Os Malditos Professores

… que são a desgraça do nosso País.

 

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=prAd97FXxRs]

António Saraiva, presidente da Confederação Empresarial de Portugal, acha que os professores devem ser despedidos.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/04/os-malditos-professores/

41 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • salazar on 8 de Abril de 2013 at 23:20
    • Responder

    Este pedagogo eminente deu-me uma ideia: encerramos todas as escolas do país, públicas e privadas e passamos a utilizar o skype como sala de aula a nível nacional. Passamos a necessitar apenas de um professor por grupo. Já viram como este país iria crescer em termos económicos e acabava-se o inssucesso. Bem sei que já existiu a telescola, mas foi um erro acabar com ela, agora vai ser ainda melhor. F++++++++++-se! Já não há paciência!


  1. Este Saraiva dá bitaites sobre os professores como se soubesse do que fala. Nem o Crato diz que há professores do quadro a mais (pelo menos nunca lhe ouvi essa declaração e, por alguma razão, se abriu um concurso extraordinário para vincular 600 contratados!) e vem este tipo dizer que há!!! Já não bastava o Sousa Tavares e agora temos de levar com este!


  2. Este gajo é um iluminado do caraças, temos de lhe dar os parabéns!
    Mas como é que ainda ninguém tinha percebido isto: A culpa do estado da nação é dos professores! Se os despedirmos resolvemos todos os problemas e começamos logo a crescer económica e financeiramente.

    Enfim, o podemos retirar do discurso desta criatura é que demonstra um nível de ignorância gigantesco acerca do sistema de ensino português, e o que mais me aflige é que infelizmente existem mais como ele.
    Deus nos ajude a sair do buraco que energúmenos como este criaram!
    Estou cansado de políticos e da merda das suas políticas, pois são todos uma cambada de aldrabões, interesseiros, cínicos, verdadeiras aberrações que nos desgovernam.

    • Cristina on 8 de Abril de 2013 at 23:57
    • Responder

    MALDITOS!!!!!!


  3. a única coisa que me deixa feliz neste vídeo é de o ver MUITO mais magro……..


    1. arlindo, é favor retirar o comentário….. obrigado

    • De Freitas on 9 de Abril de 2013 at 1:05
    • Responder

    Este senhor demonstra uma crueldade inigualável; é mais um cavouqueiro deste País à mercê de larápios… Enchem os bolsos à custa da classe operária e não dão um chavo à educação… Porque é que este iluminado não fomenta o ensino do português e outras artes e ofícios, aqui e além fronteiras… Mercenários destes arruínam o futuro de Portugal… Por favor, mantenham-se atentos aos próximos voos para a China, Brasil e porque não Chile, etc… porque o futuro dos professores de Portugal foi cancelado por uma “seita”… Adeus queridos colegas que amais a vossa profissão… Já dá saudade o tempo em que se era PROFESSOR…

    • Carlos on 9 de Abril de 2013 at 2:32
    • Responder

    Apenas um pequeno reparo: quem ensinou este homem a ler? a escrever? a fazer contas? a apresentar-se perante um público e discursar? a possuir o que actualmente tem? a ser quem é? Despresa quem o ensinou a dar os primeiros passos. Ele tem de comer e quem o ensinou a comer … será que tem? “o cão que morde a mão do dono, não se acarinha nem se ensina “abate-se”.

    • Alberto Miranda on 9 de Abril de 2013 at 8:10
    • Responder

    Mas este senhor não falou por exemplo nas “rendas excessivas” das empresas produtoras de electricidades ou nos contratos PPP, destacando as chamadas SCUT….já agora, era capaz de dar aulas com trinta alunos dentro de uma sala de aula?

    • Marco Gonçalves on 9 de Abril de 2013 at 8:39
    • Responder

    Este senhor parece que aprendeu em casa a ler e a escrever e todas as outras competências que o levaram ao cargo que ocupa. Ou à semelhança de muitos outros parasitas-políticos que populam as fileiras dos partidos políticos e a administração pública central e local, tiraram o seu curso superior por correspondência ou em instituições de ensino superior particular onde se pode comprar o diploma.
    Deviam ter vergonha e medir as palavras que proferem. Os professores serão sempre um alvo a abater, pois sempre foram, na sua vida enquanto estudantes, pessoas que lhes exigiu regras, rigor e trabalho. Daí o recalcamente a nível psicológico que estas pessoas sofrem. Os docentes foram as únicas pessoas que não compactuando com eles, lhes estipulou regras e metas.
    Depois de ter entrado para a Maçonaria parece que o seu umbigo cresceu desmesuradamente. Agora parece gostar muito mais de si mesmo e de ouvir a sua própria voz.
    Os verdadeiros cortes deveriam ser efetuados na administração local: aí é que se encontram excessivos desperdícios de dinheiro: em colocação de boys, em empresas municipais que só servem para dar emprego a pessoas acéfalas ligas aos partidos políticos. Mas como todas as pessoas já se aperceberam, seria tocar em pessoas dos partidos políticos.
    Uma rigorosa reforma da administração pública terá de passar necessariamente por uma reforma na administração pública local, com a diminuição de municípios. Onde é que se já se viu o Município de São João da Madeira com uma única frequesia (a freguesia da cidade). Os políticos andam mesmoa gozar com a população.
    O fisco deveria ser tão rigoroso com advogados como o é com os restaurantes, funcionários públicos, oficinas de mecânica… Estes senhores ganham milhares de euros num só dia em processos de justiça e raramente declaram a realidade do que auferem. Só se compreende esta realidade pelo facto da maioria dos políticos serem advogados e os próprios partidos políticos estarem intimamente ligados e dependentes com escritórios de advogados.
    Teremos de ser mais rigorosos para com os nossos governantes. Se exigem de nós, devemos também exigir deles.

    • Tem razão on 9 de Abril de 2013 at 9:19
    • Responder

    Todos os professores que não estão a dar aulas estão a mais. O que fazem os profs. que estão com os ditos “projetos”, condições específicas, requisitados e destacados noutros organismos, nos órgãos de gestão? O contribuinte não tem de pagar a quem não dá aulas.

      • David on 9 de Abril de 2013 at 10:08
      • Responder

      Então e esses organismos funcionam com quem?
      E os órgãos de gestão das escolas, quem iria para lá? Já sei, os “gestores públicos”, essa espécie que aparece para acabar com empresas em crise, com o salário de 2 ou 3 professores! Mas não são professores, logo, devem ser pessoas de bem!

      Turmas de 20 alunos e logo vemos se há professores que cheguem!

      • Inês 510 on 9 de Abril de 2013 at 11:16
      • Responder

      Tem Razão, acha bem que existam turmas com 32 alunos no 11º Ano?? Tem filhos??
      Saiba que é muito gratificante para um professor realizar atividades experimentais com este tipo de turmas. Os alunos adquirem conhecimentos rapidamente e de forma consistente…. é ótimo. Eu sei do que falo, por experiência própria.

      Pelo que dá para perceber não sabe o que é o ensino e muito menos como funciona uma escola.

      É VERGONHOSO QUE EXITAM PESSOAS COMO VOCÊ. É POR CAUSA DESTE TIPO DE ATITUDES E PENSAMENTOS QUE CHEGAMOS AO PONTO EM QUE ESTAMOS

    • Tem razão on 9 de Abril de 2013 at 9:20
    • Responder

    Porque razão tem de estar um professor a gerir uma biblioteca?

      • Fátima on 9 de Abril de 2013 at 9:54
      • Responder

      Porque tirou uma licenciatura e depois uma especialização para ser professor bibliotecário!! É um técnico superior altamente especializado. Ou acha que uma biblioteca não é necessária na escola, ou fora dela??? E não, não sou professora bibliotecária….se já estava a pensar que vendia o meu “peixe”…

        • Vencimento on 9 de Abril de 2013 at 10:58
        • Responder

        E o vencimento é como professor(a) ou como administrativa? E rege-se pelo Estatuto da Carreira Docente?

          • ferpin on 11 de Abril de 2013 at 15:54

          Faz ideia qual é o vencimento na carreira de bibliotecário? Com curso superior na área. Os professroes bibliotecários juntaram à sua licenciatura de base uma extensa formação para bibliotecários (poderá haver pontuais excepções)

          VocÊ fala como se dissesse:
          – Ah e tal um professor lá porque é médico está a exercer no hospital.. e E o vencimento é como professor(a) ou como auxiliar de acção médica? E rege-se pelo Estatuto da Carreira Docente?

          Mostra que para si um bibliotecário é um administrativo.
          E, a ser assim quem para si não é administrativo?

          Ah, já agora digo também que não sou, nunca fui e não quero ser bibliotecário.

      • Cristina on 9 de Abril de 2013 at 10:00
      • Responder

      Eu tb não sou prof bibliotecária, mas ainda bem que existe uma na minha Escola que faz um trabalho MUITO BOM…….

        • Administrativa on 9 de Abril de 2013 at 11:02
        • Responder

        Então não tem de ganhar como professor(a). Qualquer administrativo (sem diminuir os administrativos) faz esse trabalho.

          • ferpin on 11 de Abril de 2013 at 15:55

          Foi simpática. Podia ter dito que qualquer senhora da limpeza fazia esse trabalho.
          E se fosse mais abrangente ainda poderia dizer que até você conseguiria.

      • Inês 510 on 9 de Abril de 2013 at 11:05
      • Responder

      Pergunta NOJENTA!!! Se não sabe, não fale.


  4. Este senhor, que nem consegue defender a sua “classe”, vem agora lançar postas de pescada, a propósito de quê?

    • Inês 510 on 9 de Abril de 2013 at 11:09
    • Responder

    Este fulaninho deve ter os filhos ou netos em algum colégio para meninos ricos fora do país. Assim os professores por cá estão a mais.

    O seu objetivo de vida na certa é arrecadar dinheiro para o seu bolso: é bom que não hajam professores pois assim podem sempre dizer que não sabem fazer contas

    • Manuel Carvalho Trofa on 9 de Abril de 2013 at 11:29
    • Responder

    Belmiros, Saraivas e outros que mais, os que pensam que fazem opinião neste País, todos os senhores do B.P.N, das parcerias público privadas, e.t.c, e.t.c. o que querem é ver os trabalhadores de todas as classes profissionais, derretidos como manteiga, satisfazendo assim o seu apetite goráz, de mão de obra de borla ou quase. O senhor António Saraiva e outros que pensam como ele, se no seu tempo de estudante, se é que estudaram, se não tivessm professores, que seriam hoje. Talvez limpa chaminés, ou teriam saído do seu País, fazendo noutros países aquilo que querem que os Portugueses lhes façam . Serem espuliados dos seus direitos, trabalhar sem a devida e justa remuneração, fazer horas extraordinárias e não lhe serem pagas, em suma fazerem da condição humana um trapo social. Ainda bem que há PROFESSORES, para que estes, possam com a sua sabedoria e pedagogia, mexer na consciência dos seus discentes, levando-os a tomadas de consciência, para todos juntos erradicar estes fascistas e abutres do seio de um povo que ainda não tem as defesas necessárias, para se defender destes ferozes ataques.


  5. Os professores devem ser despedidos pois fornecem uma arma poderosa, o conhecimento. Os professores são um entrave àqueles que se preparam, na sombra da crise, para continuar a explorar e a roubar.


  6. Antes de começarem a despedir professores, agradece-se que despeçam o pessoal pululante que trabalha nas Câmaras a passear de um lado para o outro a coçar os ditos cujos ( eles ) e o grelinho ( elas), funcionários de Juntas aos pares e aos trios em Juntas mais pequenas do que a zona de Benfica ou de que um bairro habitacuional da Amadora, Gaia ou que Massamá; que revejam as benesses e o que estão a pagar a aos gestores das empresas municipais de água, transportes, whatever., que é uma afronta; que vejam lá bem que observatórios precisamos MESMO; que deixem de subsidiar o Benfica e outros clubes de futebol da 1ª Liga; que façam uma razia nos Gabinetes disto e daquilo e das coordenações disto e daquilo, que é gente que passa o dia no FB , MSN e chats;
    Pois, pois, Câmaras? E a política pá? E as eleições? E os votos? Ah pois.

    Gaita! Para despedir na FP, não falta para aí onde e justificadamente!


    1. Subscrevo.


    2. Subscrevo!!! Tocou na ferida!!! Mas aí, infelizmente, ninguém vai mexer… há muitos boys & girls!!!


  7. Para pessoas que nunca precisaram deles realmente não faz sentido haver foi só pagar para ter os certificados, mas no final só vejo é certificas de incompetência humana…. e depois falam em universidades envolvidas, certificados de cursos que nunca frequentaram… isto o nosso sistema nacional onde os maiores cargos estão ocupados por gente que não conhece humildade, sabedoria e generosidade…Se não fossem os professores ainda hoje o nosso pais seria um pais de 3º mundo…

    • Hernâni on 9 de Abril de 2013 at 14:41
    • Responder

    Como ele opina eu também posso opinar:

    Acho que todos os empresários são muito importantes na nossa economia.
    Ficava surpreendido se todos PAGASSEM OS IMPOSTOS DEVIDOS como eu pago!

    • maria on 9 de Abril de 2013 at 14:53
    • Responder

    Confesso que é das profissões onde mais incompetentes há neste momento e a maior parte são mulheres que pensam que dar aulas é ser mãe dos alunos e quando estes são indisciplinados metem baixa por ficarem mal psicologicamente… enfim é o pais que temos.

      • Inês 510 on 9 de Abril de 2013 at 15:37
      • Responder

      A grande incompetente é VOCÊ.

      Se não sabe o que é ser professor VÁ PARA ESCOLA e o professor ensina-lhe….

    • Marco Gonçalves on 9 de Abril de 2013 at 15:08
    • Responder

    Se houvesse uma vontade séria, enquadrada numa política para servir o país, os políticos saberiam muito bem onde cortar:
    – Nos observatórios públicos;
    – Nas fundações públicas;
    – Nos institutos públicos;
    – Nas empresas municipais.
    Urge olhar para a Administração Local e reformar este sistema. Agrupar municípios onde não se justifique a sua existência.
    Urge renegociar as PPP, ao nível rodoviário e da sáúde.
    É urgente realizar um levantamento sério e exaustivo dos gastos efetuados por cada Ministério, com os seus respetivos ministérios; conhecer com detalhe a frota de automóveis paga por todos os portugueses e cortar onde não se justifique a sua existência.
    Acabar com as subvenções e os subsídios atribuídos aos deputados, secretários de estado, assessores, especialistas, etc.
    Acabar de uma vez por todas os pareceres jurídicos encomendados a escritórios de advogados. Os especialistas que populam no governo e da administração central deveriam realizar este trabalho, caso contrário não se justifica o seu lugar.
    Acabar com os subsídios aos partidos políticos.
    Acabar com as reformas antecipadas dos políticos, mesmo as que já foram atribuídas (a legalidade contorna-se com a situação precária do país).
    Obrigar as pessoas e empresas que devem dinheiro ao BPN a reeembolsar o Estado no valor total da sua dívida acrescida de juros.
    Fiscalizar os grandes empresários e os advogados que todos os dias fogem ao fisco.
    Procurar o dinheiro que se evadiu de Portugal para paraísos fiscais e levar à justiça os seus protagonistas.
    Julgar seriamente todos os políticos e outros agentes que durante estes últimos 30 anos delapidaram o erário público.
    Impor um limite aos gastos excessivos e aos empregos não justificados na Presidência da República.
    Acabar com os despedimentos fraudolentos dos “amigos do sistema” com o objetivo de roubar o Estado com indemnizações milionárias.
    Criar legislação, capaz e sem ambiguidades, com o objetivo de combater a corrupção.
    Como veem há muito por onde cortar. As pessoas que se vão mantendo no poder, para não ofender os “amigos do sistema”, procuram cortar sempre onde é mais essencial às pessoas que vivem honestamente do seu ordenado.

      • Cristina Graça on 9 de Abril de 2013 at 18:49
      • Responder

      Concordo plenamente, Marco. O muito que nos tiram é insignificante se comparado com o volume da dívida pública, não chega para acabar com a crise, mas a nós, trabalhadores, é muitíssimo. Porque o mal é tirarem a quem vive exclusivamente do seu trabalho ou da sua pensão. Aqueles que são os maiores responsáveis pela dívida pública e pela crise – BPN, governantes, PPP e toda a trupe – são todos cumplices uns dos outros, protegem-se uns aos outros, mas ficam impunes e intocáveis. É REVOLTANTE! O que é que nós poderemos fazer para acabar com esta pandilha? Tem que haver uma forma de obrigar os responáveis a pagar por deixarem o país neste estado.


  8. Criem um movimento no FACEBOOK contra a ideia deste senhor com o nome dele lá escarrapachado!!!!! só assim ganha notriedade e aposto que nenhum fala mais disto!!!

    • Manuel Carvalho. Trofa. on 9 de Abril de 2013 at 17:08
    • Responder

    Ele deve ter doenças ruim naquela cabeça. Pelo olhar tresloucado que tem, parece já não ter muito tempo para dizer tantas asneiras.

    • Eduardo Simão on 9 de Abril de 2013 at 20:58
    • Responder

    É um facto que o Estado português é economicamente insustentável pela sua grande dimensão, número insustentável de funcionários e inutilidade de muitas das suas funções. A única saída é promover o crescimento da economia privada para que absorva muitos dos funcionários públicos… as verdades é que costummam ser muito difíceis de ouvir para este antiquíssimo Velho do Restelo que é o povo português. Os portugueses em geral preferem ouvir mentiras agradáveis ao seu ego…

      • Porco on 9 de Abril de 2013 at 22:21
      • Responder

      se nao tens nada para
      Vai lavar a peida Ó simão
      Pois nao se aguenta
      O teu cheiro a cagalhão

    • Professora on 11 de Abril de 2013 at 0:24
    • Responder

    Os professores são realmente seres horríveis que mais não fazem do que aturar filhos de pessoas mal educadas que não sabem dar educação aos filhos. O que é que os professores ensinam?! Nada de importante. Matemática, português, inglês, … Para quê?
    Tenham juízo todas as pessoas que não valorizam a profissão de professor/ professora. Se não fazem falta porque mandam os filhos para a escola? Fiquem em casa a trabalhar com eles.
    É triste viver-se no século XXI e ver que ainda existem pessoas tão retrógradas. Na pré história é que vivam bem, sem ensino.


  9. sou docente há mais de 30 anos, nunca vi tanta submissão de professores aos diretores e estou a falar no ensino publico a que pertenço, nas eleições que estão a a decorrer na minha escola para o conselho geral é a direção que está a telefonar para escolher os docentes para as duas listas que se formaram na véspera da entrega das mesmas e quem são os escolhidos? os docentes lambe mãos , submissos e que estão bem com os deuses e o diabo, sem personalidade vincada nem cultura diferenciada. És submisso do diretor, pactuas com os seus cinismos e tramoias? então terás todos os cargos e conveniências serás um docente exemplar na tua avaliação como docente, nas listas todas da escola e nos amens , esqueces-te é de ser unido com todos os colegas, não sabes partilhar como os teus pares e alinhas descaradamente NA DESUNIÃO na falta de colegialidade e de democraticidade do teu local de trabalho. É o salve-se quem puder por isso infelizmente há colegas que adoecem e desmorecem, e alguns recentemente se suicidaram, é preciso não os esquecer, claro que com a conivência dos sindicatos falo do SPGL a que pertenço e que nada nada denuncia mesmo com a nossa divulgação de casos e casos diários de maus tratos entre docentes da prepotência evidenciada de alguns diretores de que toda a gente comenta nos corredores, enfim estamos totalmente desprotegidos e somos uma classe totalmente dividida o que provoca esta falta de ética para com os docentes e sobretudo para os que amam a sua profissão,.


  10. Pois é pois é na grande maioria das escolas é assim o ambiente torna-se insuportável, feliz de quem está num agrupamento humanista democrático onde reine a união o conforto, a clareza e a comunicação positiva entre todos os agentes que conduza à satisfação pessoal e profissional de cada interveniente, sem excluir ou perseguir alguém. Mas aonde está esse Agrupamento? Felizmente ainda existem algumas direções cultas, sem provincianismos, dialogantes, reflexivas, desburocratizadas, com ética de valores, abertas à resolução dos problemas sem os esconder ou meter na gaveta como arma de arremesso, recetiva às várias concordâncias e discordâncias, ao questionamento, a uma postura de desenvolvimento cooperado versus submissão cega aos suportes legislativos muitas vezes mal interpretados e aplicados, sem gritos e exaltações e ameaças entre diretor e docentes, com rigor e sem casamentos políticos entre a escola e os contextos internos e externos. Isto é uma escola de amizade e bem estar, formativa , que pensa em primeiro lugar na qualidade de todas as suas ações e dos alunos e só em ultimo nos interesses pessoais e políticos de quem a dirige. Mas existem escolas destas? Claro que existem , podem ser muito poucas no universo total, mas devem ser divulgadas, avaliadas como excepção e representantivas da boa qualidade podendo servir de estudo de caso para se poderem generalizar. Parabéns a esses Agrupamentos e Diretorias, quem me dera poder estar numa dessas escolas…E claro que António Saraiva como máquina exploratória de fazer dinheiro à custa dos “seus” trabalhadores nem sabe o que é ser Docente e muito menos o que é uma escola por isso com a sua total ignorância tem a liberdade de exprimir as tolices que entender, temos é de o saber criticar com dignidade.

Responder a isa Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog