No 1º dia de confinamento, não se notou qualquer tipo de confinamento

 

Os números de novos casos e internamentos por covid 19 estão a aumentar exponencialmente, a ocupação de camas nos hospitais e o número de mortes por covid 19 também estão a aumentar exponencialmente, os professores de Portugal tem na sua esmagadora maioria mais de 50 anos e consequentemente várias doenças associadas à idade, os alunos gostam de estar nas escolas porque para além de aprenderem melhor, também convivem melhor, sem máscara no exterior da escola e muitos não querem saber das consequências dos seus atos “não vão deixar de namorar, fumar, partilhar comida e bebida fora da escola, sem máscara”, os professores dão as aulas com máscara, mas sem acrílicos e tem que se aproximar dos alunos para explicar os conteúdos, já existem vários alunos com covid e em confinamento, os alunos fazem parte da sociedade portuguesa, onde se regista o aumento do número de casos de covid.
Paços de Ferreira esteve numa situação muito grave a nível do país, em novembro. A situação em Paços de Ferreira melhorou em novembro e dezembro, não por qualquer tipo de milagre sem explicação, as 2 maiores escolas do concelho de Paços de Ferreira estiveram a funcionar à distância para os alunos do ensino secundário e profissional de 2 de novembro até ao final do 1º período, penso que, se deve aprender com este exemplo de experiência positiva e replicar para todo o país no mínimo por um mês, porque daqui a um mês podemos ter menos professores para prestar ensino presencial, dado que, podem não ter lugar numa cama de hospital, e hoje, já ninguém quer ser professor. Hoje, 1º dia de confinamento, não se notou qualquer tipo de confinamento, foi uma sexta- feira normal, desta forma o covid vai continuar a aumentar exponencialmente.
 
Devemos tratar bem os professores de Portugal.
 
É necessário refletir melhor relativamente à manutenção das escolas abertas neste confinamento.

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2021/01/no-1o-dia-de-confinamento-nao-se-notou-qualquer-tipo-de-confinamento/

5 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Docente on 15 de Janeiro de 2021 at 18:09
    • Responder

    Eu não concebo o ensino remoto. É uma farsa e os docentes ,na sua grande maioria, sabem-no.
    Entendo que os colegas que não estão em condições de lecionar deverão entregar ums declarava o médica e não declarar,apenas, que têm receios.
    Sejamos sérios com os alunos , EE e com a nossa consciência.

      • LUCAS on 15 de Janeiro de 2021 at 22:54
      • Responder

      Vc se não é parvo parece.
      Mas a alguma atividade que não seja melhor efetuada presencialmente? Está a brincar? Mas é disso que se trata ?

      Amigo… com saúde publica não se brinca. Ter que ir a um hospital por QUALQUER motivo e nao poder ser tratado é horrivel. É voltar à idade média.

      Não seja burro…

        • Zeco on 16 de Janeiro de 2021 at 11:42
        • Responder

        Lucas,
        esta criatura não é parva é mais um comissário político fascista, vulgo diretor(a). Não entra numa sala de aula há mais de vinte anos. Que “desembarca na Normandia” são os outros.

          • País miserável. on 16 de Janeiro de 2021 at 11:52

          Concordo, os “lambecus” dos diretores têm tido um comportamento escabroso.
          MENTEM, escondem os casos a soldo dos milhares de euros a mais que levam para casa.
          O exemplo está nos supostos líderes, o filinto e o pereira. Porcos e mentirosos. Sabem quão grave é o que se passa nas escolas e mentem para agradar ao governo e manter os tachos fascistas.
          Coniventes, a soldo, no crime. São os inspetores do SEF nas escolas.
          Nota: a igec conhece as ilegalidades e …branqueia tudo .

    • Manuel M on 15 de Janeiro de 2021 at 18:18
    • Responder

    Os professores são competentes, quer no ensino presencial, quer no ensino à distancia, devemos proteger os professores, os alunos, os auxiliares de educação e as famílias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: