Amanhã estamos em casa – João André Costa

Porque há professores que saíram do país e não voltam a Portugal por 6.500€…

Amanhã estamos em casa

É quase uma da manhã. Em Londres não há Verão, faz calor de vez em quando e depois chove. Esta noite é um desses de vez em quando.
Como está calor, não durmo. Foi assim durante 3 dias o ano passado em Agosto em Portugal, aquando da onda de calor.
Ou então são os nervos antes da partida. Afinal, daqui por 12 horas estaremos em Portugal! Parece mentira. É mentira! Já não acreditamos. Deixámos de acreditar quando o ano lectivo entrou Julho adentro e as obrigações do dia-a-dia se encarregaram de drenar o último sopro de vida destes corpos, a última vontade de viver.
Entre a rotina, o trabalho, sair de casa às 5 da manhã e voltar às 7 da tarde, cinco dias por semana mais os sábados e domingos a pé às 6 apenas porque sim, porque o corpo assim o dita e as noites pouco dormidas, mal dormidas, o fechar do ano escolar e ainda assuntos pendentes pelas supostas férias adentro, tudo contribui para que já não valha a pena descansar, ir de férias, desligar, desfrutar da família e amigos.
Já perdemos a esperança e, no entanto, amanhã quando o caminho for outro, fora da rotina e do dia-a-dia, quando nos virmos às portas do aeroporto e nas asas do avião, tudo vai fazer sentido.
Amanhã voltamos a casa, ao abraço sem fim dos nossos pais e irmãos, um abraço quente igual ao nosso, cheio de lágrimas e saudade e a promessa de não partir nunca mais.
Porque voltámos a casa e aqui nada nos pode acontecer. Aqui estamos seguros, conhecemos as ruas e os vizinhos de cor, temos tios, primos e amigos mil com quem falar, com quem estar mais os seus conselhos e ajuda quando é preciso.
Lá em Londres não temos ninguém. Minto, ter até temos, mas a cidade é imensa, já lá estamos há 12 anos e só estamos com amigos de 6 em 6 semanas, com sorte. Entretanto, temo-nos um ao outro e já temos tanta sorte que muitos não têm ninguém.
Por isso a excitação, daqui por 12 horas em Lisboa, o táxi do aeroporto para o comboio, o comboio para as ruas caiadas de branco e de sol, a cerveja portuguesa que sabe muito melhor em Portugal (lá fora metem-lhe água e servem morna), as esplanadas e cafés, a cor da praia que já esqueci.
Esqueci-me da praia ou da cor? Provavelmente das duas. O cheiro do calor, as cigarras frenéticas, só respiro bem com 35 graus à beira-mar, as subidas de bicicleta à falésia e o mar a meus pés, a minha casa onde um dia hei-de morrer, se Deus quiser, os amigos de sempre à nossa espera, uma outra vida, um outro mundo a correr em paralelo a 2 mil quilómetros de distância e que é preciso sorver por inteiro num mês de Verão.
Neste momento tudo me parece distante e estranho. Não somos ingleses e já não somos portugueses. Em Inglaterra querem mandar-nos para casa, em casa já não nos entendem, a não ser um mês por ano. Um mês chega, mais não, ao fim de um mês já queremos voltar para casa, para a outra casa. Ao fim de um mês já queremos partir. Outra vez. E outra vez. E os anos vão passando.
Vou pensar em sardinhas, pilhas de sardinhas, gordas no pão regadas com cerveja numa esplanada ao cair do dia! Vou pensar em caracóis e como o segredo está no molho! Ah, e a cerveja! Vou pensar em tremoços, um tremoceiro inteiro à chegada ao aeroporto mais uma grade de cerveja bem gelada! Não por sofrer de alcoolismo, mas sim por gostar de cerveja, entenda-se.
Vou pensar no avião a aterrar em Lisboa e as palmas no ar, nas gargalhadas dos teus pais, nas tardes ao sol. Vou pensar no primeiro mergulho do mar, 78 kg de pura elegância a correrem areia fora e em pleno voo sobre as águas até ao abraço final enquanto prometo a mim mesmo nunca mais sair da água.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2019/07/amanha-estamos-em-casa-joao-andre-costa/

14 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Pardal on 29 de Julho de 2019 at 19:56
    • Responder


    Quanto ganha um professor em Inglaterra? …Quanto paga esse suposto professor por um quartinho (ou em alternativa por uma habitação minúscula) ?… Quanto paga esse professor por um passe de comboio ou de outro transporte público?…Quanto gasta esse suposto professor pela sua alimentação em Inglaterra?… Quanto despende para adquirir um pacote de vinho para acompanhar a refeição?….

    São só umas perguntas inocentes para perceber a frase:

    “Porque há professores que saíram do país e não voltam a Portugal por 6.500€…”

    Quem puder que responda para eu entender melhor a afirmação.

    • Maria Ana on 29 de Julho de 2019 at 20:37
    • Responder

    Um texto belíssimo. Parabéns. 🙂

    • Alexandra on 29 de Julho de 2019 at 21:42
    • Responder

    Pois, eu tenho uma filha que foi professora em Londres durante 12 anos. Estava a subir na carreira, ganhava mais que eu, que ainda aguardo o reposicionamento. Pagava casa (lá são caras), transportes (não são baratos), água, luz, gás, alimentação, vestuário… ía ao teatro quase todos os sábados, e de 6 em 6 semanas pagava um voo na TAP (não low-cost porque esses não vêm para Lisboa) e vinha ver a família, mas desistiu… voltou para Portugal porque já não aguentava o stress.
    Ganham bem, muitíssimo bem, mas as exigências são demasiadas. That’s the problem!

      • Pardal on 29 de Julho de 2019 at 21:57
      • Responder


      Muito obrigado pela pronta resposta.

      Na verdade esta frase ilustra bem o paraíso que é a Inglaterra “…voltou para Portugal porque já não aguentava o stress.”

      Eu acrescentaria o seguinte em Inglaterra o salário de um Licenciado que exerça a sua Licenciatura (porque há muitos que nem isso fazem, exercendo a profissões básicas e auferindo um salário de 1300 Libras mensais ilíquidas) são por volta das 30.000 Libras anuais (valor ilíquido). Se isto é ganhar bem, vou ali e volto já!

      Um quartinho (com cerca de 8 m2) em Oxford custa o equivalente a 600 Euros/mensais. Os transportes caríssimos. Não!…Não é como em Portugal…..Muito longe disso…..

      O texto desta postagem é pura ficção cientifica porque só vai para Inglaterra trabalhar quem não arranja trabalho em Portugal. Tudo o mais é Tanga (por outras palavras, Conversa da Treta).

    • Emigrante on 30 de Julho de 2019 at 10:38
    • Responder

    Pardal e Alexandra, dois cromos.

      • Pardal on 30 de Julho de 2019 at 11:14
      • Responder


      Também não tinhas trabalho em Portugal e foste para Inglaterra ganhar 1300 Libras (ilíquidas) porque nem trabalho qualificado foi possível?

      Que tal te estás a dar por lá?

      Aquilo é porreiro pá! Vives numa Tarimba, comes o pão que o Diabo amassou e vens a Portugal na Ryanair porque não dá para mais?

    • emigrante on 30 de Julho de 2019 at 12:54
    • Responder

    Eu não disse?? Cromo. Não sabe o que é a vida.

    • El_Dorado on 30 de Julho de 2019 at 17:44
    • Responder

    O autor deste texto tem claramente uma ideia bastante distorcida do que é leccionar no Reino Unido ou muito provavelmente passa pouco tempo numa sala aulas a leccionar… Quem achar que ser professor no Reino Unido é o El Dorado dos professores portugueses, está muito enganado! Só me custa a perceber o porquê deste senhor continuar a espalhar pelo mundo fora uma mensagem contrária…

    • Alexandra Almeida on 30 de Julho de 2019 at 23:10
    • Responder

    Para quem não sabe, em Inglaterra, professora, a minha filha ganhava 2700 £ por mês (descontos incluídos).
    Obrigada a quem me chamou “cromo”. Se isto é partilha… deixa muito a desejar.

    • Alexandra Almeida on 30 de Julho de 2019 at 23:27
    • Responder

    Post Scriptum: Não me expressei bem: 2700£ mensais limpas… já sem os descontos…
    E ainda há fulanos no governo que dizem que os professores portugueses são os mais bem pagos… Ignorantes ou aldrabões!

      • Pardal on 30 de Julho de 2019 at 23:42
      • Responder


      Cara Alexandra

      Como bem sabe no Reino Unido são pagos anualmente 12 Meses e não 14 Meses como em Portugal. o salário anual da sua filha era de 2.700 Libras X 12 meses = 32.400 Libras Anuais.

      Como referiu que lecionava em Londres resta saber: 1º) Quantas horas de trabalho semanal? seriam 40 Horas ou mais; 2º) Quanto pagava pelo alojamento (1 quarto ou 1 apartamento)? Quer numa circunstancia quer noutra o custo é elevadíssimo. Como referi anteriormente um quarto minúsculo (8 m2) em Oxford (em apartamento compartilhado) custa cerca de 500 Libras por mês. Quanto pagava de transportes públicos? O custo é elevadíssimo. Etc…..Etc….Etc…..

      Ou seja, Inglaterra é um ultimo recurso para um Jovem que em Portugal não tem emprego. Tem sido assim para os Enfermeiros e para alguns professores. Há também muito português que no tempo da Troika emigrou para Inglaterra para empregos indiferenciado a ganhar 1.300 Libras /mês para 40 Horas de trabalho semanal.

    • Alexandra Almeida on 31 de Julho de 2019 at 11:58
    • Responder

    Sr. Pardal,
    Isto já está a ir longe demais, mas eu arremato já:
    Diga-me se conhece algum docente em Portugal que, com 12 anos de serviço, consiga pagar 1 apartamento (não quarto), pagar água, luz, gás, transportes (metro e autocarro), alimentação, vestuário, ir ao teatro quase todas as semanas, ir ao spa, e ainda comprar uma viagem de avião de ida e volta (não low-cost) de 6 em 6 semanas?
    Ela tinha um horário completo, não lhe posso dizer o nº de horas, e aos 60 anos ainda vai receber o que descontou em “reforma” que será pouco por 12 anos, obviamente.
    Deixe-se de asneiras! Portugal não dá futuro aos seus cidadãos… só à gentalha do PS.

      • Pardal on 31 de Julho de 2019 at 13:24
      • Responder


      Cara Alexandra

      Não se zangue comigo. Apenas pretendo que exista transparência e honestidade intelectual quando comparamos Ordenados, Condições de Trabalho e Custo de Vida em Portugal e Inglaterra.

      Pode acreditar que sei do que falo e portanto não engulo gato por lebre. Nem gosto, como fazem muitos Emigrantes que, (embora fazendo uma Vida Miserável nos países de destino) chegam a Portugal e parecem uns Lordes e no fundo são é uns valentes pobres de espírito.

      Vamos a um exemplo concreto:

      João mora em Stratford, e trabalha na Charing Cross. O aluguer que paga por um single room (quarto de solteiro, minúsculo e miserável é de £140,00 por semana (média de £560,00 por mês). Para ir ao trabalho utiliza o metro (tube) que lhe custa, mensalmente, £148.70. Somando aluguer de um “quartinho miserável” e transporte, João gasta um total de £709,00 libras por mês.

      A alimentação, vestuário, restaurantes, teatros, cinemas é muitíssimo mais caro que em Portugal.

      O Vencimento em Inglaterra de um “indiferenciado” são £1.300.00 (ILÍQUIDO) para 40 Horas de Trabalho Semanal. Os salários são pagos 12 Meses por Ano e Não como em Portugal que é de 14 Meses. Aviso: – em Inglaterra trabalha-se a sério e as pausas para refeição são minúsculas.

      O Salário de um Enfermeiro em média é de £2.026 por Mês X 12 Meses. O salário de um Professor é idêntico.

      Quanto a Portugal os Professores (em comparação com o nível de vida cá) são Muito Bem Pagos e recebem 14 Meses por Ano.

      Claro que quem não tem emprego em Portugal e se encontra DESEMPREGADO como muitos recem Licenciados, tem que se fazer à vidinha

      A Tabela Salarial está aqui e é pública:

      https://i2.wp.com/www.arlindovsky.net/wp-content/uploads/2016/10/vencimento.jpg

    • Alexandra Almeida on 31 de Julho de 2019 at 16:26
    • Responder

    Sr. Pardal,
    Ainda lhe respondo:
    Pelo que expus, já viu que a minha filha não fez vida miserável… portanto, deixe-se de outras comparações.
    Uma coisa em que acertou, foi:
    Aviso: – em Inglaterra trabalha-se a sério e as pausas para refeição são minúsculas.
    Daí o stress , e ao fim de 12 anos, ela achou que mais valia receber uns míseros 1000€ em Portugal e viver feliz junto da família, do que estar sozinha num país frio e receber um bom salário.
    Mas não me venha com tretas: Eu sou professora, sei muito bem as tabelas do público e do privado, tenho quase 65 anos, a trabalhar desde outubro de 1989 (apenas com uns mesitos de interrupção quando deixei o particular e vim para o público, não chega a perfazer1 ano) e os patifes da tutela estão-me ainda a dever retroativos desde fevereiro , por agora trago 1200€ limpos. Estou há meses à espera de ser reposicionada no 5º escalão, e tive de trocar tempo de serviço por graduação, para poder entrar no nº de vagas. Se isso é ser bem pago, TENHA VERGONHA!
    Os professores em Portugal são MUITÍSSIMO MAL PAGOS, comparados com outras profissões cujas habilitações são similares ou até mesmo com os fulanos do governo… tudo por “mérito próprio”, salvo seja.
    Só a partir do 9º e 10º escalões é que o vencimento de um docente em Portugal é decente.
    O sr. Pardal será por acaso um boy do Partido Socialista? Não responda: era uma pergunta retórica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: