O Ponto de Partida dos Sindicatos para a Vinculação

As duas maiores Federações de Sindicatos já anunciaram os seus pontos de partida para a negociação com o MEC que se iniciará no mês de Outubro para a vinculação de Professores Contratados. Ambas indicam um tempo de serviço mínimo de três anos para acederem a esta vinculação “extraordinária”.

Para a FNE, o critério essencial deve ser o mesmo consagrado na “lei geral do país”, garantindo a vinculação “de todos aqueles que ultrapassam três anos sucessivos de contratação”.

Assim, a proposta apresentada pela FENPROF é a seguinte:

– Vinculação extraordinária, com efeitos a 1 de setembro de 2012, de todos os docentes com 3 ou mais anos de serviço que exerceram atividade docente em 2011/2012.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2012/09/o-ponto-de-partida-dos-sindicatos-para-a-vinculacao/

30 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. LOL….(desculpem, mas não consigo ter outra reação)

      • pananda on 26 de Setembro de 2012 at 22:23
      • Responder

      Infelizmente, concordo tanto com esse lol…

  2. acho muito bem que vinculem os contratados mas diz-me uma coisa. no final no ano vamos ter quantos mais horários zero?
    ou a ideia é dar 1 chuto a quem está a meio da carreira para ficarem com mão-de-obra barata?
    responde-me por favor.

    • pika on 24 de Setembro de 2012 at 20:23
    • Responder

    A lei referida pela FNE já existe há muitos anos e já há muitos anos que existem professores com mais de três anos sucessivos de contratação. E não me consta que a FNE tenha feito grande coisa para obrigar os governos a cumprir tal lei … Lembraram-se agora, para ficar bem na fotografia?
    A FENPROF, ao defender a condição “ter exercido atividade docente em 2011/2012”, esquece todos aqueles que, pela referida lei, já deveriam estar vinculados mas que tiveram o azar de não leccionarem em 2011/2012.
    As duas centrais sindicais esquecem aqueles que, por exemplo, podendo ter leccionado 6 anos, não o fizeram em pelo menos um período de 3 anos consecutivos, como se mostra na seguinte possibilidade:
    2 anos+1 interregno+2 anos+ 1 interregno+2 anos. Isto significa que 6 anos de experiência podem valer menos do que 3, o que é um absurdo. Além disso, estas duas centrais sindicais não explicam como é que estes critérios com base em 3 anos de serviço se combinam com a graduação profissional …

    • lmc on 24 de Setembro de 2012 at 20:33
    • Responder

    Outro critério devia ser “o ter leccionado como profissionalizado no grupo de recrutamento ao qual concorre”, para evitar as ultrapassagens na mudança de grupos. Agora com tantos horários Zero.

    • Catarina Anes on 24 de Setembro de 2012 at 20:44
    • Responder

    também acho bem que vinculem os contratados..mas só com 3 anos de serviço…isso é para rir…agora tendo trabalhado no ano 2011/2012…isso vai deixar para trás quem tem muitos anos de serviço visto que o ano passado houve bastantes “dificuldades” nas colocações…certo??

    • Lizzie on 24 de Setembro de 2012 at 20:45
    • Responder

    piada… deve ser uma piada! Esta gente não tem a noção do país em que vive… são uns brincalhões, só pode!

    • lmc on 24 de Setembro de 2012 at 20:49
    • Responder

    Com os Horário zero houve algumas mudanças de grupo, muitos que leccionavam o 2ºciclo foram parar ao 110, há cada vez mais pessoas no 910 vindos de vários grupos e por isso neste concurso devia existir um critério ” ter leccionado como profissionalizado no grupo de recrutamento ao qual concorre”, para evitar as ultrapassagens na mudança de grupos. Nas devidas prioridades claro . não acham?

    • tecas on 24 de Setembro de 2012 at 20:59
    • Responder

    Se esta vinculação avançar será feito um concurso mediante abertura real de vagas? E quando? Este ano civil?

    • Eli on 24 de Setembro de 2012 at 21:10
    • Responder

    Eu só espero que não sejam três anos consecutivos, pois isso seria benificiar quem teve a sorte, sim SORTE da renovação de contrato. Sempre tive este medo. Há gente no sistema a fazer tempo de serviço com as renovações com graduação (média e tempo de serviço) inferior a quem não teve a sorte de estar colocado, mesmo tendo concorrido a nível nacional. Muito cuidado! Já há muito tempo que mudam as coisas para pior (inclusive as prioridades) e agora com estas regras parece-me que se abriram portas a ainda mais injustiças!

    • Ana on 24 de Setembro de 2012 at 21:13
    • Responder

    Como se algum dia o Ministério aceitasse essas condições!!!!

    E vão ter em conta o ano 2011/2012? Ano em que muitos contratados foram reconduzidos e outros, com maior graduação, não tiveram lugar no dia 1 de setembro?

  3. A tática é a clássica. Pedir o bolo todo. Ok, siga para bingo.

    • alexandra on 24 de Setembro de 2012 at 21:28
    • Responder

    LOL…..igualmente

    • Elisabete (Liza) on 24 de Setembro de 2012 at 22:03
    • Responder

    Desculpa Arlindo, mas esta proposta da FNE é igual ou pior que a da FENPROF. Não percebo porque é que não aplicam as regras do concurso externo!! Porque não? Porque é que brincam às invenções?! E porque é que brincam com coisas sérias?!

    • Elisabete (Liza) on 24 de Setembro de 2012 at 22:16
    • Responder

    Com esta brincadeira da FNE e Fenprof eu e muitos colegas serão ultrapassados por outros com muito menos tempo de serviço mas que tiveram a SORTE de serem reconduzidos em escolas às quais concorremos. Falo de colegas a centenas de lugares abaixo, mas muitas centenas!! Isso é justo?! Isso é a aplicação pura do critério sorte!! Onde está a graduação? Porque é que um colega com menos tempo de serviço tem o direito de me ultrapassar?! Porque? É uma vergonha. Porque não aplicar o 132 neste concurso “ordinário”?

    • Cláudia on 24 de Setembro de 2012 at 22:37
    • Responder

    QUEM DEVE VINCULAR NA ESCOLA PÚBLICA SÃO OS PROFESSORES QUE SEMPRE TRABALHARAM NA ESCOLA PÚBLICA COM MAIS GRADUAÇÃO, SEJA EM COLOCAÇÕES DE UM MÊS OU DE UM ANO.
    No meu caso (e no de muitos colegas) não estou vinculada única e exclusivamente pela ocupação das vagas pelos professores do privado.
    Se trabalhar no público ou no privado fosse opção eu já estaria vinculada há muito tempo. Serei a única que nunca conseguiu uma cunha para entrar no privado? Todos os dias vejo várias pessoas da 2ª prioridade ficarem nos primeiros números das listas a Contratação de Escola. Isto não é de agora, arrasta-se há anos… Já trabalhei no país todo desde 1996, formei-me numa instituição pública, na qual sempre que tivesse mais de 15 valores numa frequência tinha que fazer defesa oral para manter a nota. Fica bem dizer: “unam-se, não lutem uns contra os outros”, mas quando se trata de questões de justiça… O Crato é o maior defensor dos professores do privado. Os professores do privado deviam ser tratados de igual forma aos do público? Sim, SE (condição essencial) tivessem entrado nas escolas privadas por concurso e não houvesse furos na 2ª prioridade do público. Sei de alguns que passam muito mal, humilhações de todo o género, mas geralmente estão ao lado de casa. Humilhações e maus tratos também os do público aguentam e longe de casa. Se isto que digo é criar uma luta, que seja, sou educadora, educo crianças na justiça, na luta pelos seus direitos e não pelo que fica bem. Talvez por ser inconveniente e não ser menina de família, católica e bem relacionada politicamente nos arredores de casa é que estou contratada (desempregada) na escola pública há 16 anos. Não falo por todos os professores do privado, falo por casos reais que conheço. Continuo sindicalizada, desde 1996, mas não encontro explicação para o arrastar deste problema, com os sucessivos governos, esquerda/ direita, como é que os sindicatos não encontraram forma de travar este problema?… É num ano de crise que encontram ânimo para tal? Quantos vão vincular? Meia dúzia dos professores reconduzidos… Que foram reconduzidos por batota a meio do procedimento concursal… Talvez seja culpa de todos nós… Assim há-de continuar por muitos e longos anos…

    • Elisabete (Liza) on 24 de Setembro de 2012 at 22:43
    • Responder

    Porque não propor o seguinte: vincular (se houver vagas, claro) quem tem mais de 3 anos de tempo de serviço no ensino público, independentemente de terem tido horário completo e anual. Contar apenas os dias, independentemente da nota de curso (o q até me prejudica, mas seria mais justo). Isto sim seria justo.

    • ana on 24 de Setembro de 2012 at 23:12
    • Responder

    Estas propostas não têm qualquer cabimento! A lei fala em 3 anos mas é impossível vincular essa gente toda. Não contem com isso. Se ocorrer uma vinculação de umas dezenas, é muito. A não ser que haja vinculação de todos aqueles que têm direito por lei e depois mandem para a rua milhares de professores de QE/QA por estarem com horário zero. Por mão de obra barata, são capazes de tudo.
    Para mim, a forma mais justa seria averiguar as vagas existentes, publicar a lista das vagas e todos concorrerem, sendo colocados mediante a graduação (com tempo mínimo de 3 anos de serviço e excluindo os do privado).
    Ex: eu tenho 14 anos de serviço e imaginando que seria a primeira da lista, se concorresse para locais onde existem vagas, ficaria aí vinculada, se não passaria para o seguinte, independentemente de no último ano ter trabalhado durante um mês, dois, ou até nenhum. O facto de já ter dado 14 anos ao ensino, deveria garantir-me a posição correspondente na lista, sem dar importância ao facto dos contratos terem sido anuais ou não, seguidos ou não.

    • Girassol on 24 de Setembro de 2012 at 23:17
    • Responder

    Estas notícias fazem-nos sonhar e construir castelos….mas de areia….Vincular docentes só com três anos de serviço…faz-me pensar onde já estaria…. se essa regra tivesse sido aplicada há mais tempo.A trabalhar desde 97/98 ….mas há muitas questões em cima da mesa…Não será justo que um docente com meia dúzia de horas ou que tenha só lecionado em Aecs possa concorrer em iguais circunstâncias que um docente tenha lecionado vários níveis de ensino,com muitas mais horas e que tenha desempenhado diferentes cargos nestes últimos 3 anos..Como atribuir horários a tantos docentes contratados em lista de espera e que reunão as condições previstas para vinculação? Por certo,novas listas de docentes contratados em mobilidade irão ser criadas à semelhança daquelas que foram criadas para os docentes dos quadros…Uma dita vinculação será quanto a mim ilusória já que não “vestirá a pele “que todos nós tanto desejamos…”ESTABILIDADE PROFISSIONAL!!!

    • isa on 24 de Setembro de 2012 at 23:29
    • Responder

    Andam a brincar com coisas sérias… Como é que vamos chegar a algum lado com esta gente a defender os nossos direitos ? Nem sequer têm a noção do ridículo …

    • Sandra on 24 de Setembro de 2012 at 23:59
    • Responder

    Para o SPGL já seguiu o mail:
    “Foi com indignação e estupefação que li hoje a vossa proposta de vinculação de professores estabelecendo como critérios o ter mais de 3 anos de serviço e ter leccionado no ano de 2011/ 2012.

    Porquê?
    Sou professora profissionalizada do grupo XXX pela XXXX desde 1996/97 (ano de estágio). trabalho por isso há 16 anos embora em tempo de serviço tenha pouco mais de 10 anos de serviço após a profissionalização e 1 ano de serviço antes.

    No ano lectivo de 2011/12 tive a pouca sorte de não ser reconduzida (o meu horário a contrato foi atribuido a um DACL) e como nesse ano apenas concorri a horários anuais, quando o ministério passou a converter à vista de todos horários anuais em temporários viciando os pressupostos do concurso, acabei por não ficar colocada nesse ano lectivo apesar de ter concorrido a ofertas de escola (não tinha experiencia de TEIP, não fui seleccionada e não fiquei colocada).

    E não recebi nenhuma indeminização por caducidade de contrato.

    No presente ano 2011/12 já concorri a temporários, mas fiquei colocada em horário anual.

    Agora pergunto se o MEC procede como procede, anos e anos a fio, que podemos nós esperar dos sindicatos?
    Resposta: Pelos vistos podemos esperar UMA FACADA NAS COSTAS!”

    Penso que o conteudo transcrito nos alerte a todos para questões que possam gerar injustiças e um enorme sentimento de frustação.

    O mesmo para o ASPL, de que (ainda, a ver vamos) dou sócia.

    NÃ HAJA MEDO: CONCURSO COM APURAMENTO DE GRADUÇÃO e PRIORIDADES NOS MOLDES DOS CONCURSOS ANUAIS COM APURAMENTO REAL, DIGO REAL, DAS NECESSIDADES (SEM FANTASIAS, NEM ESQUEMAS).

    • Manuel do Burro on 25 de Setembro de 2012 at 2:04
    • Responder

    Então aqueles que não têm 3 anos consecutivos mas já tem uns anos de serviço? Como fica a situação??? estas coisas têm que ser muito bem pensadas( e aínda à mais questões que não são faladas) para não dar origem a decisões precipitadas ou mesmo decisões de mer…

    • JL on 25 de Setembro de 2012 at 12:51
    • Responder

    Estas medidas só servem para ajudar todos aqueles que conseguiram renovações nos últimos anos… sabendo que as renovações foi o ato mais injusto na contratação de professores, isto só vai piorar.
    Os sindicatos que estejam quietinhos, porque para pior já basta assim.

    • JL on 25 de Setembro de 2012 at 12:55
    • Responder

    Dado isto, a única que consegue vincular é a Vera Pereira…

      • Catarina Anes on 25 de Setembro de 2012 at 19:07
      • Responder

      ehehehehehehehehehehe

        • Catarina Anes on 25 de Setembro de 2012 at 19:19
        • Responder

        hihhhhhhihihihihihi

          • Cláudia Reis on 25 de Setembro de 2012 at 22:42

          Muito Bom!!!

    • PM on 25 de Setembro de 2012 at 13:31
    • Responder

    Uns reclamam que as propostas da FNE e FENPROF são demasiado exigentes e por isso é lol mais lol e mais lol… outros reclamam (com alguma razão…) que há gente com mais graduação que assim fica prejudicada… mas a verdade é que a luta vai ter que passar pelos 3 anos de trabalho consecutivos… pois são esses os direitos comuns a todos os trabalhadores… menos nós! Dito isto sou prof do particular e cooperativo… deslocalizado 100 km… sem cunha… e fui para o privado porque tive sorte e porque quando acabei o curso concorri na 6a prioridade e por isso sem qualquer hipótese de colocação… e por isso mesmo o meu tempo de serviço no público após a profissionalização igual a zero… por isso acabo por não ser parte interessada nesta mais que justa vinculação da malta que está no público…

    • O Cão Danado on 25 de Setembro de 2012 at 20:20
    • Responder

    Revogação da Revisão Curricular JÁ!!

    • maria on 25 de Setembro de 2012 at 20:39
    • Responder

    Como é possível a fenprof fazer uma proposta dessas???? Os desgraçados que não foram colocados em 11-12, e já com muitos contratos anteriores, mais de 1o, alguns com 15, ficam de fora? A FENPROF ESTARÁ DOIDA??? Só espero que os colegas se mobilizem contra esta absurda proposta!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: