Só Vejo Uma Justificação

… para as listas provisórias da mobilidade interna terem sido publicadas com os docentes indicados na ICL1, conforme consta do comunicado de imprensa do MEC transcrito em baixo.

Como tem de existir um prazo de cinco dias úteis para as reclamações, que ocorrem nos cinco dias úteis seguintes à publicação das listas provisórias (provavelmente será entre o dia 16 a 22 de Agosto), seria quase impossível que existisse tempo suficiente para terminar a lista provisória com os dados da ICL 2 de forma a haver colocações em 30 de Agosto decorrendo pelo meio uma fase de reclamação.

Fica aqui a justificação do MEC para mais uma vez dizer que é boa vontade sua a publicação desta lista.

 

A Direção Geral da Administração Escolar disponibiliza hoje as listas de professores de carreira admitidos ao concurso de mobilidade interna para o ano escolar 2013/2014. Após validação das candidaturas foram considerados um total de 24.544 docentes dos quadros a concurso.

As listas provisórias refletem os docentes que concorreram à mobilidade interna. Nesse número estão os docentes que, tendo horário, querem mudar de escola temporariamente (DAR – 6.217 candidaturas válidas),  docentes que são Quadros de Zona Pedagógica (QZP – 11.412 candidaturas válidas) e que obrigatoriamente vieram a concurso por ser o início de um novo ciclo de quatro anos, e os docentes que sendo dos Quadros de Escola ou de Agrupamento (QA e QE) não tinham, à data da candidatura, a garantia de componente letiva (DACL – 6.915 candidaturas válidas). Entre estes últimos, estão a ser retirados todos aqueles a quem as escolas entretanto já atribuíram serviço letivo, bem como todos aqueles que até ao final de agosto terão destacamento por doença, os destacados para o desempenho de funções em organismos ou instituições e em serviço nos sindicatos (mobilidade estatutária).

Estas listas provisórias destinam-se a confirmar e divulgar os dados dos candidatos. Por outro lado, as escolas puderam indicar até ao final do dia de ontem os horários que necessitam que sejam preenchidos para o próximo ano letivo. Assim sendo, só as listas finais, a serem publicadas no final do mês de agosto, indicarão a colocação desses docentes constantes nas listas provisórias nos horários referidos pelas escolas.

Sublinhamos que este ano, por ser ano de Concurso Nacional, que se realiza de quatro em quatro anos, os docentes dos Quadros de Zona Pedagógica participam neste concurso de mobilidade, integrando o número total de candidaturas (24.544). Este facto não permite, por isso, estabelecer qualquer paralelo com os números do ano anterior.

Este é o segundo ano em que, no cumprimento do decreto-lei publicado por este Governo, que estabelece as regras dos concursos de professores, e numa lógica de total transparência, foram divulgadas estas listas no portal da Direção Geral da Administração Escolar.

O MEC realça o trabalho realizado pelas escolas, pelos Srs. Diretores e Presidentes das Comissões Administrativas Provisórias dos  Agrupamentos de Escolas e Escolas não Agrupadas em todo este processo.

Lisboa, 14 de agosto de 2013
Gabinete de Comunicação do Ministério da Educação e Ciência

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2013/08/so-vejo-uma-justificacao/

99 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • anabela on 14 de Agosto de 2013 at 22:25
    • Responder

    Boa noite.

    Na lista provisória de ordenação aparece a seguinte legenda para os candidatos com *:
    * Candidato ordenado em resultado da 1.ª prioridade da Mobilidade Interna [alínea a)]. Caso se verifique a existência de componente letiva e se mantenha a concurso será reordenado na 2.ª prioridade da Mobilidade
    Interna [alínea c)], aquando da lista definitiva.

    A minha dúvida é a seguinte: caso ter sido atribuída componente letiva no agrupamento( ICL 2) e, mantendo-se o candidato a concurso na 2ª prioridade, se não obtiver colocação nessa segunda prioridade, regressa ao seu agrupamento onde lhe foi possível atribuir componente letiva (ICL 2) , certo?

    Obrigada

      • Lara on 15 de Agosto de 2013 at 0:10
      • Responder

      Certíssimo. Se não conseguir destacar na aproximação à residência (ICL 2), vai para a escola de origem…infelizmente

        • Cristina on 15 de Agosto de 2013 at 10:55
        • Responder

        E no meu caso que fui a concurso por DACL e que possivelmente irá surgir um destacamento no meu grupo (na minha escola) por doença, como posso eu ocupar o horário do meu colega?

        Vou eu parar a uma escola longe de casa, quando a minha escola tem um horário para mim gerado por um destacamento por doença?

        • Anabela on 15 de Agosto de 2013 at 15:33
        • Responder

        Obrigada Lara.

        Já agora, vamos ou não ter a possibilidade de, no caso de ter concorrido simultaneamente na 1ª e 2ª prioridade, anular um dos concursos? No meu caso, tendo-me sido atribuído componente letiva, pretendia anular a 2ª prioridade. Será no período de reclamação que se avizinha?

        OBRIGADA

        Anabela

    • geny on 14 de Agosto de 2013 at 22:45
    • Responder

    Afinal onde estão estas listas? Não encontro.

    • anabela on 14 de Agosto de 2013 at 22:50
    • Responder

    Estão aqui:

    http://www.dgrhe.min-edu.pt/_main/listas_prov_MI/C_MI_Prov_Ord_Exc.html#lista

    • Hugo on 14 de Agosto de 2013 at 23:02
    • Responder

    Apenas um desabafo…Sou QAE e tenho 500 QZP à minha frente, com graduação muito inferior.Lamentável. Segue queixa para o provedor de justiça.

      • Nuno M on 15 de Agosto de 2013 at 0:00
      • Responder

      Só lhe incomodam os QZP? Ou também sente incomodo com os DCAL QE/QA? Deve também ter alguns menos graduados à sua frente. Considera os QZP’s professores menores? Eu sou QZP quer trocar comigo? Esta conversa revela como, infelizmente, esta classe, que é a minha, é medíocre. Qual é o seu problema de os QZP estarem à sua frente? Se estão à sua frente é porque você tem horário na sua escola coisa que os QZP’s não têm. Desde 2009 que os QZP estão formalmente extintos, logo no concurso de mobilidade são considerados horários zero concorrendo na 1ª prioridade. Você tem horário na sua escola e quer mudar para outra, é legitimo, no entanto quem não tem horário deve ser colocado primeiro. Isto não tem dúvida nenhuma e é do mais justo, pois sempre foi assim, os DACL serem colocados na primeira prioridade, o concurso de afetação acabou para QZP’s desde 2009. Mas o umbigo de certas pessoas é do tamanho do mundo……..

        • Hugo on 15 de Agosto de 2013 at 9:40
        • Responder

        Está a brincar comigo? Existe uma graduação que não foi respeitada. Ponto final. Onde estava o sr. quando me desloquei ano após ano para terras remotas? Provavelmente a acabar o curso. Fomos obrigados a vincular. Não é possível que um colega que tenha menos 10 valores de graduação me passe à frente.E já agora, considera os contratados profs menores?

          • Nuno M on 15 de Agosto de 2013 at 12:45

          Não não estava acabar o curso. Esse é o tipico argumento dos ressabiados – eu sou o melhor, todos os outros não se me comparam e já ando nisto há muito tempo. Também vejo que os seus argumentos são altamente elaborados, andam à volta do seu umbigo.
          O meu grupo está fechado há anos. Não há vagas. No período das vacas gordas para todos os grupos o meu já estava fechado. Quem entrou nos quadros na minha altura, há 15 anos, tinha de ter pelo menos 15, 16 de média de estágio e não 10 e 11 como acontece em muitos grupos.
          Há muito que defendo que se deve resolver este problema dos QZP, colocar os docentes numa escola e depois se for DACL, estaríamos todos na mesma condição. Qual seria a sua posição se a sua escola fosse extinta? provavelmente exigiria ser candidato na 1ª prioridade na 1º parte do concurso, tal como acontece agora, o que eu acho muito bem.
          Não percebo essa dos contratados, explique lá melhor. Já percebi que para si são todos menores, com a exceção do seu ego.
          Esta conversa das graduações coloca em causa a lógica concursal como está desenhada. Na sua lógica o que deve contar é a graduação pura e dura. Assim é no concurso nacional de 4 em 4 anos e muito bem. Mas a 2ª parte, mobilidade interna, tem outras caracteristicas.
          Refutando o seu argumento, proponho que contasse não só a graduação mas o percurso profissional, o nível de estudos alcançado, obras publicadas, estudos realizados, cargos desempenhados no sistema, etc, etc… Mas isso provavelmente não lhe interessa. A mim também não, embora me beneficiasse imenso, pois traria mais injustiças. A forma como o concurso está desenhado, podemos não concordar neste ou naquele ponto, é o mais justo que existiu até agora. Deixou de haver DAR, DACL e passou a existir apenas mobilidade interna. Quem não tem horário concorre na 1ª prioridade, quem já tem e quer mudar, concorre na 2ª prioridade. Penso que é justo e simples.
          O dia que o colocarmos em causa por motivos de egocentrismo abre-se espaço às mais iníquas tropelias que farão das 1ª e 2ª prioridades um paraíso a alcançar para todos. Depois quando os concursos forem ao nível de escola ou municipal do que se vai queixar? Que o amigo de fulano de tal lhe passou à frente como já acontece com os contratados?
          Pense mais além do seu ego homem!!!!

      • Tete on 15 de Agosto de 2013 at 0:04
      • Responder

      Eu ainda estou pior. No meu grupo poderia ser a primeira porque sou a que tenho mais graduação, mas com os horários zero e QZPS sou o número 373

        • Filipe on 15 de Agosto de 2013 at 0:16
        • Responder

        Contente-se por já ter horário…

      1. Que grande palerma…tem horário e ainda se queixa. Esta gente só pelas asneiradas que diz deviam ser corridas a pontapé do ensino e sem indemnização alguma para ver se ganham vergonha nas fronhas.

      • Filipe on 15 de Agosto de 2013 at 0:15
      • Responder

      Deixo-lhe aqui a informação que os docentes em QZPs são professores dos quadros, tal como o excelentíssimo QE Hugo. São professores dos quadros sem componente lectiva e por isso, CONCORREM EM 1ª PRIORIDADE como qualquer professor dos quadros. PERCEBEU! Se os QZPs não pudessem concorrer em 1ª prioridade quando estão nessa situação, seria criada uma desigualdade e os professores em QE sem horário também não poderiam concorrer nessa prioridade, visto o VÍNCULO LABORAL SER O MESMO. Lamento que se sinta lesado mas o provedor da justiça vai pegar na sua queixa e deita-la para o lixo. Você é como aqueles que pelo facto de serem titulares se julgavam superiores aos demais, o que é lamentável e vergonhoso. Tenha vergonha…

        • João Silva on 15 de Agosto de 2013 at 1:29
        • Responder

        Isso não é de todo verdade. Quem quis colocação em quadro de escola teve na maioria dos casos de se deslocar para zonas do país com vagas, normalmente no interior, na maioria longe das residências dos docentes. E não havia o direito de aproximação à residência no ano do vínculo. Muitos colegas e amigos meus preferiram comodamente manter-se a contrato ou entrar quando possível no QZP de conveniência, para tirar partido agora da entrada em quadro através concurso extraordinário ( nenhum qzp de Lisboa colocou escolas do interior para tentar efectivar) e ficar numa escola melhor que muitos professores com horário zero e que já andaram pelo país fora. Isto não faz de ninguém melhor, pior ou diferente. De qualquer maneira aconselhava a que lessem as alíneas a) b) e c). Isso esclarece e modifica a situação.
        Boa sorte a todos.
        JS

          • Filipe on 15 de Agosto de 2013 at 4:57

          Foram as regras do jogo. Foi, vinculou e agora tem de aceitar o lugar.

          • Calica on 15 de Agosto de 2013 at 10:59

          A vida é feita de escolhas e essas escolhas têm consequências, às vezes boas às vezes más, mas são as consequências das NOSSAS escolhas e não podemos culpar terceiros pelas consequências das escolhas que nós fizemos. Teve sempre a opção de escolher o outro caminho não o fazendo resta-lhe arcar com o que esse caminho lhe trouxe e não insultar quem quer que seja por esse facto.

      • Filipe on 15 de Agosto de 2013 at 0:21
      • Responder

      Já agora, antes de fazer a queixa e passar por palerma, informe-se das diferenças entre os vínculos laborais dos QZPs e QE. Se calhar descobrirá que não há diferenças e que o que pretende é acabar com a 1ª prioridade, o que é absurdo… Se lhe incomoda o facto de QZPs também pertencerem aos quadros e lhes ser aplicada a mesma regra, recomendo-lhe uma ida ao psicólogo da sua escola porque sofre do síndrome da inveja crônica.

        • Eusocar on 15 de Agosto de 2013 at 0:30
        • Responder

        Vê algum problema em haver apenas uma prioridade onde estivessem todos ordenados pela graduação profissional?

          • Filipe on 15 de Agosto de 2013 at 0:55

          Quer acabar com a 1ª prioridade? É isso? Não sou a favor.

          • toino on 15 de Agosto de 2013 at 9:05

          Aprovo. Se somos todos do quadro porque tem de haver prioridades?

        • Hugo on 15 de Agosto de 2013 at 9:43
        • Responder

        Inveja crónica? Quando centenas de colegas com menos 10 valores!!! de graduação me passam à frente é certamente uma questão de inveja.

          • QZP ultrapassador de QE/QA on 15 de Agosto de 2013 at 15:01

          Epá! O que é que queres que te diga se não isto?

          https://www.youtube.com/watch?v=Ez2J30qNUXM

          • Pois on 16 de Agosto de 2013 at 0:11

          menos de 10 valores de graduação. ONDE? A música serve na perfeição para ilustrar a sua parvoíce. Só um parvo escolheria este exemplo.

      • Maria on 15 de Agosto de 2013 at 0:34
      • Responder

      Que tipo de queixa vais fazer? Em que moldes. Pois eu tb estou revoltadíssima. Ver QZP’s com graduação muito inferior à minha bem ordenados, logo futuramente bem colocados.

        • Eusocar on 15 de Agosto de 2013 at 0:48
        • Responder

        Maria, veja este endereço e, se estiver de acordo, assine.
        http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2012N24260

          • Pois on 15 de Agosto de 2013 at 0:55

          A petição dos frustrados!

          • Filipe on 15 de Agosto de 2013 at 0:57

          Acho que esta petição vai juntar os professores ridículos! Até vou gostar de saber quem são os BIs e os nomes deles… LOL

          • Pois on 15 de Agosto de 2013 at 1:07

          Aconselho todos os QZPs a irem a essa petição e assinarem com nomes e BIs falsos e escrever uma mensagem aleatória e difamatória… Só assim acabaremos com esta petição e com esta guerra que cria divisões ridículas criadas por interesseiros.

      • Jorge on 15 de Agosto de 2013 at 0:36
      • Responder

      Também me acontece o mesmo… 4 anos já dava para ter corrigido isso. Havendo uma lista graduada, não sei como o MEC justifica estas prioridades. Também vou reclamar…

        • Pois on 15 de Agosto de 2013 at 4:50
        • Responder

        reclama para o raio que te parta… que bestas!

          • Jorge on 15 de Agosto de 2013 at 9:46

          Como não te identificas e utilizas uma linguagem que roça o boçal, calculo que o teu nome seja Cretino. Pois caro Cretino, estás muito nervoso e desorientado. Estuda, lê um pouco e tenta adquirir valores. Vais ver que um dia te levam a sério o que não acontecerá agora por muito que te ponhas em bicos de pés… Relaxa.

          • Pois on 16 de Agosto de 2013 at 0:16

          Jorge, não tenho problema nenhum em identificar-me. Não o farei aqui por motivos óbvios, mas terei todo o gosto em combinar consigo um modo de trocarmos a identificação. Dê-me um canal privado de comunicação e verá que rapidamente me conhecerá e que não me refugio de nada nem ninguém. E a falta de valores aqui não começou pela minha pessoa. Estude a cronologia temporal destas mensagens e verá que não fiz aqui mais nada que responder a mensagens separatistas e idiotas.

          • Jorge on 20 de Agosto de 2013 at 22:45

          Pois eu não tenho problema em identificar-me aqui ou seja onde for. Não foi nada correta a tua resposta. Se me sinto lesado, tenho todo o direito de reclamar. Repara que antes de ser QA fui QZP. Nada tenho contra qualquer colega mas, por muito que tentem, ninguém me convence a entender justo haver prioridades distintas (apenas o compreendo para os QA que ficaram sem horário por fusão de escolas). Mudar as regras do jogo a meio nunca foi justo. Não teria concorrido a QA se soubesse que, pelo menos por 8 anos seguidos, ia ver um colega QZP (600 lugares atrás de mim) na minha escola de eleição e eu a mais de 100kms de casa. Não há razão nenhuma para não se respeitar a lista graduada. Qualquer QZP com mais tempo de serviço do que eu deverá estar à minha frente, claro. Caso contrário não concordo, de todo. Vê como um QZP ou um QAzero pode passar à frente de alguém com mais 20 anos de serviço… Justo??? Não… Ainda para mais, antes de ser QZP tive de esperar 3 anos até poder sequer concorrer aos quadros e, no ano a seguir, fui logo ultrapassado pois já não era obrigatório. De injustiças estou eu farto. Jamais deixarei de as expressar pelo facto de não as apreciarem ou de recorrem ao insulto. Adicionalmente, a minha indignação não tem nada a ver com colegas mas sim com o concurso. Por outro lado, este teu comentário já se aceita enquanto o anterior…

    • geny on 14 de Agosto de 2013 at 23:15
    • Responder

    Obrigada Anabela, já encontrei…

    • maria on 15 de Agosto de 2013 at 0:14
    • Responder

    dividiram a classe e assim reinam.
    infelizmente gora é só novidades tristes.

  1. QZP da 1.ª prioridade, que não sabe o que vai ser da sua vida a partir de 1 de setembro, troca com QE/QA da 2.ª prioridade, zangado com as injustiças (!) do concurso. Façam as vossas propostas! Escolherei a que mais me convier.

  2. Incrível petição! E para os QA/QE da 1.ª prioridade não vai nada, nada, nada?
    (Vergonha!)

      • Pois on 15 de Agosto de 2013 at 1:28
      • Responder

      Aconselhei a todos os QZPs irem a essa petição e assinarem com nomes e BIs falsos e escrever uma mensagem aleatória e difamatória… É uma guerra vergonhosa e só assim se combate!

        • Caçdor De Bestas Quadradas on 15 de Agosto de 2013 at 3:54
        • Responder

        Quem aconselha a todos os QZPs irem a essa petição e assinarem com nomes e BIs falsos e escrever uma mensagem aleatória e difamatória, além de demonstrar falta de respeito pela pluralidade de opiniões e pela liberdade de expressão, está a cometer um crime punido por lei. Identifique-se convenientemente e depois repita a façanha. Ou tem medo? Mostre lá o que vale. Pois …

        • Jorge on 15 de Agosto de 2013 at 9:35
        • Responder

        POIS, estás muito longe de parecer professor… Será o pc o dínamo que te dá a coragem para insultares os outros? Fazê-lo sem te identificares só mostra a tua cobardia. Nem quero acreditar que há colegas assim…

          • Pois on 16 de Agosto de 2013 at 0:17

          Identifique-se voce e verá quantos cobardes andam por aqui 🙂

          • Jorge on 20 de Agosto de 2013 at 22:55

          Acho que compreendo o que dizes mas em nada me afecta. Sou Jorge Sousa prof QA de EF e sou do Porto. No meu perfil o mail está visível… Nada digo ou escrevo sem prontamente assumir as respectivas consequências…

    • Jorge on 15 de Agosto de 2013 at 1:31
    • Responder

    Havendo uma lista graduada, por que razão há lugar a ultrapassagens? É inadmissível. Claro que quem beneficia está contra esta petição. Talvez quando se apanharem nas malhas de um próximo ataque (e.g., requalificação) venham apelar à união… Onde está a justiça de um concurso em que quem tem horário acaba por preferir não o ter ficando assim melhor posicionado para efeito de mobilidade??? Saibam colocar-se no lugar de todos…

    • Ana Gomes on 15 de Agosto de 2013 at 1:41
    • Responder

    A questão do QE ou QZP não me parece de todo justa. Somos todos professores, é certo, e nunca me senti superior a ninguém, mas também não sou inferior !! Estou revoltada e esta revolta não é de agora … é que já fui prejudicada algumas vezes (e reparem na ironia da questão) por estar numa posição (a que eu chamaria) cómoda na lista de graduação !!!! Sim, sou do QE e, mais uma vez, irei assistir à colocação de professores com uma graduação inferior à minha a ficarem próximo de casa e eu a deslocar-me 45 km +- !! Justo isto !!?? Só porque tenho uma escola, escola essa que me obriga a fazer 90 km diários !? A questão que se coloca aqui não tem a ver com egoismo ou umbigos, mas sim com justiça !!
    Concordo com o facto ddde professores de QE/QAE concorrerem na primeira prioridade e profs do QZP também, ambos na mesma prioridade, mas cuja colocação será feita em função da graduação de cada um, mas por que razão é que, se o prof. do QE/QAE quiser aproximar-se de casa, já passa para a segunda prioridade ? Ora, claro está que, sendo os profs de QZP colocados antes, já não haverá lugar para os detacamentos !! Resultado: continuarei a 45 km de casa e, mais uma vez, verei pessoas com uma graduação inferior à minha à porta de casa. Ninguém aqui se acha superior a ninguém, ninguém aqui quer ver os nossos colegas sem horário, até porque seria apenas uma questão de atender às preferências de cada um, atendendo a uma lista de graduação que é o resultado de um percurso com dados objetivos !! E todos seriam colocados, só que, claro, provavelmente eu aí já veria uma dessas pessoas colocada à porta de casa a fazer os tais 45 km e eu perto de casa!!
    Já agora outra questão: não sei se recordam, mas há 10 e 9 anos atrás ( se a memória não me falha), sendo eu prof. do QZP, e estando eu numa posição confortável nas benditas listas de graduação, fui colocada a 1 hora de casa, quando outros colegas com uma graduação inferior à minha ficaram bem mais perto!! E isto porquê!? Porque primeiro colocavam os que estavam no início da lista em horários completos, nem que esses horários estivessem a uma hora de casa,e depois iam colocando os restantes professores, em horários incompletos, mas que entretanto acabavam por completar os horários desses profs com uma graduação inferior à minha!! Resumindo: profs. com graduações inferiores ficam melhor colocados que os que apresentam graduações superiores !!
    Então, por favor, alguém que me explique a razão da existência de uma lista de ordenação !? Não deveria ser tida em conta no momento em que os profs manifestam as suas preferências !?
    Já agora, este ano tive que concorrer por ausência da comp.letiva e nem sequer me dei ao trabalho de pedir destacamento (tal como fiz há 4 anos), já que sei que não tenho qualquer hipótese de me aproximar, pois as vagas que existem serão ocupadas por profs muito abaixo de mim na bendita lista de graduação!! Claro que estes profs não irão reclamar, tanto mais que ficam onde querem e, claro, … eu terei que me conformar … porque afinal (como foi referido num dos comentários) tenho escola !! Tanto tenho que este ano até tive que concorrer !! Se não fosse tão dramático, até daria para rir !! Pois é, Hugo, o meu desabafo foi um pouquinho maior !!

      • Prof on 15 de Agosto de 2013 at 1:53
      • Responder

      Se tem escola, não se queixe!

        • Alijó on 15 de Agosto de 2013 at 12:44
        • Responder

        Que argumento mais ridiculo.

        • Sandra on 15 de Agosto de 2013 at 21:21
        • Responder

        O argumento do Prof é ridículo. Têm que existir critérios justos. E os menos graduados não podem ser privilegiados como estão a ser. Ficam perto de casa sem grandes despesas.

    1. Limite de 60 km para todos e não se fala mais nisso!

      • toino on 15 de Agosto de 2013 at 9:13
      • Responder

      A minha situação é igual Ana. Penso que uma única lista seria o justo.

      • ana on 15 de Agosto de 2013 at 10:28
      • Responder

      Ana concordo completamente com o que disse e também penso que uma única lista seria a melhor solução para muitas injustiças.

    • Maria on 15 de Agosto de 2013 at 1:42
    • Responder

    Colegas QA/QZP/CONTRATADOS:
    Lamento tanta agressividade nas respostas às opiniões e desabafos de cada um de nós, (TODOS PROFESSORES!) num ano tão angustiante e de tantas atrocidades para com a nossa classe. Se não nos respeitarmos mutuamente ninguém o fará.

    Agora quero deixar também o meu “desabafo”:

    – Colegas QA têm de facto o mesmo vínculo que colegas QZP;

    – Colegas QZP, nesta fase, nunca tinham horário atribuído, mesmo nos moldes da extinta “afetação”. Pertenciam a uma zona e concorriam para afetação a uma escola dessa zona em igualdade de circunstâncias com os QA que pretendiam aproximação. Só em finais de agosto estavam em circunstâncias de ter horário porque, até lá, tinham uma “Zona”. Os colegas QA tinham uma escola e um horário.

    – Atribuir a designação “ausência da componente letiva” é um “arranjo” feito pelo MEC para dar aos colegas QZP a oportunidade de obterem colocação numa escola (estando na 1ª prioridade) com o objetivo de concretizar a extinção dos QZP, com a qual (extinção) concordo. Não é, portanto, a mesma situação que a de um colega QA, que nesta fase teria sempre um horário atribuído e que, dadas as circunstâncias atuais, muitos deixam de ter. Estes sim, têm de facto “ausência de componente letiva”

    – É perfeitamente compreensível que um colega QZP com maior graduação esteja à frente de um QA com graduação inferior porque repito, o vínculo é o mesmo. MAS, se o vínculo é o mesmo, por que razão haverá de ser justo um colega QZP de menor graduação ultrapassar um colega QA de graduação superior? O VÍNCULO NÃO É O MESMO?

    – Assim, talvez todos ordenados de acordo com a sua graduação fosse a maneira mais justa de proceder.

    – Algum QA colocado a 200Km (se não mais) de distância da sua residência, pai ou mãe, que arriscou ser colocado longe da família (como tantos QZP e CONTRATADOS bem sei!) na procura da estabilidade profissional, pode, agora, ver a sua tentativa de aproximação ser ultrapassada por colegas com graduação MUITO inferior, sem se sentir lesado??!!

    • Maria Ferreira on 15 de Agosto de 2013 at 1:49
    • Responder

    Colegas, se se sentem injustiçados deveriam era reclamar por não abrirem as QA/QE necessárias às necessidades do sistema. Se isso acontecesse não haveria estes milhares de QZP a rolar de um lado para outro ao sabor dos ventos dos concursos.

      • Maria on 15 de Agosto de 2013 at 2:03
      • Responder

      Concordo plenamente que deveriam abrir as vagas adequadas às necessidades mas o facto de não abrirem (e todos sabemos porquê!!) não justifica atropelos!

      Leiam a petição proposta por Eusocar e procurem entender as razões ali tão bem justificadas. Se eu tivesse lido antes evitaria o “discurso” que fiz atrás!!!

      http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2012N24260

        • Pois on 15 de Agosto de 2013 at 2:15
        • Responder

        Aconselho todos os QZPs a irem a essa petição, assinarem com dados falsos e a ridicularizarem ao máximo a iniciativa. UM QZP É UM PROFESSOR COM VÍNCULO SEMELHANTE A UM QE, PONTO FINAL!

          • Maria on 15 de Agosto de 2013 at 10:54

          POIS, por essa mesma razão: SE TÊM O MESMO VÍNCULO como pode alguém com menor graduação ultrapassar outro de graduação superior? É disto que se trata e não da questão de quem vale mais, se QZP ou QA. TODOS percebem que VALEMOS todos o mesmo (embora uns usem linguagem digna para argumentação e outros não!!). O que está em causa são situações de colegas com graduação de 28/ 30/40 serem ultrapassados por colegas com graduação de 13!! São Qzp? ok! Tem direito a ter escola? Ok, claro que têm! Então ordenem-se todos pela sua graduação e deixe-se imperar a justiça da ordenação efetiva!
          Algum QZP recebeu da sua escola “cartinha” a indicar “ausência da componente letiva”? Não, porque pura e simplesmente não estão nos mapas de distribuição de serviço de nenhuma escola.Pertencem a todas as escolas dessa zona. Não é artificial dizer-se que são professores sem componente letiva??

        • Maria Ferreira on 15 de Agosto de 2013 at 19:03
        • Responder

        Engana-se. Todos os QZPs receberam um “adeus” das suas escolas e dos seus alunos. Podem ficar colocados em qualquer escola do seu QZP (o meu tem mais de 170 Km^2 e fui obrigada a concorrer para todas as suas escolas) ou até nem sequer ficar colocados. . E se não ficarem colocados vão ser os primeiros no caminho da “rescisão” mesmo que tenham mais graduação que muitos dos QE/QA que mantêm os seus horários.

      • Pois on 15 de Agosto de 2013 at 2:12
      • Responder

      Nada disso… O típico professor português quer é tratar do seu umbigo, que se lixem os outros. Por isso há tanta promiscuidade nas escolas, é só engraxadelas para dar nas vistas. Por isso, se alguém pode ser pisado, toca a pisar… Acabar com os QZPs e abrir quadros nas escolas para eles serem colocados não interessa a essa gente. Preferem antes arrumar com esses colegas para canto!

        • Caçdor De Bestas Quadradas on 15 de Agosto de 2013 at 4:00
        • Responder

        És mesmo uma besta quadrada!

          • Pois on 15 de Agosto de 2013 at 4:48

          e tu és uma besta Pentágona, melhor, Hexágona. Idiota…

          • Prof on 15 de Agosto de 2013 at 6:49

          Você precisava de fazer prova de Acesso a Educação. Cace-se a si, é quadrada que baste.

  3. Como só sou licenciado em ensino, nem contratado estou, a única coisa que me incomoda verdadeiramente é aquele ponto que separa os milhares das centenas… a DGAE devia saber escrever corretamente.

    • Hugo on 15 de Agosto de 2013 at 9:53
    • Responder

    Tenho lido aqui verdadeiros absurdos (professores????). Já tenho horário? E se entrar em horário zero para o ano? Onde estavam aqueles que aqui argumentam e que são favoráveis à ultrapassagem dos QZPs quando percorri Portugal? A acabar o curso ou a começa-lo.

    • Hugo on 15 de Agosto de 2013 at 9:54
    • Responder

    Façam queixa aqui: http://queixa.provedor-jus.pt/Queixas/Start.aspx
    Está na hora de mostrarmos a nossa indignação.

    • Hugo on 15 de Agosto de 2013 at 10:06
    • Responder

    E além do mais , ao concorrer em 1ª prioridade, não ocupava outra vaga pois deixava a minha para alguém.

    • Hugo on 15 de Agosto de 2013 at 10:11
    • Responder

    Ao observar melhor as listas reparo que até os provenientes da colocação em concurso extraordinário me passaram à frente. Sem palavras.

    • Calica on 15 de Agosto de 2013 at 10:19
    • Responder

    Se a lei coloca todos os docentes QA/QE/QZP em pé de igualdade (o que na prática não se verifica) porque não acabar com a obrigatoriedade de concorrer para os QZP (existir apenas um tipo de quadro) e aí, então, só haveria concurso para mobilidade para quem efetivamente pretendesse mudar de escola e respeitando a lista de ordenação/graduação?

    Quanto ao mais, tenho vergonha que pertençam à minha classe pessoas (que não posso considerar professores, pois esses têm a missão de ensinar, formar e também educar) que profiram discursos como os que por aqui tenho visto e lido, sejam quais forem as razões que lhes assistam e que este espaço (muito útil e até imprescindível, quanto a mim) seja desrespeitado e seja lido por muitos, não professores, apenas como modo de diversão ao assistir à baixeza de nível e linguajar de quem era suposto ter um nível de educação superior.

    Há muitas injustiças para todos!

    Dignifiquem a profissão e dignifiquem-se principalmente enquanto seres humanos!

    • toino on 15 de Agosto de 2013 at 10:24
    • Responder

    Mais uma nota para se perceber o significado desta injustiça. No grupo 110 é curioso ver, na lista definitiva ao concurso interno, colegas que aparecem na 4º prioridade, portanto lá para o fim da lista, logo não se sujeitando a ficar QE/QA, a alguns Km de casa, e agora aparecem nas primeiras posições para a mobilidade. Será isto justo?!

      • Hugo on 15 de Agosto de 2013 at 10:31
      • Responder

      Não tenho palavras.

        • Maria Ferreira on 15 de Agosto de 2013 at 13:00
        • Responder

        Os colegas que apareceram na 4ª prioridade no concurso interno foram os colocados no concurso extraordinário. se agora aparecem nas primeiras posições é porque têm uma elevada graduação (leia-se, andaram como contratados no sistema durante dezenas e dezenas de anos). E apesar dessa elevada graduação foram obrigados a concorrer no fim da lista, em 4ª prioridade para não ofenderem ninguém. (E isso não foi injusto? )

  4. Desculpem, colegas, mas o Crato (esteja onde estiver) deve estar a esfregar as mãos de contente ao ler todos estes comentários como eu acabei de fazer. Mais ainda, deve pensar que a greve às avaliações deve ter sido um “sonho mau” que teve … como foi possível tanta “união”????? Devem ter sido os coitados dos quase inexistentes contratados que a fizeram pois QA e QZP odeiam-se! Façam um favor à classe e leiam todos os comentários anteriores, seguidos, e reflitam se é assim que podemos chegar a algum lado!

    • Hugo on 15 de Agosto de 2013 at 10:30
    • Responder

    Por mim, farei a minha parte e aconselho a todos a fazerem o mesmo.
    -queixa ao provedor
    -assinatura de petição
    -denuncia à comunicação social

    Este concurso é do mais injusto que pode acontecer.

      • Calica on 15 de Agosto de 2013 at 10:44
      • Responder

      Cada um pode fazer a sua parte sem atacar os outros!

      A petição faria sentido se estivesse redigida de modo a corrigir a “transitoriedade” da alínea c), enquanto a alínea c) estiver redigida desta forma o “transitoriamente” retira razão aos peticionistas e não se esqueçam que os QA/QE (aos quais eu pertenço e também estou na mesma situação nas listas, o que não me impede de ler objetivamente o que está na lei e a lei não foi escrita por colegas meus QZP, portanto não tenho por que estar contra eles) tiveram já, na primeira fase do concurso, oportunidade de concorrer a agrupamentos ou escolas não agrupadas, nesta fase é um destacamento, transitório e não uma colocação definitiva, logo, nesta fase e tal como a lei está redigida e não sendo a intenção da petição corrigir essa alínea, a mesma está vazia de conteúdo.

      Também já pensaram nos QZP, que estando colocados na escola onde querem, serem obrigados a sair de lá porque a lei os obriga, simplesmente, a concorrer? Como vêm existem injustiças para todos, mas é necessário ler a lei, interpretá-la e agir de acordo com as convicções de cada um mas com fundamentos reais e plausíveis.

      Nos moldes em que a petição está redigida não pode contar com a minha subscrição.

        • Hugo on 15 de Agosto de 2013 at 11:07
        • Responder

        Não estou contra ninguem. A primeira fase do concurso foi uma fantuchada pois não abriram vagas (muito muito residuais). Como disse atrás não posso admitir que seja ultrapassado por colegas com menos 10 anos de serviço que eu. A petição dificilmente será proficua. Acredito mais na opção provedor.

          • Calica on 15 de Agosto de 2013 at 11:19

          Não foi ultrapassado está é a concorrer a coisas diferentes.

          • toino on 15 de Agosto de 2013 at 11:55

          Colega Calica, concordava consigo se não tivesse de ser obrigado a concorrer a QA/QE. Se fosse opção minha concorrer não tinha agora razão. Imagine-se QZP, que por ter sido opositor (OBRIGADO) ao concurso interno ficou colocado a muitos Km de casa. Com certeza gostava de vir para mais perto da sua residência (mobilidade), por que razão tem de concorrer noutra prioridade?

          • Calica on 15 de Agosto de 2013 at 12:06

          Colega Toino, precisamente por isso é que eu defendo que devemos lutar para que passe a existir um só tipo de quadro e aí sim sem prioridades e com uma lista de graduação a seguir sem margem para dúvidas e acabar com a existência de um concurso dentro de outro que é o que esta lei em vigor prevê.

          • Maria Ferreira on 15 de Agosto de 2013 at 19:13

          Hugo: escreve-se “Fantochada” e não “Fantuchada”. E vá dando graças a Deus por não ter fazer a prova de acesso.
          P.S.: E já agora, profícua leva acento agudo…

        • Maria on 15 de Agosto de 2013 at 11:13
        • Responder

        Quem argumenta pela petição não está contra QZPs pois que sabemos que apenas estão a cumprir o que a lei lhes determina. Pelo contrário, manifestam-se contra uma lei que traduz injustiças na ordenação. Não podemos esquecer que o carácter “transitório” pode ir até aos 4 anos e que, durante esse período um colega de graduação superior pode ver-se impedido de conseguir uma aproximação que, neste moldes, é muito mais facilmente conseguida por um colega que eventualmente tem menor graduação. Para QZPs a colocação é também transitória e no mesmo grau de transitoriedade (até 4 anos). Logo, se a transitoriedade é a mesma parece que também fica vazio esse argumento.

          • Calica on 15 de Agosto de 2013 at 11:26

          Quando se lê o que se quer ler e não o que está escrito não é possível ficar-se esclarecido, o único problema é que ninguém nos está a ultrapassar estamos é a concorrer a coisas diferentes. A fazer alguma coisa teria sido quando a lei foi publicada e não agora. As listas estão feitas de acordo com a lei. Façam uma petição para mudar a lei e terão o apoio de todos, agora não podem é dizer que as listas estão erradas, porque não estão, estão é feitas com base numa má lei, mas é a lei que está em vigor (com muita pena minha porque também estou na mesma situação, não podemos é falar em “ultrapassagens e outras coisas no género porque isso não é verdade, o que é facto é que as listas estão feitas de acordo com a lei vigente, salvo algum(ns) erro(s) pontual(is), claro está).

    • Pedro Pereira on 15 de Agosto de 2013 at 10:40
    • Responder

    Ola a todos… Tenho uma questão.
    Apareceu agora na lista de mobilidade uma QZP zona 7 do grupo 520, que não figura na lista de ordenação definitiva do concurso interno externo. É possível?
    A referida candidata aparece agora na lista de mobilidade, mas também surge ao abrigo de um despacho do secretário de estado para o colegio marista.
    Alguem me explica como é isto possível?

  5. Preciso de ajuda numa questão, qd concorri não interpretei corretamente o ponto 4.3 e por isso assinalei (sem saber) que não me queria manter em concurso. A verdade é que quero aproximar-me à residência mas a minha escola retirou-me do concurso uma vez que tinha horário para mim. Neste momento já não posso fazer nada para inverter esta situação? Através da reclamação não posso alterar a opção 4.3 ?

    • Maria on 15 de Agosto de 2013 at 11:57
    • Responder

    Claro que sim, calica, as listas estão de acordo com a lei e foi exatamente isso que eu disse, se é que leu o que eu disse!
    E também disse que nenhum QZP pode ser responsabilizado por elas. Esclareço que sou bem a favor da melhoria da qualidade de trabalho dos QZP. Não esqueçamos que a grande maioria dos QA/QE foram previamente QZP!
    Aliás, acrescento que a maior injustiça de todas está a ser feita para com os colegas contratados esses sim, alvo de um atropelo e desrespeito cruéis em função das medidas governamentais feitas a jeito para criar excedentários!

      • Calica on 15 de Agosto de 2013 at 12:11
      • Responder

      O único problema Maria (e eu não respondo ao que não leio) é que a petição está desfasada no tempo, não podemos reclamar de uma coisa que está conforme a lei, temos é de lutar para mudar a lei. Mas, invariavelmente, só choramos após o leite derramado…
      No momento só nos resta lutar para mudar a lei e evitar estas situações. Mas é antes do próximo concurso e não esperar que saiam os resultados e depois, se não nos agradar, então reclamar.

    • Santos on 15 de Agosto de 2013 at 13:02
    • Responder

    Tenho 39 colegas QZP e QA/QE horário 0 à minha frente com graduação inferior e, como sou do interior norte não vou conseguir aproximar-me de casa neste concurso de mobilidade interna.
    Tive a sorte?? de deixar de ser QZP ao fim de quase 20 anos pois fui obrigado a concorrer a mais de 40 escolas do QZP (3 distritos) e fiquei colocado a 110 Km de casa. Como já estou próximo dos 50 e 25 anos de serviço, estou pior agora do que há 10 anos…
    A diferença é que se a graduação fosse respeitada ficava à porta de casa e assim tenho colegas com menos 10 anos de serviço à minha frente!
    A graduação deveria ser sempre respeitada e a minha vaga seria sempre libertada para outro colega QZP.
    É injusto ser ultrapassado desta forma. Eu fui obrigado a concorrer para todas aquelas escolas…não foi de livre escolha , afinal são 4 anos… e já andei com a casa e filhos às costas no início de carreira…era tempo de terem respeito pelos mais velhos…
    Se não há diferenças de vínculo laboral e somos todos do quadro, por que razão não há uma só prioridade?

    • pretor on 15 de Agosto de 2013 at 13:04
    • Responder

    Começa a selva.
    Em vez de se revoltarem contra quem devem (governo) , revoltam-se contra regras e contra colegas.

    Começa o canibalismo.

      • Pois on 16 de Agosto de 2013 at 0:20
      • Responder

      Finalmente posso concordar com uma mensagem aqui… 🙂

  6. Os QZP são DACL do seu quadro de zona Pedagógica, Não esqueçam que no concurso de Abril, vagas de Quadro eram obrigados a concorrer a todas as escolas do seu QZP, Esta discussão não faz
    sentido…E a graduação está a ser respeitada dentro da mesma prioridade. Eu sou QZP com imensos quadros de escola com graduação profissional muito inferior a minha, vamos ter calma e pensar nos milhares de contratados e na sua angústia por uma colocação…

    • Madalena on 15 de Agosto de 2013 at 14:06
    • Responder

    Só quero saber o que significa esta lista de respescados/retirados. Na minha escola disseram-me que me retiraram do concurso em 13 de Agosto por, entretanto, ter surgido componente letiva, mas o meu nome não está nesta lista pequeníssima e provisória de retirados. Alguém me explica por favor?

  7. Uma questão para o Hugo:

    Imagine que a lista obedece à graduação, sem mais.
    Imagine que foi destacado para uma escola da sua preferência e no seu lugar foi colocado um QZP, ou um QA sem horário.
    Imagine que, no ano seguinte, a escola onde está destacado o informa que não tem horário.
    Qual dos dois, o Hugo ou o seu colega que ocupa o lugar na sua escola de origem, deve ir para a listinha de requalificação?

    Seguindo o seu sentido de justiça, parece-me que deve ser o Hugo.
    É bom pensar em todos os cenários…

    • anabela on 15 de Agosto de 2013 at 16:00
    • Responder

    Esta “mixórdia” de opiniões têm todas um fundo de razão. No entanto, julgo que tudo se resume ao facto de, por um lado, os concursos internos e externos não serem anuais e, acima de tudo, o medo da dita requalificação. Como se pode depreender, essa requalificação, a ser aplicada à Função Pública em geral, torna-se de difícil e injusta implementação na classe docente. Quer queiram, quer não, não se trata de uma posição corporativista, mas sim decorre da especificidade dessa classe. A ser implementada nos moldes atuais, irão surgir injustiças profundas como aquelas aqui relatadas (“ultrapassagens”). Quando, professores com 20 e tal anos de serviços, se virem encostados à parede, enquanto que outros com metade do tempo de serviço, logo menos graduados, se mantiverem ao serviço,(muito ali num agrupamento a pouco quilómetros), aí sim, as coisas poderão aquecer e, na minha opinião, sim, haverá que reclamar. Estar-se-á a assistir ao afastamento de professores sem qualquer fundamentação. Ainda se se tivesse em conta qualquer tipo de avaliação do desempenho.
    Volto a reiterar que, no caso da classe docente, essa requalificação (partindo do princípio que há professores a mais, o que tenho sérias dúvidas), deverá ser repensada. Como pode ser aceitável, um professor com 25 anos de serviço ser “requalificado”, enquanto que outro com 10 anos continuar? Então, o facto de haver uma lista graduada e concursos em que essa graduação prevalece deixa de fazer sentido.

    • Pastor no Monte on 15 de Agosto de 2013 at 17:01
    • Responder

    http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2012N24260

    • sap on 15 de Agosto de 2013 at 19:07
    • Responder

    a minha sugestão é exame a todos os professores (ironia , ironia)

    • ana on 15 de Agosto de 2013 at 19:35
    • Responder

    Depois de ler tantos comentários destes contra aqueles, até tenho medo de comentar mas vou deixar aqui a minha opinião (de contratada, diga-se):
    Eu acho que o mais justo seria uma lista única de graduação, sem atropelos. Já li argumentos que justificam as várias prioridades e argumentos que justificam a lista única.
    Na minha opinião, quem tem maior graduação deveria ser colocado em primeiro lugar, independentemente de já ter escola ou não. Se já tem escola aproxima-se mais da sua residência e deixa vaga aberta para quem está depois de si.
    Também acho que os contratados deveriam ser inseridos nessa lista única e colocados de acordo com a sua graduação. Com isto quero dizer que concordo com a colocação de contratados antes da colocação de professores dos quadros (desde que a graduação fosse superior). Sei que há quem diga: que se estão no quadro e outros não, é porque se acomodaram… Para mim não é justificação. A vida é feita de escolhas. Vai para longe quem decide ir para longe. É uma opção. Eu também fui muitos anos para longe por umas migalhas de tempo de serviço. Foi uma opção minha mas agora considero que foi um erro. Para mim o mais justo é a lista única com todos os professores ordenados pela sua graduação.

    • Mat001 on 15 de Agosto de 2013 at 21:30
    • Responder

    A linguagem de alguns “professores” não me parece nada própria…. aliás é uma vergonha….
    Contudo concordo com a utilização da graduação e não as prioridades até porque se estamos em “igual situação” como se justifica que um QA/QE só seja colocado com 22h e um QZP seja colocado com pelo menos 6 horas?
    Afinal há diferença!!!

    • Ana on 15 de Agosto de 2013 at 21:55
    • Responder

    Hugo, na queixa para o Provedor, qual a entidade a que se deve reportar a queixa?

    • Henrique on 15 de Agosto de 2013 at 22:01
    • Responder

    Assinem mas é a petição dos falsos doentes, esses sim são injustamente colocados.

  8. Os colegas ainda não perceberam que estas prioridades são uma estratégia do MEC. Ora pensem lá comigo…. Se os professores que se querem aproximar à residência concorressem na mesma prioridade que os DACL e os QZP, em principio seriam eles os mais beneficiados por terem maior graduação, os de DACL na sua maioria deixariam de estar em DACL e os mais prejudicados seriam os QZP. Ora da forma construída pelo MEC, os mais prejudicados serão os DACL. Porque de DACL em DACL para os próximos anos, é meio caminho andado para a rua porque não haverá vagas noutras escolas para estes professores . E entre os QZP e estes professores de quadro em DACL.quais é que interessa ao MEC pôr na rua. Claro que são estes últimos, porque em principio são os que ganham mais. Medidas economicistas e estudadas. Por isso não vale a pena estarem com conflitos entre uns e outros, porque esta é a estratégia do MEC e que os sindicatos deixaram passar em claro.

  9. “As escolas puderam indicar, até ao final do dia de ontem, os horários que necessitam que sejam preenchidos para o próximo ano letivo. Assim sendo, só as listas finais, a serem publicadas no final do mês de agosto, indicarão a colocação desses docentes constantes nas listas provisórias nos horários referidos pelas escolas”, refere o MEC em comunicado, sublinhando que as listas servem para “confirmar e divulgar os dados dos candidatos”.

  1. […] « Só Vejo Uma Justificação […]

  2. […] compreendo porque a diferença dos meus números de docentes de QZP nesta lista (11413) diferem dos números do MEC (11412). Os meus estão certos e o MEC não contabilizou este […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: