Português mantém-se média, mas a média da maioria das disciplinas desce

 

Com mais de 34 mil provas realizadas, a média do exame de Português foi de 12 valores, mantendo a mesma média que no ano passado.

Com mais ou menos o mesmo número de alunos a realizarem prova, a Matemática A teve uma média inferior: 10,6. Isto representa uma descida acentuada em relação ao ano passado, quando a média foi de 13,3.

A única disciplina com média negativa é Física e Química: 9,8. Também aqui a descida é significativa: no ano passado esta disciplina tinha tido uma média de 13,2 valores.

As médias de Biologia e Geologia desceram de 14 para 12 valores.

Recorde-se que, no ano passado, as médias do ano passado foram inflacionadas pelas regras especiais dos exames devido à pandemia de covid-19. Este ano mantivera-se algumas das normas excecionais os exames do ensino secundário mantiveram grupos de perguntas opcionais, mas as provas tiveram até o triplo das perguntas obrigatórias, fazendo com que as notas não fossem tão elevadas.

A disciplina com a média mais elevada é Mandarim, com 16,7 – mas é preciso ter em conta que apenas sete alunos realizaram a prova. Também o Português como Língua Não Materna, com nove alunos em prova, conseguiu uma média de 15,7.

Alemão (15,8), Inglês (14,9) e Francês (14,9) foram outras disciplinas com notas boas.

No entanto, tendo em consideração as disciplinas com um número de alunos superior a 2.500, aquelas que apresentaram uma classificação média mais elevada foram: o Inglês com 14,9, o Desenho A, com 13,8; e a História A, com 12,9.

Por outro lado, as disciplinas de Matemática B (10,1), Literatura Portuguesa (10,5), Matemática Aplicada às Ciências Sociais (10.7), Geografia A (10,7) tiveram médias positivas mas bastantes baixas.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2021/08/portugues-mantem-se-media-mas-a-media-da-maioria-das-disciplinas-desce/

2 comentários

  1. O exame de FQ foi uma vergonha.
    Vejam a críticas da associação de professores de Física…
    https://www.spf.pt/

    • Catarina on 2 de Agosto de 2021 at 15:30
    • Responder

    Parecer sobre a Prova de Exame Final Nacional de Física e Química A

    1.ª Fase 2021 A prova apresenta 24 itens: 14 de escolha múltipla, 2 de resposta curta, 1 de
    produção de um texto e 7 de cálculo (1 exige que se mostre como se chega a uma dada conclusão, apresentando cálculos). A prova contém dois grupos de itens historicamente bem contextualizados. A distribuição da cotação por anos e por componentes (Física e Química) pode
    considerar-se equilibrada, conforme se pode constatar pela Tabela 1: Tabela 1
    Componente Química Física
    10.º ano
    60 pontos 50 pontos
    11.º ano
    60 pontos 70 pontos

    Em cada uma das componentes (Física e Química), existem oito itens cujas
    pontuações obtidas contribuem obrigatoriamente para a classificação final. A prova de exame é fiel à Informação-Prova divulgada pelo IAVE, avaliando
    aprendizagens essenciais de todos os domínios previstos nesse documento e de uma grande variedade de subdomínios. Todos os itens têm a mesma cotação (10 pontos), o que deixa itens muito
    trabalhosos (6.1.) e /ou de difícil interpretação (3.1., que corresponde a uma experiência cuja interpretação exige uma maturidade científica que não corresponde ao nível etário de alunos de 11.º ano, além de não ser trabalhada em sala de aula) a valerem o mesmo que itens muito acessíveis, podendo prejudicar os alunos que dediquem algum tempo à resolução dos itens trabalhosos relativamente aos alunos que se foquem apenas nos itens acessíveis.Considera-se que o grau de dificuldade dos diversos itens é o apresentado na
    Tabela 2. Há um claro desequilíbrio entre o grau de dificuldade das duas componentes de Física e de Química.
    Tabela 2 – Grau de dificuldade dos 24 itens Componente
    Muito acessíveis Física Química 1.2.; 2.1.; 3.2. 5.3.; 7.2.; 7.3.; 8.2. Complexidade média
    1.1.; 2.2.; 9.1.; 9.3. 10.1.; 10.2.
    5.1.; 5.2.1.; 5.2.2.; 5.4.; 6.2.; 7.1. ; 8.1.
    Complexidade elevada 3.1.; 4.; 9.2.
    6.1.
    Itens obrigatórios a negrito. A formulação da maior parte dos itens é clara, rigorosa e compreensível. Contudo,
    para os itens a seguir mencionados, sem que esteja comprometida a sua compreensão por parte dos alunos, considera-se que ▪ no item 5.2.1., falta uma referência clara ao volume ocupado pelo sistema reacional no equilíbrio;
    ▪ no item 7., não há coerência entre a representação da reação (1) e a referência a uma constante de acidez, mesmo que elevada;
    ▪ no item 10.2., há ambiguidade na redação “após ajuste do sinal II ao ecrã do osciloscópio”, pois não é identificada a natureza do ajuste.
    Adenda 11 de julho
    O ajuste referido refere sem dúvida à linha de base do Osciloscópio. Na questão 10.1. para analisar os sinais tiveram de ser separados e posteriormente na 10.2. foram colocados juntos para melhor aferir amplitudes e desfasamento. Contudo, a SPF concluiu que nenhum dos gráficos está correto, porque o afastamento de ¼ cdo do microfone que originava o sinal II implica que este deveria estar atrasado de ¼ de período relativamente ao sinal I, isto é, o pico do sinal II deveria aparecer à direita do pico do sinal I. Além disso, há atenuação do sinal II que está bem refletida na opção C da Versão 1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: