Dia 17, Dia de Exame Nacional

… à capacidade de resposta dos professores portugueses.

 

Depois da mensagem nº 8 do JNE, existe apenas uma resposta que os professores podem dar – aderir em massa ao dia de greve nacional.

 

Fica aqui o pré-aviso de greve para dia 17 da FNE, o da FENPROF e restantes sindicatos, bem como o anúncio da adesão da Pró-Ordem à greve desse dia.

Como o Acórdão do Colégio Arbitral decidiu não decretar serviços mínimos para o dia 17, a greve mantêm-se nos seguintes termos:

 

convocar uma Greve Nacional para o dia 17 de Junho de 2013, entre as 00H00 horas e as 24H00 horas, abrangendo todos os docentes de todos os níveis de educação e ensino, investigadores científicos, públicos ou privados, seja qual for a natureza jurídica da entidade empregadora, e em todo o território nacional, bem como no ensino português no estrangeiro

 

Por isso, todos podem aderir à Greve sendo que a única penalização que têm é a perda de um dia de vencimento e do subsídio de refeição desse dia.

 

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2013/06/dia-17-dia-de-exame-nacional/

61 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Anónimo on 12 de Junho de 2013 at 23:27
    • Responder

    Qual o sindicato que paga o dia de greve aos grevistas?

      • Também anónimo, mas sou eu on 12 de Junho de 2013 at 23:43
      • Responder

      É o Sindicato dos Professores Só de Nome

      • Maria 25 on 13 de Junho de 2013 at 11:40
      • Responder

      Anónimo eu pergunto-lhe quem paga o salário aos professores dispensados a partir de setembro? Não se convença que a si nunca acontecerá…a não ser que seja um deles, mas mesmo assim não está seguro, ou será dono de algum colégio particular???

    • Adriano on 12 de Junho de 2013 at 23:32
    • Responder

    E se no dia 17 fizesse greve apenas o secretariado de exames? Dessa forma os restantes colegas poderiam atenuar as perdas de vencimento e não precisaríamos de elevados níveis de adesão para que os exames não se reaizassem. Certo?

      • Anónimo on 13 de Junho de 2013 at 0:04
      • Responder

      Vai sonhando.

      • Saruman on 13 de Junho de 2013 at 1:45
      • Responder

      Porque é que há sempre alguém à espera que outro leve a injecção por si?

        • Maria on 13 de Junho de 2013 at 2:17
        • Responder

        O que o Adriano escreveu tem toda a lógica: só nos interessa desestabilizar o processo, não realizando exames e avaliações. Todos os que não são necessários a esse processo e fizerem greve, estarão apenas a dar dinheiro ao estado e a perdê-lo do seu bolso. É aqui que a atual luta se diferencia, é pela sua eficácia concreta: não interessa o simbolismo dos elevados números de adesão à greve (e as habituais guerras ridículas de nºs), interessa o grau dos “danos” causados. É crucial que os professores se foquem nisso!

          • Maria on 13 de Junho de 2013 at 2:29

          Explico-me até um pouco melhor: suponham que no dia 17, 80% em média dos professores de cada escola onde há exames fazem greve. É uma adesão bastante razoável. No entanto, convocando todos os professores, os 20% que não fizeram greve são suficientes para as vigilâncias. Conclusão: o governo arrecada o dinheiro que não gastou nesse dia com os grevistas e ainda se vem vangloriar que os exames se realizaram. Agora suponham que fazia greve o 1% do pessoal essencial aos exames (como os do secretariado). O governo não arrecadava esse montante, e os exames não se realizavam mesmo. O que é que teria mais impacto? Deixo à reflexão dos colegas… (declaração: vou fazer todas as greves que o grupo responsável pelo escalonamento das mesmas na minha escola me solicitar; não me interessa o dinheiro que vou perder ou não, interessa-me a eficácia concreta do ato)

        • Adriano on 13 de Junho de 2013 at 11:04
        • Responder

        Caro (a) Saruman, eu faço parte do secretariado de exames da minha escola. Eu tomo as minhas próprias injeções. Não havia nexexidade 🙂

          • Maria25 on 13 de Junho de 2013 at 11:47

          Colega Adriano, seria bom que todos os professores do secretariado de exames fizessem a mesma leitura, mas como sabe esse conhecimento só teremos no dia 17. Daí a mobilização e a realização da greve ter de ser assumida por todos.
          Não está em causa apenas um dia de greve para contrariar a mobilidade especial ou o aumento das horas de trabalho. ESTA EM CAUSA A ESCOLA PUBLICA E UMA CONQUISTA DE ABRIL CONSAGRADA NA CONSTTUIÇÃO, uma escola para todos e não apenas para as elites.

    • Eumesma on 12 de Junho de 2013 at 23:38
    • Responder

    Quem fizer greve tem que aparecer na escola? (é a minha dúvida e, julgo que a de muitas outras pessoas)

    1. Não é necessário

        • Ricardo on 13 de Junho de 2013 at 8:18
        • Responder

        E é necessário avisar no dia anterior? Como sabem que faltei por greve?

    • novato on 12 de Junho de 2013 at 23:39
    • Responder

    ja ouvi varias opinioes e precisava de esclarecimento. no dia de greve temos ou nao que informar o diretor q fazemos. ou basta nao aparecer na escola?

    1. Não é preciso informar ninguém.

      • Velhote on 13 de Junho de 2013 at 0:19
      • Responder

      Não se preocupe que alguém irá informar a contabilidade para não lhe pagar o dia.

    2. Porra !não tem que avisar nem escrever em lado nenhum não necessita de comparecer na escola.
      Eu não acredito que os professores tenham destas dúvidas parecem as perguntas da revista Maria, será que porque olhei para ele posso estar grávida? por amor de Deus nosso senhor.

        • Maria on 13 de Junho de 2013 at 2:18
        • Responder

        ahahah! muito boa!

        • Maria on 13 de Junho de 2013 at 18:49
        • Responder

        Hahahaha! Ó pf, está me grande! 😀

          • Maria on 13 de Junho de 2013 at 18:49

          Leia-se em grande!

    • Marco Lopes on 12 de Junho de 2013 at 23:47
    • Responder

    Isto vem com um ano de atraso, este ano são menos 15000 a poder fazer greve, essa é que é essa!

    • Eumesma on 12 de Junho de 2013 at 23:51
    • Responder

    E quem tem aulas de apoio para preparar os alunos para os Exames, como é que é? Faz greve à vigilância do exame e dá as aulas?

    1. A greve é pelo dia inteiro.

    • FarinhaDoMesmoSaco on 12 de Junho de 2013 at 23:58
    • Responder

    Não podemos desistir!!!

    • Mesmaeu on 13 de Junho de 2013 at 0:06
    • Responder

    E quem paga o dia da greve?

      • Saruman on 13 de Junho de 2013 at 1:46
      • Responder

      Espero que para o ano não esteja sem ordenado durante 365 dias

      • vasco on 13 de Junho de 2013 at 11:34
      • Responder

      Opah, mas vocês não sabem o significado da palavra greve… fosgasse

      http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=greve

      Os dias de greve pagamos nós todos! Assim como pagamos uma fatura que não é minha nem tua, é nossa! Quando lutamos, LUTAMOS POR TODOS. o país todo devia parar, e a nossa classe deve mostrar isso. quando há greve de médicos, os doentes também pagam, e quando há greve de transportes?

      • maria on 13 de Junho de 2013 at 13:45
      • Responder

      Espero que para o ano não esteja sem ordenado durante todo o ano. Mesmaeu a luta é feita com sacrifícios, ficar quieta é que não … será que ainda não percebeu para quem serve os sacrifícios, será que ainda não percebeu que tudo irá ficar muito pior; será que ainda não percebeu que tem que sair do sofá é ir á luta; será que aidna não percebeu que poderá, num futuro muito próximo, ficar sem ordenado … deve ler mais jornais, livros de economia e politica internacional.

  1. E a greve às avaliações também é pelo dia inteiro?

    1. não! como já foi dito centenas de vezes, em inúmeras respostas, a greve ás avaliações só desconta as horas das reuniões, mas atenção não podes fazer greve a uma reunião ir dar aulas e no mesmo dia fazer greve outra vez.

    • Maria on 13 de Junho de 2013 at 0:11
    • Responder

    Eu faço greve no dia 17!! O que é um dia a menos de salário comparado com o que já nos retiraram e continuam a retirar. Temos de exigir dignidade à nossa profissão.

      • Semtostãonobolso on 13 de Junho de 2013 at 0:21
      • Responder

      Então não fez greve às avaliações? Se sim, será mais que um dia a descontar no vencimento.

        • Maria on 13 de Junho de 2013 at 9:43
        • Responder

        Sim, fiz greve às avaliações. Na minha escola estamos escalonados. Ainda só perdi dois tempos. De qualquer forma, estou disposta a perder dois, três, quatro, cinco dias…Este momento é de luta e não de resignação.

      • Maria on 13 de Junho de 2013 at 18:51
      • Responder

      É exatamente o que eu penso Maria. É pelo que nos tiraram e ainda vão tirar.

    • Isabel on 13 de Junho de 2013 at 1:20
    • Responder

    Acho que cada um deve fazer um exame de consciência e ver o quanto andam a brincar com os professores. A única coisa que se deve fazer no dia 17, é greve. Isso quer dizer, não ir trabalhar, não comparecer aquilo que se faz num dia normal. não é necessário avisar ninguém. Como é possível saber tão pouco acerca destas questões!!!A única coisa que acontece é não receber salário nem subsídio de almoço desse dia. Pergunto, não nos têm tirado muuuuuuitos dias? O que está em causa é muito mais que isso.

    • Isabel II on 13 de Junho de 2013 at 2:09
    • Responder

    Concordo com a Isabel!! Estive a ver os comentários anteriores e, em alguns casos, até me dá volta aos fígados!! Como é possivel preocuparem-se com um dia de salário quando o que está aqui em jogo é o futuro incerto para muitos e o excesso de trabalho para outros (os medicamentos para curar depressões e esgotamentos vão, de certeza, custar mais do que um dia de salário!) Por uma vez, vamo-nos UNIR nesta luta e colocar de lado mesquinhices!!!

    • ana-amarela on 13 de Junho de 2013 at 7:16
    • Responder

    A opinião pública tem sido trabalhada para se indignar com os professores e apelidá-los de vários impropérios.
    Só uma adesão em massa, absolutamente expressiva, a esta greve de 17 de Junho permitirá repor a verdade quanto à legitimidade das suas reivindicações, pois qualquer cidadão inteligente concluirá que, se os milhares de professores são unânimes em se insurgir contra as medidas governativas em curso, é porque terão razão com certeza, caso contrário tratar-se-ia de uma corporação de doidos a quem seria um perigo entregar a formação de todas as crianças e jovens do país doravante.
    É fundamental que a greve de 17 de Junho tenha uma adesão inquestionável, a bem do prestígio e da dignidade da classe docente.

    • Horatio on 13 de Junho de 2013 at 8:35
    • Responder

    Concordo com o tal 1% do Secretariado…mas não me parece que vá acontecer, pelo menos no agrupamento onde, ainda, estou em funções. Porquê? Porque todas as nomeações e designações estão no bolso da direcção. O coordenador do secretariado é o presidente do conselho geral. Os restantes membros são clones subservientes e etecetera…Eu farei greve!…mas tenho consciência que, independentemente das estatísticas, no referido agrupamento o exame irá avante. Gostaria de ser surpreendida, gostaria sim…

      • micas on 13 de Junho de 2013 at 22:15
      • Responder

      Vai ser surpreendida, todos estamos cansados de ser insultados.

    • António on 13 de Junho de 2013 at 9:17
    • Responder

    O JNE respondeu a uma CAP, telefonicamente, que no dia 17 todos poderão ser substituídos (vigilantes, coadjuvantes, suplentes), EXCEPTO o secretariado, pela especificidade das suas funções e pelo facto de terem sido expressamente nomeados para essa função. Claro que isto não está escrito em lado nenhum mas em caso de dúvida é só questionar o JNE.

    • Susana Taborda de Passos on 13 de Junho de 2013 at 10:35
    • Responder

    Preparam-se para eliminar 3000 professores, só com o fim de duas míseras horas de direção de turma?? – Os diretores de turma deviam ter 4 horas, mesmo assim ainda faziam horas extras contatando os Encarregados de Educação! São 16 mil horas que querem obrigar a trabalhar de graça!!!
    A greve continua!!! Eu faço greve!! Só assim escaparei ao desemprego!

  2. DEDICADOS AOS (AINDA) PROF´S!
    http://www.youtube.com/watch?v=G_BG5yfn3d8

    • Frederico Gastao on 13 de Junho de 2013 at 11:42
    • Responder

    Mas isto é greve apenas aos exames ou a todo o serviço? É que eu tenho aulas com os profissionais que é para repôr aulas de outros dias que faltei. Além disso tenhoa repetição de uma reunião que não foi realizada.

      • ana-amarela on 13 de Junho de 2013 at 12:55
      • Responder

      Dia 17 é Greve Geral, para todo o serviço portanto.
      Eu sou professora de Português, por isso não estou convocada para serviço de exames (porque o exame é de Português), só tenho reuniões de avaliação de 7º ano nesse dia e faço greve com todo o direito.

  3. Na minha escola foram convocados todos os professores! vamos para o portão da escola vestidos de preto, mas não entramos!!!

    1. Vê lá se não aparecem lá os pais vestidos de preto.
      Devem ser mais os pais dos alunos do que os profs. Eheheheheh

    • Shue on 13 de Junho de 2013 at 11:44
    • Responder

    Alguém pode confirmar se o MEC enviou para as escolas um novo (?) despacho onde OBRIGA as escolas a reagendar as reuniões não realizadas num máximo de 24 horas?

  4. Eh pá! Expliquem-me, como se eu tivesse 4 anos, como é possível estarem a ponderar pôr o ónus da greve no pessoal do secretariado de exames…? Mas querem uma coisa massiva ou querem que depois a leitura seja que foram os comunas e os bloquistas a fazerem greve? Que são apenas meia-dúzia e que afinal tudo está bem porque a adesão, apesar de boicotar os exames, foi de apenas meia dúzia de gatos pingados?

    E tal como alguém lá atrás disse, isto deveria ter sido há 1 ano, quando o extermínio dos contratados estava já bem patente. Mas não. Entre as lágrimas de ser horário-zero, havia o sururu que afinal ” ainda ia haver horário”.

    Eu não estou a trabalhar. Se estivesse, duvido que fizesse greve.

    • Raquel on 13 de Junho de 2013 at 11:58
    • Responder

    Venham agora à escola de Vialonga, o Sr. Primeiro Ministro, o Sr. Ministro da Educação, o Sr Presidente da República, a comunicação Social, a população portuguesa, venham assistir a um concerto de um grupo de alunos e do seu professor, que tem 13 turmas, perto de 400 alunos e faz todos os dias um trabalho espetacular, de dedicação, de empenho, de esforço, de luta para ensinar, para dar o seu melhor pelos alunos, pelas gerações do futuro… e deste professor e de tantos que há neste país a trabalhar, a ensinar, a dar o seu melhor, quem fala deles? Quem fala e quem vê os monumentos de Londres em miniatura que estão no agrupamento de escolas de Azambuja e demonstram a dedicação de alunos e professores, que mostram o que de bom se faz na escola pública em Portugal… Quem viu um grupo de professores de educação física no fim de semana em S. Martinho do Porto no encontro final de multiatividades do oeste, com centenas de alunos, quase sem dormir, com as suas viaturas próprias e o seu material próprio e das escolas também, a dinamizar atividades para os alunos… quem viu isto? as pessoas só vêm os “malandros” dos professores de férias, de folga, com pouco trabalho e a ganharem tanto… eu já fiz 300 kms diários a deixar 2 bebés num infantário às 8h e a ir buscá-los às 19h, a gastar metade do ordenado em combustível e a outra metade em infantário… mas o ” malandro” do professor não quer é trabalhar! COLEGAS, LUTEM PELO QUE É NOSSO… A NOSSA PROFISSÃO, A NOSSA ESCOLA PÚBLICA… UNAM-SE!

    • 5ergion on 13 de Junho de 2013 at 12:31
    • Responder

    Mas a imagem é dada por nós!… Como já disse anteriormente, esta convocatória “universal” é uma APOSTA NA DESUNIÃO DA CLASSE DOCENTE… Os nossos governantes apostaram todas as suas fichas na nossa INCAPACIDADE DE MOBILIZAÇÃO TOTAL e SOLIDÁRIA!

    Podemos dar 2 respostas:

    1 – Obedecer como cordeirinhos e dar a vitória aos (des)governantes, sabendo que isso será a MACHADADA FINAL NA NOSSA CREDIBILIDADE E NO RESPEITO QUE A SOCIEDADE ALGUMA VEZ TERÁ POR NÓS!!!

    2 – Dar a resposta mais veemente de que SOMOS FORTES, UNIDOS E SOLIDÁRIOS e que não estamos dispostos a pactuar com a destruição da nossa ESCOLA PÚBLICA… Que a sociedade poderá contar connosco para dizer BASTA… Os nossos alunos estão atentos ao que fazemos… Temos a obrigação de dar o exemplo e de lhes dizer que não podemos ser carneiros e seguir cegamente todas as loucuras que as elites pretendem por em marcha no sentido da escravização e estupidificação das massas!

    NO DIA 17, SEREMOS VISTOS COMO UMA CLASSE FORTE E INABALÁVEL OU SEREMOS A CLASSE DE FROUXOS SOBRE QUEM TODOS “FARÃO CÓCÓ”, DESSE DIA EM DIANTE!!!

    ÀS ARMAS, PESSOAL… Não esperem que o vizinho faça por nós… Temos de ser todos UM!!!

    • tomassilva on 13 de Junho de 2013 at 13:34
    • Responder

    a minha pergunta é seguinte: posso fazer greve parcial, por exº apenas da parte da manhã?Obrigado

  5. O que é pena é que isto veio com 2 anos de atraso. É pena também que a maioria dos contratados que fizerem greve para o ano que vem já estejam desempregados. E para finalizar é pena que as greves sejam feitas desta forma só quando toca ao professores do quadro!
    Boa sorte mas é pena que se lute demasiado pelo próprio umbigo e não pela causa a tempo certo!

    • Manuel Carvalho. Trofa. on 13 de Junho de 2013 at 15:02
    • Responder

    Segundo um comentário que ouvi na TSF, um jurista especializado em direito do trabalho, refere: Todos os professores terão que estar presentes no local de trabalho, para o qual foram convocados pelos diretores, permanecendo aí até ao final da hora marcada para o fim dos exames, e caso adiram à greve, negar-se-ão a realizar a vigilância, dizendo que estão em greve.

    1. ATENÇÃO não é verdade ninguem necessita de ir à escola dizer que está em greve pode faze-lo mas se não quizer não necessita nem tem que permanecer na escola nem assinar nada. A greve é um direito e a convocaç\ao da direç\ao a mando do MEC não é uma requesição cívil

      • micas on 13 de Junho de 2013 at 22:25
      • Responder

      Credo!!! Como é que um jurista não conhece a lei? Alguém acredita que um jurista dissesse isto? Poupem-me…

    • José on 13 de Junho de 2013 at 15:11
    • Responder

    O ministro crato que venha explicar à comunicação social, quem fica com as crianças no dia 17, pois se todos foram convocados, Educadores de Infância também, quem fica com os garotos?

      • isabel on 14 de Junho de 2013 at 0:24
      • Responder

      Sinceramente, e sou do “pré” e tenciono fazer greve. Os educadores de infância fazem parte do sistema educativo, greve é para todos e todos devem fazê-la.

    • Zaratrusta on 13 de Junho de 2013 at 15:30
    • Responder

    Adorei estes comentários.

    Há um ano, eu e mais alguns, fizemos propostas de ações como as que estão a ser tomadas agora. Chamaram-nos loucos; que não se justificava; que iriam perder dias de salário; etc. Não se justificava porque o que pairava no ar era “apenas” a eliminação de milhares de contratados. Agora já se justifica?

    • Maria on 13 de Junho de 2013 at 16:48
    • Responder

    URGENTE: os membros do secretariado podem fazer greve? Há um boato em como temos de comparecer na mesma nas escolas mas informar que estamos a fazer greve se formos chamados, é verdade?

    • Greve on 13 de Junho de 2013 at 22:07
    • Responder

    Eh pá! Parem de uma vez…quem quiser fazer greve faz (não precisa de aparecer na escola, não tem de informar ninguém e faz greve o dia todo); qualquer docente pode fazer greve (seja diretor, secretariado de exames, coadjuvante, vigilante, suplente e afins).
    Já agora, devem ser respeitados os que fazem greve e os que não fazem greve…cada um sabe da sua vida e os que não fazem greve não devem ser condenados nem pressionados a fazer (como já se verifica em muitas escolas…incluindo a minha)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: