A Confirmação

… de que os docentes que usufruem da Lei 77/2009 a que me referi aqui e aqui continuarão com o regime de exceção.

Justo.

 

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2012/11/a-confirmacao-3/

11 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Ana Maria Ramos Carita Valente on 26 de Novembro de 2012 at 22:57
    • Responder

    Sigo atentamente o seu blog e ao ler esta notícia, gostava que me ajudasse a clarificar a minha situação.
    Terminei o curso do Magistério Primário em 1976, comecei a trabalhar em 2 maio 77, logo não tinha os 13 anos em 89.
    Tenho uma especialização no 910, e desde 2006 que pertenço ao quadro de educação especial.Neste momento, já tenho 35 anos de serviço( sempre em ed. especial), e 53 anos de idade( 54, em 12 de abril). Valerá a pena deslocar-me à CGA, ou será que terei de esperar pelos 65 anos?Se me puder ajudar, agradeço. Obrigada.

    • ana on 27 de Novembro de 2012 at 8:18
    • Responder

    Fico perplexa com estas deferências de aposentação …!? É que durante longos anos ninguém queria aceitar como empregado quem tivesse obtido os diplomas administrativos concedidos nesses anos colados ao 25 de Abril de 1974.

    E a conversa das reduções já se torna insuportável … Há sim um resíduo de sortudos muito ligados aos cordelinhos dos sindicatos. Para benefício de uns ficam outros a penar o resto da vida.

      • Gil on 27 de Novembro de 2012 at 17:27
      • Responder

      Olá Ana…

      Julgo que está a falar de cor. Sabe que até ao 25 de abril de 74, fazer o 5º ano do liceu equivalia a uma licenciatura do seu tempo….

      Quem tirou o curso nesses idos anos, estava certificado pelos anteriores. Havia exames e não contavam a 30%. Podia ir a exame com 20. Se tivesse 9,4 no exame reprovava… Pense querida…

    • sandra s. on 27 de Novembro de 2012 at 11:45
    • Responder

    Justo????
    Faz falta na profissão docente um esclarecimento profundo do conceito de JUSTIÇA. Parece-me que para a “classe” dos professores justiça é: beneficiar quem já é/foi beneficiado e retirar tudo a quem sempre foi explorado. Para uns terem mais, milhares serão empurrados (alguns já foram) para a penúria existencial e profissional.

      • Gil on 27 de Novembro de 2012 at 17:29
      • Responder

      Olá Sandra…

      Agradeça a quem os deixar sair. Pode crer que merecem essa deferência e a menina poderá beneficiar com a sua saída. Reze menina… reze….

    • sandra s. on 27 de Novembro de 2012 at 19:28
    • Responder

    Claro, Gil. Claro que aos contratados resta, de facto, apenas rezar, como diz, porque não têm mais onde se agarrar. Haja Deus. Para uns terem mais, outros têm de emigrar e REZAR. Esse é o seu conceito de justiça profissional. Realmente muito justo!

      • Gil on 27 de Novembro de 2012 at 21:42
      • Responder

      Olá Sandra….

      Como lhe disse se eles puderem sair sem qualquer prejuízo melhor para si. O que eu não percebo nos seus comentários é o recentimento que alguém possa sair do sistema depois de nele já ter cumprido 34 anos de serviço e ter 57 anos de idade. Quer que essa pessoa saia com 65 anos de serviço e 42 de serviço? É que mesmo com a nova lei, quem fizer 40 de serviço e tiver 65 de idade poderá sair. O que a leva a querer que estes façam 42 de serviço?

    • marta on 27 de Novembro de 2012 at 20:46
    • Responder

    Gil,

    a minha avó materna foi “Professora Primária” e também o foram duas das suas filhas: uma já se aposentou com 52 anos, agora vai a outra. Elas sabem a injustiça que isso significa e conseguem discernir entre a diferença abissal que existiu na exigência da sua formação, na Escola Normal (ESES), e a dos netos, filhos e sobrinhos que frequentaram os cursos universitários. Que venha uma lei justa …!

      • Gil on 27 de Novembro de 2012 at 21:35
      • Responder

      Boa noite Marta…

      Cursos são cursos…. Escola Normal… ESE (escola superior de educação…. Faculdades….

      Uma coisa é certa…. a verdadeira didática só existiu nas Escolas Normais / Escolas do Magistério Primário…

      A avó de que fala disso lhe poderá falar, se como eu desejo, ainda esteja entre nós… O mesmo poderão fazer as suas tias/mãe se for o caso.

      Hoje somos muitos. Eu, a minha mulher e filha também somos professores. A minha filha sofre do problema que mais de 31000 professores também sofrem. Uma coisa é certa, o problema resolve-se mais depressa se mais professores saírem do sistema.

      Por isso eu acho que tudo o que possibilite a saída de professores do sistema sem serem prejudicados, é bem vindo.

      Saudações.

    • Rosa Dias on 27 de Novembro de 2012 at 20:53
    • Responder

    Sigo atentamente o seu blog e ao ler esta notícia, gostava que me ajudasse a clarificar a minha situação.
    Terminei o curso do Magistério Primário em 1976, comecei a trabalhar em 2 maio 78, logo não tinha os 13 anos em 89. Completei 34 anos de serviço em junho deste ano, no entanto só faço 57 anos em maio. Éseguro esperar pelos 57 anos?

    Se me puder ajudar, agradeço. Obrigada

    • Maria Conceição Leal Parente Nunes on 28 de Novembro de 2012 at 20:31
    • Responder

    Todos os dias consulto o seu blog e quero agradecer-lhe pelas informações que me foram muito úteis nesta fase de alterações por causa do orçamento 2013, porque sou uma professora que irá beneficiar da lei 77/ 2009. Era bom que mais professores se reformassem para os jovens poderem trabalhar. Não sei porque há tanta indignação!
    Muito obrigada!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: