Mais Relatos Sobre a Injustiça das Permutas

São vários os e-mail que me vão chegando dando conta da desilusão em não ser aberta a permuta para os docentes que concorreram à 2ª prioridade e não ficaram colocados.

Este texto, curiosamente é da permutante da colega do post de ontem, mas que devido à sua extensão apenas deixo uma parte e o link para ele.

 

Há, portanto, nesta minha exposição, dois fatores revoltantes: quem obteve colocação pode solicitar permuta e quem não obteve não pode?! Qual a razão, tendo em conta que todos foram a concurso?

 

Outro texto com o mesmo sentimento de revolta.

 

Boa noite,
após ler o relato “Injustiça nas Permutas”, queria apenas dizer que me aconteceu a mesma coisa. Não me foi permitido permutar pois o meu nome apareceu na lista dos não colocados quer em junho, quer em agosto.
A situação é injusta, assim como a colocação dos docentes dos quadros por prioridades. Se há uma lista nacional de graduação então que seja usada em todas as etapas do concurso. Chegamos a agosto e temos professores de 1ª e outros de 2ª, os mais novos e com menos tempo de serviço a ficarem colocados perto de casa e os efetivos em QA/QE que estão longe e ainda não conseguiram aproximar, continuam longe.
Consegui permuta em 2013 com uma colega QZP, sendo eu QA. Neste concurso a permuta quando permitida seria sempre espelhada, não tendo a possibilidade de trocar novamente com esta colega.
Já aceitei esta colocação e esta distância que tantos gastos e desgastes me trará. Aguardo o próximo concurso com a esperança de que alguém no Ministério leia as nossas ideias, tenha em atenção as nossas vidas e seja mais justo nas colocações.
Aproveito para agradecer a disponibilidade e a partilha do colega.
Atenciosamente,
cumprimentos,

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2015/09/mais-relatos-sobre-a-injustica-das-permutas/

8 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Luis Miguel on 8 de Setembro de 2015 at 10:42
    • Responder

    Se esses contratados são mais novos, já tenho dúvidas. Se calhar, ou de certeza, muitos desses QZP ou QE, aquando dos minis concursos, se bem se lembram, concorriam a nível nacional, não desistiam, e depois ficavam com o melhor horário, à escolha. O candidato que concorria de forma justa, ficava sem horário ou horário incompleto, ficando os outros a seguir a ele com um melhor horário, por culpa do “espertalhão”. “O que sobe, desce” (T.Chardin).

    • maria on 8 de Setembro de 2015 at 16:49
    • Responder

    Boa tarde,

    eu soa QA. Penei muito pra aqui chegar. Andei pelos miniconcursos. Tive horários incompletos, horários noturnos, horários diurnos completamente “esburacados”,horários simultaneamente diurnos e noturnos, enfim, tudo aquilo que os efetivos não queriam. Tudo aceitei, com gosto, pois era contratada e estava em início de carreira. Depois passei a QZP. Fiquei feliz, já estava segura. Claro que fui ficando sempre longe de casa, mas não estranhei, afinal os efetivos estavam, justamente, à minha frente. Assim andei uns anos, até que, por fim, fiquei efetiva. Fiquei felicíssima, continuava longe de casa, mas pelo menos estava efetiva. Estive uns anos na “minha” escola, até que por fim consegui destacamento. Pensei que finalmente poderia respirar de alívio, não passar o verão em stress, nem me preocupar se teria disponibilidade para estar com os meus filhos. Agora, pensei eu, seria a hora de quem estava atrás de mim passar por aquilo que eu já tinha passado. Mas….para meu espanto, isso não aconteceu. Os QZP passam-me à frente, ficam melhor colocados do que eu e ainda têm direito a permutar caso não estejam felizes. Direito esse que me é negado. Não percebo! Será que o que se pretende é que andemos para trás e voltemos a ser QZP? Há com certeza alguma razão obscura para isto. Razão essa que só o Sr. Ministro nos saberá explicar, mas que nada tem a ver com melhorar a “Educação em Portugal”.

      • A S on 8 de Setembro de 2015 at 17:48
      • Responder

      Muito bem exposto! Mesma situação e mesmo desânimo!

      • Luis Miguel on 8 de Setembro de 2015 at 21:50
      • Responder

      A justiça não cabe apenas aos homens e mulheres decidirem neste mundo. Quanto ao bem da educação, muitas das vezes, nem os professores sabem bem qual é. Claro que cada um pensa saber, nem que até então tenha sido a “espertalhice” a valer-lhe, e não outras coisas de mais valor para a Educação em Portugal, o país da cunha.

      • Fernando Franco on 8 de Setembro de 2015 at 22:52
      • Responder

      Compartilho da sua opinião. Estou na mesma situação.

      • manuela on 11 de Setembro de 2015 at 20:39
      • Responder

      Então mas os qzp não estão efetivos?! Pelo discurso parece que não se considerava efetiva.

    • aav.alves on 9 de Setembro de 2015 at 20:05
    • Responder

    boa noite. alguém me pode ilucidar porque motivo a plataforma das permutas não aceita a inscrição de dois docentes do mesmo grupo, ambos colocados por mobilidade interna (agosto) e ambos com 22 h letivas?

      • aav.alves on 9 de Setembro de 2015 at 20:08
      • Responder

      somos QA e QZP… a plataforma deveria aceitar, certo?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: