Comunicado APEVT sobre a Reunião com a DGAE

Um longo comunicado da APEVT que aborda questões essenciais das alterações curriculares e dos procedimentos que se prevêm para a organização do ano letivo 2012/2013 e não apenas dos problemas da disciplina de EVT.

COMUNICADO

REUNIÃO de 10 de Abril entre a APEVT e a DGRHE

Nota prévia

Trabalhar sobre os erros do MEC sobre a Revisão da Estrutura Curricular não é abdicar dos princípios que defendemos mas denunciar que as soluções apresentadas não têm consistência e que a única intenção evidente é reduzir despesas com os recursos humanos na educação. Assim, reafirmamos algumas questões que constituem motivos da nossa preocupação:
– A concretização da intenção expressa no âmbito do melhoramento do acompanhamento dos alunos, “… Fomentar, no 1.º ciclo, a coadjuvação nas áreas das Expressões, por professores de outros ciclos do mesmo Agrupamento de Escolas, que pertençam aos grupos de recrutamento destas áreas”;
– A eliminação da disciplina de EVT sendo uma solução inaceitável, pois carece, como sempre dissemos, de fundamentação consistente, surge no plano dividida pelas disciplinas de EV e ET, cada uma com 90 minutos e leccionada por um único professor. Repare-se, contudo, na contradição de criar ET no 2º ciclo e retirar no 3º impedindo a sua continuidade curricular. Por mais esta razão a eliminação da disciplina de ET no 3º ciclo é um verdadeiro absurdo. Esta morte abrupta da ET será, através da Oferta de Escola, uma morte lenta;
A omissão dos grupos de recrutamento/docência levam-nos a antecipar o princípio de que a EV e a ET, deverá ser leccionada por professores recrutados do grupo 240, por forma a manter equidade e a estabilidade nos quadros docentes das escolas. Esta medida determinará consequentemente o modo de leccionação das duas disciplinas com repercussões diretas na elaboração dos programas;
A partir destas questões primordiais apresentamos propostas na reunião com a DGAE (ex-DGRHE), de entre as quais salientamos as seguintes:
• 1º CICLO: Concretização das intenções expressas de Coadjuvação das Expressões no 1º ciclo.
É imprescindível a publicação do quadro da estrutura curricular do 1º ciclo, tal como aconteceu com os planos curriculares dos outros ciclos de estudo. É também necessário regulamentar, nomeadamente no documento Organização do Ano Letivo (OAL), a gestão de horas do plano curricular do 1º ciclo especificando horas a atribuir à coadjuvação, especialmente na área das expressões plásticas e na mobilidade vertical de agrupamento possível para o grupo 240 (refira-se apenas como exemplo que na Região Autónoma da Madeira existe o grupo 140 de Expressão Plástica para o 1º ciclo na sua grande maioria professores de EVT).
Esta medida libertaria horas letivas ao professor generalista do 1º ciclo para trabalho de coordenação das AEC’s, (revindicação antiga dos professores do 1º ciclo). A modalidade desta coadjuvação, assente em projectos de expressão plástica desenvolvidos em conjunto entre os professores, mas cuja leccionação seria realizada pelo professor coadjuvante em blocos de 90 minutos por turma.
• 2º CICLO: Explicitação dos grupos que lecionam EV e ET e regime de docência
Não se vislumbra outra solução senão a EV e a ET serem dadas pelo mesmo professor (à mesma turma) que leciona a EVT, ou seja o grupo 240. Isto permite continuidade e acompanhamento dos alunos; potencia a lecionação articulada entre as duas componentes, (agora designadas disciplinas); e evita um elevado número de turmas a atribuir a cada professor o que se revela pedagogicamente desaconselhável.
Propõe-se também que no quadro do Plano Curricular do 2º ciclo se inclua uma alínea que refira que a ET é dada em regime de par pedagógico, ou em turma dividida em dois turnos anuais de 90 minutos com o mesmo professor, garantindo um rácio de 10-15 alunos por professor em disciplinas com caráter prático e experimental como é o caso.
• 3º CICLO: Oferta de Escola e a disciplina de ET (disciplina estruturada, com quadro de professores, recursos educativos – manuais escolares, salas especificas e materiais e equipamentos específicos….)
Propõe-se que no quadro do Plano curricular do 3º ciclo se inclua uma alínea que refira que a ET deve ser de oferta obrigatória em todas as escolas garantindo a continuidade pedagógica entre ciclos. Deve ser leccionada em turma desdobrada em regime semestral, garantindo um rácio de 10-15 alunos por professor.
Salienta-se, de acordo com o Relatório de Acompanhamento Global da Educação para Todos de 2006, publicado pela UNESCO, a educação para todos é importante e qualquer abordagem à Educação Artística deve ter como ponto de partida o educando. As dimensões da Educação Artística (Musica, Teatro, Artes Performativas …) não se confinam num currículo escolar mas numa oferta extra curricular pois, estruturam-se no estudo, no contacto e na participação do “eu” dos alunos no mundo das artes (exposições, ateliers, concertos etc.).
Assim, propõe-se que no âmbito da Educação Artística, nomeadamente no 3º ciclo, uma modalidade de oferta idêntica à existente para o Desporto Escolar (os grupos/equipa estão para o Desporto Escolar como as parcerias de Arte e Cultura para a Educação Artística e Tecnológica).
• Na Oferta Complementar é absolutamente necessário explicitar os critérios de atribuição do crédito horário de cada escola. Efetivamente o critério vigente de fazer depender o crédito horário do número de horas do artigo 79 não é garantia de horas em número suficiente para “fechar horários”. A utilização da Oferta Complementar para COMPLETAR HORÁRIOS é um aspeto técnico na requisição de serviço docente/elaboração de horários. Se repararmos as cargas horárias curriculares, pela ausência de blocos de 45 minutos, não permitem horários de 22 horas mas sim de 21 ou de 24. Propõe-se um crédito horário correspondente, pelo menos, a cada turma existente.
• Nas Mobilidades entre grupos disciplinares e entre os ciclos de estudo é necessário legitimar os critérios implícitos na requisição de serviço docente. Propõe-se que se explicite, nomeadamente no documento “OAL”, critérios de mobilidade de agrupamento entre ciclos e grupos disciplinares, 240, (240 com habilitação para 1º ciclo), 600, 530 e até 550). O MEC não pode deixar ao livre arbítrio dos diretores a distribuição deste serviço docente. Nem pode fomentar uma guerra entre grupos e professores no seio das escolas e nos agrupamentos.
Sobre a contratação de professores para AEC’s, propõe-se que na definição de critérios de contratação se dê primazia aos professores contratados com mais tempo de serviço e que leccionam no agrupamento.
Por último, mantém-se a dúvida sobre a existência de um calendário de implementação da revisão. Propõe-se que a nova Estrutura Curricular se implemente gradualmente, ou seja 1º, 5º e 7º ano para o próximo ano letivo 2012/2013. Esta proposta tem por base a continuidade pedagógica dos alunos que iniciaram os ciclos de estudo e o amortecimento do impacto socioprofissional das medidas.
O objetivo da reunião convocada pela DGAE visava a receção de propostas tendo em vista soluções para a distribuição de serviço docente e apenas isso. Outras questões por nós suscitadas foram remetidas para uma audição com a DGE (ex-DGIDC), que trata questões do foro de natureza curricular. Ficamos à espera de feedback sobre as nossas propostas e iremos já amanhã solicitar uma audiência com a DGE para colocar questões de caráter conceptual, como são as questões programáticas, os modelos disciplinares, o regime de docência, etc.

APEVT 10 de Abril 2012

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2012/04/comunicado-apevt-sobre-a-reuniao-com-a-dgae/

58 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • dalia negra on 11 de Abril de 2012 at 18:18
    • Responder

    sou professora do quadro do grupo 530 e considero que a APEVT tem feito um trabalho espetacular em prol não só da disciplina de EVT como na defesa da disciplina de Educação Tecnológica no 3º ciclo

    Bem hajam

      • Maria on 11 de Abril de 2012 at 18:37
      • Responder

      Concordo plenamente com o comentário da Dália Negra. A APEVTestá de parabéns pelo excelente trabalho que tem realizado. Sou professora do 240 e vejo tudo muito complicado para todos.

      • Jorge on 11 de Abril de 2012 at 19:26
      • Responder

      Concordo plenamente! Muitos Parabéns!

      • Jorge on 11 de Abril de 2012 at 19:33
      • Responder

      Não haja dúvida os senhores da APEVT, sabem o que estão a dizer!

      Sou do grupo 530 e acho que o vosso trabalho está bem feito! Cumprimentos e um obrigado em nome dos colegas do grupo 530!!

      Jorge Santos

      • Dário Baptista on 12 de Abril de 2012 at 9:38
      • Responder

      Concordo plenamente com o comentário da Dália Negra.
      A APEVT está de parabéns pelo excelente trabalho que tem realizado na defesa de EVT e ET.
      Sou professor do 530.

      Cumprimentos.
      Dário Baptista

    • apvm on 11 de Abril de 2012 at 18:24
    • Responder

    eu defendo cada “macaco no sei galho” tic fica reduzida a um bloco depois do ano 2012/2013 por isso estamos pior que os professores de ET, agora tb querem as nossas horas e nós o que vamos fazer?

      • dalia negra on 11 de Abril de 2012 at 18:45
      • Responder

      Os professores de Tic nao lecionavam no 7º e 8º ano, a educação tecnológica sempre fez parte do curriculo do 3º ciclo.
      Penso que o colega nao escolheu o galho certo para se pendurar. Em todas as escolas que eu conheço a disciplina de Tic nem faz parte do departamento de Expressoes. Tente abanar o galho de Educaçao visual que ficou com 2 blocos de 90m ao longo do 3º ciclo
      Passe bem

        • Telma Espada on 12 de Abril de 2012 at 21:09
        • Responder

        Meu Deus, santa ignorância!
        Como é possivel o estado contratar professores deste nível!
        As TIC são uma disciplina da área das Ciências, como é possivel um professor da área das Artes lecionar esta disciplina. Deixem os profissionais de Informática em paz! que destino o nosso 🙁

          • marco on 10 de Julho de 2012 at 7:26

          Caros colegas, estas guerras entre grupos disciplinares é o que o governo pretende.
          apelo a união,
          temos que dizer aquilo que o nosso grupo precisa e não aquilho que queremos ir roubar ao nosso vizinho.

        • tic0 on 12 de Abril de 2012 at 21:50
        • Responder

        Doutora dalia negra, o 9º Ano faz parte do 3º Ciclo. Ponham-se no vosso galho que é precisamente as Expressões, a criatividade, a arte, etc. Deixem a Informática em paz, da qual não percebem ponta dum… Utilizar o Gimp, Photoshop e programas de edição audio, vídeo, etc., não vos dá habilitações para leccionar uma disciplina de Informática.

      • tic0 on 12 de Abril de 2012 at 21:53
      • Responder

      Nós, o que vamos fazer? Vamos seguir o exemplo dos “colegas” de EVT e salvar os nossos pescoços. Eu aguardo tempos “quentes” na minha escola, onde sou o único do 550, e onde a malta das Expressões está por todo o lado (avaliação, CP, etc.). Nem que tenha de recorrer à IGE. Quero ver como justificam um tipo com 5 anos de Informática ser ultrapassado por um artista de EVT.

  1. Sou professora de música do grupo 610, 3º ciclo. A minha disciplina está exactamente nas mesmas condições que a ET do 3º ciclo. Todos os argumentos que usam para a continuidade da ET são válidas para a Música.Compreendo que, enquanto associação, tenham como objetivo defender a disciplina e o grupo de professores que lhe estão associados, não compreendo é que o possam fazer atacando outra disciplina e outro grupo de professores. Empurrar a Educação Artística para oferta extra-curricular?????

      • Bubble on 11 de Abril de 2012 at 19:31
      • Responder

      Ana, tenho de concordar consigo parcialmente.
      Não, Música nunca esteve nas condições de ET – já era uma disciplina de oferta de escola, cuja existência dependia decisão de cada um dos agrupamentos. ET estava claramente em vantagem.
      O que acontece agora é o tornar a preponderância de ET equivalente a outras expressões artísticas. Será lamentavelmente doloroso para os colega de ET, assim como o vem sendo para os colegas de Música, Dança, ou Teatro. No fundo compreendo a reacção dos colegas de ET, mas que tenham consciência que estavam desde há muito numa situação de privilégio em relação a outros pequenos grupos do âmbito das expressões.

      No fundo, perdemos todos…

      • Sofia on 13 de Abril de 2012 at 0:25
      • Responder

      Ana,
      Também eu sou professora de Música do 610. Estou em perfeito estado de choque com esta mentalidade. No mesmo ponto onde citam o relatório da Unesco, têm a distinta lata de sugerir que a Educação Artística seja uma oferta extra-curricular, colocando-a ao mesmo nível do Desporto Escolar. Se, como referem, “os grupos/equipa estão para o Desporto Escolar como as parcerias de Arte e Cultura para a Educação Artística e Tecnológica”, não se esqueçam de que esta oferta está sob a alçada da disciplina de Educação Física. Daqui a nada estão a sugerir acabar com a Educação Física, já que têm o Desporto Escolar, não?? E porque não?? Faziam-se uns clubezitos e pronto! Sempre eram mais umas horitas para a Mat e LP, que têm poucas.
      Quando vi a revisão curricular fiquei em estado de choque com o desaparecimento de ET e tenho defendido com unhas e dentes esta disciplina, mas já percebi que na hora do aperto quem unhas é que toca guitarra (aproveitando a temática).
      Por favor, defendam uma posição legítima para a disciplina de ET com dignidade não atacando as restantes, sobretudo aquelas que têm tido já uma posicionamento periférico no currículo, não obstante a sua importância indiscutível.

      Cumps,

        • Sofia on 13 de Abril de 2012 at 0:48
        • Responder

        Realmente, esta coisa de olharmos apenas para o nosso próprio umbigo é espetacular. Nestes minutinhos, desde que li o vosso comunicado e postei o meu coment, fiz esse exercíco e vejam só! Tive uma ideia brilhante que, por ser dedicada ao meu umbigo, acaba por respingar para cima dos outros. Oiçam (leiam) só: e que tal EV desdobrar com ET no 3º Ciclo??? Espetacular, não??? Agora caem em cima de mim os de EV, mas olhem, paciência!! Pensem positivo. Assim não ficava ninguém de fora… mesmo a olhar para o meu umbigo sou generosinha, heim??
        Cumps

          • ana on 13 de Abril de 2012 at 0:50

          Sofia, camarada, brilhante!!!!!!!!

          • Sofia on 13 de Abril de 2012 at 0:52

          Ana,
          É a luta, pah! Estamos convocadas para a luta!
          A malta das artes tem sempre ideias brilhantes. Tecnológica é arte?

          • Telma Espada on 13 de Abril de 2012 at 9:04

          Então Sofia…
          “Agora andam os de Tic ao estalo com os de ET e EVT!!! Credo… em casa onde não há pão…”
          de repente esqueceu-se do seu comentário…o que é isso a confrontar os de EVT:)

        • Bubble on 17 de Abril de 2012 at 20:43
        • Responder

        Citando a Sofia:
        “Quando vi a revisão curricular fiquei em estado de choque com o desaparecimento de ET e tenho defendido com unhas e dentes esta disciplina, mas já percebi que na hora do aperto quem unhas é que toca guitarra (aproveitando a temática).
        Por favor, defendam uma posição legítima para a disciplina de ET com dignidade não atacando as restantes, sobretudo aquelas que têm tido já uma posicionamento periférico no currículo, não obstante a sua importância indiscutível.”

        Não podia estar mais de acordo. Também eu fiquei em choque, também eu saí em defesa dos professores de ET…
        O meu choque foi ainda maior quando li o comunicado em questão. É, no mínimo, eticamente deplorável.
        Felizmente, cruzei-me com alguns professores da disciplina que, como pessoas de bem, reconhecem a enormidade do disparate.

        Haja bom senso

    • António Gomes on 11 de Abril de 2012 at 19:04
    • Responder

    “Esta medida libertaria horas letivas ao professor generalista do 1º ciclo para trabalho de coordenação das AEC’s, (revindicação antiga dos professores do 1º ciclo). A modalidade desta coadjuvação, assente em projectos de expressão plástica desenvolvidos em conjunto entre os professores, mas cuja leccionação seria realizada pelo professor coadjuvante em blocos de 90 minutos por turma.”

    Sou professor do 1C e não me lembro de que estes reivindicassem libertação das horas letivas para coordenação das AEC. Talvez supervisão… Mas então, deixaria de estar na turma 90 minutos e depois teria de os compensar a olhar para os corredores, depois das 15:30h? Se a supervisão passasse para o horário letivo, significaria que teria de estar mais 1h depois da 15:30. Era mesmo fixe. Ere isto com que eu sonhava. Por outro lado, não me parece que os professores do 1C necessitem de coadjuvação nessa área pois estão obrigados a dar um programa específico de Expressão Plástica e para isso são preparados.
    Depois outra questão: 90m de Expressão plástica? Há a consciência de que o horário do 1c é composto apenas de 5h semana para Exp plática, Exp. musical, Exp. dramática, Exp. fisico-motora, Est. acompanhado, Área de projeto e Educação cívica?
    Por fim: já foi ouvida a Associação de Professores do 1.º ciclo sobre esta matéria?

    1. Depreendo do comunicado que a libertação dos 90 minutos para a supervisão das AEC não implicassem que esses 90 minutos teriam de ser repostos com atividade letiva.

    • sónia Antunes on 11 de Abril de 2012 at 20:08
    • Responder

    Sou de português-francês (e já sabemos que o francês está a desaparecer completamente, neste país) e tenho de dar os meus parabéns à APEVT e todos os colegas de artes. Realmente têm lutado com todas as forças, nunca desistiram e mostraram a todos os outros grupos de docência o real significado da palavra UNIÃO. Estão de parabéns! Sempre estive do vosso lado, assinei as petições, fi-las circular no meu facebook, participei nos vossos debates em Aveiro, e inclusive fui até Lisboa e Guimarães manifestar o meu descontentamento. Todos deveríamos seguir o exemplo dos colegas. As artes são fundamentais em todas as disciplinas, nas nossas vidas e no desenvolvimento das crianças e adolescentes. A arte é vida, é cor! Sem arte não há nada! Precisamos de criar, conceber, conhecer e descobrir. É INCONCEBÍVEL cortar constantemente nessa área, é uma vergonha. Mais uma vez parabéns! Tenho muita pena dos meus colegas não serem tão unidos! FORÇA!!!VAMOS VENCER! EVT ATÈ MORRER!

    • Célia on 12 de Abril de 2012 at 0:25
    • Responder

    Não compreendo o seguinte: se as alterações curriculares começarem gradualmente (1º, 5º e 7º significa que a coadjuvação no 1º ciclo apenas se faria, este ano no 1º ano, certo? então, ainda que os professores de evt dessem o regime atual ao 6º ano, ficariam muito reduzidos em termos de apoio ao 1º ciclo, não?. E, no próximo ano, que já seria 1 professor para o 5º e 1 para o 6º ano (nova reforma), apenas dariam coadjuvação ao 1º e 2º no do 1º ciclo. Ou muito me engano, ou não compreendi mas, parece-me que os professores de evt com essa medida progressiva ainda ficam mais prejudicados. Esclareçam-me por favor, Obrigada!

  2. Mecânicos e Carpinteiros o que é que pecebem de TIC??????

      • Firmino Oliveira on 12 de Abril de 2012 at 15:44
      • Responder

      não entre por ai, está a provocar …..o que é que pretende ? sabe do que está a falar ?

      • sónia on 12 de Abril de 2012 at 20:09
      • Responder

      O Rui não conhece o programa de EVT… Então informe-se antes de dizer disparates…

        • Telma Espada on 12 de Abril de 2012 at 21:18
        • Responder

        não me diga que o programa de TIC está incluído no programa de EVT! Por que será que os professores de tic são constantemente chamados à aula de EVT! O monitor não liga: colega ainda não ligou o computador 🙁 o rato não funciona: colega tem que ligar o rato pois está desligado, ligo onde? porta PS/2 diz-lhe alguma coisa? 🙁

          • semifusa on 12 de Abril de 2012 at 21:46

          quero informar que os professores de EVT e ET, sabem trabalhar perfeitamente com as TIC, inclusive trabalhar com plataforma mOOdle e Jomla. Ao tentar denegrir os professores acusando-os. “Por que será que os professores de tic são constantemente chamados à aula de EVT! O monitor não liga: colega ainda não ligou o computador o rato não funciona: colega tem que ligar o rato pois está desligado, ligo onde? porta PS/2 diz-lhe alguma coisa”
          Nao sei se Telma Espada é professor ou não de Tic, quero informar que na minha escola existem grandes professores de EVT/ET e para alem disso são grandes conhecedores de informatica aplicada nas aulas diariamente. e se precisassem de ajuda por algo mais complicado do que expoe, temos um coordenador do Projeto Tecnologico que neste caso não é professor de Tic. Não sei se a pessoa em questão” TELMA ESPADA” tirou o curso de informatica pelas Novas Oportunidades ou pelo e-escola e realmente apresente dificuldades em ligar o rato ou quiçá saber como se liga à corrente elettica

          • dalia negra on 12 de Abril de 2012 at 21:58

          telma espada explique o que tem o programa de TIC a ver com o de EVT ?
          Porque tenta ridiculizar os professores de EVT, chamando-os de incompetentes nas TIC, ao referir

          “Por que será que os professores de tic são constantemente chamados à aula de EVT! O monitor não liga: colega ainda não ligou o computador o rato não funciona: colega tem que ligar o rato pois está desligado, ligo onde? porta PS/2 diz-lhe alguma coisa?

          Pensa que os professores de EVT tiraram Tic nas Novas Oportunidades ou no programa
          e-escola Não ridicularize os colegas porque já teno 31 anos de serviço, e os que se cruzaram no meu caminho sao profissionais espetaculares assim como muitos colegas de Tic.

          • tic0 on 12 de Abril de 2012 at 22:02

          semifusa: não seja parva! Saber usar o moodle e o joomla quer dizer exactamente o quê? Que sabe administrar essas plataformas? Ou que as usa do ponto de vista do professor? Vocês sabem todos USAR SOFTWARE. Ora isso não é SABER INFORMÁTICA! Há muita teoria na Informática que vocês não pescam, tal como 99% dos colegas que conheço. Para ensinar Informática, mesmo do ponto de vista do utilizador, é preciso vê-la por dentro para depois a digerir e apresentar de forma a que o utilizador normal a perceba. Vocês sacam umas generalidades da net e apresentam-nas sem saber do que estão a falar. Usam todos Windows 7 e não pescam nada de Linux nem de segurança. Tenha juízo e vergonha!

      • tic0 on 12 de Abril de 2012 at 22:12
      • Responder

      O que é mais engraçado é que na altura de acartar com umas caixas, montar uns PC e ligar uns cabos, nunca se vê estes “artistas” da criatividade pela vizinhança. Em medos de Julho já estão de férias, depois voltam em Agosto… Na altura dos exames também nunca vejo nenhum destes “artistas” no serviço de exames para a parte informática; nem no início do ano quando é preciso criar contas para os DT, Moodle, etc.; nem quando é preciso resolver problemas vários de segurança e manutenção; nem quando é preciso montar aquele projector para a exposição de EVT e resolver aquele problema no media player (VLC); etc. Afinal são estas pessoas que vão ensinar TIC?

        • dalia negra on 12 de Abril de 2012 at 22:25
        • Responder

        uau!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! certamente na sua escola como não faz nada durante o ano de castigo fica a fazer o trabalho de exames, coitadinho” é um burro de carga

        e para não fazer parte de nenhuma equipa de trabalho, porque será?

          • tic0 on 12 de Abril de 2012 at 22:32

          Sair da escola em média às 20h é o que chama “não fazer nada”? De tal modo que depois só resta meter os 102 até ao limite possível, para não dar em doido? Fora o empo que se perde em casa à frente do computador a procurar soluções para problemas, sacrificando muitas vezes o tempo para preparar aulas? Farto de gente que pensa como a “dália negra”, cambada de ingratos.

          • semifusa on 12 de Abril de 2012 at 22:47

          tadinho!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

        • semifusa on 12 de Abril de 2012 at 22:28
        • Responder

        Para que precisamos do Media Player? será que tambem vamos dar aulas de educaçao musical?????IHIHIH!

          • tic0 on 12 de Abril de 2012 at 22:34

          Esta resposta diz muito sobre o que a senhora sabe de TIC. Referia-me a um tipo de aplicação – “media player” – e não ao software Media Player. Claro que quem não deve conhecer mais nada a não ser MS é no que dá. Um gajo até perde a vontade de responder, quando em documentos oficiais se vê palermices como “página da Internet” e documento “Word”.

          • semifusa on 12 de Abril de 2012 at 22:46

          vomitivos TIC0 e telma espada CCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCHHHHHHHHHHHHHHHHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

          • Telma Espada on 12 de Abril de 2012 at 22:50

          semifusa…ou semiconfusa ?? 🙂 🙂 🙂

          • tic on 13 de Abril de 2012 at 0:27

          Ó tia, tica-mos.

        • Telma Espada on 12 de Abril de 2012 at 22:39
        • Responder

        UPS… as colegas sentiram-se ofendidas :), desculpe não é uma UPS é apenas upssssss…e infelizmente é a realidade do dia-a-dia…

        “Porque tenta ridiculizar os professores de EVT, chamando-os de incompetentes nas TIC”, apenas estava a tentar explicar que estes professores não têm conhecimentos científicos…a colega é que foi logo diretamente ao ponto chave da questão…afinal como a compreendo…

          • semifusa on 12 de Abril de 2012 at 22:45

          boa noite iluminados

        • Sofia on 13 de Abril de 2012 at 0:28
        • Responder

        Agora andam os de Tic ao estalo com os de ET e EVT!!! Credo… em casa onde não há pão…

          • tic0 on 13 de Abril de 2012 at 12:40

          Acho este tipo de comentário muito engraçado. Diga-me o que faria se alguém de outro grupo não revelasse qualquer escrúpulo em leccionar o seu grupo, sabendo que há pessoas do seu grupo que serão afectadas por isso. Apelaria para a solidariedade dos professores desse grupo? É muito reconfortante falar no geral, enquanto não nos mordem os calos somos todos muito solidários e correctinhos da silva…

    1. O grupo 530 inclui professores de váraias áreas, eu tenho uma licienciatura em secretariado e gestão, não querendo atacar ninguém mas também não querendo ser atacada, tenho competências para lecionar tic.
      Aquilo que me choca com estes comentários é ver que sempre fomos, e pelos vistos continuamos a ser uma calsse sem qualquer união.
      Em vez de estarmos todos preocupados com esta revisão curricular, que na minha opinião apenas não afeta os professores de português e matemática, perde-se tempo com comentários a de ofensa uns aos outros.
      Mesmo perante um caso, como o tão recente, de uma amputação de uma perna, por erro médico, alguém ouviu um médico insurgir-se contra o colega?
      Está na hora de aprendermos TODOS que a união faz a força!!!

        • tic0 on 13 de Abril de 2012 at 12:28
        • Responder

        Por amor da santa. Uma licenciatura em secretariado e gestão confere habilitações a alguém para ensinar uma disciplina de INFORMÁTICA? Não estará a senhora a confundir a disciplina ITIC com “Word” e “Powerpoint”? Conhece o programa da disciplina? Em qual cadeira da sua licenciatura lhe ensinaram o funcionamento do CPU, o protocolo TCP/IP, noções básicas de redes e hardware, etc.? Depois diz que não quer ser atacada. Não se trata disso aqui. Tenha decência. Seja séria. E já agora ponha as suas acções onde tem as suas palavras, ou seja, mostre solidariedade com os colegas de Informática. Como, pergunta? Exigindo que estes colegas tenham prioridade na leccionação de TIC, o que é do senso comum.

        • marco on 10 de Julho de 2012 at 7:35
        • Responder

        Bem dito…..
        é por haver colegas assim que estamos as voltas e em gerras internas….
        acreditem isto é o que o governo quer…….

    • fernando Benta on 12 de Abril de 2012 at 17:08
    • Responder

    Sugestão para todos os colegas de ARTES e em especial para a APEVT, APEV e outras que se queiram associar:

    Criar um “Fórum” (ou outro nome que lhe queiram chamar) anual, onde estarão presentes associações, representações, instituições, enfim quem quiser participar, e analisar, debater o ensino artistico em portugal, ao mesmo tempo que se promovem exposições de trabalhos de alunos, se convidam músicos, se promovem concertos, chamam-se artistas plásticos, escritores e se coloca a discussão das artes na boca do mundo. Seria aberto ao público em geral! e as pessoas poderão ver do que as escolas são capazes e em particular do que o ensino artistico, tecnológico e afins é capaz. Seria apoiado pelas marcas ligadas às artes e por outras entidades que o entendessem!

    É apenas uma ideia!!!

    • Maria on 13 de Abril de 2012 at 16:32
    • Responder

    Tico és mesmo convencido ….

    • tic0 on 14 de Abril de 2012 at 20:11
    • Responder

    Plano de formação da APEVT para 2012:
    – Fotografia digital: concordo – é a vossa área.
    – Ligar o QI blablabla…: concordo – é a vossa área, uma ferramenta interactiva, visual, criativa, blablabla.
    – Photoshop e Flash: concordo – é a vossa área, mas se estivessem mais actualizados saberiam que toda a gente se queixa do Flash, a praga que é (menos para os “criativos”) em termos de uso do CPU, daí a adopção do HTML5 (pesquisem se quiserem!). Até já há movimentos para acabar com essa praga!
    – Ilustração digital: as TIC….: concordo – é a vossa área, gostei do pormenor “as TIC”, devagar se vai ao longe…
    – EVTux: falta acrescentar que é uma distribuição Linux. Quanto a ser livre tenho as minhas dúvidas. Consultar a FSF para saber o que são distros REALMENTE livres. Aqui levanta-se um problema: as pessoas vão usar isto como liveCD ou vão passar a usar Linux nos seus desktops?

    Resumo: tudo isto não é mais que saber USAR SOFTWARE! ITIC tem de ser uma DISCIPLINA de INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA. Para estas coisas há as disciplinas de opção. ITIC não pode resumir-se a estas coisas!

    • Elfo on 15 de Abril de 2012 at 23:33
    • Responder

    Caríssimos colegas:

    É triste. É o meu desabafo. É triste. É triste que depois de um ataque tão cerrado ao ensino, como é esta Estruturação Curricular, os colegas se venham digladiar da forma que se vê. Sou professor de Ed. Musical/ Música e como é óbvio estou preocupado com o destino da disciplina. Antes disso, e já quando havia só a proposta para o desmembramento de EVT, fiquei preocupado e solidário com os colegas que poderiam ir para o desemprego. Sempre pensei que o ME desse alguns ouvidos ao que muita gente, professores e não só, escreveram num endereço posto à disposição de toda a gente. Afinal nada disso aconteceu.

    Nunca vi uma “união” tão grande entre colegas, como esta agora da APEVT; onde estava esta e outras associações sindicatos e colegas, quando nos congelaram a carreira? E os vencimentos? E o fim das reduções horárias? E o roubo do desconto no IRS e nos subsídios, quando se sabe que o do Natal corresponde à reposição das quatro semanas que estão diluídas durante as 52 semanas de de um ano de trabalho?

    Como devem calcular, não consigo estar de acordo com a APEVT quando esta associação resolve passar por cima de qualquer outra disciplina. Lembram-se quando houve a reestruturação em que retiraram horas a EVT, ED.Musdica e ED. Física? Quem ficou com o maior “bolo” horário? EVT 2X 90min. Ed. Física com 1X90 min. + 1X45min. e Ed. Musical com 1X90mim. Para além disso contavam com dois professores em cada turma, que são ainda “restos ” da aglutinação dos antigos colegas de Trabalhos Manuais e Lavores Femininos, que iam ficar no desemprego. Nessa altura EVT não abriu o bico e acolheu de braços abertos os “colegas” (muitos deles com o antigo 5º ano do liceu, hoje 9ºano). Aí não fez diferença.

    Segundo muita gente ligada ao ensino, pedagogos se quiserem, as artes fazem parte do crescimento e formação integral do indivíduo. Logo, acho muito estranho que colegas que se dizem artistas e que deveriam ter uma consciência bem mais alargada do que é ser.se artista, venham com comentários próprios de quem acha que a arte é uma pura perca de tempo.
    Sinto-me envergonhado por ter que pertencer a um grupo assim. Cheguei a assinar petições a favor destes colegas; nunca pensei que me viesse a arrepender. Que me desculpem aqueles que são meus amigos.

    Quanto às TIC não meto a colher, pois sou apenas um mero utilizador do computador ( e ainda com bastantes dificuldades), o que não me dá o direito de falar sobre o que não entendo. Apenas posso concordar quando dizem “cada macaco no seu galho”.

    Gostei da proposta da Sofia quando diz :Oiçam (leiam) só: e que tal EV desdobrar com ET no 3º Ciclo???
    Ficávamos todos a ganhar (ou a perder menos).

    A pergunta que deixo no ar é a seguinte: Qual a diferença em termos de oportunidades de horários entre ET,EV e Música? Poruq eterá uma disciplina de se sobrepor a outra?

    E já agora: porque não perguntar aos alunos o que é que eles preferem? Posso-vos dizer que na minha escola os alunos não gostam de ET, gostariam de ter menos aulas de Português e Matemática, de ter música no 7º e 8º anos sem desdobramentos e ter Música no 9º ano. Já me aconteceu ter de mandar alunos do semestre contrário para a aula de ET, que vinham indevidamente para a minha aula. Giro, não é?
    Estamos todos no mesmo barco. Se alguém se afunfar, todos perdem

    Abreijos e portem-se bem.

    Elfo

    Read more: http://www.arlindovsky.net/2012/04/comunicado-apevt-sobre-a-reuniao-com-a-dgae/#ixzz1s9MrHtGH

    • Cristina on 16 de Abril de 2012 at 0:49
    • Responder

    Boa Noite!

    Por acaso tem piada!!! Sou professora de Educação Tecnológica há 12 anos e agora descobri que não percebo nada das TIC…
    Mas quando comecei a leccionar e ainda não existiam professores de TIC, foram me atribuidas durante anos turmas de ITI, TIC e até pasmem… Aplicações Informáticas B… È verdade que tive mais dificuldades do que qualquer licenciado em informática, é verdade que passei noites em claro a preparar as aulas… Mas não é menos verdade que preparei os meus alunos tão bem como qualquer professor licenciado em informática!!! E também é verdade que uma das minhas turmas contava que tinha tido um professor de informática que os deixava ir a aula inteira para a internet….!!!
    Colegas, acho mesmo uma vergonha esta guerrinha…!!! Precisamos todos de trabalhar, e precisamos sobretudo de preparar os nossos alunos para o futuro… Mas não precisamos de olhar só para o nosso umbigo!!!!! È por estas e por outras que esta Reforma Curricular vai avançar… O nosso ministro conhece bem o tipo de profs que estão nas nossas escolas!!! Desculpem o desabafo!!!
    Colegas não tenho nada contra os licenciados de Informática… Aqui nos Açores quando tiraram as TIC do 9º Ano, achei e continuo a achar a maior aberração… Não é justo formar tanta e tanta gente nesta área e depois… Mas também não é justo no momento em que nos tiram a nossa disciplina… Sim, porque eu também não quero leccionar TIC… e de repente começam a atacar-nos, como se nós fossemos uns ladrões e tivessemos culpa de pertencer aos quadros de uma escola…!!!

      • Telma Espada on 18 de Abril de 2012 at 19:13
      • Responder

      My god!! Agora percebo a total ignorância da minha professora de ITI no ensino secundário…debitava exatamente o que estava no livro…será que percebia o que estava para ali a dizer 🙁

    • Benjamin on 16 de Abril de 2012 at 23:18
    • Responder

    NENHUMA ARTE É SUBSTITUÍVEL

    Não sei o que me choca mais, se alguns pontos focados na proposta da APEVT, se o conteúdo de baixo nível de alguns dos comentários que aqui ficaram registados. Pergunto-me como havemos de ganhar respeito como classe profissional (de professores que somos, pelo menos alguns) quando se esquece o profissionalismo e se ouse ‘argumentar’ (o mais correto aqui será dizer regatear) aniquilando as ‘artes menores’ porque, fiquei a saber, existem ‘artes maiores’ de nome EVT e ET. E dá-se assim início a uma luta de gladiadores no mundo da Educação onde os valores de justiça e equidade não são mais bem-vindos.

    Considero lamentável e presunçoso esta auto-proclamação de estatuto de exclusividade que procura salvaguardar a sua existência no currículo escolar atrevendo-se a ajuizar sobre as outras formas de arte (das quais destaco aquela em que me ocupo, a EDUCAÇÃO MUSICAL) considerando-as um obstáculo menosprezável em época de crise, um ‘extra’ dizem, quando na verdade é um DIREITO.

    Eu luto pela inclusão da EDUCAÇÃO MUSICAL no currículo como luto pela inclusão de TODAS AS ARTES. Não, não são extras ou dispensáveis, são bens essenciais e fundamentais para o currículo de qualquer cidadão.

    É preocupante que a APEVT não pense dessa forma e esteja a agir de uma forma tão pouco ética. Resta-me acreditar que alguns docentes representados por essa associação não partilhem de tão grande falácia.

    • Lisa on 16 de Abril de 2012 at 23:39
    • Responder

    Quando querem dizer mal, as pessoas agarram-se a tudo. Parem com estes discursos idiotas!
    Desde quando a APEVT quis minimizar alguma disciplina ou alguém?! Para professores está-se muito mal…Ai tá-se, tá-se!

    • Manuel Joyce Videira on 17 de Abril de 2012 at 12:38
    • Responder

    Manuel Videira

    Sou professor de Educação Musical na EB 2,3 Eugénio dos Santos. Apesar dos meus 60 anos de idade, ainda continuo a ficar pasmado com atitudes do vale-tudo sem princípios. Vejamos. O que é que os colegas de EVT querem dizer com:

    “Propõe-se que no quadro do Plano curricular do 3º ciclo se inclua uma alínea que refira que a ET deve ser de oferta obrigatória em todas as escolas garantindo a continuidade pedagógica entre ciclos.(…)
    (…) As dimensões da Educação Artística (Musica, Teatro, Artes Performativas …) não se confinam num currículo escolar mas numa oferta extra curricular pois, estruturam-se no estudo, no contacto e na participação do “eu” dos alunos no mundo das artes (exposições, ateliers, concertos etc.).”

    Estes postulados só são válidos para as Artes Plásticas? Façamos então o seguinte exercício: substitua-se “ET” por “EM” no primeiro parágrafo (porque não? os colegas de EVT acham realmente que não deve haver continuidade pedagógica em música?) e acrescente-se, no segundo parágrafo, a seguir a Educação Artística: “(Artes Plásticas, Música,, Teatro…) (…)” (Por que é que, nessa frase, os colegas de EVT terão excluído as Artes Plásticas na Educação Artística? Há omissões que falam por si, não há?!).

    Com estas alterações, tudo fica bem? Ou tudo continua mal? Se os professores de EM fizessem esta proposta, caíria o Carmo e a Trindade no seio dos nossos colegas de EVT, não caíria?

    Defender casuisticamente cada qual a sua dama, ignorando a situação das outras disciplinas da Educação Artística parece-me, no mínimo, pouco sábio. Infelizmente, nem 28 anos chegaram ainda para atenuar o corporativismo.

      • Telma Espada on 17 de Abril de 2012 at 21:21
      • Responder

      Concordo!,
      esta forma de luta(tentar ultrapassar tudo e todos) não leva a lado nenhum…aliás como ficou provado na decisão do MEC.
      Sigam o exemplo da Anpri…lutaram dignamente sem se insurgirem contra ninguém!
      Não sou do grupo, mas desejo o melhor para os colegas de Informática, já tive a oportunidade de assistir a aulas lecionadas por estes profissionais e sem dúvida vale a pena!

        • Tania on 18 de Abril de 2012 at 19:25
        • Responder

        Todos falam, todos criticam e todos puxam a brasa à sua sardinha, mas o principal problema está exatamente aí – Cada um olhar para si!!! Infelizmente não funcionamos como classe profissional – PROFESSORES – mas sim como grupos e se tivermos de derrubar os outros para conseguirmos algo para nós, não nos fazemos rogados. Faz-nos falta uma Ordem como a dos Advogados, Médicos, etc, talvez assim fossemos todos mais unidos, em vez de nos andarmos a atacar uns aos outros e a publicar “comentariozinhos” a denegrir os outros grupos de recrutamento. Já agora, sou professora do grupo de música, 610 e estou solidária com todos os grupos que estão a “ver a sua vida a andar para trás”, sejam eles Música, ET, EVT ou qualquer outro. Afinal somos todos seres humanos, todos temos família, todos temos encargos e à partida todos gostamos de exercer a profissão que escolhemos.

    • Conceição Fonseca on 21 de Abril de 2012 at 0:32
    • Responder

    Haja DIGNIDADE, colegas! O que pensariam os nossos alunos se vissem estes comentários? Lembrem-se que temos uma responsabilidade acrescida na formação de cidadãos, pelo que devemos ser um exemplo. Todas as disciplinas são importantes e todas devem ter um espaço na escolaridade básica.
    Parem de se atacar e insultar e foquem as vossas energias e conhecimentos em sugestões úteis que promovam a união da nossa classe!!!

    Cumprimentos
    Conceição

Responder a Manuel Joyce Videira Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: