adplus-dvertising

24 de Agosto de 2014 archive

Sobre o Pedido de Horários

O que se vai lendo neste post mostra que o pedido de horários às escolas, feito num prazo relâmpago, não veio acompanhado de um manual de suporte a esse pedido, nem o prazo curto permitiu sequer esclarecer as dúvidas dos diretores com a DGEstE.

Tendo em conta que existem processos disciplinares a diretores que pedem necessidades a mais do que as que realmente precisam a maioria dos diretores, por vias das dúvidas jogam pelo seguro de forma a não duplicarem as necessidades pedidas.

O que pode acontecer é que os horários pedidos sejam insuficientes e por esse facto podem ficar muitos docentes por colocar na 1ª colocação do ano letivo 2014/2015 (já não lhe chamo última colocação de Agosto porque tal não irá acontecer).

Que problemas podem ocorrer com isto?
 

  • haver horários disponíveis nas escolas que serão para uma segunda colocação, que impedirá um docente da 2ª prioridade apanhar colocação por insuficiência de horários na 1ª colocação;
  • haver ultrapassagem de docentes (do quadro ou contratados), por surgirem horários que deveriam estar em concurso na 1ª colocação e não estiveram.

Seria importante haver um esclarecimento claro ao pedido de horários por parte da DGEstE e um prazo mais prolongado de forma a evitar os prejuízos de inúmeros docentes descritos anteriormente.

 

Durante todo o dia os diretores estiveram a tentar perceber o que fazer em relação aos docentes que foram dados como disponíveis e aceites para recondução.

É que na aplicação de recolha de necessidades temporárias, colocam-se os docentes de quadro de escola e de zona em serviço na escola de nos casos do 100 e do 110 é a própria aplicação que lhes atribui turma, pedindo colocação apenas do número de docentes em falta. Isto é, uma escola com 6 salas, uma educadora de QA, e 2 que pretendem renovar, imediatamente coloca a necessidade de 3 educadores! No 1. Ciclo o mesmo mecanismo, alheio à vontade de quem introduz os dados.

Já para o 2/3 ciclos, como é necessário colocar as horas necessárias e as já distribuídas, é preciso saber se se faz contas com os docentes que estão disponíveis para recondução. Assim, num grupo com 2 QA, e com 88horas para distribuir, vai dizer que distribuiu 44 horas aos QA, ou por aparecerem no quadradinho de cima 2 reconduzíveis, conclui que já distribuiu 88 horas e pede zero horários?

Ou considera que os contratados podem nem ser já contratados (podem ter entrado em QZP e nem quererem ficar por aqui) e diz que lhe faltam 44horas pedindo assim mais dois docentes correndo o risco de ficar com 4 colocados quando só precisa de 2???

Esta decisão pode ser a diferença entre um erro de pedido que dá um processo disciplinar ao Diretor, ou por medo disso, produz um lançamento de horários pela metade!!! Se estiver errada, segunda-feira peço à DGEstE para retificar, diminuindo para metade os horários que pedi hoje.

Mas não me faz sentido distribuir serviço aos contratados que aguardam colocação, mesmo havendo intenção de recondução. É um momento muito diferente de todos os anos anteriores…

Durante todo o dia foi esta a angústia não resolvida dos diretores… Não somos todos como às vezes nos pintam, alguns serão… Levamos a escola muito a sério e eu, por mim sinto vergonha de dizer que só encontrei as mobilidades estatutárias graças ao Arlindo, que só soube da abertura da recolha de reconduções e Dacl, pelo Arlindo… A DGAE não atende, não responde e não se deu ao trabalho de elaborar um pequenino guião, para explicar as alterações introduzidas num momento de colocações com tantas contingências e com consequências tão sérias para os docentes.
Enfim…

 

CF

 

E mais outro exemplo em resposta a este primeiro.

 

Colega CF
Esses foram precisamente os meus problemas e de diversos colegas diretores com quem me mantive em contacto.
Quinta-feira à tarde enviei um email colocando todas essas questões para diversos endereços da DGAE e, até agora, não responderam. Outros colegas passaram horas ao telefone sem serem atendidos. Respostas… Nada!
Refiro a completa trapalhada deste ano, desde a aplicação de renovação à da Recolha das Necessidades, sem informações nenhumas. Também foi aqui que soube das listas de mobilidade, e ainda ontem tive que o transmitir a diversos colegas que não sabiam.
Quanto à aplicação da Renovação, esteve aberta até 19/8 para correções (retirar da renovação quem entrou em CEE, que foi o que fiz). Também não deve ter sabido, mas a DGAE respondeu-me por email na Terça de manhã a um email enviado sobre o assunto.
Também fui dos que contabilizaram as renovações, diminuindo os horários a concurso. Mas sabemos que, por lei, os do quadro passam à frente. Se não acontecer, o problema é da DGAE.
Rezemos para que tudo corra bem, pois preciso dos professores colocados para começar o ano e os contratados também têm direito a ser reconduzidos, mas nas vagas deixad em aberto pelos do quadro.
Bom trabalho e boas férias.
 
António

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/08/sobre-o-pedido-de-horarios/

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: