As cartas de “amor” para a …. da professora!

 

No dia dos namorados é costume enviar missivas a quem nos aquece o coração. Muitos alunos escrevem cartas dirigidas aos seus professores(as) preferidos(as), mas o exemplo que nos chegou é tudo menos isso. É o exemplo do bullying que os alunos exercem sobre os professores. De forma anónima, os alunos escrevem e extravasam as suas frustrações, insultando e ameaçando os seus professores de forma a tentar a intimidação. O desgaste a que isto leva é óbvio.

Mas isto não é de hoje, a intimidação através do exemplo atrás descrito e da vandalização da propriedade privada dos professores é um “costume” corrente. O passar nos corredores e ser presenteado com uns “piropos” pouco próprios dirigidos ao professor(a), os encontrões “sem querer” de que são vitimas nos, mesmos, corredores, a má educação dentro da sala de aula, os automóveis vandalizados com riscos na pintura e pneus furados, são alguns dos exemplos que se podem enumerar. Tudo isso interfere com a motivação com que os professores vão para a escola. Nada disto é contabilizado como violência, mas não é mais do que isso, violência pura e dura.

Apoio da tutela ou das direções? Nenhum.

A tutela finge-se de morta e a atitude de algumas direções é a de encobrir o que se passa dentro da escola. Um destes dias ouvi uma história em que um diretor passou um raspanete aos professores que chamaram o INEM para levar um aluno, com a cabeça “partida” ao hospital após uma agressão, “Nós resolvíamos isto entre nós”. Pode ser que um destes dias volte a esta história…

Ficam duas missiva de alunos ás suas professoras “preferidas”. Como seria que os seus encarregados de educação reagiriam, se reagissem, ao saber que os filhos sabiam “amar” tão bem?

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/02/as-cartas-de-amor-para-a-da-professora/

15 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • João on 14 de Fevereiro de 2020 at 19:18
    • Responder

    A ESQUERDA quer a balbúrdia nas escolas !
    https://www.youtube.com/watch?v=9V89B-Ai9Ak

      • EUZINHO on 15 de Fevereiro de 2020 at 15:30
      • Responder

      Ó pá ainda bem que o Chega defende a proposta de MLR: um director capataz, de preferência nomeado pelo Chega… Sem dúvida que votarei Chega, até porque li o programa eleitoral e eram aqueles que queriam privatizar a Escola Pública e o SNS, um sonho…

        • Antipardal on 16 de Fevereiro de 2020 at 14:10
        • Responder

        Afinal o pardaleko ainda está vivo … Tens medo que o André Ventura te tire o tacho ?

    • Antimimos on 14 de Fevereiro de 2020 at 19:49
    • Responder

    é por isto que defendo a pena de morte.

      • trocatintas on 14 de Fevereiro de 2020 at 22:33
      • Responder

      A pena de morte vai ser oferecida brevemente mas é a nós todos, com a oferta de um kit de eutanásia logo que se atinja a idade da reforma, para não estorvarmos o Orçamento de Estado.

    • No name on 14 de Fevereiro de 2020 at 19:55
    • Responder

    Descer mais baixo que isto , não sei.

    • Paulo Anjo Santos on 14 de Fevereiro de 2020 at 20:21
    • Responder

    Eu já não estaria disposto para dar aulas nestas condições, ninguém devia ser obrigado a fazê-lo, ou fazem alguma coisa ou um dia destes nã há professores para lado nenhum. Por alguma razão cada vez há menos interessados em seguir esta profissão… e, palpita.me, que muitos dos que o fazem hoje é porque não sabem bem o que querem, muitos deles, mesmo que concluam a licenciatura, vão acabr por não lecionar!

    • Maria Alexandra on 14 de Fevereiro de 2020 at 22:54
    • Responder

    Uma coisa é certa: Muitos de nós estamos nisto quase na aposentação. Dentro de 3 ou 4 anos, vai ser lindo!
    Sei de uma escola em Lisboa onde ninguém quis 1 horário completo de Francês e o Diretor teve de o “desmembrar” dando 1 turma a A, outra a B, outra a C… e mesmo assim ficaram turmas sem professor.
    Será que o PS chama a isto “escola pública de qualidade”? Inclusiva e etc…?
    Há poucos anos, quem é que desperdiçava um horário completo?
    Sinais dos tempos…
    O PS que ponha “a malta toda a passar” e então é que vão ver a porcaria que essa decisão absurda vai dar…
    Ainda tenho esperança de que a tutela não arrisque… De facto, depois daquelas balelas no início do ano letivo, nunca mais ouvi nada… Ou estão cautelosos ou então ainda sai aí um despacho em junho…
    Vamos esperar para ver.

    • F.S. on 14 de Fevereiro de 2020 at 23:20
    • Responder

    É esta gente de merda que estamos a insistir em transformar em gente civilizada!!

    • Maria Pardaleca on 15 de Fevereiro de 2020 at 1:40
    • Responder

    Não tarda nada vem o lorpa do Pardal dizer que é tudo mentira!

      • José on 15 de Fevereiro de 2020 at 12:41
      • Responder

      Infelizmente, o lorpa do Pardal foi confundido com um tordo e levou chumbo.
      Não volta mais. Paz à sua alma.

        • Maria Pardaleca on 15 de Fevereiro de 2020 at 15:49
        • Responder

        Olhe que não, o lorpa do Pardal continua a dar ao rabo por aí!

    • Carvalho on 15 de Fevereiro de 2020 at 14:51
    • Responder

    Isto é caso de polícia. A colega fez queixa formal? Pois está na hora de agir e obrigar os pais a pagar as ajudas de custo.

    • on 15 de Fevereiro de 2020 at 16:58
    • Responder

    Muito bem feita. Estas palhaçadas que se fazem nas escolas tem de acabar. Projetos e projetinhos da treta. Blogs e cartinhas de namorados… Ofende alunos e profs. Há alunos que sofrem bullying com isto tb.
    Párem de fazer tretas.

    • Falcão on 16 de Fevereiro de 2020 at 14:57
    • Responder

    Caro Zé,

    Não podia estar mais de acordo. Os professores devem ter muito tempo livre para continuarem a organizar estas atividades. Obviamente, nada desculpa o comportamento de javardos que muitos alunos se orgulham de ter, mas as escolinhas gostam muito de se apresentar às equipas de avaliação externa como escolas muito fofinhas, muito prenhes de projetos e projetinhos, atividades e atividadeszinhas, dias e diazinhos disto e daquilo, e depois dá nisto. Não arrepiem caminho não…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: