7 de Março de 2013 archive

Sobre a Formação de Professores

… está a ser pedido contributo às associações profissionais sobre o assunto até ao próximo dia 11 de Março e tem em vista a alteração do regime jurídico da formação contínua dos professores.

 

 

No âmbito da elaboração de uma recomendação do Conselho Nacional de Educação sobre “Formação de Professores”, o Conselho Nacional de Educação tem vindo a ouvir diversos parceiros envolvidos nas várias modalidades de formação de professores, com especial enfoque na formação contínua.

Neste sentido, gostaríamos de recolher o ponto de vista da Associação Pedagógica a que V.Exª preside, sobre a matéria em apreço.

Indicam-se alguns tópicos sobre os quais poderá pronunciar-se, não se excluindo a referência a outros temas que considere relevantes. Dentro de cada tópico será importante que sejam referidos os aspetos considerados positivos, os problemas que identifica e algumas recomendações.

Formação contínua e progressão na carreira;

Modelos e práticas de formação contínua e sua qualidade;

Instituições promotoras e sua interligação (rede de formação);

Financiamento da formação contínua.

 

No sentido de podermos proceder ao tratamento da informação que nos for enviada, muito agradeço que nos faça chegar a sua contribuição até dia 11 de março, às 12h00.

Com os melhores cumprimentos.

Manuel I. Miguéns

Secretário-Geral do Conselho Nacional de Educação

 

 

Rua Florbela Espanca

Tel. +351 217 935 245

Fax +351 217 079 093

www.cnedu.pt

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/03/sobre-a-formacao-de-professores/

Propostas de Metas Curriculares em Discussão Pública

Estão em discussão pública, entre 6 de março e 25 de março, as propostas de Metas Curriculares do Ensino Básico para as disciplinas de História e Geografia de Portugal e Ciências Naturais, do 2.º ciclo; e de História, Geografia, Ciências Naturais e Físico-Química, do 3.º ciclo.

Os contributos deverão ser enviados para o endereço de e-mail: metas.curriculares@mec.gov.pt.

Com as metas agora apresentadas, o Ministério da Educação e Ciência dá continuidade ao trabalho iniciado no ano passado no âmbito da Revisão da Estrutura Curricular, onde estas disciplinas foram alvo de uma nova organização ou de reforço horário.

No início de abril será divulgada a versão final destes documentos, com a integração dos contributos entretanto recebidos, depois de uma análise rigorosa por parte de cada um dos respetivos grupos de trabalho.

As propostas de metas para o 9.º ano das disciplinas de História e de Geografia serão disponibilizadas futuramente, sendo então aberto um período específico para a discussão pública.

Quanto às propostas de metas de Inglês dos 2.º e 3.º ciclos serão divulgadas em data a anunciar.

Sendo uma referência da aprendizagem essencial a realizar pelos alunos em cada uma destas disciplinas, por ano de escolaridade, no ano letivo de 2013/2014 as novas metas serão fortemente recomendadas. A partir do ano letivo 2014/2015 serão um documento normativo de utilização obrigatória.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/03/propostas-de-metas-curriculares-em-discussao-publica/

Se For Amigável

… e vantajoso para o trabalhador concordo e até já o sugeri por várias vezes.

No entanto não se conseguirá sustentar as despesas com a segurança social se a taxa de natalidade não subir de forma exponencial. E neste momento até acho mais preocupante os números da natalidade em Portugal e na Europa do que propriamente a recessão e o baixo crescimento económico.

Também acho curiosa à referência a um corte de 3,2 milhões de euros em vez dos 4 mil milhões. Se calhar habituei-me a acertar em números  😀

Vou ali ao euromilhões, até já.

 

CM-Governo_despede_40_mil_pessoas

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/03/se-for-amigavel/

Nem de Propósito

… foi publicado hoje a Resolução da Assembleia da República n.º 21/2013. D.R. n.º 47, Série I de  2013-03-07 que propõe a reavaliação do atual modelo de utilização e atribuição do parque automóvel do Estado e recomenda ao Governo que:

1 — Identifique, e transmita à Assembleia da  República, nos três meses seguintes à publicação desta resolução, o  número de viaturas atribuídas a titulares de cargos políticos, de altos  cargos públicos e de cargos dirigentes da Administração Pública, o número de dirigentes e funcionários em autocondução e o número de motoristas ao  serviço dos titulares de cargos políticos, de altos cargos públicos e de  cargos dirigentes da Administração Pública.

2 — Identifique, e transmita  à Assembleia da República, nos seis meses seguintes à publicação desta  resolução, o número de viaturas de serviços gerais e liste as respetivas  regras de utilização seguidas até ao momento, nomeadamente com identificação  das regras relativas a quilometragem.

3 — Analise os custos anuais, para  o Estado, do atual modelo de gestão do parque automóvel do Estado.

4 —  Reavalie o atual modelo de utilização e atribuição de viaturas do parque  automóvel do Estado, nos seis meses seguintes às comunicações referidas nos  n.os 1 e 2 desta resolução, e reduza, até final de 2014, os seus custos, através de:

a) Redução do número de titulares de cargos políticos, de  altos cargos públicos e de cargos dirigentes da Administração Pública com atribuição  de viatura oficial;

b) Partilha das viaturas entre os cargos dirigentes  da Administração Pública e os serviços gerais;

c) Redução, entre 33 % e  50 %, da frota automóvel ao serviço dos titulares de cargos políticos, de  altos cargos públicos e de cargos dirigentes da Administração Pública;

d) Revisão das regras de utilização e acesso a viaturas de serviços gerais;

e) Redução do número de motoristas ao serviço dos titulares de cargos políticos, de altos cargos públicos e de cargos dirigentes da Administração Pública.

5 — Estabeleça novos tetos máximos, inferiores aos atuais, para a aquisição, no futuro, de novos veículos  para a prestação do serviço automóvel a titulares de cargos políticos, de altos cargos públicos e de cargos dirigentes da Administração Pública.

6 — A presente resolução não se refere nem se aplica às viaturas ao serviço das forças e serviços de segurança pública ou defesa, cujos recursos devem ser geridos de acordo com critérios próprios.

Veremos se fica apenas por aqui ou tem transposição para a Lei.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/03/nem-de-proposito/

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: