IAVE nega erros na classificação da prova de Matemática

(…) A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) denunciou, na terça-feira, a existência de um erro na proposta de correção do exame do 9.º ano à disciplina, realizado por quase 90 mil alunos finalistas do ensino básico.

“A SPM lamenta verificar que, nos critérios de correção publicados pelo IAVE, no item 14 seja atribuída 75% da cotação a uma resposta integralmente errada”, lê-se no comunicado da SPM.

Segundos os critérios de correção publicados pelo IAVE, a correção pode atribuir quatro ou três pontos às respostas dos alunos: quatro pontos na proposta considerada completamente correta e três pontos noutra proposta de correção para um nível de desempenho inferior.

Segundo a SPM, esta segunda hipótese de pontuação, que atribui 75% do total possível na classificação a este item, está “integralmente errada”.

Esta quarta-feira, em comunicado, o IAVE esclarece que “o objetivo do item 14 era verificar se os alunos identificam um dos casos notáveis da multiplicação de polinómios”.

“A resposta referida pela SPM como ‘integralmente errada’ evidencia essa identificação, embora esteja escrita de modo formalmente incorreto, por omissão dos parêntesis. Como tal, e de acordo com os critérios gerais relativos a respostas restritas, onde se indica que a apresentação de expressões incorretas do ponto de vista formal está sujeita à desvalorização de um ponto, foi esta a desvalorização aplicada”, indica o IAVE.

De acordo com o Instituto, no parecer retificado da SPM esta sociedade não atendeu à valorização dos desempenhos não totalmente corretos dos alunos, que se aproximam do objetivo de avaliação do item e, por isso, beneficiam de uma pontuação parcial.

“Também descurou uma leitura atenta dos critérios gerais de classificação, indispensável para compreender os princípios subjacentes à valorização dos desempenhos dos alunos não totalmente corretos”, é referido.

Por isso, o IAVE, salienta “que nada de errado existe na opção presente nos critérios de classificação do item 14, estando os mesmos em conformidade com o previsto para o este tipo de itens”.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2017/06/iave-nega-erros-na-classificacao-da-prova-de-matematica/

3 comentários

1 ping

    • Criticas on 28 de Junho de 2017 at 18:34
    • Responder

    Este “erro”, que mais não é do que a aplicação de critérios de classificação em que a “utilização de simbologia ou de expressões incorretas do ponto de vista formal” é penalizado com 1 ponto, é utilizado desde, pelo menos 2013, e, na própria prova, existem varias questões em que o mesmo critério é utilizado.
    Ao longo dos anos ouço e vejo, em quase todos as disciplinas, professores a reclamarem que os critérios de classificação do exames são demasiados rigorosos e exigentes. Mas quando existem, como neste caso, criterios que são um pouco menos rigorosos e exigentes, tais critérios são criticados.
    Quando se critica uma coisa e o seu oposto, não será isso apenas vontade de criticar?

      • Anónimo on 28 de Junho de 2017 at 19:35
      • Responder

      Neste caso concreto parece-me que o erro ultrapassa a simples utilização de simbologia incorreta. Isso aplica-se, por exemplo, à indicação incorreta de retas, semiretas ou segmentos de reta. Neste caso a expressão sem parênteses fica com um sentido matemático totalmente errado no contexto da questão (diferença de quadrados: (a^2-b^2)=(a-b)(a+b). De acordo com os critérios o aluno pode escrever a-b x a+b, o que é igual a (a-ba+b). Isto ultrapassa uma simples incorreção de simbologia, no meu entender. O objetivo não deve ser simplesmente avaliar o reconhecimento de um caso notável da multiplicação por parte do aluno…

        • Criticas on 28 de Junho de 2017 at 20:53
        • Responder

        A questão era Fatoriza o polinómio x ^2 – 4.
        O objetivo desta questão é mesmo simplesmente avaliar o reconhecimento de um caso notável da multiplicação.

  1. […] Em último o IAVE, já veio esclarecer, e muito bem, os doutores da SPM, senhores jornalistas e outr… […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: