Consequências das Más Colocações de 2014/2015

Que levaram imensos docentes a ganhar os seus recursos hierárquicos, em especial no que respeita ao direito à renovação de contrato.

Neste caso o MEC autoriza que o docente se mantenha na sua escola de colocação desde que declare que isso pretende.

recurso

Correio da Manhã (10-04-2015)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2015/04/consequencias-das-mas-colocacoes-de-20142015/

18 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Dina on 10 de Abril de 2015 at 11:31
    • Responder

    Isso não é verdade, só se houver excepções … A mim não me deram autorização para ficar na escola onde tinha sido colocada.

    • Célia on 10 de Abril de 2015 at 12:09
    • Responder

    Eu ontem liguei para o DGAE e perguntei se não era possível retirar o recurso ou manifestar o meu interesse em permanecer na escola onde estou colocada. Tem muito mais lógica (em alguns casos), do que nesta altura do ano regressar a outra escola. Como ficam os alunos? Os processos? O MEC tem que esclarecer de uma vez por todas o que podemos fazer. Nunca vi tanta incompetência junta..

    • Claudia U on 10 de Abril de 2015 at 13:44
    • Responder

    Eu vi o meu recurso deferido e ordem dada à direçao da escola onde estava colocada foi para regressar de imediato à escola onde deveria ter estado desde 1 de setembro, em renovação que não ocorreu. Não houve qualquer margem de manobra para poder optar entre uma ou outra, como é noticiado aqui. A medida de uns não é medida para outros? Não entendo nada!


    1. Em que dia meteu o seu recurso e em que dia recebeu a resposta?

        • monica m on 10 de Abril de 2015 at 19:58
        • Responder

        17 de setembro 2014 e a resposta vem com a data de 17 de março

          • Rute on 10 de Abril de 2015 at 20:12

          Esclareça-me, por favor, se puder: qual o motivo para a sua não renovação em setembro? Eu também apresentei recurso e veio indeferido: a razão para o indeferimento foi que a escola pediu a renovação mas não requisitou horário…

      • monica m on 10 de Abril de 2015 at 19:57
      • Responder

      Também partilho da mesma situação acima referida.

    • Mª Clara Matos on 10 de Abril de 2015 at 15:50
    • Responder

    Alguém pode explicar aos senhores jornalistas do Correio da Manhã que a autonomia das escolas não é assim tããão autónoma que permita que a direção tome decisões contrárias ao MEC?

    • Fernanda on 10 de Abril de 2015 at 20:00
    • Responder

    O meu recurso também foi deferido. No entanto, tanto eu como a direção da escola onde fui colocada este ano letivo solicitámos, junto da DGAE, a minha continuidade na mesma. De realçar que a escola onde devo realçar deu parecer favorável ao nosso pedido. Porém, a resposta da DGAE foi negativa, tendo referido que “o processo do recurso já se encontra em execução”. Portanto, vou voltar para a escola onde me deveria ter sido renovado o contrato em setembro, contra a minha própria vontade e a dos dois agrupamentos. Assim, pergunto: estão a brincar (mais uma vez) com as vidas dos nossos alunos e com as nossas vidas? Será que esta notícia é verdadeira? Se é, porque é que o tratamento é distinto para casos, aparentemente, iguais? Estou cansada desta vida!

    • Rute on 10 de Abril de 2015 at 20:58
    • Responder

    Se alguém me puder ajudar, agradecia imenso: o meu recurso ( por causa da não renovação em setembro) veio indeferido. Motivo alegado pelos serviços do MEC: escola manifestou interesse na renovação mas não solicitou horário. Há alguém nesta situação, mas que tenha visto o seu recurso deferido?
    Obrigada.

      • Claudia U on 10 de Abril de 2015 at 21:50
      • Responder

      A minha situação é idêntica à sua, Rute, mas no meu caso, a escola procedeu a um imediato contacto com a Dgae e Dgeste, esclarecendo a situação e explicando todos os seus procedimentos. Eu e mais 2 colegas vimos os nossos recursos assim deferidos e estamos já na escola que nos deveria ter dado a renovação.

      • Coitratado on 10 de Abril de 2015 at 23:33
      • Responder

      O meu recurso veio deferido apesar da escola ñ ter solicitado o horário, reunia todos os requisitos para a renovação. Entretanto já elaborei uma declaração a manifestar o meu interesse em manter-me em funções na minha escola atual, ambas as escolas concordaram com a minha permanência e vão em conjunto reunir esforços no sentido de resolver o meu problema junto da DGAE. Estou a aguardar neste momento uma resposta.
      Caso seja obrigado a voltar para a escola onde devia logo no início ter renovado o contrato, estou a pensar levar o meu caso para tribunal e exigir uma indemnização. Alguém vai ter que ser responsabilizado por estes erros que tanto têm prejudicado os docentes. Nada disto faz sentido.


  1. O meu caso é semelhante ao do Coitratado. A minha renovação não se deu, apesar de reunir todas as condições para isso. Apresentei recurso em 15 de setembro, mas ainda não recebi qualquer resposta. Sabem se a Dgae ainda está a responder aos recursos? É que parece-me tão tarde que começo a pensar que se esqueceram de me responder!

    • LL620 on 11 de Abril de 2015 at 11:31
    • Responder

    Apresentei recurso no dia 11 de setembro (faz hoje 7 meses). Foi feito um pedido de informação à DGAE sobre o andamento do recurso, a resposta foi “encontra-se em apreciação”. Não sei de mais nada. Vem deferido? Indeferido? Não faço a ideia. Boa sorte a todos.

      • Cristina on 13 de Abril de 2015 at 14:43
      • Responder

      Eu submeti no dia 12 de setembro e encontro me exatamente na mesma situação. Sem qualquer resposta.


  2. Uma coisa que eu não entendo. Apresentaram recurso e agora não querem ir para a escola para onde recorreram e deviam estar? Sei que a resposta veio tarde (muito tarde) mas se é resposta a um recurso da vossa parte e o MEC por fim cumpriu também vós devereis cumprir e ponto final.

      • Adilia on 13 de Abril de 2015 at 10:52
      • Responder

      O problema é que , salvo erro, a DGAE tinha 30 dias úteis para responder e não 7 meses!


      1. A DGAE tinha 90 dias, não sei se úteis, se seguidos. Também eu estou à espera há sete meses, porém concordo com o Tuk, não podemos dar tiros nos pés e ser incoerentes. Se interpusemos recurso e veio deferido, a DGAE deu-nos razão, temos de voltar à escola onde era suposto renovarmos. Criticamos a DGAE por andar para trás e para a frente, mas que moral temos se nós próprios somos tão inconstantes e andamos para o lado que o vento está virado? Deveríamos pensar antes de meter o recurso. Penso eu de que…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog