vai aparecer as habilitações próprias mínimas e qualquer pessoa pode dar qualquer coisa. E as nossas escolas que antigamente eram bem vistas pelos profissionais técnicos que formavam, vão passar a formar técnicos da treta que não terão emprego em lado nenhum porque não sabem do ofício. Urge mudar esta mentalidade e formar profissionais competentes e não passarem os alunos todos de qualquer maneira.

    • Zaratrusta on 10 de Outubro de 2020 at 12:13

    Maria: “recorrer a alguém das redondezas que “. Os tais curiosos e mercenários. O que está a dizer é que qualquer um pode dar aulas. Fale por si. No meu caso não considero que qualquer um me possa substituir.
    Se for mãe, aceita que um curioso sem formação pedagógica, sem formação didática e, na maioria dos casos, com formação cientifica de qualidade duvidosa, seja professor dos seus filhos? Se responder que sim, enquadra-se na maioria dos pais que se está a borrifar para a educação dos seus filhos.

    • Redondezas on 10 de Outubro de 2020 at 12:19

    Alguém das redondezas.. francamente! Agora para ser professor basta ser das… “redondezas”.
    Eu digo sinceramente, há que não tenha dignidade nenhuma neste mundo!

    • Prof das Redondezas on 10 de Outubro de 2020 at 13:14

    Sei assinar de cruz, sou sacristão na paróquia e especialista em mudar lâmpadas.
    Tenho um mestrado sobre a Influência das Pulgas no Crescimento dos Eucaliptos.
    Tenho uma carta de recomendação do presidente da junta e até sei andar de bicicleta.
    Tenho um atestado do Dr Tibúrcio comprovando que nunca tive tinha nem sarampo.
    Também tenho cartão do partido.
    Estou disponível para lecionar qualquer coisa, incluindo:

    Técnicas Avançadas de Barbear
    Arte de Abotoar Batinas,
    Eletrificação de Presépios
    História do Arroto

    Aceito horário de setenta horas e salário mínimo pago em duodécimos ou em títulos da dívida pública.

    • maria on 10 de Outubro de 2020 at 13:52

    Sr. (a) Redondezas

    Não foi isso o que escrevi no meu comentário!
    De facto, a incapacidade de escrever e interpretar um texto é cada vez maior (crescente!), tanto em miúdos como em graúdos.

    Apenas por – mais uma vez – constatar o facto, me dou ao trabalho de comentar.

    Passe um bom fim- de – semana. E , se não for pedir muito, leve um livrinho.

    • Redondezas on 10 de Outubro de 2020 at 14:16

    Desculpe, Dona Maria das Redondezas. 🙂

    Aprendi a escrever e a interpretar com um “professor” das redondezas, daí as minhas dificuldades.

    E “bom fim de semana”, ainda leva hífenes?

    • Pirilau on 10 de Outubro de 2020 at 14:49

    Sim, vão cedendo… Quanto mais se baixarem mais mostram as redondezas… Ponham-se a jeito e serão encabados.

    • Apache on 10 de Outubro de 2020 at 15:16

    Sra. Maria só pode estar a brincar, hoje em dia as pessoas leem/ visualizam um vídeo na net passam logo a ser especialistas na área.
    Deve ser do covid-19 está tudo a ficar avariado dos fusíveis…

    • Apache on 10 de Outubro de 2020 at 15:28

    Já agora, quando os hospitais estiverem cheios e já não houver profissionais de saúde disponíveis, e a senhora Maria ou a sua família necessitarem de cuidados hospitalares, podemos “ recorrer a alguém das redondezas que – embora não profissionalizado – possua uma formação académica de nível superior” para a ligar ao ventilador, medicá-la e tratar de toda a sua assistência. “ A solução não será perfeita ; mas também, o improvisado pode não ficar a dever nada a muitos ” profissionais de saúde que vamos encontrando pela vida.
    Que me perdoem os médicos e restantes profissionais da área que muito admiro, mas esta senhora não merece outra resposta.

    • Santos on 10 de Outubro de 2020 at 15:57

    No grupo 510 já há, após a RR5, horários completos e anuais em Contratação de Escola, pelo que a disponibilidade neste (como em outros grupos de recrutamento) será na realidade inferior ao estimado segundo os pressupostos da tabela.
    Mas não há problema: a malta das redondezas de certas escolas (tipo Cova da Moura ou Bairro Amarelo) pode sempre candidatar-se a essas vagas…

    • Rosa Cavaco on 11 de Outubro de 2020 at 15:09

    Zaratrusta on 10 de Outubro de 2020 #

    Este/a “intranauta” devia deixar aqui onde estudou, o que estudou, que notas teve e, sobretudo, quais os contributos para a educação que algumas vez teve, para além destes comentários pobres e desinformação. Não queria revelar tanta ignorância, mas leva-me a pensar numa qualquer privada…enganei-me? Só fala quem tem que se lhe diga. Conhece este ditado popular? Talvez, como revela somente isso, popular e pouco mais! O baixo nível de pensamento e o juízo de valor corriqueiro não deixa margem para dúvida. Leia qualquer coisa que a/o instrua, aprimore o pensamento, seja racional e pense melhor antes de escrever parvoíces e acreditamos que não é o/a verdadeiro/a mercenaria/a que anda por aí a “inssinar” o que nunca aprendeu.

  1. […] semelhança da semana passada, publico os números referentes aos professores não colocados após a publicação da Reserva de […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog no Facebook