Vamos ter um “momento amostral de aferição a nível nacional” para os 3.º 6.º e 9.º anos

Ministério da Educação vai aferir quais as aprendizagens que ficaram para trás

Trata-se de um “momento amostral de aferição a nível nacional”, como classificou o secretário de Estado e Adjunto da Educação, João Costa, que explicou só alguns alunos dos 3.º, 6.º e 9.º anos de escolaridade vão realizar estas provas, sem precisar a dimensão da amostra.

O objetivo é perceber quais foram os efeitos do ensino à distância, durante o 3.º período e quais as aprendizagens que ficaram por consolidar, adiantou o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, durante a conferência de imprensa em que anunciou algumas das medidas para o próximo ano.

Essas aprendizagens terão de ser recuperadas no próximo ano letivo e, conforme já tinha sido anunciado pelo ministro da Educação, as primeiras cinco semanas serão dedicadas a esse trabalho.

Para facilitar esse trabalho, o Ministério da Educação vai publicar um documento de apoio ao diagnóstico e à recuperação das aprendizagens, com um enfoque nas aprendizagens essenciais.

“Teremos instrumentos para apoiar o diagnostico daquelas aprendizagens que poderão ter ficado para trás, e para identificar aquilo que são dimensões curriculares que não podem deixar de ser consolidadas e aqueles conteúdos que não permitem progressão”, explicou João Costa.

O ministro da Educação anunciou ainda a generalização dos programas de mentorado, para que os alunos com menores dificuldades possam apoiar os colegas na consolidação de aprendizagens.

Por outro lado, no próximo ano letivo será reforçada a formação de professores em áreas como avaliação, tutorias, competências digitais e metodologias de ensino não-presencial.

Pensando nas consequências do ensino a distância, que aprofundaram desigualdades e acentuaram as dificuldades de muitos alunos, o Ministério da Educação vai criar uma equipa dedicada à prevenção, deteção e intervenção no abandono escolar precoce.

Esta equipa será responsável por apresentar estratégias para responder ao problema do abandono escolar, depois de uma altura em que “o período de confinamento tornou ainda mais difícil chegar a alguns alunos”, sublinhou João Costa.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/07/vamos-ter-um-momento-amostral-de-afericao-a-nivel-nacional-para-os-3-o-6-o-e-9-o-anos/

15 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • maria on 4 de Julho de 2020 at 15:09
    • Responder

    “Momento amostral de aferição a nível nacional”

    Genial!

    • Matilde on 4 de Julho de 2020 at 15:32
    • Responder

    “Momento amostral de aferição”???

    Alienação mental??? Transtorno delirante??? Ideias geniais resultantes de 3 epifanias por dia???

    Os Deuses devem estar loucos…

      • Alecrom on 4 de Julho de 2020 at 17:34
      • Responder

      Copofonias.

        • Matilde on 4 de Julho de 2020 at 18:05
        • Responder

        🙂


  1. Amostral? Existe, sim, caros senhores, e é tão lindo. A partir de agora vou chegar a uma secretaria de escola e vou perguntar “Pode facultar-me um elemento amostral do meu processo?” Como veem, estamos a aprender coisas novas. Perna que sejam amostravelmente amostrais…


    1. Erratum: pena [e não perna].

      • Matilde on 4 de Julho de 2020 at 18:04
      • Responder

      Isso é que é mesmo uma excelente ideia!!! 🙂

    • Pedro on 4 de Julho de 2020 at 19:00
    • Responder

    Também queria um momento para retirar uma porção amostral do cérebro desse iluminado. Bastariam uns 250g…

      • Pirilau on 4 de Julho de 2020 at 19:32
      • Responder

      Como se pode tirar 250 g de cérebro de um crânio vazio?

        • Pedro on 4 de Julho de 2020 at 20:17
        • Responder

        Quem lhe disse que era cérebro? Que eu saiba pode tirar-se uma amostra de matéria fecal… 😀


    1. Pedro,

      Tirar 250 gramas, não dá. Não há fazenda. Acho que, neste caso, deveríamos baixar um bocado a escala de grandeza, como por exemplo, falarmos em nano… partículas, todas elas, aliás, amostrais. Que é o que o grande “iluminado” anda por aí a fazer. Nada contra! Há tantos que, em vez de servir a res publicae, se servem da coisa. Da coisa e do coiso – isto só para contrapor ao “amostral”!

    • Pirilau on 4 de Julho de 2020 at 20:07
    • Responder

    Milagre 1 (2009):

    A ministra da Educação considerou que, apesar dos “muitos percalços”, a distribuição de computadores com ligação à Internet é “o instrumento principal da democratização do ensino”, ao permitir “igualdade de oportunidades” no acesso à informação e ao conhecimento. “Fazer da escola o centro da utilização do Magalhães. É isso que de facto permite que as crianças não fiquem entregues às condições de origem que já têm. Essa é a mais valia deste projecto”, afirmou a Maria de Lurdes Rodrigues.

    Milagre 2 (2016-2020)

    O sistema de avaliação externa das aprendizagens ( acabar com exames)
    Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar ( passar tudo pois os chumbos ficam caros e a ignorância é barata)
    Aprendizagens essenciais (entretenham os alunos com qualquer coisa)
    Perfil do Aluno à saída da Escolaridade Obrigatória (tipo perfil do Facebook para totós)
    Plano de não retenção no Ensino Básico (se já não houver retenção de alunos, retenham os professores dentro de uma grelha excel)
    54, 55, flexibilidade total (menos para os professores reumáticos ou com artroses)
    Escola alfaiate (o momento haute couture, by Tiagus, numa passerelle perto de si)

    Milagre 3 (Ano I d.C.)

    Governo vai dar computadora 300 mil estudantes (calma, não são Magalhães, são Espírito Santo, TAP, e outros topo de gama)
    A rábula dos manuais (era só para ver se estavam atentos)
    A rábula das matrículas (a culpa é dos papás infoexcluídos, pois claro)
    Ministério quer triplicar alunos com tutorias e anuncia 125 milhões para contratações (gosto muito do verbo querer)
    Currículos podem vir a ser intervencionados(já está pronta uma brigada de intervenção em Santa Margarida)
    Sempre que se revele necessário (ó pá, os gajos que se desenrrasquem, isto de ser ministro é uma seca, estava melhor a banhos no festival de Coura)
    Se possível, pelo menos um metro de distância (se não for possível, tudo a monte e fé em Deus)
    Ministério da Educação vai aferir quais as aprendizagens que ficaram para trás (esperem, o circo segue dentro de momentos)

      • Alecrom on 4 de Julho de 2020 at 23:33
      • Responder

      Estás em forma😃.

    • fernandasobralinho on 5 de Julho de 2020 at 10:33
    • Responder

    Gostei principalmente do programa de mentorado.
    Ou é para os alunos mais experientes ensinarem os mais totós a mentir ou então é fazer pequenos grupos onde existe um mais inteligente que os outros, talvez algo semelhante ao que existia em obras literárias que o ministro leu na infância, tipo “Os cinco” ou “Uma aventura na escola”.


  2. As conclusões destas provas de aferição irão servir para quê?
    É que até agora não tem servido para nada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog