56 Docentes Aposentados em Março de 2017

Com efeito ao dia 1 de Março de 2017 foram aposentados, pelo Ministério da Educação, 56 Educadores e Professores conforme consta no Aviso n.º 1403/2017, Diário da República n.º 26/2017, 2.ª Série, de 2017-02-06.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2017/02/56-docentes-aposentados-em-marco-de-2017/

17 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Rita on 8 de Fevereiro de 2017 at 18:59
    • Responder

    Não há memória de tão diminuto número de aposentados.

    Qual a razão para este fenómeno?

    – Aumento progressivo da idade legal de reforma (em 2016 era de 66 Anos e 2 meses / em 2017 é de 66 anos e 3 meses);

    – penalizações brutais para Reformas Antecipadas – actualmente a penalização é de 6% por cada ano que falte para a idade legal de reforma ao qual acresce uma Penalização de 13,88% designado de Factor de Sustentabilidade;

    Neste momento, dada a idade legal de reforma estar nos 66 anos e 3 meses e o desincentivo às Reformas Antecipadas a tendência é para a diminuição dos aposentados.

    Face ao diminuto número de docentes aposentados não faz qualquer sentido uma Vinculação Extraordinária de professores contratados por vários motivos, a saber:

    1º) as aposentações nos próximos anos vão ser cada vez menos;

    2º) há excesso de professores no sistema público de educação (ver relatório da OCDE)

    https://eco.pt/2017/02/06/ocde-portugal-tem-policias-e-professores-a-mais/

    3º) Portugal, devido às regras de Procedimento por Défice Excessivo, está sujeito a um conjunto de regras, sendo uma delas: SÓ PODE EXISTIR 1 ENTRADA POR CADA 2 SAÍDAS, logo não se entende a razão de passar ao quadro três mil e tal docentes contratados aos quadros a não ser que esta malta entre por uma porta e daqui a uns tempos saia por outra, isto é, para o DESEMPREGO/HORÁRIOS ZERO

    • Anonimo on 8 de Fevereiro de 2017 at 19:04
    • Responder

    A única forma dos Professores mais Jovens (e contratados) terem lugar no sistema é a criação de um Regime Especial de Aposentação para os professores mais velhos, à semelhança do que se passa com o Regime Especial dos Militares, GNR, PSP, Policia Marítima, PJ….cuja idade de aposentação é aos 60 anos de idade. No caso dos Militares e da GNR passam à “reserva” aos 55 anos de idade, ou seja, vão para casa e aguardam pelos 60 anos de idade, momento a partir do qual passam à situação de aposentados.

      • Anonimo on 8 de Fevereiro de 2017 at 19:07
      • Responder

      Criação de um Regime Especial de Aposentação de Docentes é urgente.

      Não faz qualquer sentido aos sessenta e tal anos ainda andar a aturar adolescentes mal educados e indisciplinados e autênticos “marginais”

      http://www.spn.pt/Media/Default/_Profiles/4876592e/e26936e7/40anos.JPG?v=636111063806084844

        • Luís on 8 de Fevereiro de 2017 at 23:10
        • Responder

        Antes de mais acho que é já mau presságio escrever comentários como “anónimo”. Para mim não faz qualquer sentido pois, à partida, comentários anónimos não merecem credibilidade alguma. Depois até pode pensar que os adolescentes são mal educados e “marginais” e, mesmo sendo isto verdade, não nos cabe a nós vir para aqui expô-lo de uma forma unicamente PREJURATIVA. Concordo que há efetivamente bastantes problemas ao nivel comportamental e uma grande crise de valores nos nossos jovens mas o caminho a seguir passa por encontrar soluções e não por criticar de uma forma tão desprovida de profissionalismo. Sou professor, passo por este tipo de problemas diariamente e, sinceramente, custa-me imenso não conseguir resolver estas situações mas acredito que há uma forma de o fazer. Prefiro pensar que tenho é de tentar encontrá-la e não assumir uma atitude derrotista de desistir da sua resolução, passando à pura critica pela critica.
        Já agora, chamo-me Luís Fernandes.

          • Anonimo on 9 de Fevereiro de 2017 at 12:46

          Meu caro Luís Fernandes deves ser daqueles que abana a mão esquerda no ar e dizes “…são uns queridos estes alunos…”.

          Meu caro Luisinho deixa-te de paneleirices…Se eu escrevi que muitos deles são verdadeiros MARGINAIS/DELINQUENTES é porque assim é (ponto).

          Meninos que agridem violentamente os seus colegas, professores, funcionários….são MARGINAIS/DELINQUENTES (ponto).

          Entendes Luisinho?

          • Luís on 9 de Fevereiro de 2017 at 15:16

          Tenho um princípio: Tratar com respeito e educação toda a gente, mesmo aqueles que não o merecem. Por este motivo, o “Luisinho” vai-se abster de tecer comentários a um comentário assim. PONTO. Sou professor, quero ser um exemplo para os meus alunos. PONTO.
          Com o devido respeito.
          Luís Fernandes

          • Anonimo on 9 de Fevereiro de 2017 at 15:39

          Ser Professor não é Ser Conivente com DELINQUENTES/MARGINAIS.

          Ser Professor não é andar a dar palmadinhas nas costas dos alunos.

          Na Escola TEIP (ou da TRAMPA como o Luisinho lhe queira chamar) onde lecciono não há semana nenhuma que não haja “PORRADA”, Tráfico de Droga, Prostituição, Unhas de Gel e Telemóveis de ultima geração…… Um ESTERCO…..

          Caro Luisinho, diga-me lá quantos casos conhece iguais a estes:

          Jovem de 14 anos morto a murro com uma soqueira

          http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-08-28-Jovem-de-14-anos-morre-na-sequencia-de-agressoes-em-Gondomar

          http://www.dn.pt/portugal/interior/jovem-de-14-anos-morto-a-facada-5360017.html

          ALUNAS PROSTITUTAS O Ministério Público está a investigar a alegada actividade de prostituição de duas raparigas com 13 e 14 anos de idade, alunas da Escola EB 2/3 de Gandarela, em Celorico de Basto.

          ALUNAS PROSTITUTAS
          O Ministério Público está a investigar a alegada actividade de prostituição de duas raparigas com 13 e 14 anos de idade, alunas da Escola EB 2/3 de Gandarela, em Celorico de Basto

          http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/alunas-prostitutas

          Diz-me lá Luisinho!…Andas distraído….

          • Luís on 9 de Fevereiro de 2017 at 17:38

          Colega, por favor, seja contido nos comentários. Sei o que se passa nesse tipo de escolas até porque já trabalhei numa instituição de adolescentes à guarda do estado, onde a “porrada”, como lhe chama costumava ser entre alunos e professores/cuidadores. Sabe o que fiz? Quando não me senti capaz de continuar, passados três anos, saí. O colega pode fazer o mesmo. Quando concorreu para uma TEIP sabia certamente o que ia encontrar e, por isso mesmo, teve mais valias, nesses concursos que os colegas que não quiseram concorrer para lá não tiveram.
          Mas torno a repetir, deve ser mais cauteloso com os comentários que faz. Este blog destina-se a isto mesmo mas, atenda, não são apenas professores que andam por cá e, infelizmente, já somos uma classe conotada muito prejorativamente.
          Até posso compreender a sua revolta, até porque já passei pelo mesmo, chegando a ser agredido por alunos maiores do que eu. Enquanto aguentei, deixei-me andar mas quando atingi o limite, dei por finda a comissão de serviço, e voltei para uma escola do meu QZP.
          Uma coisa lhe garanto, nunca fui trabalhar, nessa altura, com a atitude derrotista que noto em si, tomava essas dificuldades por desafio. Tento ser profissional sempre que posso, não é fácil. Eu sei. Como resultado disso tive problemas de saúde e o ambiente no seio familiar ficou afetado também. Mas acredite, escolhi esta profissão, não sou daqueles que são professores porque não conseguiram mais nada. Comecei a dar aulas com 30 anos, depois de não me identificar com a profissão que tinha como bancário e esqueci o curso de Gestão que tinha, reingressando no ensino superior para tirar um curso na área da educação. Agora pense o que quiser e por favor, não me trate por Luisinho que, provavelmente devo ter idade para ser seu pai e, nunca permiti que um aluno ou um filho me tratasse de tal forma. Mas enfim, educação, cada um tem a que tem!

          • Ana on 9 de Fevereiro de 2017 at 17:45

          Pejorativa? 🙂

          • Luís on 9 de Fevereiro de 2017 at 17:57

          Peço desculpa.

    • António on 8 de Fevereiro de 2017 at 19:12
    • Responder

    Face a estes números interrogo-me se existem fundamentos para uma VINCULAÇÃO EXTRAORDINÁRIA.

    A não ser que o objectivo seja eleitoral e se assim for, passam agora ao quadro 3300 professores contratados e, posteriormente, quando voltar a haver eleições são mandados para Horário Zero e para a Requalificação (ou seja, para o DESEMPREGO)

    • julio on 8 de Fevereiro de 2017 at 19:33
    • Responder

    Caros Colegas Contratados

    A Redução da Natalidade conjugada com o Aumento da Idade da Reforma e com o diminuto número de Professores Aposentados retiram sentido a qualquer Vinculação Extraordinária.

    Actualmente o que existe é uma necessidade conjuntural de docentes e se assim é não devia ocorrer qualquer tipo de Vinculação Extraordinária porque não faz sentido passar ao quadro professores que a breve prazo não são necessários.

    O envelhecimento do corpo docente aliado à quebra da Natalidade não augura nada de bom para os professores contratados e para todos aqueles que frequentam Cursos Superiores direccionados para o Ensino.

      • Áurea Ramalho on 9 de Fevereiro de 2017 at 12:23
      • Responder

      Caro julio,

      concorro desde 1997, no meu percurso só tive um ano letivo que não foi anual! Portanto o sistema precisa de mim e contra factos não há argumentos.
      Sabemos que o sistema não aguenta o que está na lei, os 3 contratos consecutivos, não é sustentável, mas temos de encontrar uma solução para o que está mal, inclusivamente o envelhecimento do corpo docente, alguns professores do quadro estão tão desgastados que dão dó. Não sei porque os militares são tratados de forma privilegiada em relação aos professores. E quanto à natalidade também não se tem feito NADA. Tenho um filho com 4 anos e meio e o MEC ainda não me pagou o subsídio de parentalidade (mais um caso para tribunal), a mim e a centenas senão milhares de mães professoras! O que não faz sentido é pactuar com tudo isto. Enfim!
      Vou para o meu 21º concurso e não aceito a situação precária a que os contratados estão sujeitos!Tenho direito a trabalhar em condições dignas.
      Está a dizer que ao fim de 20 anos não tenho direitos? Só deveres?!
      Hoje são os contratados amanhã são os do quadro!
      Na minha terra há um proverbio que diz “…põem-te a dormir e depois come do sono…”!

        • mario silva on 9 de Fevereiro de 2017 at 16:55
        • Responder

        O que o Júlio afirmou é um truísmo que eu também já o afirmei aqui neste blog e não se refere a ter menos direitos: a vinculação é uma falácia porque os profs vão entrar pela porta da frente (vinculação) e depois saem pela porta de trás (horários-zero resultantes de menos turmas resultantes de menos natalidade, que nos próximos 5 anos vai atingir em cheio o 3º ciclo e secundário). Os sindicatos não fecharam a porta de trás nas negociações…

    • mario silva on 9 de Fevereiro de 2017 at 16:49
    • Responder

    pressupondo que sairam sem penalização, eis os felizardos vencedores do euromilhões da CGA…

      • Rute on 9 de Fevereiro de 2017 at 19:25
      • Responder

      Quando já estiver cansado e completamente agastado e for chagada a idade de reforma (66 anos e 3 meses) espero que lhe saia aquilo que designou de “euromilhões”.

    • era_o_que_faltava on 12 de Fevereiro de 2017 at 15:46
    • Responder

    Estes bem entalaram os professores. Deram um bónus à GNR, à PSP e aos militares, permitindo que se aposentem aos 56 anos (primeiro passam à reserva e aos 60 têm aposentação sem penalização) usando o argumento falacioso de que a profissão é de mais desgaste que a de professor. Uma injustiça colossal! Agora que perceberam que nem um voto apanham dos professores, pois com isso também entalaram os mais novos que não entram para os quadros nem progridem na Carreira, vêm com paleio de Carreiras com mais de 40 anos. Vão dar uma volta! Ou dão aos professores as mesmas condições que deram às polícias (talvez um administrativo, um músico, ou um cozinheiro da polícia seja mais desgastante) ou nem um voto nos Partidos da geringonça apanharão dos professores. Há quem diga que se tratou da vingança dos socráticos, há quem diga que é o Nogueira que quer mamar as quotas. Seja como for, vão dar banho ao cão.

Responder a julio Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: