Valorizar os Assistentes Operacionais nas escolas – Carlos Cunha – Rua Direita

Valorizar os Assistentes Operacionais nas escolas

Porque é que os funcionários das escolas fazem greve?

Porque são profissionais que à semelhança dos professores estão a ficar envelhecidos, por isso, ficam mais vezes doentes e têm de meter mais vezes baixa médica. Para além disso, ganham muito mal para o trabalho que fazem e para as responsabilidades cada vez maiores que lhes são exigidas. Não existe uma carreira e a antiguidade é muito pouco valorizada à semelhança da formação inicial de cada assistente operacional. A formação profissional ao longo da carreira também é escassa ou inexistente.

Um assistente operacional traz hoje para casa limpos no fim de cada mês cerca de 630/640 euros. Conseguirá viver com dignidade e pagar as suas contas e despesas com os filhos? Tem de conseguir, mas para o conseguir necessita de recorrer a apoios e subsídios estatais. Não devia ser assim, mas é assim que acontece na maior parte dos casos.

Os assistentes operacionais são uma espécie de parente pobre da educação, no entanto, quando não estão presentes deixa de haver aulas e os alunos têm de ir para casa. A sua ação e o seu trabalho são essenciais na implementação da escola a tempo inteiro, mas o Ministério da Educação quer continuar a fazê-lo sem lhes assegurar as devidas condições de trabalho e financeiras.

A regularização dos assistentes operacionais precários foi um passo importante, mas como se vê há ainda muito caminho a percorrer para se valorizar a profissão.

Carlos Cunha

 

Rui Cardoso

Latest posts by Rui Cardoso (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/11/valorizar-os-assistentes-operacionais-nas-escolas-carlos-cunha-rua-direita/

2 comentários

    • Paulo Anjo Santos on 16 de Novembro de 2019 at 14:26
    • Responder

    Uma coisa que só no ano passado soube é que eles nem carreira têm, as senhoras que trabalhavam, até à exaustão, todos os dias no bar da escola onde estava disseram-me que ganhavam o ordenado mínimo nacional… até estranhei o AC ter dito no outro dia que na função pública não há salário mínimo?! Há tanta gente que trabalha tanto nas escolas, pelas escolas…

    • Manuel on 16 de Novembro de 2019 at 20:45
    • Responder

    E o que dizer das assistentes técnica s
    ? O seu trabalho exige conhecimento só possivel através de uma licenciatura e ,no entanto, o seu vencimento é ,apenas, de uma centena de euros relativamente às AO.
    Daí que haja uma grande migração de AT para outros ministérios onde o vencimento é superior. Há escolas onde o processamento dos nossos vencimentos já são feitos por colegas em virtude da falta de AT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog