Ser Vera em Portugal Compensa

No seguimento do “engano” da Escola Secundária Marquês de Pombal apresenta-se mais um, desta vez no Agrupamento de Escolas da Trafaria.

Haverá inspetores em número suficiente para investigar todos estes enganos?

 

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2012/10/ser-vera-em-portugal-compensa/

19 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • GOMES on 4 de Outubro de 2012 at 22:29
    • Responder

    Abaixo com este ministo que é o único responsável e causador destas injustiças.
    Depois surge com ar hipócrita e melindrado quando lhe fazem perguntas sobre estas situações e que responde que ninguém ficará prejudicado.
    Certo é que são os do fim da lista como neste caso esta ALOE VERA a ter sido selecionada com aposição 400 e tal na lista de ordenação.
    É uma vergonha aquele nojo de pessoa e insignificante lambe botas do ministro das
    finanças.

    É este crápula o causador da destruição da escola pública.

    • Ana on 4 de Outubro de 2012 at 22:45
    • Responder

    Também recebi convocatória para o mesmo horário mas, depois de alguma reflexão e de uma anterior “entrevista” nessa mesma região, receei gastar mais 100 euros na deslocação e, principalmente, poupar-me à humilhação de me dizerem que não tenho perfil para lecionar na referida escola. Tive esperança que a pessoa colocada estivesse melhor graduada do que eu…Cada dia me sinto mais enfraquecida, sem esperança de conseguir um horário e sem vontade de concorrer a estas CE.

    • prof on 4 de Outubro de 2012 at 23:09
    • Responder

    A culpa é das escolas???? SIIIIIIIIIIIIM
    Mas também, e sobretudo, do ministério que lava as suas mãos (não sei porquê) das colocações nestas escolas.
    Sou professora efetiva num território TEIP e não percebo porque é que a colocação de docentes não é igual á das outras escolas. Seria melhor ( e muito mais justo para todos).

    Estas escolas não são nada de especial, a mim ninguém me deu formação especial para lá estar…
    Aliás nunca tive uma formação sobre indisciplina, tutorias e outras tangas…
    Será que corro o risco de ser despedida??

  1. Equidade e igualdade de procedimentos a fim de terminar com este tipo de abuso de poder. Pergunta-se:
    – O senhor Ministro … que plavra a dizer nestes casos. A colocação deve obedecer à lista de graduação. È uma vergonha o que se esta a passar nestes escola.
    Nunca pensei que tivessemos uma classe de dirigentes nas escolas tão corruptos e com falta de ética profissional. È muito injusto contactarem pessoas que distam imensos kilometros para lugares que já estão ocupados. Qual a responsabilidade da escola perante estes professores ? Quanto custa ao estado (a todos nós contribuintes) estes disfarces, estas incompetências dos senhores directores ? O processo de selecção de uma escola tem associado custo, queremos saber o que penam os senhores irectoresem relação a isto ? Que vergonha… só espero que a inspecção actue severamente nestes pseudo-directores sem classe.

    • Prof.ª (Des)empregada on 4 de Outubro de 2012 at 23:44
    • Responder

    Deve enviar tais documentos e sem rasuras para o IGE e DGAE. Não desista…

    • sónia rodrigues on 5 de Outubro de 2012 at 0:27
    • Responder

    colega eu fui na esparrela e compareci à entrevista da dita escola, que foi a despachar uma coisa sem nexo muito atribulada do género k formações fez, fale da sua vida profissional, optamos por chamar vários candidatos porke precisamos urgentemente de uma pessoa com experiência, e blá blá blá, será k a pessoa lá colocada, com menos graduação k eu tem mais experiência que eu….uma vergonha gastei eu 100 euros em gásoleo, fiz 350 km para me deparar no fim com o isto………..uma miséria, gozam com o pessoal e é como se fizessem pouco de nós k gente é esta?????k não tem respeito pelo outros????????são estes os nossos colegas!!!!!!!!!

    • António on 5 de Outubro de 2012 at 0:37
    • Responder

    É um escândalo. Porém há várias escolas que, além de seguirem a lei, aplicando os Subcritérios por tranches, ainda foram conscienciosos e, em vez de entrevista, utilizam a avaliação curricular. Era bom haver uma lista branca e uma lista negra de escolas para os candidatos saberem.

      • Santos on 5 de Outubro de 2012 at 3:09
      • Responder

      Alô, Arlindo: se mais ninguém o faz, não dá para arranjar uma tabelinha neste “blog” que recolha e compile as impressões dos candidatos sobre as práticas de recrutamento das TEIP? Pelo que se lê nestes comentários, pelo menos ajudava a poupar centenas de euros em deslocações a muitos candidatos-que-não-o-são.

    • Maria on 5 de Outubro de 2012 at 2:16
    • Responder

    Faça o quanto antes apresentação do seu caso devidamente comprovado na DGRH, pois o seu caso será devidamente analisado bem como a escola em caso. Este caso não é o único, por isso deverá expôr o mais rapidamente possivel. Boa Sorte.

    • João on 5 de Outubro de 2012 at 2:22
    • Responder

    A mim aconteceu-me o mesmo na passada 4.º feira. Sou do porto e foi ao agrupamento da damaia para uma entrevista, para depois ser ultrapassado por uma colega com nota inferior a mim. Eu preenchia todos os subcritérios (+ dias de serviço em escolas TEIP; mas graduação profissional; e experiência com diferentes culturas). Riam-se agora com o que eu vou disser, ela ficou com 1075 dias e eu dos +-2400 dias 1091 são em escolas TEIP.
    Gastei dinheiro para quê?
    Desempregado mulher desempregada (professora também) e COLEGAS A FAZEREM ISTO.

    • salomé on 5 de Outubro de 2012 at 3:27
    • Responder

    estamos numa república das bananas…querem que nos cansemos e desistamos de ser professores…estão a destruir o ensino…mas ninguém se revolta e continuamos na mesma como sempre…
    professora há 12 anos e, neste momento, desempregada,,,

  2. Mais uma escola a juntar à tão útil lista negra: Agrupamento de Escolas de Parede. Deixo aqui o email que me enviaram da escola, no qual me perguntam se quero ser entrevistada. Isto é piada, “relvice” ou “verice”?

    “Exmo.(a) Sr.(a)
    Vimos comunicar-lhe que já procedemos à primeira parte da seleção dos candidatos, que incluiu a realização de entrevistas aos mais cotados nos restantes itens.
    Após verificarmos esses resultados constatámos que, no seu caso, mesmo realizando uma entrevista e obtendo a cotação máxima neste parâmetro, só conseguiria obter um resultado inferior a alguns dos já apurados. Consequentemente nunca alcançaria uma classificação suficiente para obter a colocação a que se candidatou.
    Assim sendo, vimos perguntar-lhe se, apesar do conhecimento dos dados que agora lhe divulgamos, pretende ainda ser entrevistado(a).
    Caso pretenda, solicitamos-lhe que nos comunique essa intenção ainda hoje por correio electrónico com o seu contacto telefónico.
    Junto remetemos lista ordenada das candidaturas.
    Com os meus melhores cumprimentos.
    Agrupamento de Escolas de Parede
    O Presidente da CAP
    Jxxx Bxxxxx Gxxxxxxxx”

    Mais alguém quer ser entrevistado por esta escola? Sei lá, perder uma manhã ou uma tarde para conversar, conviver? Levar uns bolinhos e um cházinho? Este Sr. saberá que exite um tal de 132/2012?
    Sr. Diretor da CAP, gostaria que fizessem isso com a sua mulher, filhos ou outras pessoas que conheça? Ou consigo mesmo? Tenha vergonha!

  3. Este é o agrupamento da situação que foi descrita no “Umbigo” em que um candidato não foi convocado para uma reunião, reclamou, convocaram-no, ele compareceu mas depois colocaram na plataforma que não tinha comparecido por já estar colocado.

      • Cielita on 6 de Outubro de 2012 at 0:05
      • Responder

      Presumo que seja uma escola que faça dos valores morais o seu estandarte.

    • Lara on 5 de Outubro de 2012 at 19:11
    • Responder

    Isto é incrível! Esta nova lei viria, supostamente, melhorar o processo da contratação de escola e só veio fazer pior. As cunhas continuam (as escolas contornaram a lei para colocarem quem queriam); deparamo-nos com situações q nem ao diabo lembram; cada escola adopta um processo diferente (ora entrevista ora avaliação curricular); umas contactam os candidatos outras não; temos de andar à procura das listas, qd estas existem, em centenas de sites; gastar dinheiro em centenas de chamadas e fazer centenas de quilómetros, etc, etc. E só de pensar que tudo isto teria ficado resolvido se o único critério fosse, obviamente, a graduação profissional…

    • Cielita on 5 de Outubro de 2012 at 23:17
    • Responder

    Colegas!

    Reclamar! Só se for para entupir os serviços da IGE, o que já não é mau. Contudo, não o farei porque os trâmites seguidos não são ilegais; o Art.º39, do Decreto-Lei nº132/2012; não define um número limite de tranches, logo era na posição ” x” que se encontrava a candidata para o lugar, foram feitas as tranches necessárias até chegar ao numeral ordinal “y”. Esta situação já ocorreu em vários agrupamentos e a IGE nada fez. Como já referi o que me incomoda e revolta é a falta de respeito e os trocos que saem dos bolsos que já andam rotos. Um colega já chamou a atenção para o facto da Análise Curricular… Ora aí está! Uma Avaliação Curricular não bastava para sanar esta farsa? É preciso obrigar as pessoas a deslocarem-se de norte a sul para nada? Mas o que é isto? Devemos agradecer ao MEC e aos sindicatos que possibilitaram este tipo de recrutamento docente. Brilhante! Ninguém faria melhor. Nem o génio do Alladin se lembraria de tal.

    • borges on 5 de Outubro de 2012 at 23:26
    • Responder

    As (TEIP) territórios exploratórios de intervenção da porcaria com estes diretores corruptos e este reles ministro que é o pai da destruição da escola pública, que só nos ensina os valores mais degradáveis que estão à vista de todos nós.
    Depois os chupistas mandões colocam lá nas escolas os familiares, os amigos dos amigos e por aí fora.
    Desde que enfiem lá quem querem, é passar por cima de todos. Os inspetores nojentos, não se querem incomadar com os problemas dos contrados. O que fazem o dia a todo? Nada. RUA com este desperdício de dinheiro, já que agora os diretorzecos têm o poder todo.
    Isto tem de dar uma volta se não quem andou anos e anos de norte a sul com a trouxa às costas e com apresentações ao serviço de um dia para o outro ficará para o resto da vida a ver os alpinistas a passarem à frente. Só neste país miseravel é que isto acontece, porque há sempre impunidade para o crime, é a moral que vem de cima e que resulta sempre. Obrigado por estes ensinamentos!
    Com que respeito olho para estes diretores porcos e este minsistrozeco com ar larilas que não passam de corruptos e coniventes?

    • Teresa on 6 de Outubro de 2012 at 13:41
    • Responder

    PARBÉNS! ACORDARAM AGORA, DEVEM ESTAR SEM COLOCAÇÃO. VEJAM AQUELES QUE PASSAM POR ISTO A ALGUNS ANINHOS E PERDEM ESSE ANOS DE SERVIÇO À PALA DESTAS IRREGULARIDADES. TEMOS PENA…ONDE ESTAVAM QUANDO EU PRECISEI…NEPIAS, SOLADOS NA VOSSA ESCOLINHA. PODE SER QUE ASSIM ABRAM A PESTANA.

    • Branca Celeste on 9 de Outubro de 2012 at 21:46
    • Responder

    Sempre houve Veras, Isabeis, Joaquinas, Antónios, Augustos e Franciscas. Não importa se se é bom ou mau profissional. Não interessa ter capacidade para desenvolver e dinamizar projetos. Não importa sermos professores preocupados com o sucesso dos alunos TEIP. Não convém apontar os pontos fracos de alguns projetos. O importante é ter jogo de cintura, saber estar bem com quem está no poder, baixar o traseiro até se ver aquilo que não se deve. O que Importa mesmo é ter o lugar guardado na Trafaria e em outros agrupamentos que se regem por critérios semelhantes. Sucesso para os alunos da Trafaria é o que mais desejo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: