26 de Julho de 2016 archive

Calendário do Concurso da Madeira

Seguir:
arlindovsky
Seguir:
Latest posts by arlindovsky (see all)

Concurso externo/contratação com início amanhã e até ao dia 29 de Julho.

 

Mobilidade Interna – 02 a 04 de Agosto

Afetação – 10 a 12 de Agosto

 

Recordo que quem é do QA do continente e se quiser concorrer à Madeira também o pode fazer entre o dia 2 e 4 de Agosto.

Toda a informação sobre o concurso da Madeira aqui.

A aplicação do concurso encontra-se aqui.

 

 

datas

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2016/07/calendario-do-concurso-da-madeira/

Aviso de abertura de procedimento concursal – contratação local 2016

 

Aviso de abertura de procedimento concursal simplificado destinado ao recrutamento local de docentes do ensino português no estrangeiro, níveis 2.º/3.º CEB e Secundário, língua francesa, para provimento do horário RPA02 H (História), contratação local – 2016.

Aviso de Abertura

Mais Informação

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2016/07/aviso-de-abertura-de-procedimento-concursal-contratacao-local-2016/

A Mobilidade Interna Não Abre?

Seguir:
arlindovsky
Seguir:
Latest posts by arlindovsky (see all)

Será que estão a resolver a embrulhada em que se meteram as escolas, pelos vistos com indicações da DGAE, para que fossem indicados todos os docentes sem componente letiva na escola de provimento para ausência da componente letiva? Mesmo aqueles já colocados pela segunda prioridade em 2015/2016?

Já tinha dado conta desse estado de loucura na ICL 1, mas parece mesmo que o caso é grave e precisa de grande remédio.

E afinal a antecipação da validação de turmas anunciada pelo Ministro da Educação em Junho caiu em saco roto.

Há processos que são quase impossíveis de antecipar e vamos ter a Mobilidade Interna na mesma altura do ano passado.

Ficou apenas a boa intenção de quem não conhece o funcionamento do sistema.

 

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2016/07/a-mobilidade-interna-nao-abre/

O Concurso da Madeira Deve Abrir Ainda Esta Semana

Seguir:
arlindovsky
Seguir:
Latest posts by arlindovsky (see all)

E pelo que verifico acabaram-se as preferências regionais.

Acho bem.

Só falta o mesmo acontecer nos Açores.

PS: Chamaram-me a atenção para uma disposição no artigo 13º que diz o seguinte:

 

“2 — Sem prejuízo do disposto nos n.os 1 e 3, na ordenação dos candidatos a que se refere o n.º 3 do artigo 10.º e os n.os 5 e 6 do artigo 40.º do presente diploma, terão prioridade os docentes que tenham sido bolseiros da Região durante, pelo menos, um dos anos letivos do curso que lhes confere habilitação profissional ou própria para a docência, ou tenham frequentado na Região curso promovido pela direção regional que tutela a área da Educação Especial e Reabilitação que lhes confere formação especializada em educação especial, ou tenham prestado pelo menos 90 dias de serviço docente em escola da Região Autónoma da Madeira no ano escolar em que decorre o concurso, ou tenham realizado estágio profissionalizante, mesmo quando este não seja remunerado, em escola da Região Autónoma da Madeira, e desde que, na situação referida nos n.º 3 do artigo 10.º, aceitem ser providos por um período não inferior a três anos”

 

Afinal, já não acho nada bem.

 

A fase da inscrição já decorreu entre 19 e 20 de Julho e muito em breve deve iniciar-se a fase de candidatura ao concurso Externo/Contratação, que será por um período de três dias úteis.

 

Mais informações no site da Secretaria Regional de Educação da Madeira aqui.

 

 

madeira

 

CONCURSO EXTERNO/CONTRATAÇÃO INICIAL

 

CANDIDATURA POR VIA ELECTRÓNICA

 

AGIR – Recursos Humanos

(Aplicação de Gestão Integrada de Recursos)

 

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2016/07/o-concurso-da-madeira-deve-abrir-ainda-esta-semana/

Apresentação de candidaturas para o provimento de uma vaga para Técnico Formador de Gestão e Administração Escolar na Guiné-Bissau

 

A FEC, Fundação Fé e Cooperação, convida à apresentação de candidaturas para o provimento de uma vaga para Técnico Formador de Gestão e Administração Escolar, com formação superior em Ciências de Educação ou com experiência comprovada em funções similares (mínimo 2 anos), na Guiné-Bissau, por um período de 12 meses renováveis (ver aqui Termo de Referência).

As respostas e Curriculum Vitae (CV) deverão ser enviadas para recrutamento@fecongd.org até ao dia 3 de agosto de 2016 indicando a posição para que se candidata no assunto do e-mail. O CV, preferencialmente em português e em formato europeu, deverá ser acompanhado de uma carta de motivação e da indicação de duas pessoas de referência e o seu contacto.

Em caso de dúvida contactar Etelvina Cardeira para o telefone (00 351) 21 886 17 10.

feclogo

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2016/07/apresentacao-de-candidaturas-para-o-provimento-de-uma-vaga-para-tecnico-formador-de-gestao-e-administracao-escolar-na-guine-bissau/

Grupo de recrutamento 120 – Lista de docentes com qualificação profissional para a docência

Lista dos docentes que obtiveram a certificação para o grupo 120.
A lista está por ordem alfabética e contempla os docentes que obtiveram a certificação em 2014-2016.

Download do documento (PDF, 494KB)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2016/07/grupo-de-recrutamento-120-lista-de-docentes-com-qualificacao-profissional-para-a-docencia/

Aposta Para Hoje

Seguir:
arlindovsky
Seguir:
Latest posts by arlindovsky (see all)

… para 61 milhões.

Começo a achar mais provável sair o prémio de hoje do que a aplicação para a Mobilidade Interna ser aberta.

 

euromilhoes 26 julho 2016

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2016/07/aposta-para-hoje-114/

Não Há PAE Que Substitua o Esforço dos Alunos

Seguir:
arlindovsky
Seguir:
Latest posts by arlindovsky (see all)

Para o sucesso, esforço dos alunos conta mais do que os professores

 

 

Conclusão de mais um estudo do projecto aQeduto é comum a todos os 11 países analisados. ?Apenas 10% dos estudantes consideram que ser bem sucedido depende do docente

 

1063960

 

Portugal está entre os países europeus onde uma maior percentagem de alunos com bons resultados afirmou concordar totalmente com a frase “ser bem-sucedido depende só de mim”: 44,2% dos estudantes de meios carenciados responderam pela positiva (só a Suécia está à frente com 44,3%) e 48,6% dos oriundos de agregados mais favorecidos afirmou o mesmo, o valor mais alto alcançado entre os 11 países analisados.

Esta é uma das conclusões de mais um estudo do projecto aQeduto, que é hoje apresentado e resulta de uma parceria entre o Conselho Nacional de Educação e a Fundação Francisco Manuel dos Santos. Na base destes estudos estão os resultados obtidos em 2012 em Matemática no programa internacional de avaliação de alunos PISA e as respostas às entrevistas feitas durante a realização destes testes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, que visam analisar a literacia dos jovens aos 15 anos.

Em todos os países analisados são mais os alunos que consideram que o esforço feito pelos próprios é muito mais importante para o sucesso do que os professores. “Na maioria, apenas cerca de 10% dos alunos consideram que ser bem-sucedido depende do professor”, destacam os autores do estudo.

Em Portugal, quando questionados se o sucesso depende do professor, apenas 9,1% dos alunos carenciados com bons resultados concordam com a afirmação. Uma percentagem curiosamente inferior à registada entre os alunos de meios favorecidos que têm também bons resultados (13,6%).

Também entre os alunos com piores resultados, o esforço é valorizado como a principal dimensão para o sucesso, tanto entre os carenciados como entre os oriundos de meios favorecidos (38,5% e 45,1% respectivamente). E o papel dos professores é igualmente menorizado neste grupo, com apenas 11,4% dos alunos carenciados a reconhecerem o papel daqueles para o seu sucesso, uma percentagem que sobe para 12,9% entre os estudantes de meios mais favorecidos.

“Os alunos têm a percepção de que os professores já cumpriram a sua parte e que a partir daí o valor acrescentado para garantir mais sucesso cabe ao próprio. É a nossa interpretação dos resultados deste inquéritos, que foi comum a todos países analisados, e que consideramos muito interessante, por revelar a consciência dos alunos de que, se eles próprios puserem mais, conseguirão ir mais longe”, afirmou ao PÚBLICO a investigadora do ISCTE Isabel Flores, que é uma das autoras do estudo.

Os bons e maus resultados utilizados neste estudo são os scores (pontuações) obtidos nos testes PISA e que podem oscilar entre zero e mil, sendo que a média está nos 500. Os alunos com bons resultados são os que tiveram scores iguais ou superiores a 500.

Eficácia e autoconfiança

E quais as características comuns aos estudantes que ficaram na média ou a superaram no PISA de Matemática, independentemente do seu meio de origem? A principal é a “eficácia na resolução de problemas” (80%), de seguida vem a “autoconfiança a Matemática” (60%), o ser rapaz (52%), ter perseverança (51%) e “vontade de resolver problemas complexos” (47%). Entre estas variáveis, a autoconfiança e a eficácia na resolução de problemas são as que registam maiores diferenças entre os alunos de estratos mais carenciados e os de meios favorecidos.

“É interessante verificar que os bons alunos de classes mais favorecidas se distinguem pela autoconfiança, enquanto os seus colegas de classe menos favorecidas, apesar de menos autoconfiantes, se diferenciam por serem, na prática, realmente eficazes na resolução de problemas”, destacam os autores do estudo, que deixam a pergunta de fundo a que falta responder: constatando-se que “a eficácia e autoconfiança dos alunos têm um alto poder determinante na probabilidade do sucesso, como estimular estas características nos alunos que não as demonstram?”.

Esta investigação confirma, mais uma vez, que Portugal é dos países avaliados onde a associação entre o estatuto socioeconómico e cultural e os resultados obtidos no PISA continua a ser mais forte. À sua frente está a França, atrás o Luxemburgo e a Espanha. Já na Finlândia, a situação é a inversa, o que, segundo os autores do estudo, “pode significar um sistema de ensino mais inclusivo”.

E os TPC contam?

No geral, são os alunos com melhores resultados que “despendem mais tempo a realizar trabalhos de casa”, mas feitas as contas, conclui-se no estudo do aQeduto, “não se observa uma relação entre um maior número médio de horas dedicadas à realização de trabalhos de casa e o score médio dos países”. O que quer isto dizer? Que, por exemplo, os alunos finlandeses “dedicam pouco tempo a trabalhos de casa e a média deste país no PISA é elevada (519), ao passo que em Espanha o número de horas é o dobro e o score é relativamente baixo (484)”. Ou seja, o impacto do número de horas dedicado pelos alunos a esta tarefa não tem um impacto significativo na posição em que o país fica na tabela do PISA.

Na Finlândia, os estudantes dedicam em média três horas por semana aos TPC, o valor mais baixo em conjunto com a República Checa, enquanto em Espanha este valor sobe para seis.  Em Portugal, os TPC consomem em média quatro horas semanais, ficando assim este país a meio da tabela, que no caso vai até às sete horas que os alunos polacos e irlandeses dedicam aos trabalhos escolares fora da sala de aula.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2016/07/nao-ha-pae-que-substitua-o-esforco-dos-alunos/

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog