Paz Regressou às Escolas

… até Setembro.

Declarações minhas e do Paulo Guinote para o semanário Sol sobre o entendimento entre MEC e organizações sindicais.

A necessidade de um concurso interno em 2014 ficou testemunhada nesta peça e quem sabe se a partir de agora a “onda” pega e se consiga realizar esse concurso de forma extraordinária para resolver algumas questões mal arrumadas no passado.

[gview file=”http://www.arlindovsky.net/wp-content/uploads/2013/06/SOL-Paz_regressou_as_escolas_ate_setembro.pdf”]

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2013/06/paz-regressou-as-escolas/

14 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Shue on 29 de Junho de 2013 at 12:48
    • Responder

    Uma paz a prazo e com elevados custos.
    A ver vamos qual a batalha que se segue.
    É que, contrariamente ao que a maioria julga, a guerra ainda não terminou!

    • Maria M. on 29 de Junho de 2013 at 13:22
    • Responder

    Não considero que haja paz. Vontade de descansar de um ano com muito trabalhoso, sim. Por mim não estou nada em paz, pelo contrário. O ano letivo está a terminar para o pré -escolar, mas como sou QZP a minha apreensão aumenta: será que vou ser colocada? A quantos km de distancia? Tenho fibromialgia e o que vou ter de sofrer ainda mais para chegar ao local de trabalho? I


    1. Tendo fibromialgia, não tem direito ao destacamento da mobilidade por doença? Se não tem, deveria ter !! Fica na escola que escolher.

        • Maria M. on 29 de Junho de 2013 at 14:04
        • Responder

        Infelizmente esta não é uma doença integrada na lista das doenças Do MEC e não tenho direito a nada. Tenho que trabalhar como se nada se pasa-se. Obrigad pelo apoio, colega.
        .

          • Maria M. on 29 de Junho de 2013 at 14:07

          Peço desculpa pelo erro queria escrever passasse.

    • Joao pestana on 29 de Junho de 2013 at 13:44
    • Responder

    Considero que deveremos verificar como ocorrerão as colocações este ano. Entendo que a requalificação só faz sentido após um período mais extenso. Não exijo concurso interno… Mas seguramente não quero um concurso externo extraordinário…. Se as colocações sao por 4 anos, há que reorganizar o quadro nessa mm lógica. Para que um concurso interno nos moldes deste ano????? Compreendo que os qzp sao gigantescos… Mas deveremos aguardar para perceber a dimensão dos horários 0.

    • Joao pestana on 29 de Junho de 2013 at 13:52
    • Responder

    Acho que chegou a hora de sermos sérios e dizer a quem nos governa os sacrifícios a que estamos dispostos fazer…
    Não havendo dinheiro…. Estaremos dispostos a perder o 13 mês ou receber o mm em divida publica?
    Estaremos na disposição de baixar o salario nos escalões mais elevados? Ou proporcionalmente ao rendimento auferido?
    Seremos capazes de indicar onde poupar na educacao sem ser apenas à custa do nosso ordenado?
    Estaremos dispostos a que?????

    • pretor on 29 de Junho de 2013 at 16:27
    • Responder

    Ainda acreditas na historia do “não há dinheiro” ?
    És mesmo ingénuo.
    Não há para o que lhe convém.

    Provas:
    – “Estado injeta 1100 milhões para recapitalizar o Banif”

    • Maria on 29 de Junho de 2013 at 19:27
    • Responder

    Paz podre, diga-se de passagem. Estou para ver o que vem aí no concurso…

    • Joao pestana on 29 de Junho de 2013 at 21:09
    • Responder

    Vem um número ridículo de efetivaçoes…. Melhor… Mudanças limitadas de escola…. Não há dinheiro mm! Há é, para além do lógico, um investimento em bancos e em negócios escuros…

    • Jorge Costa on 30 de Junho de 2013 at 21:54
    • Responder

    APARTHEID na classe dos professores em Portugal – Estas são as vozes da indignação

    http://porteduca.blogspot.pt/2013/06/apartaid-na-classe-dos-professores-em.html

    • EXTRAORDINÁRIO!!! on 1 de Julho de 2013 at 12:26
    • Responder

    Outro concurso EXTRAORDINÁRIO?! Mais injustiça?! NÃO!!!

    No concurso deste ano quase todos os colegas que efetivaram, tinham mais tempo de serviço do que muitos QZP`S e QE/QA, o que significa que se ainda não estavam efetivos foi porque nunca se sujeitaram a ficar colocados longe de casa. No meu caso, estou efetivo a 300km de casa e estes colegas efetivaram a 20 km… onde está a justiça desta situação!?

    E convém não esquecer, que quem não conseguir efetivar, vai para a mobilidade e será ultrapassado por estes colegas do concurso extraordinário!!! e poderão ficar mais tarde, sem horário e consequentemente sem trabalho.

    O concurso extraordinário só existe para servir os interesses de alguns… defendo um concurso único, como sempre existiu, e que abram mais vagas de QA/QE para suprir as verdadeiras necessidades do sistema… e assim cada um é colocado em função da sua graduação, sem concurso/situações… “EXTRAORDINÁRIO/AS”!!!

    Abraço e boa sorte para todos.

      • João Pestana on 2 de Julho de 2013 at 7:51
      • Responder

      CHEGA DE COISAS EXTRAORDINÁRIAS?

    • João Pestana on 2 de Julho de 2013 at 7:52
    • Responder

    CONCORDO… Raios…
    ESTOU FARTO DE MUDANÇAS DE REGRAS PARA SATISFAZER ALGUNS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: