Sobre a falta de Professores – José Eduardo Lemos

 

O Ministério da Educação não tem “reporte de situações anómalas”, ou seja, não sabe do que se passa.
A Associação de Diretores diz que o problema está nas rendas altas?
As Associações de Pais dizem que este ano os professores foram colocados mais cedo e que, por isso mesmo, não contava que já houvesse escassez de professores.
Leio isto e retiro três conclusões óbvias:
1 – A política de colocação do pessoal docente implementada por este Governo no início de mandato (a mais centralizada de sempre) nada tem a ver com isto.
2 – A política de desvalorização e rebaixamento da classe docente, iniciada com Sócrates e mantida pelo último Governo, responsável pelo afastamento de muitos professores para outras profissões e responsável pela fuga de muitos jovens dos cursos via ensino, também nada tem a ver com a atual falta de professores.
3 – A política do congelamento, dos baixos salários e da falta de condições de trabalho, em alguns casos, fala de segurança, nada têm a ver com isto.
Esperemos então que as rendas baixem e que os professores sejam colocados em janeiro. Nessa altura, não faltarão professores.

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/10/sobre-a-falta-de-professores-jose-eduardo-lemos/

17 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • P.da Silva on 18 de Outubro de 2019 at 10:20
    • Responder

    Num país onde a culpa é uma solteirona, com um povo e uma comunicação social a desresponsabilizar diariamente governos e políticos incompetentes, eu sei quem os portugueses, o governo e a comunicação social vão culpar pela situação. Um dos dois seguintes será o culpado:
    1ºOs professores, essa pandilha privilegiada de preguiçosos;
    2º Os aliens que nos virão visitar lá para o ano 3019 mas já alinharam os astros para acabar com a Educação Pública em Portugal.

    Vivemos no País da Alice…

    • Paulo Anjo Santos on 18 de Outubro de 2019 at 10:55
    • Responder

    O Pardal deve estar a chegar ai indignado.

    Só num país como este é que um governo pode dizer que desconhece aquilo que toda a gente sabe pela comunicação social, noutro país ou até aqui mas noutras áreas a comunicação social já os tinha confrontado com uma série de situações graves para que fossem obrigados a dizer alguma coisa sobre o assunto…

      • Raju on 18 de Outubro de 2019 at 21:24
      • Responder

      Mas no país dos compadrios, onde os diretores das estações televisivas são familiares dos membros do governo não há perguntas inconvenientes… as notícias são feitas à medida.

      • José on 19 de Outubro de 2019 at 1:18
      • Responder

      Está a acabar o fumo para atacar!
      Quando já bem aviado, já aparece! Calma, ele está a acabar o serviço… já aí vem…

    • Vanda Maria de Bragança Serrão on 18 de Outubro de 2019 at 11:30
    • Responder

    Não se esqueçam também de pôr no cesto das culpas, o vergonhoso artigo 44.

    • Pardal on 18 de Outubro de 2019 at 11:33
    • Responder


    PATRANHA ou INVENTONA

    Uma massa de alienados é assim que classifico este conjunto de pessoas e que gritam desesperadamente que há uma enorme falta de professores em Portugal. RIDÍCULO!…

    É Triste ver uma classe profissional afundar-se no ridículo perante o olhar dos portugueses.

    Repito aquilo que aqui tenho escrito: – O Sistema Público de Educação está SOBREDIMENSIONADO, isto é, há EXCESSO DE PROFESSORES.
    Como se isto fosse coisa pouca, temos MILHARES de professores que andam a tapar os 10.000 buracos Anuais de Baixas Médicas. Temos MILHARES de professores inscritos nos Centros de Emprego na situação de DESEMPREGADOS, muitos deles a receberem Subsidio de Desemprego. Temos MILHARES de jovens a frequentar Cursos vocacionados para o Ensino. Temos MILHARES de professores que não encontrando colocação optaram por ir trabalhar para Caixas de Hipermercado, Callcenter, trabalhos administrativos, empregados de balcão…. É ESTA A RADIOGRAFIA DE UMA CLASSE COMPLETAMENTE PERDIDA E DESACREDITADA PERANTE A OPINIÃO PÚBLICA.

    Agora um conjunto de ALIENADOS quer fazer crer que existe falta de professores. Agora o discurso começa a mudar um bocadinho e já falam dos locais com Rendas Altas a ver se cola. Enfim!…. a palhaçada faz o seu caminho…

      • maria on 18 de Outubro de 2019 at 13:13
      • Responder

      Vamos lá pôr isto em pratos limpos: dizer que há falta de de professores ( leia-se, indivíduos com um diploma em ensino) é errado, errado! . Basta olhar para os milhares que, – no concurso para contratados – ficam “de fora”.
      A “falta” de professores que agora se propala é outra coisa.
      O que acontece é o seguinte: face ao brutal e misterioso número de “atestados ” apresentados poucos dias após o início do ano lectivo, as escolas têm , em muitos casos , dificuldade em encontrar substitutos.
      Por quê ? Não pela falta de diplomados ( estes existem em excesso, como foi dito) mas sim pela compreensível indisponibilidade de um qualquer candidato ” aceitar” – em partime e a kilómetros da residência – um horário incompleto com um ordenado que não cobre as despesas. Creio que está explicado, e não disse nada de novo.

      Ora, estas serão as consequências da enorme “corrida” às baixas-médicas.
      Agora vamos às causas : o que leva milhares e milhares de criaturas a recorrer a este expediente, mal tem começado o ano lectivo e imediatamente após umas reconfortantes férias? Exaustão precoce? Dificuldades ditadas pela mais ou menos longínqua colocação geográfica , opção feita pelo próprio em sede de concurso nacional?

      • Quiducho on 18 de Outubro de 2019 at 18:31
      • Responder

      O Pardal é bonito!

      • José on 19 de Outubro de 2019 at 1:21
      • Responder

      Este sobrevoava Évora para ir piar ao 44.

    • Frankie on 18 de Outubro de 2019 at 12:07
    • Responder

    Mas quem, dentro do sistema educativo, e com 2 dedos de testa acredita que há falta de professores no ensino público português? Com milhares de professores à espera de serem colocados e com várias dezenas, senão centenas, colocados todas as semanas?

    E depois há quem coma gelados com a testa e se limite a comentar, só porque sim.

    • Paulo Anjo Santos on 18 de Outubro de 2019 at 12:46
    • Responder

    Ou então vocês dois esqueceram-se de tomar a medicação nos últimos tempos e não vêm aquilo que toda a gente vê, que há já bastantes casos de falta de professores em algumas escolas… há muitos nas listas? O que é que é “muitos”? Por exemplo, a lista de Geografia tem lá 109 candidatos, nesta altura e para o país todo. se estivesssem distribuídos homogeniamente pelo país daria uns poucos em cada concelho ou grupo de concelhos próximos, não estando obviamente distribuídos de forma homogénia há sitios onde já faltam, em Geografia de noutras disciplinas e o que se prevê é que as coisas venham a piorar muito ao longo do ano letivo e nos próximos… a não ser que me digam que as notícias que têm sido difundidas nas TV’s e jornais são falsas???

    E, pergunto mais uma vez, quando é que se lembram de haver tantas faltas de professores logo no início do ano letivo? O Pardal já aqui falou disso, nos anos 80, sim… recuámos 30 ou 40 anos, grande feito dos últimos governos!!! A realidade é que meilhares de alunos ainda não tiveram professor de uma ou mais disciplinas desde o início do ano letivo, não sei se é uma enorme falta de professofes, não me lembro de alguém ter usado ainda esse adjetivo, como diz o pardaleco, mas que há falta isso há… e o que o problema tem tudo para ficar pior isso não tenho dúvidas… quer ver até quando os políticos vão negar o óbvio… em relação a vocês, especialmente o pardal, há muito que perdi as esperanças!

      • Pardal on 18 de Outubro de 2019 at 13:22
      • Responder


      Paulinho

      Sairam as Listas de Reserva de Recrutamento. Tenta ler a conversa no CHAT aqui ao lado. É tanta a “falta de professores” que só se lê o desespero deste conjunto de desgraçados para que lhes toque em sorte dar umas HORITAS LETIVAS para poderem comer uma sopa na sala de professores.

      àespera: @Sininho de que grupo és? não desanimes…

      àespera: @Sininho vai vir…tem calma…

      (….)

      Tem VERGONHA Paulinho. Estes desgraçados que até se esgadanham para darem umas aulinhas não te perdoam.

        • Quiducho on 18 de Outubro de 2019 at 18:30
        • Responder

        O Pardal é bonito!

        • Maria pardaleca on 18 de Outubro de 2019 at 19:54
        • Responder

        Por acaso Pardaleco desejo te muito mal!Deves um dia passar fome,para não andares a fazer comentários parvos de outros seres humanos não terem dinheiro para uma sopa!Por acaso eu ainda nao fui colocada,mas graças a Deus tenho uma boa situação financeira,graças ao meu pai!Olha pardalinho vai para o ninho!Vais ter muito azar!Sabes que um parvo como tu nao vale nada e eu quando odeio,as pessoas fogem! I am a witch!

        • Paulo Anjo Santos on 18 de Outubro de 2019 at 20:05
        • Responder

        Oh pardaleco, então assim que avalias a falta ou não de professores, sinceramente não te julgava tão amador, tão pouco inteligente… e ainda te dás ao trabalho de colocar um citação do chat em que uma colega está a manifestar algum desespero por não ter colocação?! Óh valha-me Deus Nosso Senhor!

        Por um lado sempre falaste em termos gerais que há milhares de professores sem colocação ou que estão aqui e ali, por isso há excesso de professores, agora vais buscar uma citação de um pessoa a escrever no chat e tiras as tuas conclusões?! Que amadorismo :)))))))

        O que eu pergunto e tu finges que não vês:
        1.Há ou não milhares de alunos que não têm professor de alguma disciplina desde o início do ano letivo?!
        2. O que estamos a assistir agora já se verificou nos anos anteriores?
        3. Há quantos anos não vivíamos uma situação minimamente comparável? … a esta já respondeste sem querer num outro post, falaste na década de 80!! Pois…

        Mas vamos aguardando e vendo, quando chegarmos a meio do ano letivo vais ver como isto já está!!?

    • Ser prof. não é para qualquer um on 18 de Outubro de 2019 at 16:34
    • Responder

    Esta teimosia deve ser relativizada.

    Devem aceitar as evidências, que são: alguns grupos de recrutamento estão a esgotar, mas a grande a maioria dispõe de recursos humanos suficientes para colmatar as necessidades do sistema.

    O grande problema está no custo do exercício da profissão, no distanciamento das colocações, no desgaste doentio a que somos votados, a falta de respeito e o risco.

    • Ser prof. não é para qualquer um on 18 de Outubro de 2019 at 16:35
    • Responder

    É que ser professor não é para qualquer ser humano, mas para gente invulgarmente dotada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog