adplus-dvertising

5 de Agosto de 2014 archive

Uma Boa Notícia

… que pode reduzir consideravelmente o número de docentes com ausência da componente letiva e/ou aumentar o número de contratações para 2014/2015.

Se o atraso no IACL e na MI se deverem à tentativa de se reduzir o número de docentes sem componente letiva já se começa a justificar esse atraso. Seria bom também que as rescisões viessem a tempo dessa distribuição de serviço para 2014/2015.

 

Professores a aguardar aposentação MEC aberto à proposta da FNE

 

A FNE reiterou hoje (05.08.2014) junto do Ministério da Educação e Ciência (MEC) a necessidade de que aos docentes que estão a aguardar aposentação não seja atribuída turma, de forma a garantir a estabilidade necessária ao desenvolvimento do próximo ano letivo e obteve da tutela orientações que vão no sentido de ver satisfeita esta proposta da FNE.

Recorde-se que no passado mês de julho, e no âmbito da preparação do próximo ano letivo, a FNE dirigiu ao Ministro da Educação um ofício onde solicitava que não fosse atribuída componente letiva aos docentes que aguardam despacho para o seu pedido de aposentação, tendo hoje obtido informações de que o MEC vai atender esta proposta.

A FNE enquadra neste conjunto de docentes algumas centenas que já desde 30 de junho de 2013 aguardam despacho para o seu pedido de aposentação – e que no quadro do acordo celebrado em 24 de junho de 2013 não tiveram turma atribuída durante o ano letivo de 2013/2014. Para além destes, para os quais a FNE considera que deve ser adotado o procedimento acordado no ano passado, há todos os outros que entretanto reuniram as condições para passarem à aposentação, e aqueles que, por sua iniciativa, manifestaram vontade para a antecipar.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/08/uma-boa-noticia-3/

A Imagem Que Passa Sobre a PACC

É que realmente o ministro tinha razão em aplica-la.

Todos sabemos em que condições a PACC de dia 18 de Dezembro de 2013 e de 22 de Julho 2014 foi feita e estou certo que o ambiente vivido nas escolas nesses dias não foi o adequado para que os resultados fossem melhores.

Também não vai passar para a comunicação social que uma pequena parte dos não aprovados entregou a prova em branco como forma de protesto.

Para a história vai ficar que 15% dos professores não conseguiram realizar uma prova que estava acessível a alunos do ensino secundário (como tanto quiseram demonstrar na comunicação social).

E a estratégia que foi seguida só veio legitimar a PACC para o futuro. E isso sabem a quem podem agradecer.

 

 

figura do dia - nuno crato

Correio da Manhã (05-08-2014)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/08/a-imagem-que-passa-sobre-a-pacc/

Madeira – Renovação de Contrato

A renovação de contrato na Madeira poderá ser feita nos dias 28 e 29 de Agosto de 2014.

 

Ofício-Circular nº 33/2014

 

Download do documento (PDF, 107KB)

 

Declaração de anuência

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/08/madeira-renovacao-de-contrato/

Aprovada a Rede de Cursos do EPE para 2014/2015 e 2015

 

Despacho n.º 10035/2014. D.R. n.º 149, Série II de 2014-08-05

 

Ministérios dos Negócios Estrangeiros e da Educação e Ciência – Gabinetes dos Secretários de Estado das Comunidades Portuguesas e do Ensino e da Administração Escolar

 

Aprova a rede de cursos do ensino português no estrangeiro para o ano letivo de 2014-2015 e 2015

 

Download do documento (PDF, 263KB)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/08/aprovada-a-rede-de-cursos-do-epe-para-20142015-e-2015/

Açores – Concurso Interno Extraordinário: Lista Ordenada de Graduação

Concurso Pessoal Docente 2014/2015 – Concurso Interno Extraordinário

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/08/acores-concurso-interno-extraordinario-lista-ordenada-de-graduacao/

Comunicado da ANVPC Sobre a PACC

Os resultados da PACC e a forte expetativa de uma resposta transparente do MEC quanto à real implicação desta prova no aumento da qualidade do sistema de ensino público português

 

 

 

No que respeita a uma análise dos resultados hoje anunciados pela tutela, relativamente à Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC), a ANVPC – Associação Nacional dos Professores Contratados verifica, antes de mais, com satisfação, o elevado universo de docentes aprovados nesta avaliação, assim como as altas classificações aferidas por uma parte considerável dos docentes envolvidos.

No entanto, no que concerne à aplicação desta prova, cabe referir que:

1)      A implementação da PACC não faz qualquer sentido, e é, curiosamente, colocada em marcha pela equipa do Ministério da Educação e Ciência – MEC (liderada pelo Ministro Nuno Crato) que retirou a possibilidade dos docentes contratados serem avaliados nas escolas através de aulas assistidas (em ambiente de sala de aula – Avaliação de Desempenho Docente – nos mais variados parâmetros: pedagógicos, administrativos, científicos, gestão de conflitos, etc.), não podendo este grupo de professores, desde a entrada desta equipa ministerial, aceder à classificação de “Excelente”;

2)      Tratando-se, acima de tudo, de uma tipologia de prova em que o clima de concentração era fundamental (tendo em conta a sua estrutura/matriz), a ANVPC recorda o ambiente de ruído e de instabilidade em que muitos docentes realizaram a mesma, com consequente reflexão na sua classificação final, podendo, em muitos casos, muitos professores serem excluídos do exercício da sua profissão por tumultos a que foram totalmente alheios;

3)      Muitos docentes, até à data, continuam a ver-se impossibilitados de realizar a PACC por questões a si externas, nomeadamente por não terem sido inscritos na 2ª fase de concretização, ou por terem obtido a sua habilitação profissional  posteriormente ao período inicial de inscrição;

4)      A replicação dos resultados finais da PACC no consequente aumento da qualidade do sistema público de ensino (proclamado pela tutela) será, na perspetiva desta associação, absolutamente nula, uma vez que a esmagadora maioria dos professores envolvidos na realização desta prova (tendo em conta o corte sucessivo de recursos humanos colocado em marcha por este governo), dificilmente virá a lecionar nos próximos anos;

5)      Até à presente data, o MEC não apresentou objetivamente quais as competências docentes que pretende avaliar diretamente com a PACC, sustentando as mesmas em todos os documentos e estudos, nacionais e internacionais, que fundamentam o desenvolvimento desta atividade profissional;

6)      A ANVPC estranha, por fim, o silêncio contínuo da indiscutível maioria das entidades de formação de professores (universidades e politécnicos), uma vez que durante anos a fio foram responsáveis pela formação destes docentes, aos quais agora a prova é aplicada.

Face ao exposto, a ANVPC – Associação Nacional dos Professores Contratados, tendo em conta quer a razão central apresentada pelo MEC para a aplicação desta prova – o aumento da qualidade do ensino português – quer a boa gestão dos fundos nacionais púbicos utilizados no desenvolvimento e aplicação da PACC, requer que o Ministro da Educação e Ciência, Professor Doutor Nuno Crato, torne, a seu tempo, público e transparente, o número de docentes que obtiveram aprovação nesta prova e que estarão, no próximo ano letivo, ao serviço do MEC, a lecionar nas escolas públicas. Com tal procedimento o Ministério da Educação e Ciência permitirá que todos os portugueses tenham consciência da consequência dos resultados da aplicação direta da PACC, podendo aferir a real evidência deste processo na melhoria da Educação Pública nacional.

 

A direção da ANVPC      

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/08/comunicado-da-anvpc-sobre-a-pacc/

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: