Ressarcir os professores pela sua internet e meios informáticos que disponibilizam à escola

 

Durante anos os professores usaram os seus meios informáticos para uso profissional. No ano letivo passado deu-se o expoente desse abuso por parte do governo.

Este assunto está farto de ser discutido, mas com agradecimentos de discurso ninguém vive. Todos nos lembramos da colega que fazia quilómetros no meio do monte para conseguir rede de internet e dava as suas aulas na mala do seu carro. Nunca lhe vão agradecer, de boca, o suficiente pelo que ela fez.

Todos nós utilizamos os nossos computadores, a nossa internet, a nossa eletricidade… mas nuca nos deram nenhum apoio para que o fizéssemos. Quando assinei a tomada de posse não estava lá escrito que tinha que pagar para trabalhar (neste e em muitos mais casos), mas tenho.

Continuamos sem computadores que tenham funções e equipamento necessário para o trabalho docente nas escolas, sem uma internet decente que não “caia” a todo o momento e continuamos a ceder, do nosso bolso, computadores, internet, eletricidade… à entidade responsável por nos dar meios para trabalharmos conforme ela nos exige.

Vamos a um exemplo. As reuniões presenciais estão proibidas. Muito bem! Concordo. Numa altura destas os ajuntamentos estão proibidos a não ser nas salas de aula. Mas então como se estão a realizar as reuniões intercalares? É claro que é com os computadores dos professores, porque a escola não os tem nem em quantidade suficiente, nem com qualidade suficiente. É certo que é com a internet paga pelos professores, porque a internet das escolas não é de fiar. E como os horários das reuniões estão dispersos pelo final do dia e a escola tem horário de fecho para não pagar horas extra aos funcionários, os professores têm que ir para casa gastar a eletricidade que lhes sai do bolso.

Minhas senhoras, meus senhores, andamos há muito tempo nisto e a bater na mesma tecla. Continuamos a dar o que é nosso a quem nos tira o que nos pertence. Este tipo de negócio só é vantajoso para os mesmos de sempre.

A escola portuguesa ao tem condições de trabalho. Exijam-nas. Se não vos as derem não realizem o trabalho. E não vão em cantigas de pardais desafinados. Unam-se. Quero ver que é o papagaio que vos levanta um processo disciplinar a todos ou a um grande número. Quem ficaria mal era esse canário por não vos conseguir “controlar”.

Até quando vão continuar a alimentar o sistema que vos dá palmadinhas nas costas e subsídios de 25€ diários a inúteis?

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/11/ressarcir-os-professores-pela-sua-internet-e-meios-informaticos-que-disponibilizam-a-escola/

12 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • maria on 13 de Novembro de 2020 at 22:31
    • Responder

    Recebem 25 diários, isenções várias, apoios múltiplos e ainda nos entram pela janela para roubar o portátil ou algo mais que seja vendável no mercado negro…pqp!

    • maria on 13 de Novembro de 2020 at 22:36
    • Responder

    Recebem 25 diários, isenções várias, apoios múltiplos e ainda nos trepam pela janela para roubar o portátil ou algo que se venda no mercado negro…PQP!

    • costa on 13 de Novembro de 2020 at 23:46
    • Responder

    Este post não tem fundamento. Nunca nenhum professor foi obrigado a usar os seus meios para aulas online ou reuniões. Na escola onde leciono, e penso que será em igual em todas, houve sempre disponibilidade de meios (na escola) para o professor. O que acontece é que os professores preferem usar os seus meios em casa.

      • Falcão on 14 de Novembro de 2020 at 17:53
      • Responder

      Que escola é essa? Onde fica? Num falanstério do Fourier?

    • PedroLopes on 14 de Novembro de 2020 at 7:04
    • Responder

    @costa Quero ir trabalhar para a sua Escola!
    Tenho que fazer correção de testes na escola?
    Acesso ao email institucional? Tenho de ir à Escola?
    Sabe que há professores que residem a dezenas (os mais desgraçados a centenas) de km da Escola?
    Sabe que, na minha escola, existem salas de aula (são poucas) onde a net não funciona? Tenho de partilhar a net do meu telemóvel?
    Sabe que qualquer funcionário de empresas privadas, tribunais, têm portátil? Em particular nos tribunais esse portátil é “reciclado”, em média, de 3 em 3 anos ? Que os mandem para as escolas.
    Se todos os professores deixassem de usar o seu Portátil o ensino parava completamente.

    • MariaMaria on 14 de Novembro de 2020 at 10:22
    • Responder

    Tenho uma turma confinada e tenho que lhes dar aula a partir de casa, no MEU computador, com a MINHA internet, e a MINHA câmara e microfone porque as salas da minha escola estão todas ocupadas com aulas, não têm computadores com câmara e os portáteis não chegam para todos. Depois tenho que ir a correr para a escola, para dar aulas presenciais às outras turmas… enfim!!!
    Há já muitos alunos em isolamento profilático, que assistem de casa às aulas da escola e é nessas aulas que se usam os poucos portáteis velhinhos da escola.
    Eu própria não tenho portátil e por isso não posso levar o meu computador fixo para escola não é?

    Temos mais de mil alunos… deviam dar condições aos professores, sim!

    • Falcão on 14 de Novembro de 2020 at 11:45
    • Responder

    Infelizmente, se houvesse essa recusa de usarmos os nossos computadores e internet em nossas casas para realizarmos as reuniões intercalares, haveria diversos diretores a marcar de imediato reuniões presenciais, na escola, para todos! Aliás, mesmo sem essa recusa há diretores como o fantástico e extraordinário Luís Henriques, Diretor do Agrupamento de Escolas de Agualva Mira-Sintra, que impôs a realização de reuniões mistas (até às 19 horas todas presenciais, na escola, e depois das 19 horas à distância!). Ahhh e ainda enviou um e-mail a todos os professores confirmando, para que não houvesse dúvidas que TERIA MESMO DE SER ASSIM! Não respeitou as regras definidas pelo ME para o teletrabalho e, ainda por cima, essas reuniões foram feitas sem interrupção de aulas. A situação foi denunciada, previamente, ao ME e à DGS e NADA MUDOU! As reuniões presenciais aconteceram mesmo!
    Agora digam-me: um gajo destes merece o quê????
    Mas… o problema maior é outro: o que é que fizeram os professores do Agrupamento perante tal dislate? Absolutamente nada, limitaram-se a mostrar-se muito indignados em grupinhos meio escondidos no WhatsApp e, na hora da verdade, meteram o rabinho entre as pernas e lá foram todos para as reuniões. Duvido mesmo que algum tenha deixado em ata, ao menos, o seu desacordo perante tal situação. Sei que em muitos delas o assunto nem foi abordado. E sei de tudo isto porque não sendo professor do Agrupamento, estou em condições de saber o que por lá se passa.
    Mas este não será caso único, aliás, desafio os colegas a denunciarem aqui situações semelhantes, com nomes e factos! Está na altura não de iniciarmos propriamente uma qualquer “caça às bruxas” mas sim de dizermos alto e bom som que o(s) Rei(s) vai (vão) nú(s)!
    Sem medos colegas, pela verdade e pela defesa da saúde de todos nós!

    • Falcão on 14 de Novembro de 2020 at 11:57
    • Responder

    Só para complementar: na minha escola as reuniões foram todas à distância e a escola parou dois dias para realizar as reuniões intercalares. E ainda vos digo mais: se eu fosse professor na Domingos Jardo ou na Matias Aires o senhor Diretor não iria dormir um único dia descansado! Nem um! Havia de lhe fazer a vida num inferno! Ou arrepiava caminho ou eu havia de lhe acertar o passo, pedagogicamente falando. E já agora aproveito para dizer que a presidente do Conselho Geral daquele Agrupamento é CONIVENTE com tudo isto, nunca abriu a boca para se manifestar contra esta situação! É outra que não merece dormir descansada! E sim, confirmo, ando chateado com isto, detesto gente que decide desta forma e detesto gente que, tendo algum poder, nada faz para inverter a situação!
    E para fechar: tudo o que de errado se passar naquele Agrupamento, eu cá estarei para denunciar publicamente! E os sindicatos, que têm advogados, deviam fazer mais do que eu, deviam passar à ação e responsabilizar tal gente pelo desrespeito da legislação em vigor!

    • Maria on 14 de Novembro de 2020 at 12:52
    • Responder

    Tenho uma turma confinada e tenho que lhes dar aula a partir de casa, no MEU computador, com a MINHA internet, e a MINHA câmara e microfone porque as salas da minha escola estão todas ocupadas com aulas, não têm computadores com câmara e os portáteis não chegam para todos. Depois tenho que ir a correr para a escola, para dar aulas presenciais às outras turmas… enfim!!!
    Há já muitos alunos em isolamento profilático, que assistem de casa às aulas da escola e é nessas aulas que se usam os poucos portáteis velhinhos da escola.
    Eu própria não tenho portátil e por isso não posso levar o meu computador fixo para escola não é?

    Temos mais de mil alunos… deviam dar condições aos professores, sim!

    • Carlos on 14 de Novembro de 2020 at 13:08
    • Responder

    Pessoas …por lei os profs estão proibidos de realizar teletrabalho.
    Acordem.
    Se querem chamar os profs para a escola para fazer tele-aulas, que chamem. Não se esqueçam é que aulas presenciais com câmaras ligadas é ilegal , lei da proteção de dados.

    Querem ensino misto legislem.
    As profs continuam a baixar as calcinhas …ok então não se queixem.

    • Fátima on 15 de Novembro de 2020 at 9:16
    • Responder

    Aulas com câmara ligadas são ilegais?
    Mas é assim que têm funcionado muitas das aulas nas escolas básicas e secundárias com alunos em isolamento e na maior parte do ensino superior. Em quase todas as aulas do superior isso acontece. Ficam xis alunos na sala e os restantes acompanham de casa!

    As profs baixam as calcinhas? e OS Profs não? Que raio de comentário…

    • mario silva on 22 de Novembro de 2020 at 23:08
    • Responder

    Em muitas casas a internet também não é melhor; paciência, faz-se com o que se tem. Claro que alguém se vai tramar no futuro próximo pela falta de qualidade…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: