Para Quem Está Indeciso em Concorrer ao Concurso Extraordinário

O preâmbulo do Decreto-Lei nº 60/2014, de 22 de Abril diz no 7º parágrafo:

 

“Por outro lado, pretende-se valorizar especialmente a ligação objetiva dos candidatos ao sistema público de educação, concretizando no exercício do seu trabalho nas escolas, tornando a oposição ao concurso extraordinário condição obrigatória de acesso à posterior contratação a termo resolutivo para a satisfação de necessidades temporárias que entretanto surjam no ano letivo 2014-2015.”

 

Na minha opinião, salvo interpretação diferente, quem reúne condições de admissão a este concurso (artigo 2º) só pode concorrer à contratação para 2014/2015 caso seja opositor ao concurso externo extraordinário.

Contudo, tendo em conta que os requisitos de admissão ao concurso externo extraordinário e ao concurso de contratação são diferentes acho bastante difícil que seja possível controlar esta obrigação determinada no preâmbulo do Decreto-Lei nº 60/2014.

Quanto a datas dos concursos ainda nada se sabe, mas continuo a apontar para o final do mês de Maio a abertura do concurso externo extraordinário e do concurso de contratação para 2014/2015.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/05/para-quem-esta-indeciso-em-concorrer-ao-concurso-extraordinario/

30 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • João Pestana on 20 de Maio de 2014 at 12:47
    • Responder

    A Palhaçada do extra vai continuar…
    Quem vai entrar virá do privado…
    Com papas e bolos se enganam os TOLOS!

      • andalouca on 20 de Maio de 2014 at 16:55
      • Responder

      É lógico que quem entra no extra passa à frente dos com graduação inferir, das ilhotas e dos tristes que desejam a transição de grupo… esses jamais conseguirão!!! Primeiro ainda vão para mobilidade especial…

    • Nuno Coelho on 20 de Maio de 2014 at 13:13
    • Responder

    Arlindo
    o art 9º do DL diz isso.-

      • Nuno Coelho on 20 de Maio de 2014 at 13:37
      • Responder

      Sendo a abertura dos dois simultânea, não será difícil fazer essa verificação.
      Só precisam de verificar se reúnem as condições para o extraordinário.
      Se reunirem estão automaticamente ao concorrer a ele e aa de contratação. Se não reunirem só estão a concorrer para contratação.
      E essa verificação pode ser feita com perguntas com 2 ou 3 opções de resposta

      1. Pode ser, mas acho que essa condição pode criar situações bastante duvidosas. Vamos ver como surgem as perguntas e o formulário de candidatura.

  1. Arlindo para quando é o concurso de mobilidade interna

    1. Provavelmente finais de Julho ou princípio de Agosto. Tendo em conta que os novos vinculados vão ser candidatos a esta mobilidade, o concurso da mobilidade pode estar dependente da data de publicação da lista de colocações do concurso externo extraordinário.

        • Professora on 20 de Maio de 2014 at 18:03
        • Responder

        Uma injustiça e ilegalidade, portanto, certo?

        As colocações da mobilidade interna devem ocorrer o mais tardar a 29 de agosto para que as pessoas possam apresentar-se ao serviço na segunda-feira dia 1 de setembro. Já basta a pouca vergonha de colocações (poucas e a más horas) dos contratados. Ou seja, a mobilidade interna deve abrir a tempo e horas de decorrer com normalidade e da lista de colocações sair a tempo e horas e NÃO ESTAR DEPENDENTE DESSA ILEGALIDADE QUE É O CONCURSO EXTERNO EXTRAORDINÁRIO. Como me parece que não há tempo útil suficiente para se realizar o externo, então que não se realize. O do ano passado iniciou-se a 28 de janeiro e as colocações foram só a 10 de abril (cerca de 2 meses e meio) depois ainda se deu o tempo necessário para aceitação, por isso o interno só abriu a 22 de abril (quase 3 meses depois do externo).

        A probabilidade é o atraso em todas as colocações mobilidade interna e contratação. Por isso, INPUGNE-SE ESTA ILEGALIDADE LOGO QUE ESTIVER ABERTA, matando 2 coelhos de uma cajadada só.

        Para o ano não há concurso interno e externo? Então todos nós teremos a mesma oportunidade: quadro e contratados.

    • Joao pestana on 20 de Maio de 2014 at 20:46
    • Responder

    Será que esta palhaçada não vai ser impugnada?

    • vanda on 20 de Maio de 2014 at 20:49
    • Responder

    Acho que a esta altura não há tempo para 2 concursos. Faça-se a contratação e deixe-se o extraordinário para o ano que vem … aliás para quê extraordinário??? Abre-se concurso interno e externo com as vagas todas e livramo-nos destas artimanhas para colocar gente do privado no público

  2. É mesmo triste ler alguns deste comentários… Vê-se mesmo que são colegas efetivos… Já ando nisto há 14 anos e nunca vejo formas de entrar, pois sou sempre ultrapassada pelos colegas que querem mudar de grupo e com médias e tempo de serviço inferior ao meu… Não me acomodei como alguns de vocês podem pensar… Já percorri muitos quilómetros e sujeitei-me a muito… E este ano vejo a luz ao fundo do túnel que é finalmente vincular… Realmente a nossa profissão está como está pela falta de união… Temos o que merecemos… Cada um a olhar para o seu umbigo… É por essas e por outras que a sociedade nos vê como Mer… Tenham vergonha na cara… Podem ser poucos a vincular, mas pelo menos vinculam alguns…

      • Alves on 20 de Maio de 2014 at 23:46
      • Responder

      Pois é. E se por acaso lhe passarem à frente também vai gostar? Talvez lhe aconteça isso, a pesar do que está a pensar. Para mim isto é uma palhaçada. Um concurso basta e deveria ser anual. Todos deveriam ir a um só concurso, sem aldrabisses.

      1. Desculpe, o colega é vinculado? E depois os contratados é que fazem a PAAC! Use, ao menos o corretor ortográfico !!

      2. Caro colega não deve ter lido com atenção o meu comentário… Pois eu já sou ultrapassada, todos os concursos, por colegas efetivos, com menos tempo de serviço do que o meu e como média inferior à minha… Onde é que está a justiça?! Então pelo menos esta injustiça do concurso extraordinário que me deixe vincular de uma vez, pois como disse já lá vão 14 anos…

          • Professora on 21 de Maio de 2014 at 13:56

          Cara colega, explique-me, se faz favor, como é que tem gente efetiva no seu grupo de recrutamento COM MENOS TEMPO DE SERVIÇO E MENOS MÉDIA? Quando essa gente entrou em funções a colega já trabalhava, não era? Será que não quis concorrer para o “cu de judas” como os outros que afinal foram lá efetivar? E agora pretende que eles continuem no tal “cu de judas” ou com horário zero caladinhos que nem um rato para que a colega efetive. Francamente, usando as suas próprias palavras: tenha vergonha!

          Este externo deveria chamar-se a “cunha legislativa”, pois nem serve para efetivar quem sempre trabalhou no público nem para ajustar os quadros, depois desta austeridade que, sabe-se agora, foi o triplo do previsto.

          • M on 21 de Maio de 2014 at 18:18

          Cara colega “Professora” ao contrário do que pensa e diz eu CONCORRI SEMPRE A NÍVEL NACIONAL. Os colegas que estão à minha frente com tempo de serviço inferior ao meu e média inferior à minha foi porque vincularam no 1º ciclo, a maioria deles perto de casa, enquanto eu SEMPRE concorri ao 2º ciclo A NÍVEL NACIONAL e sujeite-me a ir, e continuo a ir para, o “cu de judas”, portanto se não vinculei não foi por me acomodar, mas sim porque as vagas nunca chegam aos contratados e ficam pelos efetivos… Portanto quem devia ter vergonha de comentar uma realidade que desconhece devia ser a colega… Não quero cunhas, quero apenas justiça, porque mais não seja são 14 anos no serviço público do 2º ciclo e no “cu de judas”, não terá chegado a minha altura de vincular?! Não fale daquilo que não sabe…

          • Lena on 22 de Maio de 2014 at 9:23

          Cara M, a mudança de grupo é ilusão atualmente: não parece ser justificação para não ter vinculado… serão outras as razões…

          • M on 22 de Maio de 2014 at 14:43

          Cara Lena, realmente tem razão. Nestes últimos anos, as vagas não chegam para as mudanças de grupo, quanto mais para os “desgraçados” dos contratados… E num concurso, dito normal, para chegar aos contratados, primeiro tem os colegas que querem mudar de grupo, os tais que digo que têm média e tempo de serviço menor que o meu… Se for às listas do 2º ciclo verifica isso mesmo… Garanto mesmo que não foi por não ter concorrido a nível nacional… Porque como disse como contratada ando há 14 anos longe de casa, e apesar de tudo, sinto-me uma felizarda, pois tenho tido sempre emprego a 1 de Setembro em horários completos… Portanto, só por aí se pode verificar que nunca me acomodei… Mas como disse acho que chegou a altura de vincular…

    1. Eu acho bem que vinculem. Acho mal que passem à frente dos outros.

      • Professora on 21 de Maio de 2014 at 14:02
      • Responder

      O que interessa é vincular, ou seja, os fins justificam os meios. Entram os que entrarem, pois até são poucos e o critério usado não interessa desde que a abranja. Que mentalidade egoísta…

  3. Estes Sindicatos são bem fraquinhos! ABAIXO ESTA PALHAÇADA DE EXTRAORDINÁRIO!

    • António on 20 de Maio de 2014 at 23:50
    • Responder

    O concurso extraordinário é uma manobra de diversão para enganar o povinho.

    • João Pestana on 21 de Maio de 2014 at 7:57
    • Responder

    Mais uma ordinarice é o que é… Sindicatos da TRETA… No ano passado por esta altura paramos as escolas… Agora pelo segundo ano consecutivo vamos ter Extraordinário???? Aparenta ser Ordinário tal a frequência…
    Claro que deveriam passar os professores ao quadro…
    Mas claro que não deveriam entrar antes de permitir mobilidade no próprio quadro…
    O que mais será necessário para justificar uma providência cautelar????
    Se pensarmos que os professores são funcionários de uma empresa… que lógica tem o funcionário pelo facto de já ser funcionário não poder concorrer a um posto nessa mesma empresa?

    • Maria on 21 de Maio de 2014 at 11:31
    • Responder

    Não diz respeito a este assunto, mas não consigo lançar o tema, então aqui vai a pergunta:
    Como se faz para, na plataforma da DGAE, mantermos o ebio atualizado? Já tentei e não consigo. Agradeço desde já alguma resposta

    • Aldónio on 21 de Maio de 2014 at 11:51
    • Responder

    Caros… quando existem mudanças custa sempre e há alguém não beneficiado. E quando as regras do jogo mudam, a meio por exemplo, mais custoso é, como é o caso da vinc.extraord. Para os menos informados/atualizados, a mudança de grupo atualmente é uma miragem: zero ou quase conseguem tal proeza! Os de quadro com graduação inferior não vêm por regra da transição de grupo, que é quase inexistente… provieram de quem concorreu para bué de longe, como as ilhas ou zonas que há uns anos ninguém queria ir… portanto é legítimo que esses tenham prioridade como internos, assim como aceitável os contratados quererem entrar à viva força (na VE p.exemplo) sem terem ido para paletes de distância… Agora, será que é proporcional às vagas quem vai entrar e que está há algum tempo contratado no ensino público? É fazer apostas…

    • Marmelo on 21 de Maio de 2014 at 15:27
    • Responder

    Os concursos devem estar para muito breve pois efetuaram mudanças na plataforma:

    – Os concursos de 2013/14 passaram para o histórico;
    – A ordem no separador “Situação Profissional” foi alterada (curiosamente a PACC passou de 1º lugar para um dos últimos);

    • Maria on 21 de Maio de 2014 at 20:18
    • Responder

    A propósito do tema do post: acho muito bem. Quem quer mesmo trabalhar sujeita-se ao que há. Muito boa gente queria fazer a mesma jogada que sempre fez: concorrer às vagas pertinho de casa. Se ficarem, ótimo; se não, vão a contratação, muito bem graduados, e ficam em casa.
    Assim, acaba-se a mama: querem muito bem, não querem não passam a vida a queixar-se.
    Ah! E preparem-se para os milhares de colegas que foram despedidos do privado e que têm mais de vinte anos de serviço: esses vão engolir os mais esperançados… E depois vão engolir os do quadro…

      • a proxima on 21 de Maio de 2014 at 21:08
      • Responder

      Essa é que é. Os do privado vão-nos todos passar à frente. Eles é que se vão rir!!

    1. Subscrevo

        • jáfoste on 22 de Maio de 2014 at 23:16
        • Responder

        Os não do ensino público (pré/1.º/2.º/3.º/secundário); como do privado ou ensino superior vão rir, rir e gozar “para quê o esforço de ir pra lá além se tenho a porta do cavalo!”

  1. […] e a informação que coloquei neste post não se verifica ser correta, já que está a ser possível aos docentes que reúnem condições […]

  2. I liked your blog very much.

    I want to thank you for the contribution.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: