Por cada denuncia, há dezenas de agressões…

Os números oficiais peçam por, muito, defeito.

Que frequenta as escolas sabe bem disso. O silêncio, por vergonha, por medo, por falta de apoio, por omissão dos responsáveis, por desejo de vingança na mesma moeda… As razões são muitas, mas os números estão em causa são muito superiores aos que se apresentam por ai…

 

Uma denúncia de agressão nas escolas a cada três dias

A cada três dias, a plataforma do Sindicato Independente dos Professores e Educadores (SIPE) recebe uma denúncia de agressão a professores – desde 25 de novembro, 19 casos: a maioria agressões físicas, cometidas por alunos (56%) contra professoras (79%).

A maior parte dos docentes não pede apoio jurídico (78%) nem psicológico (67%). A presidente do SIPE acredita que, apesar de as “escolas não serem campos de batalha”, as queixas são apenas a ponta do icebergue já que insultos e ameaças raramente são denunciados.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/02/por-cada-denuncia-ha-dezenas-de-agressoes/

3 comentários

    • maria on 23 de Fevereiro de 2020 at 22:03
    • Responder

    Quem está na escola abe que todos os dias existem situações de agressão. A situação é grave e é urgente tomar medidas sérias, procurar resolver o assunto. Penso que todos deveriam denunciar as situações às autoriddes. Temos que perder o medo … aqui fica o desafio. Votos que as direcções mudem de posição e passem a aopiar os docentes

    • João on 23 de Fevereiro de 2020 at 23:19
    • Responder

    Partido CHEGA quer devolver a autoridade aos Professores:
    “Em todos os graus de Ensino os professores recuperam totalmente a autoridade perdida sobre os alunos, sendo-lhes devolvidos todos os meios que lhes permitam manter a disciplina nas aulas.”
    https://partidochega.pt/programa-politico-2019/

    • Rui Filipe on 25 de Fevereiro de 2020 at 0:58
    • Responder

    O partido Chega não me convence.Ha pontos que até estou de acordo com eles como: fazer uma planificação da imigração , não ter as fronteiras escancaradas, investir na segurança e não fazer dos agentes da autoridade palhaços, devolver a autoridade a professores /educadores, médicos e a todos que se encontrem, sobretudo no exercício das suas funções. Não discriminar, mas também exigir deveres e não só direitos. Trabalhar para o bem da comunidade. Nisto estou de acordo com eles e já é muito,
    Não posso estar de acordo, quando não se desenvolvem políticas sociais, cavando qufossos cada vez maiores, aproximando a classe média da pobreza e não o contrário.Donde o crescente ódio de um maior número de pessoas. Todos unidos, contra os vampiros. Só que depois, esses líderes, quando alcançam o poder tornam-se tiranos, havendo lugar só para eles e assim nascem as ditaduras.Quem os contrarie, espera-os a prisão, o silenciamento e uma sociedade de terror.Como pode hoje, isto suceder? Só pela ausência da social democracia, no nosso caso, quer do PS, quer do PSD., em suma da U E.Com todo o respeito e consideração, por António Guterres e pelo papa Francisco, não é com o que me parecem ingenuidades e falta de estratégias que se resolvem os problemas. Por exemplo, os imigrantes deveriam ser ajudados nas suas terras e a proliferação de filhos, não pode ser da responsabilidade, daqueles que os não fizeram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog