Petição para a Criação do Grupo de Teatro

Para além da da petição, serão apreciados três projetos relativos ao grupo de recrutamento:
– Projeto de Resolução n.º 171/XIV/1.ª (PCP), «Recomenda ao Governo que crie o Grupo de Recrutamento nas áreas da Expressão Dramática e do Teatro»;

– Projeto de Resolução n.º 182/XIV/1.ª (BE), «Pela criação de um grupo de recrutamento da área do teatro»;

– Projeto de Resolução n.º 209/XIV/1.ª (PAN), «Pela criação de um regime de vinculação e integração na carreira dos docentes da área do teatro e criação do respectivo grupo de recrutamento».

Tratando-se de uma reunião de carácter público, todos os interessados poderão assistir à mesma. O acesso às galerias far-se-á pela  porta lateral do Palácio, por ordem de chegada, e enquanto a capacidade das mesmas o permitir. Durante as sessões o público deverá manter-se em silêncio, sem se manifestar nem aplaudir.
Contamos com a presença dos apoiantes desta causa.
Melhores cumprimentos,
A Direção da APROTED

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/02/peticao-para-a-criacao-do-grupo-de-teatro/

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Nuno Couto on 22 de Fevereiro de 2020 at 1:32
    • Responder

    Colegas de Mecanotecnia:
    Temos que nos unir e desencadear uma iniciativa idêntica.
    Bom fim de semana!

    • Pardal on 22 de Fevereiro de 2020 at 11:31
    • Responder


    Agora querem criar o grupo de recrutamento de “Teatro” e qualquer dia será o Grupo de Recrutamento de “CIRCO”.

    Esta gente julga que o Ministério da Educação é uma Agência de Emprego.

      • Luluzinha on 22 de Fevereiro de 2020 at 12:03
      • Responder

      Subscrevo inteiramente. A seguir virá a criação do grupo de recrutamento de hortofloricultura, de pavimentação, de animação folclórica minhota e algarvia, de tarologia e ciências exotéricas afins, de gerontologia (embora a faixa etária dos alunos não ultrapasse, em média, os 18/19 anos. Enfim… Fazem formações “fabulosas” sem saídas profissionais e depois consideram que, em último recurso, têm de fazer “carreira” no ME.

        • Cansado de tanto chico-esperto on 23 de Fevereiro de 2020 at 9:46
        • Responder

        O que seria também desta/deste sem este blog para destilar tanta ignorância?,… Informe-se. Se trabalham dez e mais anos nestas funções, é porque são necessários! O que está errado é continuar-se a explorar estes trabalhadores! Haja bom senso e decoro, no mínimo!

      • Cansado de tanto chico-esperto on 23 de Fevereiro de 2020 at 9:41
      • Responder

      O que seria do pardalinho sem este blog para desfilar tanta ignorância?,…

    • Nameless on 22 de Fevereiro de 2020 at 12:38
    • Responder

    Todos os professores de Português têm experiência em fazer teatro com os seus alunos, não é necessário criar mais um grupo.
    Aliás, os projetos /clubes de teatro têm professores de Português a dinamizá-los e a nível curricular o teatro faz parte dos programas de Português no desde o 5º até ao 12º.

      • Por acaso até é necessário... on 22 de Fevereiro de 2020 at 15:43
      • Responder

      Por acaso estes colegas estão a solicitar isto, porque ao longo de anos, em determinadas regiões do país encontram-se a trabalhar, sucessivamente, com horários completos. Assim sendo, é mais do que justo que lhes seja aplicada, o que é aplicado a qualquer trabalhador que o faz para a mesma entidade patronal, desempenhando sempre a mesma função, por mais de 3 anos sucessivos, a sua vinculação. Isto de se falar, sem ter conhecimento da situação destes colegas é a mesma coisa, que as outras pessoas fazem em relação aos professores como eu e a maioria dos que por aqui andam que gostariam de ver recuperados os 6 anos, 6 meses e 23 dias que trabalharam, mas que a opinião pública sem qualquer conhecimento de causa, considera que não.

    • João Lima Ferreira on 23 de Fevereiro de 2020 at 2:04
    • Responder

    Já agora não esqueça, os “técnicos especializados,”… falsos, que leccionam conteúdos programáticos, pertencentes aos grupos disciplinares. Com a conivência do, ministério, dos diretores e infelizmente, dos grupos disciplinares.
    O ministério REGULA o quê???
    O país nas suas várias áreas, está nas mãos de incompetentes, prepotentes e convencidos.
    Quanto à educação, depois daquela frustrada e incompetente ter proclamado em 2008: “perdi os professores, mas ganhei os pais” e dos contributos dos seus sucessores, na destruição da Escola Publica.
    Consolidada pelo inarravel Brandão.
    Chegámos finalmente há escola LOW COST, do sucesso manipulado, do esvaziamento da autoridade dos professores, da indisciplina,
    das agressões, da ditadura dos diretores.
    Uma carreira docente, que é uma fraude.
    Cerca de 30% progridem em via verde, a partir do 7o escalão. A maioria, cada vez maior, encostada no 4o e 6o escalão.
    Esta carreira configura um esquema de PONZY… construam com os dados disponíveis dos docentes/escalões, uma série cronológica de matrizes e observem.
    O elevador de mobilidade ascendente, tem várias velocidades,
    A série de matrizes obtida, configura o esquema de Ponzi e não a matriz de Maslow.
    De referir que a Rapaziada dos Sindicatos, se encontra maioritaria e confortávelmente,
    no último terço, anos e anos com as mesmas lideranças, até que a “reforma os leve”.
    Isto é a ESCOLA LOW COST, resultado em grande parte desta ” Estranha União Nacional de Esquerda”, que traiu os professores e o país.

      • Cansado de tanto chico-esperto on 23 de Fevereiro de 2020 at 9:39
      • Responder

      Já agora não esqueça os Técnicos Especializados FALSOS, com Grupo de Recrutamento, que lecionam disciplinas técnicas e tecnológicas, sem formação e nenhuma experiência nesse mercado de trabalho, roubando horários a quem se formou e tem experiência profissional nessas áreas, e sempre apadrinhados pela justificação da “habilitação suficiente” ou de que têm que lhes pagar os salários, por isso, ocupem-se!?

    • João Lima Ferreira. on 23 de Fevereiro de 2020 at 11:09
    • Responder

    Identifique as disciplinas e conteúdos programáticos……
    O ensino técnico profissional, é leccionado na escola pública, há muitas dezenas de anos. Muito antes das escolas profissionais existirem. Feudo para Boys e amigos.
    Quanto há excelência da experiência profissional, o papel aguenta tudo. Os bons estão nas empresas e não como técnicos especializados da treta. Se estamos a falar de cozinheiros por exemplo, sem dúvida que as suas competências não se enquadram no quadro das habilitações para a docência da escola pública.
    Aproveitando o processo de destruição da Escola Pública, consolidando a ESCOLA LOW COST, em que vale tudo não admira o aparecimento deste lobby, que se apresentam como a última Coca Cola do deserto…..
    Registe. se a conivência e responsabilidade de diretores escolares, bem como de docentes e de um ministério que admite estas situações ilegais.
    Esta gente come e cala devido a sua precariedade. É os srs diretores e afins adoram ter estes assalariados, gerindo a coisa pública, como se fosse o seu quintal privado.
    Cansado de tanta TRAFULHICE.!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog