17 de Julho de 2013 archive

A Música do Blog

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

… para ver e ouvir amanhã. Entretanto, mais a sul também vão acontecer coisas muito boas.

 

… espero que não se lembrem de publicar as listas amanhã ao final da tarde. 🙁

 

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=loXCk_VHA-o]

We Trust “Time (Better Not Stop)”

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/07/a-musica-do-blog-25/

Alguém Quer Imaginar Quais os Motivos Imprevistos

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

… para o MEC adiar a reunião com a Fenprof, para sexta-feira?

 

FENPROF mantém concentração junto ao MEC apesar de adiamento da reunião prevista para hoje

 

 

Será que as listas saem nesse dia?

Isto começar a ultrapassar todos os limites de tolerância para quem tem férias marcadas e pode ser obrigado a fazer novo concurso.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/07/alguem-quer-imaginar-quais-os-motivos-imprevistos/

Critérios de Seleção – Concurso Escolas Artísticas

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Para quem interessar:

 

Aplicação disponível das 10:00 horas de dia 17 de julho até às 18:00 horas de dia 30 de julho de 2013.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/07/criterios-de-selecao-concurso-escolas-artisticas/

Já Sabiamos Que Isto Está Uma Selvageria

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

… só não sabíamos que era preciso confirmar isso no local..

 

Cavaco Silva parte hoje para as Selvagens mas antes recebe Passos

 

 Apesar da crise, Presidente mantém a viagem às Selvagens. Mas promete que permanecerá atento e ligado.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/07/ja-sabiamos-que-isto-esta-uma-selvageria/

Da Reunião Entre FNE e MEC

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Ministério Educação vai corrigir “divergências” entre legislação e negociações

 

 

O secretário-geral da Federação Nacional de Educação (FNE) disse hoje que o Ministério da Educação se mostrou disponível para acolher as sugestões da federação para “corrigir divergências” entre a legislação publicada e o que foi negociado.

“Houve algumas questões que levantámos em relação à completa operacionalização do despacho e aquilo que foi a conclusão das negociações no passado dia 25 de junho. Tivemos oportunidade de manifestar algumas divergências em relação à aplicação da ata de negociações, o Ministério acolheu as nossas observações e vai procurar transmitir informações às direções das escolas para que não haja orientações que contrariem a ata negocial”, resumiu o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva.

O dirigente da FNE falava à agência Lusa depois de hoje se ter reunido no Ministério da Educação e Ciência (MEC) com os secretário de Estado da Administração Escolar, Casanova de Almeida, e do Ensino Básico e Secundário, João Grancho.

Em causa está a aplicação de alguns pontos resultantes da ata negocial que saiu do processo de negociações entre os sindicatos de professores e o MEC, relativo às novas regras laborais a aplicar à função pública, nomeadamente a mobilidade especial e o aumento do horário de trabalho para 40 horas.

Em relação ao despacho de organização do ano letivo e de alguns pontos dedicados à direção de turma, a FNE recebeu hoje da tutela a garantia de que professores de grupos de recrutamento com especiais tarefas na garantia de mecanismos de apoio aos alunos, como os docentes de Português e Matemática, não vão ficar excluídos da atribuição de direção de turma, devido a essas responsabilidades em particular.

A FNE mostrou-se ainda preocupada sobre a forma como a contabilização das horas para atribuição da componente letiva poderia atirar professores do 1.º ciclo do ensino básico para a mobilidade especial.

De acordo com a legislação publicada, os professores que não tenham componente letiva atribuída – um mínimo de seis horas de trabalho com alunos – devem integrar a mobilidade especial. Aos professores do 1.º ciclo não podem ser atribuídas apenas seis horas de componente letiva, uma vez que lhes é atribuída uma turma por ano, o que corresponde a um horário completo de 25 horas letivas.

“Os professores de 1.º ciclo estariam de fora das normas deste despacho e o que o MEC nos disse é que seria encontrada uma solução especial que tivesse em conta o caso destes professores”, referiu Dias da Silva.

Sobre a contabilização dos intervalos nas escolas como componente não letiva a partir do próximo ano letivo, o secretário-geral da FNE obteve ainda a garantia do Ministério de que seriam tidos em conta os casos das escolas em que não existem auxiliares de educação e em que, por isso mesmo, a vigilância dos alunos nos intervalos é assegurada pelos docentes.

De acordo com a FNE, o Ministério comprometeu-se a transmitir às escolas informações no sentido de não permitir que as novas determinações sobre os intervalos se traduzam no desrespeito pelos limites legais dos horários dos professores.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/07/da-reuniao-entre-fne-e-mec/

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog