Sobre a Municipalização

…é importante que algumas garantias sejam conseguidas, nomeadamente no que respeita à colocação de professores.

FNE quer participar na definição de políticas de municipalização do ensino

 

 

A Federação Nacional de Educação está disponível para ser «um agente» na definição de políticas de transferência de competências de educação para os municípios, tal como previsto na proposta de reforma do Estado, mas exige garantias.

«Queremos ser agentes de um processo de transferência de competências para as autarquias, mas com a garantia de que o Estado não se desresponsabiliza da oferta educativa pública. O Estado não pode deixar de ter um papel regulador na oferta disponível», disse à Lusa o secretário-geral da Federação Nacional de Educação (FNE), João Dias da Silva.

A gestão dos recursos humanos, no que diz respeito à colocação de professores e pessoal não docente nas escolas, é um dos pontos que a FNE defende como responsabilidade exclusiva do Ministério da Educação, assim como tudo o que envolve questões pedagógicas.

A proposta de reforma do Estado desenhada pelo vice-primeiro ministro, Paulo Portas, aponta um alargamento da responsabilidade das autarquias «a novos ciclos de ensino», que não apenas o básico, como acontece atualmente.

Esta e outras propostas, como a criação de escolas independentes geridas por encarregados de educação, levaram a FNE, na altura, a acusar o Governo de lançar «sinais preocupantes de desresponsabilização do Estado» perante a educação.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/06/sobre-a-municipalizacao-2/

7 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Asdubral on 8 de Junho de 2014 at 16:08
    • Responder

    Ainda não perceberam?O Estado quer livrar-se da educação pública fazendo como a Suécia fez privatizando-a em termos municipais.Claro que as autarquias recebem de presente as escolas e os seus funcionários.Quem for amigo e do partido do Sô presidente fica,os restantes ou andam muito caladinhos ou desemprego e futuro a mendigar.Não falando ainda na criação de escolas de elite e de gueto.Portanto votem nos partidos com assento na Assembleia da República que vão ver como os professores levam um acento exdruxulo.


  1. He, he, he! A FNE anda sempre a lixar o pessoal, então agora vai dar uma mãozinha na municipalização discordando de uma coisinha mas concordando com a generalidade da política. A culpa de ainda haver FNE é nossa, desvinculem-se desses traidores já.


  2. Espero que apenas queira participar.
    Caso participe, estamos mesmo lixados!


  3. Pertenço a um município que vai ter uma escola municipal em breve.. Falei com um assessor do vereador, de quem sou amigo, que me disse “alguns dos professores contratados que irão lecionar, já trabalham na Câmara Municipal”; “como temos recursos humanos qualificados na Câmara Municipal, estamos a pensar fazer com que os professores cumpram horário na escola e depois completem as suas 40h na Câmara, fazendo o seu trabalho habitual”; “é assim que pensamos fazer para poupar dinheiro e caso haja abertura por parte MEC para o fazer”!!!!!


    1. José, hoje não é dia 1 de abril, espero que esteja a brincar.


  4. “o acesso à aposentação aos 62 anos de idade, desde que os docentes tenham 40 anos consecutivos de descontos” – lol

    • Maria on 10 de Junho de 2014 at 20:51
    • Responder

    Estamos perdidos…


  1. […] Ainda não perceberam?O Estado quer livrar-se da educação pública fazendo como a Suécia fez privatizando-a em termos municipais.Claro que as autarquias recebem de presente as escolas e os seus funcionários.Quem for amigo e do partido do Sô…  […]

Responder a Plim Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog