O Potestativo Sobre a PACC

… colocou praticamente de lado o tema da prova em si e na maioria do tempo falou-se no direito à greve, das manifestações, dos plenários e pouco mais.

 

Defendeu melhor a PACC o governo do que a contrariou a oposição.

 

Com oposições assim, a PACC irá durar muitos e muitos anos.

 

Ficamos a saber que existem cerca de 50 docentes que se viram impedidos de realizar a PACC, mas que poderão candidatar-se a dar aulas no ano letivo 2014/2015 (ainda não se sabe qual a forma que vai ser utilizada para esta excepção).

 

A Fenprof afirma que foram centenas os docentes que se viram impedidos de realizar a PACC de dia 22 de Julho. Em Dezembro, cerca de 2000 docentes ficaram arredados da PACC de dia 22 de Julho, porque não foi comprovado que o motivo para a não realização foi alheio à sua vontade. Se desta vez apenas 50 docentes têm a falta comprovada por motivo alheio, então por analogia de procedimentos teremos mais umas centenas que ficarão impedidos de se candidatar em 2014/2015.

 

Para sair da embrulhada em que a Fenprof se meteu vai manter em tribunal as ações interpostas, quer em dezembro, quer na passada semana, tendo em conta que a PACC foi relançada num quadro de ilegalidade, nomeadamente com desrespeito por prazos e sob uma completa ausência de transparência.

Resta saber se isso será salvação para os que vão ficar impedidos de dar aulas em 2014/2015 nas escolas do MEC.

 

Como já disse mais do que uma vez, a PACC já não interessa nem ao MEC nem aos sindicatos, interessa apenas o jogo de poder pelas escolas que ambos estão a travar.

No fim quem perde são os professores.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2014/07/o-potestativo-sobre-a-pacc/

15 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Arlindo por favor não me desiluda , o que é melhor é fazer como a FNE assinar e calar-se

    1. Portugal está como está, porque muitos preferem ouvir, quem lhes diga o que querem ouvir.
      A análise, aqui feita pelo Arlindo, é de tal forma objetiva, que não permite desilusões.
      O uso que a fenprof do Mário Nogueira (que distingo de uma fenprof do passado) fez dos professores é miserável e essa sim uma verdadeira desilusão!

    • KOMUNISTA on 24 de Julho de 2014 at 22:22
    • Responder

    No fim quem perde é quem não contesta.
    Quem se resigna.
    Quem acata sem pestanejar.
    Quem se sujeita.
    Quem executa sem questionar.

    Se a PACC for revogada (ou metida na gaveta até 2015/16), ganharemos todos, mesmo os que nada contribuiram para isso.

  2. No fim quem perde são os alunos.Esses sim, são os verdadeiros perdedores e as maiores vítimas desta e doutras fantochadas que se passam na educação em Portugal!!
    Acho fantástico e completamente ridículo haver um ministro da (des)educação tão preocupado em aferir, com uma prova, os bons professores mas que continua a entupir as turmas com 30 alunos, a obrigar a formação de turmas com 26 alunos e dois níveis de escolaridade e a colocar professores de EVT, E.F, Música…, (e não me venham com o bla bla da profissionalização – não me parece que um cardiologista possa ser dentista ) a tentar colocar meninos do 1º ano a ler e a escrever.. Enquanto tentam e não tentam só uns são perdedores: OS ALUNOS!!!!!!!!!!!!!! E assim vai o circo vergonhoso da (des)educação em Portugal!

  3. Portugal está como está, porque muitos preferem ouvir, quem lhes diga o que querem ouvir.
    A análise, aqui feita pelo Arlindo, é de tal forma objetiva, que não permite desilusões.
    O uso que a fenprof do Mário Nogueira (que distingo de uma fenprof do passado) fez dos professores é miserável e essa sim uma verdadeira desilusão!

  4. A FNE, ao assinar o acordo, retirou habilitação profissional a um número significativo de docentes.
    O resto são tiros no pé!
    Ao criticar a FNE, estou a criticar a FNE. Ou só é possível ler numa crítica à FNE um elogio ao Mário Nogueira?

    1. Concordo JCP e obrigado espero que o Paulo Tavares também compreenda, em relação ao Arlindo o Arlindo não é a FNE.

  5. Há muito tempo que o Sr. Mário Nogueira é apenas “uma figura”. No entanto, devo dizer-lhe que este desfecho é completamente merecido para alguns. Tenho 15 anos de serviço.No entanto participei em TODAS as manifestações contra esta PAAC. Devo dizer-lhe que na última manifestação em que estive presente, procurei companhia para me deslocar de Aveiro a Lisboa junto das muitas colegas contratadas que conheço. Todas tinham compromissos.Sabe quem me acompanhou?Três colegas do quadro!!Quando cheguei a Lisboa senti vergonha pela falta de adesão dos contratados que tornou quase patética aquela “manifestação”.Quem lá esteve sabe do que falo!

    • Paulo on 24 de Julho de 2014 at 23:00
    • Responder

    A FENPROF E AS TRAPALHADAS… E A COBARDIA DA FNE? SE A PROVA FOSSE PARA TODOS A CONTESTAÇÃO ERA TAL QUE A PACC JÁ TINHA TERMINADO!!!

      • Sílvia on 24 de Julho de 2014 at 23:13
      • Responder

      Exatamente…

    1. concordo Aliás o que a FNE fez e faz normalmente é assinar tudo

    • THIS MORTAL COIL on 24 de Julho de 2014 at 23:26
    • Responder

    «O ORGULHO É A FONTE DE TODAS AS FRAQUEZAS,PORQUE É A FONTE DE TODOS OS VÍCIOS».Santo Agostinho.

    1. O que é que o Santo Agostinho sabe da PACC? E de fontes?
      Pelo que sei o homem nem bebia!

    • ginbras on 25 de Julho de 2014 at 1:30
    • Responder

    Qd o telejornal abre com a notícia de um sindicalista que em Évora diz ter sido impedido de entrar na escola pela polícia onde se ía realizar um exame tá tudo dito! Claro que toda a opinião pública fica contra nós. Por ser sindicalista queria entrar numa sala de exame à força. Julga-se quem? Falou-se e reportou-se de tudo menos do mais importante; que a prova está a ser feita por docentes que já lecionam há mais de 4 anos; que tirar 20 na prova não dá direito a colocação numa escola mas sim permitir que essa pessoa se candidate..e dp entra na jogo a graduação..etc etc

  6. O sindicalista ia dinamizar uma reunião sindical. Foi a maneira que o sindicato arranjou para justificar as faltas aos que não concordando com a PAAC tinham sido convocados para vigiar os colegas. Isto porque os sindicatos tinham sido impedidos de marcar greve por a prova ter sido marcada com 3 dias de antecedência. A opinião pública está contra nós sempre todos opinião sobre a avaliação dos professores, não vejo fazerem o mesmo a outras classes profissionais. nós somos muito desunidos essa é a verdade.

Responder a JCP Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: