250 crimes nas Escolas, só este ano

Violência nas escolas: PSP registou 250 crimes só este ano

Maioria diz respeito a agressões entre alunos, mas não faltam relatos de violência contra professores e funcionários. E há também 22 casos de docentes que bateram em estudantes.

A indisciplina é um “cancro” e as agressões a professores e funcionários são o expoente máximo do pior que existe nas escolas, escreveu Alexandre Henriques, professor de Educação Física e autor do blogue “Com Regras”, que criou um “contador” de episódios de violência. O “contador”, que registou até agora agressões a 20 docentes e auxiliares desde o início do ano letivo, há menos de mês e meio, não serve apenas para quantificar casos. Ali, a partir de situações noticiadas na comunicação social e outras que lhe chegam ao e-mail e que confirma, deixam-se desabafos e mágoas de quem nunca imaginou ser agredido em plena sala de aula ou nos corredores da escola.

Não é que os estabelecimentos de ensino se tenham transformado em campos de batalha nem que a violência seja o dia a dia das escolas. “Algumas passam meses sem nenhum incidente, noutras, sobretudo nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, todo o santo dia há problemas e sérios”, afirma Luís Braga, ex-diretor do Agrupamento de Darque (Viana do Castelo) e ele próprio vítima de várias agressões.

Não é que os estabelecimentos de ensino se tenham transformado em campos de batalha nem que a violência seja o dia a dia das escolas. “Algumas passam meses sem nenhum incidente, noutras, sobretudo nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, todo o santo dia há problemas e sérios”, afirma Luís Braga, ex-diretor do Agrupamento de Darque (Viana do Castelo) e ele próprio vítima de várias agressões.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/11/250-crimes-nas-escolas-so-este-ano/

3 comentários

    • Rui Filipe on 23 de Novembro de 2019 at 12:48
    • Responder

    A Educação e a Saúde são uma triste imagem do país que somos.
    Viva a banca fraudulenta!

    • Paulo Anjo Santos on 23 de Novembro de 2019 at 19:19
    • Responder

    O que mais me custa a ver é a desvalorização do fenómeno por parte da classe política. Obviamente que a principal responsabilidade é de quem está no governo mas os restantes partidos também têm de assumir responsabilidades de não atuarem de forma firme e célere. Como já aqui escrevi, vai ser preciso acontecer algo de muito grave para que façam alguma para resolver o assunto de vez e reduzir o problema a casos residuais… é incrível quando apelidam o atual estado de coisas de «casos residuais», queria ver se os políticos fossem agredidos de vez em quando também fariam a mesma análise?!

    • Mário Costa on 24 de Novembro de 2019 at 10:16
    • Responder

    A violência resultante também do clima de indisciplina que se vive nas escolas, na falta de autoridade dos professores, de funcionários, dos adultos e como se vê dos agentes de autoridade, a que o Ministério da Educação fecha os olhos e os diretores, como bons empregados secundam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: