adplus-dvertising

Provem Publicamente a Vossa Inocência

É apenas o que tenho a dizer.

Com factos e com provas, porque a maioria as tem.

Só me parece despropositado que declarações desta natureza sejam feitas apenas porque Mário Nogueira disse que a DGAE disse.

E neste caso parece-me que esteve melhor o Filinto Lima preferindo não comentar o assunto.

 

Directores: posição da administração educativa é “deplorável”, “vergonhosa” e “inadmissível”

 

 

Os representantes dos dirigentes das escolas não gostaram de ouvir que o MEC, através da Direcção-Geral da Administração Escolar, os responsabiliza por erros na colocação de professores.

O presidente do Conselho das Escolas (CE) e o da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE) consideraram na noite desta quarta-feira “inadmissível” e “vergonhosa” a posição da Direcção Geral da Administração Escolar, que, de acordo com a Fenprof, atribuiu a responsabilidade por eventuais erros ocorridos na colocação de professores às escolas e aos respectivos directores. “É uma posição deplorável, que mostra bem o ponto a que chegou uma administração educativa que, face a situações gravíssimas, sacode a água do capote para cima de quem cumpre as suas instruções”, comentou José Eduardo Lemos, do CE.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/09/provem-publicamente-a-vossa-inocencia/

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Rui Cardoso on 17 de Setembro de 2014 at 23:26
    • Responder

    Que ponham os sus lugares de diretores à disposição do sr. ministro, tomem uma posição de força de uma vez por todas…

      • m.elis on 17 de Setembro de 2014 at 23:37
      • Responder

      Julgo que se devia esclarecer TOTALMENTE a situação porque não tardará muito que as culpas caiam nos professores. Ainda hoje ouvi na escola que as trapalhadas se devem às mentiras dos professores!
      Que se atue é o que desejo. Os professores mentiram? Os diretores falharam? o MEC tem a fórmula errada? Que se apurem responsabilidades.

      Filinto Lima não quis comentar. Porquê? Se calhar não sabe de nada!!
      A fenprof é que se tem ouvido (não se pense que nutro simpatia pela sua atuação). Onde andam os outros? Que compromissos assumiram com o MEC para terem que se calar?

      • on 17 de Setembro de 2014 at 23:59
      • Responder

      Não se vai ver nenhum diretor a por o lugar à disposição!!!
      Aliás, já ouvi muitos dizerem que a culpa é do MEC porque “não colocaram nenhum manual de instruções à disposição”.
      Qualquer dia destes, os Srs. diretores vão dizer que a culpa é nossa porque não concorremos bem!!! ehehehe
      Ninguém vai largar o poleiro, mesmo que se prove que a culpa foi deles e que estes não souberam interpretar as orientações da Dgae. Acredito que o que aconteceu foi mesmo isto….

      • Pois on 18 de Setembro de 2014 at 12:50
      • Responder

      Achas!?! E o tacho? Depois teriam que ir dar aulas como os outros! Vão reclamar mas a seguir baixam as calças. Sobretudo porque na maioria dos casos, o cargo que ocupam tem motivações políticas…

      Para quando uma revolução a sério! Do tipo: “Chegou a hora de matar”!!! Sem isso, guerrilhas aqui e acolá mas as alterações fundamentais, que servem para nos prejudicar, serão sempre implementadas. O governo cede em pontos sem importância mas no fundamental, ganha sempre…

    • CMBA on 18 de Setembro de 2014 at 1:03
    • Responder

    É TUDO UMA VERGONHA… MAS AINDA NENHUM DIRETOR PEDIU A DEMISSÃO… NEM MESMO QUANDO O MEC VIOLA O CONTRATO DE AUTONOMIA E TEIP QUE CELEBROU COM ELES DE FORMA UNILATERAL E SEM INFORMAÇÃO PRÉVIA… ISTO DE DIZER VERGONHA MAS CONTINUAR NO POSTO E MANTER TODOS OS ATRIBUTOS É MUITO BONITO… MAS NÃO RESOLVE PROBLEMAS…

    • karim on 18 de Setembro de 2014 at 9:35
    • Responder

    Muito me apraz ver as comadres zangadas. Eu só me pergunto o que ainda faz este ministro em funções? Já demonstrou notoriamente que não gosta dos professores, que despreza o trabalho feito nas escolas por profs e direções e que se está nas tintas para as condições dos alunos. Nunca se viu um ministro que desprezasse tanto o assunto que tutela. O que faz lá ainda este senhor?
    Eu só tenho é pena que alguns diretores, que nos últimos anos têm sido tão voluntariosos para determinados trabalhos mandados pela tutela, estejam neste momento em silêncio.
    Tenho vergonha de pertencer a esta classe profissional (que classe não tem nenhuma).

    • Andreia on 18 de Setembro de 2014 at 10:06
    • Responder

    Os diretores??? Das TEIP e com Autonomia??? Não me venham com coisas…“deplorável”, “vergonhosa” e “inadmissível” foi TAMBÉM a atuação DE ALGUNS deles que durante ANOS contrataram professores de forma pouco justa, promovendo desigualdades entre professores e, consequentemente, atritos entre eles …É exatamente a mesma coisa feita apenas por intervenientes diferentes!! TODOS IGUAIS

    • João Dias on 18 de Setembro de 2014 at 10:15
    • Responder

    Arlindo.
    Com que então, provar a inocência!
    Vocês é professor de quê? A quem é que vocês ensina?

      • Pois on 18 de Setembro de 2014 at 12:53
      • Responder

      Gosto muito do trabalho que faz aqui, principalmente o trabalho noticioso e estatístico. Mas quando chega ao momento de opinar este blog prova que por detrás de tudo há sempre os mesmos interesses (neste caso, sindicais). São estatutos e poleiros. A nossa classe resume-se a isso!!!!

    • A. N. on 18 de Setembro de 2014 at 16:55
    • Responder

    Os diretores têm culpas, se não perceberam a aplicação deviam ter perguntado à DGAE mas preferiram na maioria dos casos não pedir horários e isso veremos na RR quando saírem os muitos horários completos. O assunto foi discutido aqui no blog, alguns tentaram informar-se e corrigiram segundo o que depois escreveram no post do Arlindo na altura do pedido das necessidades residuais. O que aconteceu foi que muitos estão a lixar-se para os contratados e pensam que se não pedirem logo, pedem depois (não são eles que ficam no desemprego). Como é óbvio devia haver responsabilização por parte destes.
    Quanto aos diretores das teip e autonomia para além do erros da aplicação são também culpados por assinarem um contrato de autonomia que lhes dá poderes na escolha de professores quando não têm nenhuma formação para fazer essa escolha e daí os critérios a favorecer os amigos. Nem que quisessem ser independentes o conseguiam.

Responder a m.elis Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: