Não foi agressão, foi sem querer que acertei na professora…

Engraçado!!! O ME apressou-se a desculpar o aluno que “acidentalmente” atirou um objeto pesado contra uma professora num corredor da escola. É pena que não tenha tanta pressa a condenar os que intencionalmente agridem AO’s e professores.

Não estou a dizer que não seja verdade, pode ter sido acidentalmente, mas os corredores não são local para se andar a atirar objetos pelo ar, muito menos com professores e alunos a passar. O que todos gostávamos, era que o ME utilizasse o mesmo critério para todos e solidarizar-se, publicamente, com os profissionais que são agredidos.

 

A agência Lusa contactou o Ministério da Educação que, disse, de acordo com a informação da direção da escola, “o incidente ocorrido na segunda-feira não constituirá um episódio de agressão”.

Não terá existido intencionalidade”, lê-se na resposta remetida à Lusa pelo gabinete do ministro Tiago Brandão Rodrigues, acrescentando que “o aluno estaria a atirar a chave do cacifo a outro colega, tendo esta atingido a professora”.

“Ainda assim, a escola tem em curso um procedimento interno para que não haja dúvidas quanto ao sucedido”, termina a nota.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/02/nao-foi-agressao-foi-sem-querer-que-acertei-na-professora/

11 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Fernanda on 19 de Fevereiro de 2020 at 20:02
    • Responder

    Criticamos, justamente, o me e algumas direções. É os sindicato que fazem? Cordões humanos? Petições?
    Sindicalistas que nunca estiveram congelados na carreira, nem tiveram de suportar quotas, não percebem a realidade concreta dos colegas no terreno.

    • Maria Silva on 19 de Fevereiro de 2020 at 20:05
    • Responder

    E em escola foi que isto se passou?
    Se é na escola que estou a pensar, este aluno, está referenciado pela CPCJ.

    • N. Ribeiro on 19 de Fevereiro de 2020 at 21:21
    • Responder

    Foi uma chave de fendas ou inglesa..

    • zaratrusta on 20 de Fevereiro de 2020 at 10:14
    • Responder

    Estranho que neste blog não tenha sido dita nem uma palavra sobre a entrada, por via verde, dos alunos dos cursos profissionais na universidade. O assunto é demasiado sério para passar despercebido. Ou será que ninguém tem interesse em que este assunto seja discutido.

    • pf on 20 de Fevereiro de 2020 at 10:26
    • Responder

    foi agressão pode é não ter existido intencionalidade mas não deixa de ser agressão

    • Isabel Amores on 20 de Fevereiro de 2020 at 10:31
    • Responder

    É muito engraçado – até no futebol eliminaram a noção de intencionalidade para marcarem falta ou cartão amarelo.!
    Até pela dificuldade em verificar da intenção – é bastante fácil fingir uma não intencionalidade, quando a intenção é mesmo a de agredir ou bloquear o jogador. No futebol agora falam em volumetria, o que também devia ser aplicada já agora na sala de aula e na escola.

    • cuca on 20 de Fevereiro de 2020 at 12:12
    • Responder

    Outro dia em uma das minhas aulas, um aluno atirou para o outro um objeto para que deitasse-o ao lixo, por este motivo apliquei-lhe falta disciplinar.
    O meu coleta DT (também professor) disse-me que o que acontecerá não tinha sido nada de grave, desculpando o seu pupilo, e que por esse motivo (falta disciplinar) o aluno teria que ser suspenso!!! Temos pena.
    Desculpem lá se sou moralista e conservadora, mas em minhas aulas tais comportamentos desajustados não são aceites.

      • maria on 23 de Fevereiro de 2020 at 22:16
      • Responder

      cuca, parabéns pela sua postura integra. Esqueça os comentários patetas dos colegas diretores de turma. A cuca deve continaur a ser firme. O que se passa nas salas de aula dos cursos profissionais é inacreditável … só quem passa por lá ! comportamentos inadquados, alunos sem interesse por nada, notas inflacionadas, atitudes de desrespito permanente pelo docente, não sabem estar num sala, não respeitam o espaço, são violentos com os colegas.

    • Anselmo Pinheiro on 20 de Fevereiro de 2020 at 12:15
    • Responder

    Esta saída do ‘dotor’ do ministério da educação vem mesmo a talho de fauce.
    Todos ficaram indignados com o que se passou em Guimarães no último domingo. Ai a violência no desporto, ai o racismo, ai a xenofobia…. Toda a gente teve voz na nossa CS. Já quando se trata de um professor ser agredido tudo é desculpado.

    E andam estes senhores preocupados com, aquilo a que chamam, populismos. Mas é assim que lhe dão oxigénio.

    • maria on 23 de Fevereiro de 2020 at 22:17
    • Responder

    cuca, parabéns pela sua postura integra. Esqueça os comentários patetas dos colegas diretores de turma. A cuca deve continaur a ser firme. O que se passa nas salas de aula dos cursos profissionais é inacreditável … só quem passa por lá ! comportamentos inadquados, alunos sem interesse por nada, notas inflacionadas, atitudes de desrespito permanente pelo docente, não sabem estar num sala, não respeitam o espaço, são violentos com os colegas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog