(Re)organizando o 1º Ciclo… ou seja lá o que isso for…

imagesGR2V86GBComo ideias há muitas e cada um é livre de defender as ideias que assim entender, vamos a mais uma. (vou tentar manter-me “inopinionico” durante este processo, não quero dar ideias a ninguém).

Com o fim da monodocência, como muitos desejam, à espreita, começam-se a procurar soluções para o 1º ciclo. Uma das soluções que se tem defendido, não sei bem quem, é a de transformar o horário deste ciclo numa versão do horário do 2º ciclo.

Tentemos analisar isto da melhor forma. Vejamos…

Dividir o horário dos alunos em períodos de 45, 50 ou 90 minutos, conforme os gostos, onde serão acompanhados por professores da área a lecionar. Isto vai obrigar a uma ginástica fenomenal, quem elaborar estes horários vai arrancar os cabelos. Mas analisemos um exemplo, não mexendo na organização de tempos letivos existente neste momento…

 

Horário Turma
2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira
9:00 Português Matemática Expressões Matemática Português
9:30 Português Matemática Inglês Matemática Português
10:00 Português Matemática Inglês Matemática Português
10:30 Intervalo
11:00 E. M. Português Matemática Português Matemática
11:30 E. M. Português Matemática Português Matemática
12:00 E. M. Português Matemática Português Matemática
Almoço
14:00 Matemática E. M. Português A.E. Matemática
14:30 Matemática E. M. Português A.E. Inglês
15:00 Matemática Expressões Português Expressões Inglês
15:30 Intervalo
16:00 O.C. E.F Musica E.F. Musica
16:30 O.C. E.F. Musica E.F. Musica
17:00 Expressões E.F. Musica E.F. Musica

 

Fica bem patente que esta organização até é possível, não traz nada de novo (falaremos disso mais à frente), novidade é a supressão de uns tempos às célebres 25 horas, se não contarmos os intervalos como tempo letivo e a redução de tempos reservados para as AEC’s.

Podemos também refletir sobre um horário organizado em tempos de 50 minutos.

 

Horário Turma
2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira
8:30 Português Matemática Inglês Português Português
9:30 Português Matemática E.M. Português Português
10:30 E.F. Português O.C A.E. Matemática
11:30 E.M Português Expressões E.M. Matemática
12:30 Almoço
13:30 Matemática E.M Matemática Inglês
14:30 Matemática E. F. Matemática E.M.
15:30 Expressões Expressões O.C. E.F.
16:30 A.E. Musica E.F. Musica

 

Este modelo é bastante interessante, no que diz respeito à sua análise, é claro. Com as aulas organizadas em tempos de 50 minutos, os intervalos das crianças serão de 10 minutos entre aulas. Está-se a ver no que vai dar, estamos a falar de crianças da faixa etária dos 6 aos 9 anos. Quando os encarregados de educação aparecerem na escola a pedir satisfações, porque o seu educando não lanchou, os diretores de turma ver-se-ão de mãos cheias. Algo que salta à vista é a tarde livre, algo que muitos defendem há muito tempo para este grupo de docência. Os encarregados de educação terão de encontrar soluções para esta tarde, uma vez que a escola deixa de ser a tempo inteiro, mas só neste dia. Verifiquem, também, que as AEC’s estão “misturadas” com os tempos letivos. Uma das soluções passaria por, transformar estas atividades em obrigatórias e de não letivas a letivas. Sempre serviria para colocar mais uns quantos professores. Mas que professores ministrariam este horário? Bem, há várias hipóteses. Podemos manter o professor do 1º ciclo em regime de monodocência, ministrando Português, Matemática, Estudo do Maio, A.E., O.C. e parte das Expressões, até perfazer as tais 25 horas letivas ou já agora, 23 horas, como até permitido, as restantes por outros docentes das áreas em causa (sempre dava para completar uns horários). Ou então, podíamos optar por especializar professores. Que será isto de especializar? Estes cabeças… cheios de ideias… O professor especializado é aquele que só leciona uma disciplina, no máximo duas. Então, alguém lecionaria Português e A.E., outro surgiria para lecionar Matemática e E.M., … Os alunos não sentiriam qualquer tédio em relação a terem de fixar caras de professores, já para não falar na sua organização durante todo este processo. E o que faríamos aos professores de 1º ciclo, aqueles que não têm “especialização”, aqueles que se licenciaram em 1º ciclo? Ora, também temos duas hipóteses em relação a isso. A primeira, democrática, passa por dar a escolher ao docentes que área é que desejariam lecionar, a segunda seria a de “sortear” as áreas pelos docentes. Os docentes do 1º ciclo que têm especialização poderiam escolher entra a hipótese referida atrás ou em lecionar a área de sua especialização. Estão a ver exequibilidade? É uma organização fácil de operacionalizar. Uma das “facilidades” desta organização seria a elaboração de horários. Imaginemos um agrupamento onde o 1º ciclo está descentralizado em pequenas escolas, 2,3 ou 4 lugares no máximo, os Centros Educativos não são para todos, como se fariam os horários? Os professores a acelerar entre escolas, nos seus próprios carros, seriam alvos fáceis para um qualquer radar… Está visto que…

Ainda podemos organizar o horário de uma terceira forma…

Horário Turma
2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira
8:30 Português Matemática Inglês Português Português
9:20 Português Matemática E.M. Português Português
10:10 Intervalo
10:40 E.F. Português O.C A.E. Matemática
11:30 E.M Português Expressões E.M. Matemática
12:20 Almoço
13:30 Matemática E.M Matemática Inglês
14:20 Matemática E. F. Matemática E.M.
15:10 Intervalo
15:40 Expressões Expressões O.C. E.F.
16:30 A.E. Musica E.F. Musica

 

Neste exemplo, colmataríamos a dificuldade das crianças em organizar-se, quer com a deglutição do seu lanche, quer com o entrar e sair continuamente da sala de aula. Mas em relação à gestão de recursos humanos, a realidade seria bem diferente. Os professores teriam de andar a saltar de sala em sala, o mais rápido que conseguissem, uma vez que não se deixa uma turma sozinha dentro da sala de aula, a presença de um adulto é essencial. Se os professores tivessem de transitar entre escolas, essa missão tornar-se ia um pouco mais elaborada, bastava não ter em conta que há períodos em que os intervalos são inexistentes.

As mudanças no 1º ciclo são urgentes, mas para isso há que conhecer o terreno, há que, pelo menos, ter trabalhado nas diversas realidades. As soluções podem ser muitas, mas temos que pensar em todos os fatores. Não podemos olhar para o umbigo de uns e deixar os outros a apanhar frio… Quando, e digo quando, porque virá, se reorganizar este ciclo de ensino, devemos analisar as propostas de forma imparcial, sem favoritismos ou agendas escondidas.

Para refletir, «No 1.º Ciclo, o ensino é globalizante, da responsabilidade de um professor único, que pode ser coadjuvado em áreas especializadas».

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2015/04/reorganizando-o-1o-ciclo-ou-seja-la-o-que-isso-for/

7 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Horários on 22 de Abril de 2015 at 20:52
    • Responder

    Mais outro bom exercício teórico, mas que continua a ter a mesma omissão, que é muito relevante para a questão.
    O fim da monodocência, em termos de elaboração de horários, vai tornar o 1º ciclo numa versão mais ou menos suave de todos os outros ciclos, Tudo vai depender do número de professores e do número de turmas que cada professor terá.
    Na versão mais suave, com apenas 2 professores (um de Inglês e outro para as restantes áreas) o problema coloca-se com a elaboração do horário do professor de Inglês, que para ter horário completo terá de ter 12 turmas. Ou seja o horário vai implicar conjugar o horário de 12 turmas (e este é o exemplo mais suave).

      • brincandeira on 22 de Abril de 2015 at 21:45
      • Responder

      A piada disto tudo é que mesmo deixando de ser monodocência continua a ter que ter que ter mais horas que os “colegas”…Quanto às 23h, o Arlindo deve estar a brincar! Resumindo somos todos iguais mas uns mais que outros, não é Arlindo??? Na hora de fazer os horários lixam os do 1º ciclo para completar os horários dos “colegas de Inglês”. Os sindicatos quanto cedem é sempre para lixar os mesmos. Obrigado sindicatos e colegas!!


      1. Os artigos estão devidamente identificados com o nome e a foto do autor.


  1. Mas quem disse que a monodocência está esgotada? Teóricos que nada convencem, ou com argumentos muito pouco sólidos.
    As crianças nesta faixa etária necessitam de um professor referência, de um modelo e de afetos próprios desta idade. Não é por acaso que a monodocência graça nos países mais evoluídos no campo educacional. Além deste ponto, que por si só é fulcral, a monodocência permite uma melhor gestão do tempo letivo e uma melhor articulação das diferentes áreas disciplinares. Até a nível disciplinar penso que a monodocência é uma grande vantagem. Vejamos, no 1.º ciclo raramente há casos de indisciplina, e muitas vezes me interrogo, como é que um aluno concluiu o 1º ciclo sem incidências disciplinares e transitando para o 2.º ciclo, passado 3 ou 4 meses já é apontado como um caso de indisciplina. Não terá a ver com a passagem da monodocência para a pluridocência, por deixaram de ter o professor de referência?
    No meu entender são muito fortes os argumentos em prol da monodocência.
    A monodocência está a ficar mutilada, e quanto mais a mutilarem mais degradada fica a educação.

    • Duarte Félix on 25 de Abril de 2015 at 12:56
    • Responder

    Este seu texto demonstra obviamente que não é docente do 1º ciclo. No meu entendimento o 1º ciclo o que não necessita é tantos “colegas” ávidos de reorganizar um grupo ao qual não pertencem, mas onde podem assegurar as tais ditas 6h, coisa que “nós seus colegas” nem sabemos o que poderá ser.Nós temos efetivamente 25 horas letivas (com alunos) e ainda mais as não letivas que são marcadas no horário…

Responder a Arlindovsky Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog