A possível origem da 4.ª vaga

Todos os cuidados serão poucos.

O Público noticiou, hoje, que nas duas semanas de aulas em que apenas a EPE e o 1.º Ciclo estiveram em funcionamento, aconteceram 47 surtos em escolas desses níveis de educação/ensino. Esta semana o 2.º e 3.º ciclos regressaram às escolas. Temos, neste momento, mais de dois terços dos estudantes nas escolas e, em princípio, dia 19 regressarão os alunos do secundário. A escola passará a estar em pleno funcionamento.

Os cuidados não estão a ser descurados nas escolas, mas todos os cuidados são poucos. A ameaça do agravamento da situação pandémica está sobre as nossas cabeças e o primeiro ministro já admitiu que as escolas são locais de preocupação, logo, deixaram de ser os tais lugares seguros.

Regresso dos alunos do secundário às aulas presenciais pode dar origem a quarta vaga da pandemia

O regresso dos alunos do secundário às aulas presenciais pode dar origem a uma quarta vaga da pandemia em Portugal. O alerta está num estudo de investigadores portugueses e holandeses. O regresso destes alunos às aulas presenciais está previsto para 19 de Abril.

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2021/04/a-possivel-origem-da-4-a-vaga/

13 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Mas há necessidade de corrermos esse risco? Mais agregados familiares infectados, mais mortes para quê? Não é melhor adiar, pelo menos até maio. A manter-se este nível de infectados vamos assistir ao assassinato de muita gente.

    • Falar verdade on 8 de Abril de 2021 at 12:13
    • Responder

    Nesta altura e depois do que aconteceu em Portugal no mês de janeiro, não se podem correr mais riscos nem andar atrás, constantemente, do prejuízo. Porque este prejuízo implica vidas humanas.
    Os sindicatos deveriam de pedir bom senso, ouvir quem sabe, epidemiologistas, investigadores, entre outros e aconselhar o governo a ter cautela e adiar a abertura do secundário e do superior. Deve-se esperar que os resultados destas semanas de desconfinamento sejam mais visíveis e não é até 19 de abril que eles irão aparecer. Os jovens do secundário não ficaram nem menos aprendentes nem doentes, só têm que compreender que estamos a atravessar (mais, tal como em tempos idos) um momento pandémico, há que envidar esforços de todas as partes, para que a situação fique quase resolvida e não hajam mais vítimas.
    Bom senso, acima de tudo…

      • Ana Lopes on 8 de Abril de 2021 at 14:41
      • Responder

      Dia 15 haverá novo ponto de situação

    • Filipe on 8 de Abril de 2021 at 13:55
    • Responder

    Grandes bestas incultos , então se antes as escolas eram seguras , e tal , etc. Agora a balburdia e filas para as esplanadas , com toda a gente na rua , embora o digam estar em vigor o dever de confinamento , vão dar uma volta ao tempo dos dinossauros ao menos para aprenderem a falar Português . Abram manicómios e hospícios , internem compulsivamente maior parte dos jornalistas , investigadores , médicos de saúde pública e todos aqueles que ainda não perceberam que são uns inúteis ao pé de um só vírus da Covid – 19 . Que fraco é o ser humano … caminhamos para uma extinção em massa , emigrem para Marte quanto antes .

    • Filipe, ninguém te liga. :( on 8 de Abril de 2021 at 14:04
    • Responder

    Filipe, vai andando para lá… assim, salva-se um grande visionário e representante da homo sapiens digitus.

    • É uma fantochada on 8 de Abril de 2021 at 15:08
    • Responder

    A abertura de esplanadas foi um disparate e mais loucos e irresponsáveis são todos aqueles que para lá vão. Podem estar 4 pessoas de agregados familiares diferentes em máscara a tomar um lanche e a conversar!!!!!! ???? Ora, o vírus está maravilhado! Não bastava ter o postigo aberto? Servia-se o lanche embalado e cada um fosse comê-lo onde quisesse. Estão reunidas as condições para rapidamente atingirmos números elevados de infeções.

  2. mas as escolas mudaram alguns procedimentos na área da higiene e segurança no trabalho?

    é que eu não notei nada…

    alias destas vez nem mascaras de trapo deram!

      • Belas 510 on 9 de Abril de 2021 at 13:34
      • Responder

      Mas é claro que há mudança … as janelas estão fechadas ao contrário do que aconteceu em novembro, dezembro e janeiro! A seguir às correntes de ar que muitos de nós sentimos, agora ninguém as abre!!!!

    • Rui Filipe on 8 de Abril de 2021 at 16:02
    • Responder

    E as vacinas?! Negócio à frente de todos. A Humanidade sempre teve loucos a conduzi-la, basta olhar para a História. Dizia-se que entre vivos e mortos, alguém se salvaria, já descontando a seleção natural.Mas agora estamos a atingir um patamar, perto dos dinossauros ou ex-dinossauros. E ainda, que eu saiba, não eram “gente “, que se preocupassem com a economia/ganância.Então, mais depressa, estaremos em condições de lhe irmos fazer companhia!

  3. As infeções continuam a dar-se mesmo com os alunos do secundário confinados e vê-se o porquê.
    Sem a obrigação de estar na escola, quando não estão em aulas on-line, é vê-los em rebanho pelas ruas sem máscara com o justificativo de que estão a comer, fumar, namorar, grunhir, etc…

    Dentro das escolas é possível controlar estes comportamentos, fora delas (e por vezes logo à saída dos estabelecimentos escolares) acabam-se as regras e o civismo, dos alunos, dos encarregados de educação (e por vezes até de alguns professores).

    Uma grande maioria de pais (negacionistas?) enquanto aguardam pelos seus “rebentos” à porta das escolas, aproveitam para falar (mal) com seus “compadres/comadres” com a máscara descida porque “conhecem a mãe do Afonso Dinis / pai da Maria Leonor” e por isso é como se fossem do mesmo agregado e o vírus não infeta famílias inteiras.

    Há um vírus muito mais mortal que o COVID, a ignorância e a falta de civismo.

    A escola não é, nunca foi, nunca será a origem do contágio, mas sim o oásis de regras e civismo que está em vias de extinção fora dos seus portões.

    Controle-se o civismo do ser humano e controla-se o vírus de uma vez por todas.

    • Micas on 8 de Abril de 2021 at 16:36
    • Responder

    Portugal vai suspender a administração da vacina da AstraZeneca em alguns grupos etários. A decisão será anunciada ainda hoje pelas autoridades de saúde.

    https://sicnoticias.pt/especiais/vacinar-portugal/2021-04-08-Portugal-suspende-vacina-da-AstraZeneca-para-alguns-grupos-etarios-efe0a981

    • Anabela on 8 de Abril de 2021 at 17:31
    • Responder

    Mudaram alguma coisa na tua escola?
    As turmas de 30 em salas pequenas acabaram na tua escola?
    As cantinas estão mais vazias por utilização?
    Os transportes mais desanuviados?
    Deram mascaras FPP2 aos alunos?
    E depois os portugueses das esplanadas é que são os culpados!!! 🥱

    • Zaratrusta on 8 de Abril de 2021 at 18:36
    • Responder

    Espanta-me ver que ainda existem pessoas convencidas que Portugal é um país desenvolvido, ou sequer em vias de desenvolvimento. Portugal é um país atrasado e disso são-nos dados sinais diariamente: após a reunião dos ministros da saúde da UE, muitos deles tomaram imediatamente uma decisão acerca da vacina da Astrazeneca; em Portugal há que manter o “suspense”. Qualquer decisão neste país mais parece uma reunião dos “entes” do Senhor dos Anéis. De certo que a Marta está à espera que a Alemanha lhe diga o que deve fazer. Igualmente continuo a achar espantoso que muitos mantenham o discurso, plagiado do inefável Filinto, que as escolas são locais seguros. Porquê? Porque as turmas têm entre 20 e 30 alunos sentados na sala de aula a uma distância de 10 cm? Porque usam a mesma máscara cirúrgica durante uma semana, quando ela tem uma proteção de 4 horas? Porque só desinfetam as mãos quando são chamados à atenção por um professor ou funcionário? Porque, nos intervalos, se juntam à vista de todos para partilharem charros e cigarros? Porque……….. e poderia continuar. Não, Portugal é um país atrasado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: