Regressa a Teoria do Quadro Estável

Iniciado por Maria de Lurdes Rodrigues e que teve continuidade com Isabel Alçada e Nuno Crato.

No fundo o que o PS propõe é o que já existe na prática onde os concursos internos se realizam na teoria de 4 em 4 anos.

Se foi pelo menos conquistada a mobilidade interna “anual” neste mandato do PSD, o que o PS propõe é que essa mobilidade interna desapareça e que sejam penalizados os professores que se apresentem a sucessivos concursos. Não percebo como alguém pode ser penalizado por concorrer quando um concurso é aberto, a não ser que a penalização seja o impedimento em concorrer após obter uma colocação.

Pela proposta apresentada neste documento o que tenho a dizer é que quem conseguir uma boa colocação neste concurso interno acaba por se safar e quem ainda se mantiver longe tão cedo não terá possibilidade de aproximação, ainda por cima o título do relatório é “Uma Década para Portugal”.

Mas para a teoria do quadro estável ser aplicada só existe um caminho, abrir todas as necessidades nos concursos de ingresso de forma a esvaziar as necessidades não permanentes. Só assim se terá um quadro estável.

 

 

ps 431

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2015/04/regressa-a-teoria-do-quadro-estavel/

18 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • manuelavaz on 24 de Abril de 2015 at 14:29
    • Responder

    Quadro estável, mas à custa do sacrifício e do bolso de cada professor. Não se ouve falar de apoios para quem está longe de casa…..

    • Carlos Plágio on 24 de Abril de 2015 at 14:51
    • Responder

    Mas ainda há quem acredite que há “zonas menos atrativas” para quem quer ser professor?

    • Zé Manel on 24 de Abril de 2015 at 15:36
    • Responder

    Há uma forma fácil de protestar contra esta ideia estapafúrdia do PS. nas próximas eleições não votem PS nem se abstenham, nem votem em branco.

    • Rui Cardoso on 24 de Abril de 2015 at 15:55
    • Responder

    Esta medida não é anticonstitucional? Não atenta ela, contra a liberdade individual de cada um? A igualdade de oportunidades, não estará em causa com esta medida? Para que raio é que serve a constituição? Só por ter lugar de QA tem que se estar satisfeito com a “sorte” que nos “calhou”… mais surpresas se avizinham, é só ter paciência…

    • maria on 24 de Abril de 2015 at 17:06
    • Responder

    Não sei o que não perceberam:
    Criação de um quadro docente estável nas escolas
    incentivos à localização de professores

      • Zé Manel on 24 de Abril de 2015 at 19:04
      • Responder

      O que é um quadro estável? Será um quadro com professores desterrados e, portanto descontentes?
      Que incentivos? Promessas há muitas, principalmente por parte de políticos mentirosos.
      Que parte é que não percebeu? Se quiser faço-lhe um desenho a tinta da china…

    • mariaa on 24 de Abril de 2015 at 17:14
    • Responder

    O Arlindo diz e muito bem; ” abrir todas as necessidades nos concursos de ingresso de forma a esvaziar as necessidades não permanentes. Só assim se terá um quadro estável.”
    É isso que vai acontecer… o PS vai cumprir a norma da união europeia.

      • Zé Manel on 24 de Abril de 2015 at 19:05
      • Responder

      Sim? Que norma é essa?

    • maria on 24 de Abril de 2015 at 17:22
    • Responder

    devem ser aqueles que empancaram as listas de contratação de escola. que cocorreram para várias escolas

      • Zé Manel on 24 de Abril de 2015 at 19:05
      • Responder

      Ou não.

    • rrrr on 24 de Abril de 2015 at 18:42
    • Responder

    Com o meu voto não contem…

      • maria on 24 de Abril de 2015 at 22:08
      • Responder

      cada um sabe as escolhas que faz. depois não digam que não foram avisados

        • rrrr on 24 de Abril de 2015 at 23:02
        • Responder

        Sei escolher e digo-lhe que não quero ter, novamente, um governo que leva o país à bancarrota, que promete mundos e fundos e não os cumpre, que tem ódio dos professores e, que pensa que os docentes são os únicos que têm que deixar de ter família… Que pensa que temos que abdicar daqueles que amamos, permanentemente (não podendo tentar aproximar-nos deles) para podermos exercer a profissão que escolhemos e, tão bem sabemos exercer, que tanto amámos e, que escolhemos, conscientemente há muitos anos e, não ontem. Para aqui estarmos, percorremos o país, abdicamos de muito e, não é correto, nem digno, nem humano que os nossos filhos sejam os únicos que não possam ter os pais juntos de si. Para ensinarmos, amarmos e transmitirmos, diariamente, conhecimento e valores aos filhos dos outros, os nossos estão longe de um elemento fundamental: a mãe ou o pai. Apenas o veem no final de semana ou, por breves momentos, ao final do dia.

          • maria on 24 de Abril de 2015 at 23:37

          parece-me um retrato do ministério do Dr. Nuno crato!!
          Eu se fosse a si, votava neles outra vez, para ter, novamente, BCE, normas travão, redução de professores por escola/grupo de recrutamento, aumento do nº de alunos por turma, critérios manhosos, renovações, etc…
          “Tudo de bom”, o que me consigo recordar deste nosso ministério.
          Mas, tal como lhe disse, cada um faz as suas escolhas.

          • rrrr on 25 de Abril de 2015 at 0:39

          Só para recordar: contratações de escola com critérios manhosos já existem há muito tempo; renovações são do tempo da Maria de Lurdes Rodrigues (PS) e sempre fui contra elas; aumento do nº de alunos por turma também já é do tempo desta Ministra. E depois fez uma dedução precipitada porque ninguém lhe disse que iria votar PSD, apenas lhe disse que não iria votar num partido que para além de não defender um país, o deixar na miséria, maltratar os professores, os colocar uns contra os outros, ainda defende, que estes perpetuem por mais tempo, a sua abdicação por parte da sua família em prole da sua profissão.

          • rrrr on 25 de Abril de 2015 at 11:46

          E a redução de professores também se deveu a esta excelentíssima ministra que teve a excelente ideia de criar os mega-agrupamentos e, assim fazer com que os professores sejam obrigados a percorrerem várias escolas, para verem o seu horário completo, reduzindo o nº de horários para os restantes colegas. Quem veio a seguir limitou-se a pegar nas ideias parvas e diabólicas que ainda não tinham sido postas em prática e, colocou-as. Foi no tempo desta senhora que as escola TEIP apareceram como cogumelos e as injustiças gritantes nas contratações de escolas brotaram. Injustiças essas que agora se perpetuarão na entrada dos quadros, verificando-se ultrapassagens que nem ao diabo lembram. Foi também no tempo desta senhora que se gastou o dinheiro que não se tinha num parque escolar, em que se previa gastar X, mas se gastou X ao quadrado. Em que se estruturaram salas para um máximo de 24 alunos, mas onde se têm que colocar 28 ou 30 alunos, porque a mesma senhora e os seguintes não permitiram a abertura de novas turmas… Parque escolar esse, que em muito dos casos, apesar de todo o dinheiro gasto já teve obras, porque chovia nas salas!!!!… Quem é que se lembrou de criar renovações e com elas mais injustiças?! Esta Ministra!… Ou seja, quando esta Ministra disse que perdi os professores… já antes disso tinha planeado uma cisão de tal modo venenosa, que colocava uns contra aos outros… Até a PACC foi ideia diabólica dessa Ministra. Avaliação com quotas idem, em que há escolas de excelência em que os seus professores se veem privados das menções superiores porque a quota não o permite e, escolas onde os professores são todos medianos e, como a quota o permite até há alguns que são avaliados com menções superiores. Esta Ministra e o seu governo PS criou toda a política de educação dos últimos anos, que levou ao que hoje vemos: Injustiças.

          • Marmelo on 25 de Abril de 2015 at 20:51

          A ministra maria de Lurdes dividiu os professores em duas classes:professores e professores-titulares.Os professores titulares acabaram, mas não lhes era permitido concorrer.Foi com esta excelentíssima ministra que começaram as renovações, e até houve Qzp´s que ficaram sem turma no 1º ciclo por causa das renovações.Crato foi ainda pior favoreceu concursos extraorinários com critérios estapafúrdios .Os professores vindos do particular tiveram oportunidade de vincular com 365 dias de serviço no público.E a famosa 1ª prioridade é de truz.

    • Sofia on 25 de Abril de 2015 at 10:18
    • Responder

    No dia da Liberdade uma notícia destas?? Mais uma medida para desterrar professores!! Se estão à espera de “incentivos” bem podem esperar sentados porque essa é a parte eleitoralista e como temos visto nos últimos anos de PS-PSD-PS-PSD as promessas caem e só fica o pior!!!
    25 de abril, sempre!!!

Responder a mariaa Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog