REUNIÃO DA ANVPC COM O MEC – Recolha de Contributo​s

Com pedido de divulgação.

 

A ANVPC requereu ao Ministro da Educação e Ciência, no passado dia dezanove, um pedido urgente de audiência, de modo a promover uma reflexão conjunta acerca das problemáticas associadas aos Professores Contratados portugueses, dando especial destaque às seguintes:

– Concurso Extraordinário de Vinculação para o ano de 2014;

– Política definida pelo MEC relativa à oferta de Cursos Profissionais na Escola Pública;

– Contratações de Escola: TEIP e Autonomia;

– Regime de concurso 2013/2014 e abrangência territorial no âmbito da manifestação de preferências;

– Regime de Requalificação Profissional;

– Ações judiciais a despoletar junto dos Tribunais Administrativos portugueses e ações já desencadeadas junto da Comissão Europeia/Tribunal Europeu.

Nessa medida, no sentido de preparação da reunião referida e na perspetiva de podermos espelhar, nesse encontro, problemas específicos de todos os Professores Contratados portugueses, gostaríamos de receber as vossas contribuições no que respeita a questões/dúvidas que consideram ser mais relevantes quer nas problemáticas acima referenciadas quer noutras consideradas pertinentes.

Todas as participações deverão ser remetidas para geral@anvpc.org até ao próximo dia 30 de junho de 2013.

A direção da ANVPC

ANVPC – Em movimento pela Excelência, pela União, pela Vinculação

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2013/06/reuniao-da-anvpc-com-o-mec-recolha-de-contributo%e2%80%8bs/

2 comentários

    • Zaratrusta on 25 de Junho de 2013 at 17:59
    • Responder

    Sou professor contratado. Fiz greve no dia 17 e contribui financeiramente para um fundo que foi criado na escola para ajudar os grevistas das reuniões. Ainda bem que o fiz.
    Como se pode ver nas atas, a situação dos contratados foi salvaguardada. Foi garantido que àqueles com 3 ou mais anos de serviço se aplicaria a lei geral; foi reconhecida a sua utilidade durante anos e anos, sem a qual a escola pública não seria a mesma; ficou estabelecida a criação de uma bolsa de professores contratados com prioridade para colocação nos cursos do IEFP; ficou prevista a possibilidade de lhes dar preferência em futuros concursos para a administração pública (local e central), pois têm servido a causa pública durante anos, com esforços pessoais e familiares incalculáveis.
    Enfim, tudo propostas que confirmam aquilo que já se sabia: os contratados não são lixo, quer para os sindicatos, quer para o MEC, que há que varrer para debaixo do tapete.

    • anónimo on 25 de Junho de 2013 at 18:59
    • Responder

    Nesta negociação suplementar a Ordem de Trabalhos era outra e ela não é decidida pelas associações sindicais.Num Estado de Direito existem leis (de negociação sindical) isto não é tudo ao molhe… Mas o não aumento de horário letivo para os do Quadro beneficia indiretamente os contratados.
    TODAS AS ASSOCIAÇÕES SINDICAIS ASSINARAM! Ganhou o Estado/MEC e ganharam os professores!Teve de haver cedências da entidade sindical e da entidade patronal.Até o MN fez assim e desistiu das greves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: